Introdução ou por que os seus dados são importantes

EDITORIAL

REDAÇÃO E LITERATURA CIENTÍFICA

Introdução ou por que os seus dados são importantes

Daniel Deheinzelin

Professor Livre-docente, Departamento de Cardiopneumologia, Universidade de São Paulo (USP), São Paulo, SP, Brasil

A estrutura IMRaD (Introdução, Materiais e Métodos, Resultados e Discussão) é a forma mais concisa e objetiva para a comunicação científica. Nessa sequência, cada parte tem uma função específica. Na lógica do artigo, a introdução está diretamente conectada à discussão. São esses os espaços nos quais o autor pode discutir suas hipóteses.

Para permitir a discussão da hipótese, em primeiro lugar, é preciso trazer o leitor menos experiente no assunto até o estado atual do conhecimento. Essa é a função principal da introdução. Mas a boa introdução vai além; mais do que situar o leitor, ela o fisga. Além de conhecer a hipótese do autor, o leitor vai interessar-se em conhecer os resultados.

Para fisgar o leitor, concisão é muito importante. Quanto mais longa e quanto mais informação básica a introdução contiver, maior a chance de perdê-lo. Não se deve superestimar o conhecimento do leitor, mas nunca se deve subestimar esse conhecimento. Para não oferecer informações desnecessárias e transparecer o seu desconhecimento, o autor só tem um recurso: manter o foco.

Mantenha o foco na questão central do seu estudo, assim você vai citar as referências mais relevantes e atuais da área. Nada pior do que escrever sobre um assunto e não citá-las. Lembrar-se de que essas referências devem aparecer na introdução para que possam ser comentadas na discussão. Dessa forma, a importância do seu trabalho, dos seus resultados, ficará muito mais clara ao término da leitura.

Use as mais recentes, mais diretas, sobretudo as referências mais pertinentes ao seu estudo. Lembre-se: um artigo de pesquisa não é um artigo de revisão. Você deve dizer por que sua pesquisa é relevante, o que você fez de diferente na área e apontar um caminho a ser seguido após a conclusão do seu trabalho.

Uma introdução concisa tem, em geral, cerca de 300 palavras e três ou quatro parágrafos. No primeiro parágra fo, parte-se da questão mais geral para o aspecto especifico da sua pesquisa. Pode ser a epidemiologia de uma doença, as dificuldades diagnósticas, a escolha de diferentes estratégias terapêuticas ou ainda a importância da via de certa enzima em um processo fisiopatológico. É nesse parágrafo que se define o cenário da pesquisa. É como quando se vê uma lâmina: é questão de foco.

No segundo parágrafo, mostre os dados que o levaram a formular a hipótese. Mostre por que se poderiam esperar os resultados que você obteve (Lembre-se de que, embora o artigo retrate as diferentes fases do seu trabalho, ele deve ser escrito após a coleta final e análise dos dados). Depois da mordida, vem a fisgada propriamente dita.

No terceiro parágrafo, mostre o desenho do seu estudo. Em particular, tente deixar claro quais as diferenças metodológicas dele em relação a outros trabalhos da área. Essas diferenças é que darão destaque aos seus achados.

Feito isso, não se esqueça de se proteger do sol e boa pescaria.

Datas de Publicação

  • Publicação nesta coleção
    28 Fev 2012
  • Data do Fascículo
    Fev 2012
Associação Médica Brasileira R. São Carlos do Pinhal, 324, 01333-903 São Paulo SP - Brazil, Tel: +55 11 3178-6800, Fax: +55 11 3178-6816 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: ramb@amb.org.br