Efeito da associação ropivacaina-pancurônio na transmissão neuromuscular e eficácia da neostigmine e 4-aminopiridina na reversão do bloqueio: estudo experimental Pesquisa conduzida no Departamento de Anestesiologia e Farmacologia, Escola de Medicina, Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), Campinas, SP, Brasil.

Angélica de Fátima Braga Vanessa Henriques Carvalho Franklin Sarmento Braga Gloria Maria Braga Potério Filipe Nadir Caparica Santos Sobre os autores

JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS:

Os efeitos dos anestésicos locais na junção neuromuscular e sua influência no bloqueio produzido por bloqueadores neuromusculares não-despolarizantes é ainda alvo de pouca investigação, no entanto esta interação tem sido descrita em trabalhos experimentais e em humanos. O objetivo deste estudo foi avaliar in vitro, a interação da ropivacaína com o pancurônio, a influência na transmissão e bloqueio neuromuscular e a efetividade da neostigmina e 4-aminopiridina na reversão do bloqueio.

MÉTODO:

Ratos foram distribuídos em grupos (n = 5) de acordo com o fármaco estudado: ropivacaína (5 µg mL-1); pancurônio (2 µg mL-1); ropivacaína + pancurônio. A neostigmina e a 4-aminopiridina foram usadas nas concentrações de 2 µg mL-1 e 20 µg.mL-1, respectivamente. Avaliou-se: 1) efeitos da ropivacaína sobre o potencial de membrana e potenciais de placa terminal em miniatura; 2) a amplitude das respostas do diafragma antes e 60 minutos após a adição da ropivacaína; o grau de bloqueio neuromuscular com o pancurônio e com a associação pancurônio - ropivacaína; 3) a efetividade da neostigmina e 4-aminopiridina na reversão do bloqueio neuromuscular.

RESULTADOS:

A ropivacaína não alterou a amplitude das respostas musculares, os potenciais de membrana, mas diminuiu a frequência e a amplitude dos potenciais de placa terminal em miniatura. O bloqueio produzido pelo pancurônio foi potencializado pela ropivacaína, e parcial e totalmente revertido pela neostigmina e 4-aminopiridina, respectivamente.

CONCLUSÕES:

A ropivacaína potencializou o bloqueio neuromuscular produzido pelo pancurônio. O antagonismo completo com a 4-aminopiridina sugere ação pré-sináptica da ropivacaína.

Anestésicos Locais, Ropivacaina; Bloqueadores neuromusculares; Não despolarizantes, Pancurônio; Animais, Ratos


Sociedade Brasileira de Anestesiologia R. Professor Alfredo Gomes, 36, 22251-080 Botafogo RJ Brasil, Tel: +55 21 2537-8100, Fax: +55 21 2537-8188 - Campinas - SP - Brazil
E-mail: bjan@sbahq.org