Revista Brasileira de Anestesiologia, Volume: 66, Número: 1, Publicado: 2016
  • Ensino da prática de cateterismo epidural torácico em diferentes anos de residência em anestesia Scientific Articles

    Alagoz, Ali; Sazak, Hilal; Tunc, Mehtap; Ulus, Fatma; Kokulu, Serdar; Pehlivanoglu, Polat; Sahin, Saziye

    Resumo em Português:

    JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: Esclarecer a importância do ano de residência e outros fatores que influenciam o sucesso do cateterismo epidural torácico (CET) em pacientes submetidos à toracotomia. MÉTODOS: Após a aprovação do Comitê de Ética, os dados foram retrospectivamente analisados a partir dos prontuários de 415 pacientes. Todos os pacientes assinaram os termos de consentimento informado. As tentativas de CET foram divididas em dois grupos: segundo-terceiro ano (Grupo I) e quarto ano (Grupo II), de acordo com o ano de residência. Dados demográficos, características das tentativas de CET e todas as dificuldades e complicações durante o CET foram registrados retrospectivamente. RESULTADOS: A taxa de sucesso global de CET foi semelhante entre os grupos. Os níveis de colocação do cateter, o número e a duração das tentativas não foram diferentes entre os grupos (p > 0,05). A alteração do nível de inserção da agulha foi estatisticamente maior no Grupo II (p = 0,008), enquanto que a parestesia foi significativamente maior no Grupo I (p = 0,007). As taxas de cefaleia durante e após punção dural foram maiores no Grupo I. Um índice de massa corporal (IMC) maior e o nível do local de inserção foram fatores significativos para o fracasso do CET e para as taxas de complicações no pós-operatório, mas independentes da experiência dos residentes (p < 0,001, 0,005). CONCLUSÃO: O IMC e o nível do local de inserção foram significativos para o fracasso do CET e para as taxas de complicações no pós-operatório. Pensamos que o ano de residência não é um fator significativo em termos de taxa de sucesso global para o CET, mas é importante para o resultado desses procedimentos.

    Resumo em Inglês:

    BACKGROUND AND OBJECTIVES: In this study, we aimed to clarify the importance of residency grade and other factors which influence the success of thoracic epidural catheterization in thoracotomy patients. METHODS: After the ethical committee approval, data were recorded retrospectively from the charts of 415 patients. All patients had given written informed consent. The thoracic epidural catheterization attempts were divided into two groups as second-third year (Group I) and fourth year (Group II) according to residency grade. We retrospectively collected demographic data, characteristics of thoracic epidural catheterization attempts, and all difficulties and complications during thoracic epidural catheterization. RESULTS: Overall success rate of thoracic epidural catheterization was similar between the groups. Levels of catheter placement, number and duration of thoracic epidural catheterization attempts were not different between the groups (p > 0.05). Change of needle insertion level was statistically higher in Group II (p = 0.008), whereas paresthesia was significantly higher in Group I (p = 0.007). Dural puncture and postdural puncture headache rates were higher in Group I. Higher body mass index and level of the insertion site were significant factors for thoracic epidural catheterization failure and postoperative complication rate and those were independence from residents' experience (p < 0.001, 0.005). CONCLUSION: Body mass index and level of insertion site were significant on thoracic epidural catheterization failure and postoperative complication rate. We think that residents' grade is not a significant factor in terms overall success rate of thoracic epidural catheterization, but it is important for outcome of these procedures.
  • Efeito do óxido nitroso sobre o consumo de fentanil em pacientes queimados submetidos à troca de curativo Scientific Articles

    Vale, Arthur Halley Barbosa do; Videira, Rogério Luiz da Rocha; Gomez, David Souza; Carmona, Maria José Carvalho; Tsuchie, Sara Yume; Flório, Cláudia; Vane, Matheus Fachini; Posso, Irimar de Paula

    Resumo em Português:

    JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: Os ferimentos térmicos e a manipulação das áreas lesadas são causas importantes de dor em pacientes vítimas de queimaduras, necessitando que estes pacientes sejam constantemente submetidos a anestesias gerais para a troca do curativo. O óxido nitroso (N2O) tem propriedades analgésicas e sedativas, sendo capaz de fácil utilização e de ampla disponibilidade. Com isto, objetivou-se avaliar o efeito analgésico da administração de N2O associado ao fentanil em pacientes queimados, durante a troca de curativo. MÉTODO: Após aprovação pela comissão de ética institucional, foram avaliados 15 pacientes adultos, vítimas de queimaduras com necessidade de troca diária de curativo. A analgesia do paciente foi controlada pelo uso de fentanil 0,0005% administrado por bomba de infusão sob demanda, intravenosa. De maneira aleatória, em um dos dias foi associada mistura de N2O a 65% em oxigênio (O2) sob máscara com fluxo de 10 L/min (grupo N2O) e no outro dia apenas O2 sob o mesmo fluxo (grupo controle). RESULTADOS: Não se observou diminuição significativa da dor no grupo N2O em relação ao grupo controle. A dor na EAV antes da troca do curativo foi de 4,07 e 3,4; respectivamente nos grupos N2O e controle. Quanto à dor ao término da troca de curativo, os pacientes do grupo N2O referiram dor intensidade 2,8; enquanto no grupo controle foi de 2,87. Não houve diferença significativa de consumo de fentanil em ambos os grupos. CONCLUSÕES: A associação de N2O não foi eficaz na redução no consumo de opióides durante a troca de curativos.

    Resumo em Inglês:

    BACKGROUND AND OBJECTIVES: Thermal injuries and injured areas management are important causes of pain in burned patients, requiring that these patients are constantly undergoing general anesthesia for dressing change. Nitrous oxide (N2O) has analgesic and sedative properties; it is easy to use and widely available. Thus, the aim of this study was to evaluate the analgesic effect of N2O combined with fentanyl in burned patients during dressing change. METHOD: After approval by the institutional Ethics Committee, 15 adult burned patients requiring daily dressing change were evaluated. Patient analgesia was controlled with fentanyl 0.0005% administered by intravenous pump infusion on-demand. Randomly, in one of the days a mixture of 65% N2O in oxygen (O2) was associated via mask, with a flow of 10 L/min (N2O group) and on the other day only O2 under the same flow (control group). RESULTS: No significant pain reduction was seen in N2O group compared to control group. VAS score before dressing change was 4.07 and 3.4, respectively, in N2O and control groups. Regarding pain at the end of the dressing, patients in N2O group reported pain severity of 2.8; while the control group reported 2.87. There was no significant difference in fentanyl consumption in both groups. CONCLUSIONS: The association of N2O was not effective in reducing opioid consumption during dressing changes.
  • Efeitos de um novo método de anestesia combinando propofol e anestesia volátil sobre a incidência de náusea e vômito no pós-operatório em pacientes submetidas à laparoscopia ginecológica Scientific Articles

    Kawano, Hiroaki; Ohshita, Naohiro; Katome, Kimiko; Kadota, Takako; Kinoshita, Michiko; Matsuoka, Yayoi; Tsutsumi, Yasuo M.; Kawahito, Shinji; Tanaka, Katsuya; Oshita, Shuzo

    Resumo em Português:

