Avaliação de pacientes com hepatopatias crônicas através de ressonância magnética de 3 tesla

Maurício Zapparoli

RESUMO DE TESE

Avaliação de pacientes com hepatopatias crônicas através de ressonância magnética de 3 tesla

Autor: Maurício Zapparoli.

Orientador: Emerson Leandro Gasparetto.

[Dissertação de Mestrado]. Rio de Janeiro: Universidade Federal do Rio de Janeiro; 2009.

O objetivo deste estudo foi descrever a utilidade e avaliar artefatos e a qualidade de imagem da ressonância magnética em campo magnético de 3 tesla para o estudo de pacientes com hepatopatias crônicas.

Dois grupos de pacientes com hepatopatias crônicas foram incluídos. O primeiro grupo foi constituído por 66 pacientes consecutivos (33 masculinos e 33 femininos) com idade variando entre 26 e 89 anos (média de 56 anos), e o segundo grupo foi composto por 30 pacientes (18 masculinos e 12 femininos) com idade variando entre 29 e 83 anos (média de 53 anos), os quais realizaram o exame após a introdução de uma atualização no equipamento de ressonância magnética, que incluiu a utilização de pulsos de excitação seletiva e taxa variável, alterando os parâmetros de aquisição de sequências ponderadas em T2. Todas as imagens foram retrospectivamente avaliadas por dois radiologistas experientes, de forma independente, para achados de hepatopatia crônica, artefatos e qualidade de imagem. A frequência de aparecimento dos achados foi determinada por consenso.

No primeiro grupo, a qualidade de imagem das sequências gradiente-eco tridimensionais ponderadas em T1, pós-gadolínio, foi considerada excelente em 65% (n = 43) dos pacientes. A qualidade de imagem das sequências gradiente-eco ponderadas em T1 dentro e fora de fase foram consideradas regulares em 94% (n = 62) e 92% (n = 61) dos pacientes do primeiro grupo, respectivamente. Sequências ponderadas em T2 demonstraram melhora na qualidade de imagem no segundo grupo de pacientes em relação ao primeiro.

A ressonância magnética de 3 tesla permite a aquisição de sequências gradiente-eco tridimensionais ponderadas em T1, pós-gadolínio, de alta qualidade, as quais são muito úteis para a detecção e caracterização de lesões hepáticas em pacientes com hepatopatia crônica. Sequências gradiente-eco ponderadas em T1, dentro e fora de fase, apresentaram qualidade de imagem regular. Pulsos de excitação seletiva e taxa variável aumentaram a qualidade de imagem das sequências ponderadas em T2.

Datas de Publicação

  • Publicação nesta coleção
    28 Ago 2009
  • Data do Fascículo
    Ago 2009
Publicação do Colégio Brasileiro de Radiologia e Diagnóstico por Imagem Av. Paulista, 37 - 7º andar - conjunto 71, 01311-902 - São Paulo - SP, Tel.: +55 11 3372-4541, Fax: 3285-1690, Fax: +55 11 3285-1690 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: radiologiabrasileira@cbr.org.br