Produção de néctar e pólen em abóbora (Cucurbita pepo L.)

As espécies das cucurbitáceas dependem da polinização por abelhas para produzir frutos. O objetivo geral deste trabalho foi avaliar o potencial da C. Pepo para produzir pólen e néctar, no sentido de ajudar a manter colônias no campo visando a polinização. Plantas de abóbora foram cultivadas no campo, em 1996 e 1997. Antes da antese, flores masculinas foram cobertas para prevenir visitas de abelhas e outros insetos. Depois da antese as flores foram desprotegidas e os seguintes parâmetros foram avaliados: 1) produção de néctar; 2) concentração total de açúcar no néctar; 3) reposição de néctar e 4) produção de pólen e flores durante o ciclo da cultura. A produção de néctar variou de 18 a 79 µL flor-1 e aumentou progressivamente de 7h00 para 13h00. A concentração de açúcares, avaliada às 7h00, 9h00 e 11h00, não variou, apresentando uma média de 50,5% ± 0,5% em 1996 e 40,5% ± 0,6% em 1997. Às 13h00 a concentração decresceu para 42% em 1996 e para 35% em 1997. A produção diária de néctar não foi influenciada pela remoção do néctar em diferentes horas do dia, indicando que a produção de néctar não é estimulada ou inibida pela freqüente remoção. O número de grãos de pólen não variou nos dois anos, com uma média de 43.669 ± 1.382 grãos por flor. O pico de produção de flores masculinas e femininas ocorreu 60 a 66 dias após o plantio (DAP), com 34,6 flores masculinas e 2,2 flores femininas por planta, respecivamente. C. pepo tem um potencial para produção de mel e pólen de 105 e 160 kg por hectare, respectivamente, que é suficiente para alimentar, pelo menos, cinco colônias de abelhas.

concentração de açúcares; potencial de mel; produção de flores; produção de néctar; produção de pólen


Sociedade Botânica de São Paulo Caixa Postal 57088, 04089-972 São Paulo SP - Brasil, Tel.: (55 11) 5584-6300 - ext. 225, Fax: (55 11) 577.3678 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: brazbot@gmail.com