    JUSTIFICATIVA: Investigamos os efeitos de um novo método de anestesia, que combina propofol e anestesia volátil, sobre a incidência de náusea e vômito no período pós-operatório de pacientes submetidas à laparoscopia ginecológica. MÉTODOS: As pacientes foram randomicamente divididas em três grupos: manutenção com sevoflurano (Grupo S, n = 42), com propofol (Grupo P, n = 42) ou com a combinação de propofol e sevoflurano (Grupo PS, n = 42). Avaliamos as respostas completas (sem náusea e vômito no pós-operatório e sem uso de antiemético de resgate), incidência de náusea e vômito, escore de gravidade da náusea, frequência de vômitos, uso de antiemético de resgate e dor no pós-operatório em duas e 24 horas após a cirurgia. RESULTADOS: O número de doentes que apresentou uma resposta completa foi maior nos grupos P e PS do que no Grupo S em 0-duas horas (74%, 76% e 43%m respectivamente, p = 0,001) e 0-24 horas (71%, 76% e 38%, respectivamente, p < 0,0005). A incidência de náusea em 0-duas horas (Grupo S = 57%, Grupo P = 26% e Grupo PS = 21%, p = 0,001) e 0-24 horas (Grupo S = 62%; Grupo P = 29% e grupo PS = 21%, p < 0,0005) também foi significativamente diferente entre os grupos. Porém, não houve diferença significativa entre os grupos em relação à incidência ou frequência de vômitos ou uso de antiemético de resgate em 0-24 horas. CONCLUSÃO: A combinação de propofol e anestesia volátil durante a laparoscopia ginecológica efetivamente diminui a incidência de náusea no pós-operatório.

    Resumo em Inglês:

    BACKGROUND: We investigated the effects of a novel method of anesthesia combining propofol and volatile anesthesia on the incidence of postoperative nausea and vomiting in patients undergoing laparoscopic gynecological surgery. METHODS: Patients were randomly divided into three groups: those maintained with sevoflurane (Group S, n = 42), propofol (Group P, n = 42), or combined propofol and sevoflurane (Group PS, n = 42). We assessed complete response (no postoperative nausea and vomiting and no rescue antiemetic use), incidence of nausea and vomiting, nausea severity score, vomiting frequency, rescue antiemetic use, and postoperative pain at 2 and 24 h after surgery. RESULTS: The number of patients who exhibited a complete response was greater in Groups P and PS than in Group S at 0-2 h (74%, 76% and 43%, respectively, p = 0.001) and 0-24 h (71%, 76% and 38%, respectively, p < 0.0005). The incidence of nausea at 0-2 h (Group S = 57%, Group P = 26% and Group PS = 21%, p = 0.001) and 0-24 h (Group S = 62%, Group P = 29% and Group PS = 21%, p < 0.0005) was also significantly different among groups. However, there were no significant differences among groups in the incidence or frequency of vomiting or rescue antiemetic use at 0-24 h. CONCLUSION: Combined propofol and volatile anesthesia during laparoscopic gynecological surgery effectively decreases the incidence of postoperative nausea. We term this novel method of anesthesia "combined intravenous-volatile anesthesia (CIVA)".
  • Estudo comparativo randomizado do efeito do laringoscópio óptico Airtraq vs. laringoscópio Macintosh sobre a pressão intraocular em cirurgia não oftálmica Scientific Articles

    Das, Bikramjit; Samal, Rajiv Kumar; Ghosh, Arup; Kundu, Ratul

    Resumo em Português:

    JUSTIFICATIVA: Comparar as alterações de pressão intraocular após laringoscopia e intubação com lâmina Macintosh convencional e laringoscópio óptico Airtraq. MÉTODOS: Noventa pacientes adultos foram randomicamente designados para os grupos estudo ou controle. No grupo estudo (n = 45) o laringoscópio Airtraq foi usado para laringoscopia e no grupo controle (n = 45) o laringoscópio Macintosh convencional foi usado para laringoscopia. A pressão intraocular foi mensurada no pré-operatório com tonômetro Schiotz. A laringoscopia foi feita de acordo com o protocolo de cada grupo. Pressão intraocular e parâmetros hemodinâmicos foram registrados logo antes da inserção do dispositivo e três vezes após a inserção do dispositivo, com intervalo de um minuto. RESULTADOS: As características dos pacientes, os parâmetros hemodinâmicos basais e a PIO basal foram comparáveis nos dois grupos. Após a inserção do tubo endotraqueal com o laringoscópio Macintosh, houve um aumento estatisticamente significativo da frequência cardíaca e da pressão intraocular em comparação com o grupo Airtraq. Não houve alteração significativa da PAM. Oito pacientes do grupo Macintosh sofreram trauma de língua-lábio-dental durante a intubação, enquanto apenas dois pacientes sofreram trauma das vias aéreas superiores no grupo Airtraq. CONCLUSÃO: Concluímos que o laringoscópio Airtraq, em comparação com o laringoscópio Macintosh, resultou em elevações significativamente menores da PIO e em aumentos clinicamente menos acentuados da resposta hemodinâmica à laringoscopia e intubação.

    Resumo em Inglês:

    BACKGROUND: We compared intraocular pressure changes following laryngoscopy and intubation with conventional Macintosh blade and Airtraq optical laryngoscope. METHODS: Ninety adult patients were randomly assigned to study group or control group. Study group (n = 45) - Airtraq laryngoscope was used for laryngoscopy. Control group (n = 45) - conventional Macintosh laryngoscope was used for laryngoscopy. Preoperative baseline intraocular pressure was measured with Schiotz tonometer. Laryngoscopy was done as per group protocol. Intraocular pressure and haemodynamic parameters were recorded just before insertion of the device and subsequently three times at an interval of one minute after insertion of the device. RESULTS: Patient characteristics, baseline haemodynamic parameters and baseline intraocular pressure were comparable in the two groups. Following insertion of the endotracheal tube with Macintosh laryngoscope, there was statistically significant rise in heart rate and intraocular pressure compared to Airtraq group. There was no significant change in MAP. Eight patients in Macintosh group had tongue-lip-dental trauma during intubation, while only 2 patients received upper airway trauma in Airtraq group. CONCLUSION: We conclude that Airtraq laryngoscope in comparison to Macintosh laryngoscope results in significantly fewer rises in intraocular pressure and clinically less marked increase in haemodynamic response to laryngoscopy and intubation.
  • Comparação da concentração de sevoflurano para a inserção de ML proseal e intubação traqueal em crianças (correlação com BIS) Scientific Articles

    Mudakanagoudar, Mahantesh S.; Santhosh, M.C.B.

