Apneia obstrutiva do sono: estudo por meio de telerradiografias horizontais e verticais

RESUMO DE TESE

Apneia obstrutiva do sono: estudo por meio de telerradiografias horizontais e verticais

Autor: Fabio Nauff.

Orientador: Henrique Lederman.

Co-orientador: Israel Chilvarquer.

[Tese de Mestrado]. São Paulo: Universidade Federal de São Paulo; 2009.

OBJETIVO: Avaliar a variação das áreas e diâmetros de regiões das vias aéreas superiores e do palato mole de indivíduos portadores de apneia obstrutiva do sono, por meio de telerradiografias obtidas nas posições ereta e supina.

MÉTODOS: Foram avaliados os cefalogramas obtidos de telerradiografias de 22 indivíduos do gênero masculino portadores de apneia obstrutiva do sono diagnosticada por polissonografia (índice de apneia-hipopneia > 10 eventos/hora) e com sobrepeso (índice de massa corporal entre 25 e 34,9 kg/m2). As telerradiografias, em norma lateral, foram realizadas com o indivíduo nas posições vertical (em pé) e horizontal (deitado em decúbito dorsal). No traçado cefalométrico, as vias aéreas superiores na região craniofacial foram demarcadas e divididas em três setores: nasofaringe, orofaringe e hipofaringe. As áreas dos três setores foram mensuradas e comparadas para as duas posições do indivíduo, assim como o menor diâmetro da orofaringe e da hipofaringe. Comparou-se também, a área do palato mole e o seu maior diâmetro.

RESULTADOS: A posição em pé apresentou, em média, maior área da nasofaringe (p = 0,001), área da orofaringe (p < 0,001), área da hipofaringe (p < 0,001), e menor diâmetro da orofaringe (p < 0,001) e da hipofaringe (p < 0,001), em comparação com a posição deitada. Em contrapartida, a posição deitada apresentou, em média, maior área do palato mole (p < 0,001) e maior diâmetro do palato mole (p = 0,007) do que a posição em pé.

CONCLUSÕES: Os indivíduos com apneia obstrutiva do sono, ao variar sua postura da posição vertical para a horizontal, sofrem redução da área das vias aéreas superiores e do menor diâmetro da orofaringe e hipofaringe, sugerindo obstrução. O palato mole, com o indivíduo na posição supina, apresentou maior área radiográfica e largura em relação ao indivíduo na posição vertical.

Datas de Publicação

  • Publicação nesta coleção
    09 Mar 2010
  • Data do Fascículo
    Fev 2010
Publicação do Colégio Brasileiro de Radiologia e Diagnóstico por Imagem Av. Paulista, 37 - 7º andar - conjunto 71, 01311-902 - São Paulo - SP, Tel.: +55 11 3372-4541, Fax: 3285-1690, Fax: +55 11 3285-1690 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: radiologiabrasileira@cbr.org.br