Adaptação Transcultural de um Instrumento para Avaliar a Coparentalidade: Coparenting Relationship Scale

Thaís Ramos de Carvalho Elizabeth Joan Barham Carolina Duarte de Souza Elisangela Böing Maria Aparecida Crepaldi Mauro Luís Vieira Sobre os autores

Resumo

A coparentalidade envolve a articulação entre mães e pais para criar os filhos. Ainda não existem instrumentos para mensurar este construto, no Brasil. Nesse estudo, foi verificada a adequação de uma adaptação transcultural do Coparenting Relationship Scale (CRS) (Escala da Relação Coparental - ERC), por meio da avaliação das equivalências semântica, conceitual, cultural, idiomática, operacional e de mensuração e da validade aparente. Dois grupos de pesquisa independentes adaptaram a CRS e, depois, produziram uma versão unificada, respondida por 171 casais, com pelo menos um filho de 4 a 6 anos. Os índices de precisão, mensurados por meio do alfa de Cronbach para cada subescala, variaram entre 0,16 e 0,83. Quatro subescalas apresentaram boa precisão de mensuração da coparentalidade no contexto brasileiro, mas será necessário reformular as subescalas “Divisão de Tarefas”, “Proximidade Coparental” e “Concordância Coparental”, além de avaliar evidências adicionais de validade, para que a ERC possa ser usada no Brasil.

Palavras-chave:
coparentalidade; precisão; escala

Universidade de São Francisco, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Psicologia R. Waldemar César da Silveira, 105, Vl. Cura D'Ars (SWIFT), Campinas - São Paulo, CEP 13045-510, Telefone: (19)3779-3771 - Campinas - SP - Brazil
E-mail: revistapsico@usf.edu.br