    Resumo em Português:

    JUSTIFICATIVA: Sevoflurano é um agente inalatório de escolha em anestesia pediátrica. Para o manejo de vias aéreas em crianças, uma opção adequada para o TET é uma MLP pediátrica (referência de segunda geração SAD). Vários estudos mostraram que uma menor concentração do sevoflurano é necessária para a inserção da ML em comparação com a IT. O BIS é um monitor útil da profundidade da anestesia. OBJETIVOS: Comparar a concentração de sevoflurano (valores no fim da expiração e da CAM) necessária para a inserção de MLP e intubação traqueal em correlação com o BIS. MÉTODO: Estudo prospectivo, randômico e cego conduzido com crianças entre 2-9 anos, estado físico ASA I-II, randomicamente alocados nos grupos P (inserção de MLP) e IT (intubação traqueal). Pré-medicação sedativa não foi administrada. A indução foi feita com sevoflurano a 8% e, em seguida, a concentração predeterminada foi mantida durante 10 minutos. A via aérea foi garantida por MLP ou tubo endotraqueal, sem o uso de relaxante muscular. A concentração de sevoflurano no fim da expiração, CAM, BIS e outros parâmetros vitais foram monitorados a cada minuto até a inserção do dispositivo respiratório. As condições de inserção foram observadas. A análise estatística foi feita com o teste t de Student e Anova. RESULTADOS: As diferenças entre TEIML (2,49 ± 0,44) e TEIT (2,81 ± 0,65), bem como CAMIML (1,67 ± 0,13) e CAMIT (1,77 ± 0,43), foram estatisticamente muito significativas; enquanto BISIML (49,05 ± 10,76) e BISIT (41,25 ± 3,25) foram significativos. As condições de inserção foram comparáveis em ambos os grupos. CONCLUSÃO: Podermos concluir que a MLP em comparação com a intubação traqueal pode ser segura para a via aérea de crianças com o uso de menos concentração de sevoflurano, o que foi confirmado pelo BIS.

    Resumo em Inglês:

    BACKGROUND: Sevoflurane is an inhalational agent of choice in paediatric anaesthesia. For management of airways in children a suitable alternative to ETT is a paediatric proseal laryngeal mask airway (benchmark second generation SAD). Various studies have shown that less sevoflurane concentration is required for LMA insertion in comparison to TI. BIS is a useful monitor of depth of anaesthesia. AIMS: To compare concentration of sevoflurane (end tidal and MAC value) required for proseal laryngeal mask airway insertion and tracheal intubation in correlation with BIS index. METHOD: The prospective randomised single blind study was done in children between 2 and 9 years of ASA I and II and they were randomly allocated to Group P (proseal laryngeal mask airway insertion) and Group TI (tracheal intubation). No sedative premedication was given. Induction was done with 8% sevoflurane and then predetermined concentration was maintained for 10 min. Airway was secured either by proseal laryngeal mask airway or endotracheal tube without using muscle relaxant. End tidal sevoflurane concentration, MAC, BIS, and other vital parameters were monitored every minute till insertion of an airway device. Insertion conditions were observed. Statistical analysis was done by ANOVA and Students t test. RESULTS: Difference between ETLMI (2.49 ± 0.44) and ETTI (2.81 ± 0.65) as well as MACLMI (1.67 ± 0.13) and MACTI (1.77 ± 0.43) was statistically very significant, while BISLMI (49.05 ± 10.76) and BISTI (41.25 ± 3.25) was significant. Insertion conditions were comparable in both the groups. CONCLUSION: We can conclude that in children airway can be secured safely with proseal laryngeal mask airway using less sevoflurane concentration in comparison to tracheal intubation and this was supported by BIS index.
  • Efeitos comparativos de vitamina C sobre os efeitos dos anestésicos locais ropivacaína, bupivacaína e lidocaína em condrócitos humanos Scientific Articles

    Tian, Jun; Li, Yan

    Resumo em Português:

    JUSTIFICATIVA: Injeções de anestésicos locais por via intra-articular são comumente usadas para melhorar a analgesia no período pós-operatório de cirurgia ortopédica como artroscopia. No entanto, relatos recentes de complicações graves devido ao uso de anestésico local por via intra-articular causou preocupações. OBJETIVOS: O objetivo do estudo foi avaliar o uso de vitamina C para reduzir os efeitos adversos dos anestésicos mais comumente usados (ropivocaína, bupivacaína e lidocaína) sobre condrócitos humanos. MÉTODOS: A viabilidade dos condrócitos após a exposição à bupivacaína a 0,5% ou ropivacaína a 0,75% ou lidocaína a 1,0% e/ou vitamina C em doses de 125, 250 e 500 µM foi determinada pelo ensaio Vivo/Morto e coloração com anexina V. Os níveis de expressão das caspases 3 e 9 foram avaliados com o uso de anticorpos pela técnica Western blotting. Citometria de fluxo foi feita para analisar a geração de espécies reativas ao oxigênio. RESULTADOS: Na exposição aos anestésicos locais, condrotoxicidade foi encontrada na seguinte ordem: ropivacaína < bupivacaína < lidocaína. A vitamina C efetivamente melhorou a redução da viabilidade dos condrócitos e diminuiu os níveis elevados de apoptose após a exposição à anestesia. Em doses mais altas, a vitamina C foi eficiente para reduzir a geração de espécies reativas ao oxigênio e assim regular negativamente a expressão das caspases 3 e 9. CONCLUSÕES: Observamos que a vitamina C foi eficaz na proteção dos condrócitos contra a agressão tóxica dos anestésicos locais ropivacaína, bupivacaína e lidocaína.

    Resumo em Inglês:

    BACKGROUND: Intra-articular injections of local anesthetics are commonly used to enhance post-operative analgesia following orthopedic surgery as arthroscopic surgeries. Nevertheless, recent reports of severe complications due to the use of intra-articular local anesthetic have raised concerns. OBJECTIVES: The study aims to assess use of vitamin C in reducing adverse effects of the most commonly employed anesthetics - ropivacaine, bupivacaine and lidocaine - on human chondrocytes. METHODS: The chondrocyte viability following exposure to 0.5% bupivacaine or 0.75% ropivacaine or 1.0% lidocaine and/or vitamin C at doses 125, 250 and 500 µM was determined by LIVE/DEAD assay and annexin V staining. Expression levels of caspases 3 and 9 were assessed using antibodies by Western blotting. Flow cytometry was performed to analyze the generation of reactive oxygen species. RESULTS: On exposure to the local anesthetics, chondrotoxicity was found in the order ropivacaine < bupivacaine < lidocaine. Vitamin C effectively improved the reduced chondrocyte viability and decreased the raised apoptosis levels following exposure to anesthesia. At higher doses, vitamin C was found efficient in reducing the generation of reactive oxygen species and as well down-regulate the expressions of caspases 3 and 9. CONCLUSIONS: Vitamin C was observed to effectively protect chondrocytes against the toxic insult of local anesthetics ropivacaine, bupivacaine and lidocaine.
  • Eficácia de dexmedetomidina para o surgimento de agitação em lactentes submetidos à palatoplastia: estudo clínico randomizado Scientific Articles

    Boku, Aiji; Hanamoto, Hiroshi; Oyamaguchi, Aiko; Inoue, Mika; Morimoto, Yoshinari; Niwa, Hitoshi

    Resumo em Português:

