Estrutura genética espacial em populações naturais de Machaerium villosum Vog. (Leguminosae) na região de Moji-Guaçu, SP, Brasil

Foi realizado um estudo de autocorrelação espacial em locos enzimáticos determinados por meio de eletroforese em gel de amido, com o objetivo de verificar a existência de estrutura genética espacial entre os indivíduos de duas populações naturais de Machaerium villosum Vog. As populações amostradas foram denominadas "Modelo Antrópico (MA)" e "Modelo Natural (MN)", situando-se em áreas da Fazenda Campininha, no município de Moji-Guaçu, 22°10'43''-22°18'19'' S e 47°8'5"-47°11'34" W, estado de São Paulo. Dez locos polimórficos na população MA e nove na população MN foram analisados por meio da estatística I de Moran de autocorrelação espacial. Não foi detectada a existência de estruturação genética entre os indivíduos dentro das populações estudadas. Os resultados são similares aos obtidos em outros estudos com espécies arbóreas da floresta tropical.

Machaerium villosum; allozymes; spatial autocorrelation


Sociedade Botânica de São Paulo Caixa Postal 57088, 04089-972 São Paulo SP - Brasil, Tel.: (55 11) 5584-6300 - ext. 225, Fax: (55 11) 577.3678 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: brazbot@gmail.com