Administração intraperitoneal da mistura com excesso enantiomérico de 50% de bupivacaína (S75-R25) para analgesia pós-operatória em colecistectomias videolaparoscópicas

Administración intraperitoneal de la mezcla con exceso enantiomérico de 50% de bupivacaína (S75-R25) para analgesia postoperatoria en colecistectomías videolaparoscópicas

João Batista Santos Garcia Antônio M. Alencar Júnior Carlos Eduardo Claro dos Santos Sobre os autores

JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: O efeito analgésico de infusões intraperitoneais de anestésicos locais após colecistectomia videolaparoscópica é controverso e os resultados descritos vão de alívio considerável à pequena redução da dor. O objetivo deste estudo foi avaliar a eficácia da administração intraperitoneal da mistura com excesso enantiomérico de 50% de bupivacaína (S75-R25) para o alívio da dor no pós-operatório de colecistectomia videolaparoscópica. MÉTODO: Estudo aleatório, placebo-controlado e duplamente encoberto com 40 pacientes submetidos à colecistectomia videolaparoscópica divididos em dois grupos: GI (n = 20) que recebeu 80 mL de solução de bupivacaína S75-R25 a 0,125% intraperitoneal no fim da operação; GII (n = 20) que recebeu 80 mL de solução fisiológica a 0,9%. Ambos os grupos receberam 40 mg de tenoxicam e 30 mg.kg-1 de dipirona, por via venosa, pouco antes do fim da operação. A analgesia no pós-operatório (PO) foi feita com tramadol. Foram avaliados os escores de dor em repouso, ao sentar e à manobra de Valsalva, segundo a escala numérica ao despertar e 2, 4, 8, 12 e 24 horas no PO; a presença de dor no ombro; o tempo para a primeira solicitação do analgésico; e o seu consumo cumulativo. RESULTADOS: Houve diferença estatística significativa entre os escores de dor às 12 horas no PO com o paciente em repouso (GI < GII). O tempo da primeira solicitação de tramadol foi maior no GI e o seu consumo menor neste grupo, porém essas diferenças não foram significativas. CONCLUSÕES: A instilação intraperitoneal de 80 mL de bupivacaína S75-R25 a 0,125% proporcionou baixos escores de dor em repouso de forma significativa somente às 12 horas de PO de colecistectomia videolaparoscópica.

ANALGESIA; ANESTÉSICOS, Local; TÉCNICA ANALGÉSICA; CIRURGIA, Abdominal


Sociedade Brasileira de Anestesiologia R. Professor Alfredo Gomes, 36, 22251-080 Botafogo RJ Brasil, Tel: +55 21 2537-8100, Fax: +55 21 2537-8188 - Campinas - SP - Brazil
E-mail: bjan@sbahq.org