    OBJETIVOS: Em crianças, é elevada a incidência de surgimento de agitação (SA) em seguida à anestesia com sevoflurano (Sev). Este estudo teve como objetivo testar a hipótese de que a administração de dexmedetomidina (Dex) reduziria a incidência e a gravidade do SA após anestesia com Sev em lactentes submetidos à palatoplastia. MÉTODOS: Estudo clínico prospectivo randomizado, feito com 70 pacientes submetidos a uma palatoplastia, com 10-14 meses. As crianças foram divididas randomicamente em dois grupos: Dex (n = 35) e solução salina (n = 35). No grupo de Dex, Dex (6 µg/kg/h) foi administrada cerca de 10 minutos antes do fim da cirurgia durante 10 minutos, seguida de 0,4 µg/kg/h até 5 minutos após a extubação. No grupo de solução salina, uma quantidade equivalente de salina foi administrada com o mesmo esquema de dosagem. Após a cirurgia, os pacientes foram transferidos para a unidade de cuidados pós-anestésicos (UCPA). O comportamento e a dor dos bebês foram avaliados com um sistema de pontuação para SA (escala de classificação de 5 pontos) e com uma escala de dor (ED; escala de classificação de 10 pontos), respectivamente. SA e ED foram estimados em seis pontos cronológicos (após a extubação, ao deixar a sala de cirurgia e 0, 30, 60 e 120 minutos após a chegada à UCPA). RESULTADOS: Os escores SA e ED foram significativamente menores no grupo Dex versus grupo salina, desde a extubação até 120 minutos após a chegada à UCPA. CONCLUSÕES: A administração de Dex tem a vantagem de uma redução no SA e na ED, sem quaisquer efeitos adversos. Dex proporcionou uma recuperação satisfatória em lactentes submetidos à palatoplastia.

    Resumo em Inglês:

    OBJECTIVES: In infants, there is a high incidence of emergence agitation (EA) after sevoflurane (Sev) anesthesia. This study aimed to test the hypothesis that dexmedetomidine (Dex) administration would reduce the incidence and severity of EA after Sev-based anesthesia in infants undergoing palatoplasty. METHODS: A prospective randomized clinical trial was conducted with 70 patients undergoing palatoplasty, aged 10-14 months. Infants were randomly allocated into two groups: Dex (n = 35) and saline (n = 35). In the Dex group, Dex (6 µg/kg/h) was administered approximately 10 min before the end of the surgery for 10 min, followed by 0.4 µg/kg/h until 5 min after extubation. In the saline group, an equivalent amount of saline was administered in a similar manner. After the surgery, patients were transferred to the postanesthetic care unit (PACU). The infant's behavior and pain were assessed with scoring system for EA (5-point rating scale) and pain scale (PS; 10-point rating scale), respectively. EA and PS were estimated at six time points (after extubation, leaving the operating room, 0, 30, 60, and 120 min after arrival in PACU). RESULTS: EA and PS scores were significantly lower in the Dex group than in the saline group from extubation to 120 min after arrival in PACU. CONCLUSIONS: Dex administration has the advantage of a reduced EA and PS without any adverse effects. Dex provided satisfactory recovery in infants undergoing palatoplasty.
  • Comparação de tramadol e lornoxicam em anestesia regional por via intravenosa, um estudo randomizado e controlado Scientific Articles

    Çelik, Hande; Abdullayev, Ruslan; Akçaboy, Erkan Y.; Baydar, Mustafa; Gögüs, Nermin

    Resumo em Português:

    JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: A dor relacionada ao torniquete é um dos maiores obstáculos para a anestesia regional intravenosa (ARIV). Nosso objetivo foi comparar tramadol e lornoxicam usados em ARIV em relação aos seus efeitos sobre a qualidade da anestesia, dor relacionada ao torniquete e dor no pós-operatório. MÉTODOS: Após a aprovação do Comitê de Ética, 51 pacientes com estado físico ASA I-II entre 18-65 anos foram inscritos. Os pacientes foram divididos em três grupos. Grupo P (n = 17) recebeu 3 mg/kg de prilocaína a 0,5%; Grupo PT (n = 17) 3 mg/kg de prilocaína a 0,5% + 2 mL (100 mg) de tramadol e Grupo PL (n = 17) de 3 mg/kg de prilocaína a 0,5% + 2 mL (8 mg) de lornoxicam para ARIV. O início do bloqueio sensorial e motor e os tempos de recuperação foram registrados, bem como a dor relacionada ao torniquete e o consumo de analgésico no pós-operatório. RESULTADOS: Os tempos de início do bloqueio sensorial foram mais curtos nos grupos PT e PL, enquanto que os tempos de recuperação correspondentes foram mais longos do que os do Grupo P. Os tempos de início do bloqueio motor nos grupos PT e PL foram menores do que no Grupo P, enquanto que o tempo de recuperação do grupo PL foi maior do que os dos grupos P e PT. O tempo para início da dor relacionada ao torniquete foi menor no Grupo P e maior no Grupo PL. Não houve diferença em relação à dor relacionada ao torniquete entre os grupos. O Grupo PL apresentou o menor consumo de analgésicos no pós-operatório. CONCLUSÃO: A adição de tramadol e lornoxicam à prilocaína para ARIV produz efeitos favoráveis sobre o bloqueio sensorial e motor. O consumo de analgésicos no pós-operatório pode ser reduzido com a adição de tramadol e lornoxicam à prilocaína em ARIV.

    Resumo em Inglês:

    BACKGROUND AND OBJECTIVES: Tourniquet pain is one of the major obstacles for intravenous regional anesthesia. We aimed to compare tramadol and lornoxicam used in intravenous regional anesthesia as regards their effects on the quality of anesthesia, tourniquet pain and postoperative pain as well. METHODS: After the ethics committee approval 51 patients of ASA physical status I-II aged 18-65 years were enrolled. The patients were divided into three groups. Group P (n = 17) received 3 mg/kg 0.5% prilocaine; group PT (n = 17) 3 mg/kg 0.5% prilocaine + 2 mL (100 mg) tramadol and group PL (n = 17) 3 mg/kg 0.5% prilocaine + 2 mL (8 mg) lornoxicam for intravenous regional anesthesia. Sensory and motor block onset and recovery times were noted, as well as tourniquet pains and postoperative analgesic consumptions. RESULTS: Sensory block onset times in the groups PT and PL were shorter, whereas the corresponding recovery times were longer than those in the group P. Motor block onset times in the groups PT and PL were shorter than that in the group P, whereas recovery time in the group PL was longer than those in the groups P and PT. Tourniquet pain onset time was shortest in the group P and longest in the group PL. There was no difference regarding tourniquet pain among the groups. Group PL displayed the lowest analgesic consumption postoperatively. CONCLUSION: Adding tramadol and lornoxicam to prilocaine for intravenous regional anesthesia produces favorable effects on sensory and motor blockade. Postoperative analgesic consumption can be decreased by adding tramadol and lornoxicam to prilocaine in intravenous regional anesthesia.
  • Tratamento com radiofrequência pulsada para gânglio esfenopalatino em pacientes com dor crônica de face e cabeça Scientific Articles

    Akbas, Mert; Gunduz, Emel; Sanli, Suat; Yegin, Arif

    Resumo em Português:

