Relações sociais: as trocas e os mitos de um mundo sem trocas

Social Relationships: Exchanges and Mythes in a world without exchanges

Rapports Sociaux: Échanges and Mythes dans a monde sans échanges

Neste ensaio, discute-se o fenômeno da troca como a instituição que funda o nascimento da cultura e das relações sociais. A busca de compreensão deste fenômeno se baseou na análise de dois momentos mítico-teóricos nos quais as formas de interação são marcadas pela ausência das trocas: de um lado, os conceitos operatórios que se referem a um estágio pré-cultural da humanidade, evocados distintamente por Hobbes e por Freud, num contexto de pura violência; de outro lado, a invenção da idéia de gratuidade, o que supõe a impossibilidade da reciprocidade, dada a desigualdade estrutural entre as partes em interação. Apesar de as trocas serem analisadas como o fundamento maior das relações sociais, típicas dos estágios avançados da cultura, isso não evita que também elas sejam, quase sempre, marcadas pela desigualdade e permanentemente atravessadas pela irrupção de conflitos. Estes, no entanto, são tomados como um elemento essencial para o desenvolvimento da cultura e para a dinâmica das relações sociais.

Interação social; Violência; Conflito


Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo Av. Prof. Mello Moraes, 1721 - Bloco A, sala 202, Cidade Universitária Armando de Salles Oliveira, 05508-900 São Paulo SP - Brazil - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: revpsico@usp.br