Detecção precoce da disfunção adrenérgica cardíaca através da MIBG-123iodo na doença de Chagas com função ventricular normal

Maria Carolina Pinheiro Pessoa Landesmann

RESUMO DE TESE

Detecção precoce da disfunção adrenérgica cardíaca através da MIBG-123iodo na doença de Chagas com função ventricular normal

Autora: Maria Carolina Pinheiro Pessoa Landesmann.

Orientadores: Roberto Coury Pedrosa, Léa Mirian Barbosa da Fonseca. [Tese de Doutorado]. Rio de Janeiro: Universidade Federal do Rio de Janeiro; 2009.

A doença de Chagas é considerada a quarta moléstia de maior impacto social na América Latina, acometendo entre 16 e 18 milhões de indivíduos, e a morte súbita constitui um dos fenômenos mais expressivos da história natural desta doença, afetando os indivíduos na fase mais produtiva de suas vidas. O objetivo deste trabalho é detectar precocemente a disfunção adrenérgica cardíaca, com o uso da cintilografia com MIBG-123I, em chagásicos assintomáticos, com eletrocardiograma normal ou borderline e função ventricular preservada.

Quarenta pacientes chagásicos consecutivos e 19 indivíduos saudáveis foram submetidos a cintilografia com MIBG-123I, com doses de 259 MBq (7 mCi) com a aquisição de imagens planares de 20 minutos e 3 horas, e imagens tomográficas (SPECT) de 60 a 90 minutos após a injeção. A avaliação da inervação cardíaca foi determinada pelo cálculo da relação coração/mediastino (C/M) de 20 minutos e 3 horas e da taxa de washout do MIBG-123I do miocárdio, bem como a distribuição segmentar nas imagens SPECT.

Não houve diferença clinicamente significativa nas análises intra e interobservador. O modelo estatístico utilizado para a análise dos dados foi a árvore de regressão não paramétrica. A relação C/M 3 horas foi estatisticamente significativa (p < 0,001) para a definição de dois grupos: 95% dos chagásicos tiveram C/M 3 horas < 2,19, comparados a 48,1% dos controles. Entre os chagásicos com C/M 3 horas < 2,19, 65,7% tiveram eletrocardiograma borderline e 56% destes tiveram C/M 3 horas < 1,8. A média da C/M 3 horas dos chagásicos com eletrocardiograma borderline, dos chagásicos com eletrocardiograma normal e dos controles foi de 1,73, 2,04 e 2,2, respectivamente.

Os dados preliminares deste estudo sugerem significativa prevalência de alterações da inervação simpática cardíaca em chagásicos assintomáticos, com eletrocardiograma normal ou borderline e função ventricular preservada.

Datas de Publicação

  • Publicação nesta coleção
    23 Fev 2010
  • Data do Fascículo
    Dez 2009
Publicação do Colégio Brasileiro de Radiologia e Diagnóstico por Imagem Av. Paulista, 37 - 7º andar - conjunto 71, 01311-902 - São Paulo - SP, Tel.: +55 11 3372-4541, Fax: 3285-1690, Fax: +55 11 3285-1690 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: radiologiabrasileira@cbr.org.br