    OBJETIVO: Existem várias síndromes de dor facial, incluindo neuralgia trigeminal, dor neuropática trigeminal e síndromes atípicas de dor facial. A eficácia da radiofrequência pulsada (RFP) para o manejo de várias síndromes de dor foi claramente demonstrada. Há um número limitado de estudos sobre o tratamento com RFP para gânglio esfenopalatino (GEP) em pacientes que sofrem de dor facial e de cabeça. O objetivo deste estudo foi avaliar a satisfação do tratamento com PRF em nossos pacientes, retrospectivamente. MÉTODOS: A abordagem infrazigomática foi usada para a RFP do GEP sob orientação fluoroscópica. Depois de a ponta da agulha atingir o ponto alvo, pulsos de 0,25 a 0,5 ms foram aplicados para a estimulação sensorial em frequências de 50 Hz a 1 V. Parestesias foram expostas no teto do nariz em 0,5 a 0,7 V. Para excluir o contato trigeminal que levou à contração mandibular rítmica, a estimulação motora foi aplicada na frequência de 2 Hz. Em seguida, quatro ciclos de RFP foram feitos durante 120 segundos a uma temperatura de 42 °C. RESULTADOS: O alívio da dor não foi obtido em 23% dos pacientes (inaceitável); enquanto a dor foi totalmente aliviada em 35% dos pacientes (excelente) e o alívio de leve a moderado da dor foi obtido em 42% dos pacientes (bom), com o tratamento RFP-GEP. CONCLUSÃO: RFP para GEP é eficaz no tratamento de pacientes que sofrem de dor crônica intratável, facial e de cabeça, como mostrado por nossas descobertas. Estudos prospectivos, randômicos e controlados são necessários para confirmar a eficácia e segurança dessa nova modalidade de tratamento para dor crônica facial e de cabeça.

    Resumo em Inglês:

    PURPOSE: There are various facial pain syndromes including trigeminal neuralgia, trigeminal neuropathic pain and atypical facial pain syndromes. Effectiveness of the pulsed radiofrequency in managing various pain syndromes has been clearly demonstrated. There are a limited number of studies on the pulsed radiofrequency treatment for sphenopalatine ganglion in patients suffering from face and head pain. The purpose of this study is to evaluate the satisfaction of pulsed radiofrequency treatment at our patients retrospectively. METHODS: Infrazygomatic approach was used for the pulsed radiofrequency of the sphenopalatine ganglion under fluoroscopic guidance. After the tip of the needle reached the target point, 0.25-0.5 ms pulse width was applied for sensory stimulation at frequencies from 50 Hz to 1 V. Paraesthesias were exposed at the roof of the nose at 0.5-0.7 V. To rule out trigeminal contact that led to rhythmic mandibular contraction, motor stimulation at a frequency of 2 Hz was applied. Then, four cycles of pulsed radiofrequency lesioning were performed for 120 s at a temperature of 42 °C. RESULTS: Pain relief could not be achieved in 23% of the patients (unacceptable), whereas pain was completely relieved in 35% of the patients (excellent) and mild to moderate pain relief could be achieved in 42% of the patients (good) through sphenopalatine ganglion-pulsed radiofrequency treatment. CONCLUSION: Pulsed radiofrequency of the sphenopalatine ganglion is effective in treating the patients suffering from intractable chronic facial and head pain as shown by our findings. There is a need for prospective, randomized, controlled trials in order to confirm the efficacy and safety of this new treatment modality in chronic head and face pain.
  • Pesquisa de curarização residual no pós-operatório, eventos respiratórios agudos e abordagem de anestesiologistas Special Article

    Aytac, Ismail; Postaci, Aysun; Aytac, Betul; Sacan, Ozlem; Alay, Gulcin Hilal; Celik, Bulent; Kahveci, Kadriye; Dikmen, Bayazit

    Resumo em Português:

    JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: A paralisia residual após o uso de bloqueadores neuromusculares (BNMs) sem monitoração neuromuscular continua sendo um problema clínico, mesmo quando BNMs são usados. Este estudo pesquisou a curarização residual pós-operatória e os eventos respiratórios críticos em sala de recuperação, bem como a abordagem clínica da CRPO feita pelos anestesiologistas em nossa instituição. MÉTODOS: Este estudo observacional incluiu 415 pacientes que receberam anestesia geral com BNMs de ação intermediária. A manutenção da anestesia foi feita por anestesiologistas não participantes, "cegos" para o estudo. A monitoração neuromuscular foi realizada no momento da chegada à sala de recuperação. Um ERC foi definido como necessidade de suporte ventilatório; saturação periférica de oxigênio <90% e 90-93%, a despeito de receber 3 L/min de O2 via cânula nasal; frequência respiratória >20 bpm; uso de musculatura acessória; dificuldade de engolir ou falar e necessidade de reintubação. A abordagem clínica de nossos anestesiologistas, em relação aos agentes de reversão, foi avaliada usando um miniquestionário de oito perguntas logo após o estudo. RESULTADOS: A incidência de CRPO foi de 43% (n = 179) para a SQE <0 e 15% (n = 61) para a SQE <0,7. A incidência de SQE <0,9 foi significativamente maior em mulheres, pacientes com estado físico ASA III e com anestesia de curta duração (p < 0,05). Além disso, 66% (n = 272) dos 415 pacientes que chegam à sala de recuperação haviam recebido neostigmina. Uma SQE <0,9 foi encontrada em 46% (n = 126) dos pacientes que receberam neostigmina. CONCLUSÃO: Quando a monitoração neuromuscular objetiva de rotina não está disponível, a CRPO continua sendo um problema clínico, a despeito do uso de BNMs. O momento e o antagonismo ideais do bloqueio neuromuscular e a monitoração neuromuscular objetiva de rotina são recomendados para aumentar a segurança do paciente.

    Resumo em Inglês:

    BACKGROUND AND OBJECTIVES: residual paralysis following the use of neuromuscular blocking drugs (NMBDs) without neuromuscular monitoring remains a clinical problem, even when NMBDs are used. This study surveys postoperative residual curarization and critical respiratory events in the recovery room, as well as the clinical approach to PORC of anesthesiologists in our institution. METHODS: This observational study included 415 patients who received general anesthesia with intermediate-acting NMBDs. Anesthesia was maintained by non-participating anesthesiologists who were blinded to the study. Neuromuscular monitoring was performed upon arrival in the recovery room. A CRE was defined as requiring airway support, peripheral oxygen saturation <90% and 90-93% despite receiving 3 L/min nasal O2, respiratory rate >20 breaths/min, accessory muscle usage, difficulty with swallowing or speaking, and requiring reintubation. The clinical approach of our anesthesiologists toward reversal agents was examined using an 8-question mini-survey shortly after the study. RESULTS: The incidence of PORC was 43% (n = 179) for TOFR <0.9, and 15% (n = 61) for TOFR <0.7. The incidence of TOFR <0.9 was significantly higher in women, in those with ASA physical status 3, and with anesthesia of short duration (p < 0.05). In addition, 66% (n = 272) of the 415 patients arriving at the recovery room had received neostigmine. A TOFR <0.9 was found in 46% (n = 126) of the patients receiving neostigmine. CONCLUSIONS: When routine objective neuromuscular monitoring is not available, PORC remains a clinical problem despite the use of NMBDs. The timing and optimal antagonism of the neuromuscular blockade, and routine objective neuromuscular monitoring is recommended to enhance patient safety.
  • Bloqueios em dedos de mãos com epinefrina incluída ou não nas soluções anestésicas Review Articles

