Accessibility / Report Error

Preconceito racial e valores sociais: como percebo a mim e ao outro

Samuel Lincoln Bezerra Lins Tiago Jessé Souza de Lima Luana Elayne Cunha de Souza Aline Lima-Nunes Leoncio Camino Sobre os autores

Resumo

O processo de atribuição de valores a alguns grupos pode ser utilizado como um recurso para demarcar diferenças entre endogrupo e exogrupo, o que pode levar a comportamentos discriminatórios contra o exogrupo. Nesse sentido, o presente trabalho busca avaliar se os indivíduos percebem dissimilaridades entre os valores atribuídos a si mesmos, aos brancos e aos negros, e se essas dissimilaridades podem seguir uma lógica preconceituosa, expressando de forma sutil o preconceito racial. O Estudo 1 (n = 220) objetivou hierarquizar os valores em termos de progresso socioeconômico, identificando aqueles valores representativos de países desenvolvidos e subdesenvolvidos. O Estudo 2 (n = 420) avaliou se os valores atribuídos a si mesmos, a negros e a brancos são diferentes e se essa diferença segue uma lógica preconceituosa. De modo geral, os resultados mostraram uma tendência na associação de valores de terceiro mundo, coletivistas, aos negros e de valores de primeiro mundo, individualistas, aos brancos.

Palavras-chave:
valores sociais; racismo; atribuição; relações intergrupais

Universidade de São Francisco, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Psicologia R. Waldemar César da Silveira, 105, Vl. Cura D'Ars (SWIFT), Campinas - São Paulo, CEP 13045-510, Telefone: (19)3779-3771 - Campinas - SP - Brazil
E-mail: revistapsico@usf.edu.br