Accessibility / Report Error

Limites da representação na metapsicologia freudiana

Límites de la representación en la metapsicologia freudiana

Limites de la représentation dans la métapsychologie freudienne

Este artigo objetiva analisar os limites da teoria da representação na metapsicologia freudiana. É um trabalho de pesquisa teórico-conceitual da psicanálise, por meio de uma metodologia de análise histórica e epistemológica dos textos de Freud. A metapsicologia freudiana fundamenta-se em uma teoria das pulsões que é tributária dos princípios de uma teoria da representação mental. Porém, as alterações exigidas pela introdução dos conceitos de narcisismo e de identificação, além do reconhecimento da compulsão à repetição como algo além do princípio do prazer, levaram a uma remodelação da teoria das pulsões, a uma nova descrição tópica e a uma reformulação na teoria da angústia. A hipótese é que a teoria representacional encontra limites em duas direções distintas: a identificação e a impossibilidade de representação como, respectivamente, um além e um aquém da metapsicologia freudiana.

Freud, Sigmund, 1856-1939; Identificação; Metapsicologia; Psicanálise; Representação mental


Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo Av. Prof. Mello Moraes, 1721 - Bloco A, sala 202, Cidade Universitária Armando de Salles Oliveira, 05508-900 São Paulo SP - Brazil - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: revpsico@usp.br