    Reis Júnior, Almiro dos; Quinto, Denise

    Resumo em Português:

    JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: Revisão das diversas técnicas para bloqueios em dedos de mãos, com anestésico local associado ou não à epinefrina. CONTEÚDO: São descritos os procedimentos usados e comparados os resultados obtidos na literatura, principalmente em relação a: latência e qualidade da anestesia, detalhes sobre o efeito vasoconstritor da epinefrina, sangramento intraoperatório, necessidade ou não do uso de torniquete, duração da anestesia e da analgesia pós-operatórias, comportamento do fluxo arterial e da SpO2 digitais, complicações locais e sistêmicas e, ainda, condutas e medicamentos a serem usados em determinadas situações de isquemia. CONCLUSÕES: As vantagens da inclusão de epinefrina na solução anestésica são de pouca importância quando comparadas aos riscos do procedimento e parece perigoso usar o vasoconstritor em dedos de mão, a não ser que fiquem definitivamente comprovadas a inocuidade da técnica e a possibilidade do descarte do torniquete.

    Resumo em Inglês:

    BACKGROUND AND OBJECTIVES: Review of various techniques for digital blocks with local anesthetic, with or without epinephrine. CONTENTS: Description of various procedures and comparison of results reported in the literature, mainly on latency and quality of anesthesia, details on vasoconstrictor effect of epinephrine, intraoperative bleeding, necessity of tourniquet use, duration of anesthesia and postoperative analgesia, blood flow and digital SpO2 behavior, local and systemic complications, and also approaches and drugs to be used in certain situations of ischemia. CONCLUSIONS: The advantages of adding epinephrine to the anesthetic solution are minor when compared to the risks of the procedure, and it seems dangerous to use a vasoconstrictor in the fingers, unless the safety of the technique and the possibility of discarding the tourniquet are definitely proven.
  • Papel da ventilação não invasiva no período perioperatório de doentes com patologia neuromuscular: caso clínico Clinical Information

    Marinho, Ana; Guimarães, Mario José; Lages, Neusa Cristina Ribeiro; Correia, Carlos

    Resumo em Português:

    A miosite por corpos de inclusão é uma miopatia inflamatória que cursa com inflamação crônica muscular associada à fraqueza muscular. Caracteriza-se por uma síndrome ventilatória restritiva com necessidade de suporte ventilatório sob ventilação não invasiva. Os autores descrevem caso clínico e respectivo manuseio anestésico de paciente com miopatia por corpos de inclusão proposta para vertebroplastia que realça a importância da anestesia locorregional e da ventilação não invasiva e inclui as técnicas de tosse assistida, mantidas durante todo o período perioperatório.

    Resumo em Inglês:

    The inclusion body myositis is an inflammatory myopathy that leads to chronic muscle inflammation associated with muscle weakness. It is characterized by a restrictive ventilatory syndrome requiring ventilatory support under non-invasive ventilation. The authors describe a clinical case and the anaesthetic management of a patient with inclusion body myopathy candidate for vertebroplasty, which highlights the importance of locoregional anaesthesia and of noninvasive ventilation and includes assisted cough techniques, maintained throughout the perioperative period.
  • Tratamento de pacientes portadores de olho cego doloroso por meio de bloqueio de gânglio estrelado Clinical Information

    Xavier, Tatiana Vaz Horta; Oliveira, Thiago Robis de; Mendes, Tereza Cristina Bandeira Silva

    Resumo em Português:

    JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: o manejo da dor em olhos cegos dolorosos ainda é um desafio. Corticosteroides e hipotensores, bem como evisceração e enucleação, são algumas das estratégias até então empregadas, nem sempre eficazes e que, a depender da estratégia, causam um profundo abalo emocional no paciente. Dadas essas questões, o objetivo deste relato de caso é demonstrar uma nova e viável opção para o manejo desse tipo de dor por meio do tratamento do olho cego doloroso com bloqueios de gânglio cervicotorácico, técnica nunca descrita na literatura para esse fim. RELATO DE CASO: foram tratados seis pacientes portadores de olho cego doloroso, todos por glaucoma, nos quais a EVA (escala visual analógica para avaliação da dor em que 0 é ausência de dor e 10 é a maior dor já experimentada) variava de 7 a 10. Optou-se por sessões semanais de bloqueio de gânglio cervicotorácico com 4 mL de bupivacaína (0,5%) sem vasoconstritor e clonidina 1 mcg/Kg. Quatro pacientes apresentaram excelente resultado EVA, com variação entre 0 e 3, e dois permaneceram assintomáticos (EVA = 0), sem necessidade de medicação suplementar. Os outros dois usaram gabapentina 300 mg de 12 em 12 horas. CONCLUSÃO: atualmente, várias são as opções terapêuticas para o tratamento do olho cego doloroso, entre as quais se destacam os bloqueios retrobulbares com clorpromazina, álcool e fenol. No entanto, uma estratégia eficaz, com pequeno índice de complicações graves, não mutilante e que melhore a qualidade de vida do paciente é imprescindível. O bloqueio do gânglio cervicotorácico surge, pois, como uma opção comprovadamente viável e promissora para atender a essa demanda.

    Resumo em Inglês:

    BACKGROUND AND OBJECTIVES: management of pain in painful blind eyes is still a challenge. Corticosteroids and hypotensive agents, as well as evisceration and enucleation, are some of the strategies employed so far that are not always effective and, depending on the strategy, cause a deep emotional shock to the patient. Given these issues, the aim of this case report is to demonstrate a new and viable option for the management of such pain by treating the painful blind eye with the stellate ganglion block technique, a procedure that has never been described in the literature for this purpose. CASE REPORT: six patients with painful blind eye, all caused by glaucoma, were treated; in these patients, VAS (visual analogue scale for pain assessment, in which 0 is the absence of pain and 10 is the worst pain ever experienced) ranged from 7 to 10. We opted for weekly sessions of stellate ganglion block with 4 mL of bupivacaine (0.5%) without vasoconstrictor and clonidine 1 mcg/kg. Four patients had excellent results at VAS, ranging between 0 and 3, and two remained asymptomatic (VAS = 0), without the need for additional medication. The other two used gabapentin 300 mg every 12 h. CONCLUSION: currently, there are several therapeutic options for the treatment of painful blind eye, among which stand out the retrobulbar blocks with chlorpromazine, alcohol and phenol. However, an effective strategy with low rate of serious complications, which is non-mutilating and improves the quality of life of the patient, is essential. Then, stellate ganglion block arises as a demonstrably viable and promising option to meet this demand.
  • Quando uma porta não apresenta retorno sanguíneo: relato de dois casos de causas raras de mau posicionamento de cateter venoso central Clinical Information

    Pereira, Sandra; Preto, César; Pinho, Carla; Vasconcelos, Pedro

    Resumo em Português:

    Apresentamos dois casos de mau posicionamento de cateter venoso central. Têmem comum a ausência do retorno sanguíneo livre em um dos lúmens imediatamente após acolocac¸ão. O primeiro é um caso de hidrotórax direito associado ao cateterismo venoso central,com a ponta do cateter em localizac¸ão intrapleural. Nesse caso, a porta distal nunca estevepatente. No segundo caso houve um aumento da pressão de aspirac¸ão através da porta medialpor causa da formac¸ão de alc¸a no cateter.A ausência de fluxo livre na aspirac¸ão de um lúmen do cateter central não deve ser subesti-mada. Nessas circunstâncias, o cateter não deve ser usado e deve ser removido.

    Resumo em Inglês:

    We present two cases of misplaced central venous catheters having in common theabsence of free blood return from one lumen immediately after placement. The former is acase of right hydrothorax associated with central venous catheterization with the catheter tipin intra-pleural location. In this case the distal port was never patent. In the latter case therewas an increased aspiration pressure through the middle port due to a catheter looping.The absence of free flow on aspiration from one lumen of a central catheter should not beundervalued. In these circumstances the catheter should not be used and needs to be removed.
  • Raquianestesia contínua com monitoração hemodinâmica minimamente invasiva para cirurgia de reparação do quadril em dois pacientes com estenose aórtica grave Clinical Informations

    López, María Mercedes; Guasch, Emilia; Schiraldi, Renato; Maggi, Genaro; Alonso, Eduardo; Gilsanz, Fernando

    Resumo em Português:

    JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: A estenose aórtica aumenta a morbidade e mortalidade no período perioperatório. A monitoração invasiva no perioperatório é recomendada para pacientes com área valvar <1,0 cm2 ou gradiente médio >30 mm Hg, além de ser importante evitar a hipotensão e arritmias. Relatamos o manejo anestésico com o uso de raquianestesia contínua e monitoração hemodinâmica minimamente invasiva em duas pacientes com estenose aórtica grave, submetidas à cirurgia de reparação do quadril. RELATO DE CASO: Duas pacientes com estenose aórtica grave foram programadas para cirurgia de reparação de fratura de quadril. Raquianestesia contínua com monitoração hemodinâmica minimamente invasiva foi usada para o manejo anestésico de ambas as pacientes. A cirurgia foi realizada com sucesso após duas doses consecutivas de 2 mg de bupivacaína isobárica a 0,5% em uma das pacientes e quatro doses consecutivas na outra. As condições hemodinâmicas permaneceram estáveis durante a intervenção. Os sinais vitais e parâmetros hemodinâmicos permaneceram estáveis durante as duas intervenções. CONCLUSÃO: Nosso relato descreve o uso da raquianestesia contínua com monitoração hemodinâmica minimamente invasiva como uma alternativa válida para a anestesia geral ou peridural em duas pacientes com estenose aórtica grave, submetidas à cirurgia de membro inferior. Contudo, ensaios clínicos controlados são necessários para estabelecer que a técnica é segura e eficaz nesse tipo de pacientes.

    Resumo em Inglês:

    BACKGROUND AND OBJECTIVES: Aortic stenosis increases perioperative morbidity and mortality, perioperative invasive monitoring is advised for patients with an aortic valve area <1.0 cm2 or a mean aortic valve gradient >30 mm Hg and it is important to avoid hypotension and arrhythmias. We report the anaesthetic management with continuous spinal anaesthesia and minimally invasive haemodynamic monitoring of two patients with severe aortic stenosis undergoing surgical hip repair. CASE REPORT: Two women with severe aortic stenosis were scheduled for hip fracture repair. Continuous spinal anaesthesia with minimally invasive haemodynamic monitoring was used for anaesthetic management of both. Surgery was performed successfully after two consecutive doses of 2 mg of isobaric bupivacaine 0.5% in one of them and four consecutive doses in the other. Haemodynamic conditions remained stable throughout the intervention. Vital signs and haemodynamic parameters remained stable throughout the two interventions. CONCLUSION: Our report illustrates the use of continuous spinal anaesthesia with minimally invasive haemodynamic monitoring as a valid alternative to general or epidural anaesthesia in two patients with severe aortic stenosis who are undergoing lower limb surgery. However, controlled clinical trials would be required to establish that this technique is safe and effective in these type or patients.
  • Raquianestesia lombar com bloqueio nociceptivo cervical. Revisão crítica de uma serie de 1.330 procedimentos Miscellaneous

    Benitez, Percio Ramón Becker; Nogueira, Celso Schmalfuss; Holanda, Ana Cristina Carvalho de; Santos, José Caio

    Resumo em Português:

    JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: A fabricação de agulhas minimamente traumáticas e a síntese de coadjuvantes farmacológicos com ação efetiva e segura nas sinapses inibitórias e neuromoduladoras distribuídas ao longo das vias nociceptivas foram determinantes para uma nova fase de expansão da anestesia subaracnoidea. Os objetivos deste artigo são: apresentar a experiência clínica dos autores com a realização de 1.330 Raquianestesias lombares com bloqueio nociceptivo proposital dos nervos espinhais torácicos e cervicais até os dermátomos correspondentes a C4 ou C3; alertar sobre os riscos fisiopatológicos do método e enfatizar as normas preventivas para a realização da técnica com segurança. CONTEÚDO: Revisão dos fundamentos históricos e anatomofuncionais da anestesia subaracnoidea com níveis cervicais de analgesia. Descrição da técnica utilizada em nossa instituição; da população anestesiada e das cirurgias realizadas com o método descrito. Exposição crítica dos efeitos fisiológicos, clínicos e fisiopatológicos ocorridos e registrados durante o ato anestésico-cirúrgico e no período pós-operatório. CONCLUSÃO: A Raquianestesia com bloqueio nociceptivo até o dermátomo de C4, ou de C3 é uma opção efetiva para cirurgias sobre estruturas somáticas distais ao metâmero do terceiro nervo espinhal cervical com duração não superior a 4 ou 5 horas. A segurança do método depende do respeito irrestrito às regras essenciais da correta prática anestésica.

    Resumo em Inglês:

    BACKGROUND AND OBJECTIVES: The manufacture of minimally traumatic needles and synthesis of pharmacological adjuncts with safe and effective action on inhibitory and neuromodulatory synapses distributed along the nociceptive pathways were crucial for a new expansion phase of spinal anesthesia. The objectives of this paper are present our clinical experience with 1330 lumbar spinal anesthesia performed with purposeful nociceptive blockade of the thoracic and cervical spinal nerves corresponding to dermatomes C4 or C3; warn about the method pathophysiological risks, and emphasize preventive standards for the safe application of the technique. CONTENT: Review of the historical background and anatomical spinal anesthesia with cervical levels of analgesia. Description of the technique used in our institution; population anesthetized; and surgery performed with the described method. Critical exposition of the physiological, pathophysiological, and clinical effects occurred and registered during anesthesia-surgery and postoperative period. CONCLUSION: Spinal anesthesia with nociceptive blockade to dermatome C4, or C3, is an effective option for surgery on somatic structures distal to the metamer of the third cervical spinal nerve, lasting no more than four or five hours. The method safety depends on the unrestricted respect for the essential rules of proper anesthesia.
  • Tradução e adaptação transcultural da Pain Quality Assessment Scale (PQAS) para a versão brasileira Miscellaneous

    Carvalho, Anamada Barros; Garcia, João Batista Santos; Silva, Thayanne Kelly Muniz; Ribeiro, João Victor Fonseca

    Resumo em Português:

    INTRODUÇÃO: a maioria dos pacientes com câncer são tratados com quimioterápicos e a neuropatia periférica é um problema clínico sério e comum que afeta os pacientes em tratamento oncológico. Entretanto, tais sintomas são subjetivos sendo subdiagnosticado pelos profissionais de saúde. Assim, torna-se necessário o desenvolvimento de instrumentos de autorrelato para superar essa limitação e melhorar a percepção do paciente sobre o seu tratamento ou condição clínica. OBJETIVO: traduzir e adaptar transculturalmente a versão brasileira do Pain Quality Assessment Scale (PQAS), constituindo em um instrumento útil de avaliação da qualidade da dor neuropática em pacientes com câncer. MÉTODO: o procedimento seguiu as etapas de tradução, retrotradução, análise das versões português e inglês por um comitê de juízes e pré-teste. O pré-teste foi realizado em 30 pacientes com câncer em tratamento quimioterápico seguindo normas internacionalmente recomendadas, sendo as versões finais comparadas e avaliadas por comitê de pesquisadores brasileiros e da MAPI Research Trust, originadores da escala. RESULTADOS: as versões um e dois apresentaram 100% de equivalência semântica com a versão original. Na retrotradução houve diferenças na tradução linguística com a versão original. Após a avaliação do Comitê de Juízes, foi encontrada uma falha na equivalência empírica e na equivalência idiomática. No pré-teste, duas pessoas não entenderam o item 12 da escala, sem interferir na elaboração final da mesma. CONCLUSÃO: o instrumento agora traduzido e adaptado transculturalmente é apresentado nessa publicação e, atualmente, encontra-se em processo de validação clínica no Brasil.

    Resumo em Inglês:

    INTRODUCTION: Most cancer patients are treated with chemotherapy, and peripheral neuropathy is a serious and common clinical problem affecting patients undergoing cancer treatment. However, the symptoms are subjective and underdiagnosed by health professionals. Thus, it becomes necessary to develop self-report instruments to overcome this limitation and improve the patient's perception about his medical condition or treatment. OBJECTIVE: Translate and culturally adapt the Brazilian version of the Pain Quality Assessment Scale, constituting a useful tool for assessing the quality of neuropathic pain in cancer patients. METHOD: The procedure followed the steps of translation, back translation, analysis of Portuguese and English versions by a committee of judges, and pretest. Pretest was conducted with 30 cancer patients undergoing chemotherapy following internationally recommended standards, and the final versions were compared and evaluated by a committee of researchers from Brazil and MAPI Research Trust, the scale's creators. RESULTS: Versions one and two showed 100% semantic equivalence with the original version. Back-translation showed difference between the linguistic translation and the original version. After evaluation by the committee of judges, a flaw was found in the empirical equivalence and idiomatic equivalence. In pretest, two people did not understand the item 12 of the scale, without interfering in the final elaboration. CONCLUSION: The translated and culturally adapted instrument is now presented in this publication, and currently it is in the process of clinical validation in Brazil.
  • Perfil de erros de administração de medicamentos em anestesia entre anestesiologistas catarinenses Miscellaneous

    Erdmann, Thomas Rolf; Garcia, Jorge Hamilton Soares; Loureiro, Marcos Lázaro; Monteiro, Marcelo Petruccelli; Brunharo, Guilherme Muriano

    Resumo em Português:

    INTRODUÇÃO: A anestesiologia é a única especialidade médica que prescreve, dilui e administra os fármacos sem conferência de outro profissional. Somando-se a alta frequência de administração de fármacos, cria-se o cenário propício aos erros. OBJETIVO: Verificar a prevalência dos erros de administração de medicamentos durante anestesia, entre anestesiologistas catarinenses, as circunstâncias em que ocorreram e possíveis fatores associados. MATERIAIS E MÉTODOS: Um questionário eletrônico foi enviado a todos os anestesiologistas da Sociedade de Anestesiologia do Estado de Santa Catarina contendo respostas diretas ou de múltipla escolha sobre dados demográficos e perfil da prática anestésica do entrevistado; prevalência de erros, tipo e consequência do erro; e fatores que possivelmente contribuíram para os erros. RESULTADOS: Dos entrevistados, 91,8% afirmaram ter cometido erro de administração, somando total de erros de 274 e média de 4,7 (6,9) erros por entrevistado. O erro mais comum foi substituição (68,4%), seguido por erro de dose (49,1%) e omissão (35%). Apenas 7% dos entrevistados referiram erros de administração no neuroeixo. Quanto às circunstâncias dos erros, ocorreram principalmente no período matutino (32,7%), na manutenção da anestesia (49%), com 47,8% sem danos ao paciente e 1,75% com maior morbidade com dano irreversível e em 87,3% dos casos a identificação imediata. Quanto aos possíveis fatores contribuintes, os mais frequentes foram: distração e fadiga (64,9%) e leitura errada dos rótulos de ampolas ou seringas (54,4%). CONCLUSÃO: A maioria dos anestesiologistas entrevistados cometeu mais de um erro de administração em anestesia, principalmente justificado como distração ou fadiga, de baixa gravidade.

    Resumo em Inglês:

    INTRODUCTION: Anesthesiology is the only medical specialty that prescribes, dilutes, and administers drugs without conferral by another professional. Adding to the high frequency of drug administration, a propitious scenario to errors is created. OBJECTIVE: Access the prevalence of drug administration errors during anesthesia among anesthesiologists from Santa Catarina, the circumstances in which they occurred, and possible associated factors. MATERIALS AND METHODS: An electronic questionnaire was sent to all anesthesiologists from Sociedade de Anestesiologia do Estado de Santa Catarina, with direct or multiple choice questions on responder demographics and anesthesia practice profile; prevalence of errors, type and consequence of error; and factors that may have contributed to the errors. RESULTS: Of the respondents, 91.8% reported they had committed administration errors, adding the total error of 274 and mean of 4.7 (6.9) errors per respondent. The most common error was replacement (68.4%), followed by dose error (49.1%), and omission (35%). Only 7% of respondents reported neuraxial administration error. Regarding circumstances of errors, they mainly occurred in the morning (32.7%), in anesthesia maintenance (49%), with 47.8% without harm to the patient and 1.75% with the highest morbidity and irreversible damage, and 87.3% of cases with immediate identification. As for possible contributing factors, the most frequent were distraction and fatigue (64.9%) and misreading of labels, ampoules, or syringes (54.4%). CONCLUSION: Most respondents committed more than one error in anesthesia administration, mainly justified as a distraction or fatigue, and of low gravity.
  • Errata Erratum

    Callegari, Desiré Carlos; Correa, João Antônio; Pires, Oscar César; Braga, Renan Batista Corrêa; Gimbo, Ana Flávia Marques; Souza, Adriana Aparecida de; Pires, Marta Helena Rovani; Constantino, Elton; Posso, Irimar de Paula
Sociedade Brasileira de Anestesiologia R. Professor Alfredo Gomes, 36, 22251-080 Botafogo RJ Brasil, Tel: +55 21 2537-8100, Fax: +55 21 2537-8188 - Campinas - SP - Brazil
E-mail: bjan@sbahq.org