Infecção branquial de Leporinus macrocephalus Garavello & Britski, 1988 (Osteichthyes: Anostomidae) por Henneguya leporinicola n. sp. (Myxozoa: Myxobolidae). Descrição, histopatologia e tratamento

Piauçus (Leporinus macrocephalus) criados em viveiro de 300 m² (densidade de 10 peixes/m²) apresentavam sinais de asfixia e mortalidade diária de 27 peixes. Exemplares com 8 cm em média foram examinados quanto à presença de lesões e seus possíveis agentes. Muco da superfície corporal e fragmentos de órgãos foram colhidos e examinados à microscopia de luz, em esfregaços a fresco ou corados ou em cortes histológicos. O exame dos esfregaços mostrou a presença de inúmeros esporos entre as lamelas secundárias dos filamentos branquiais, identificados como Henneguya leporinicola n.sp (Myxozoa: Myxobolidae). À histopatologia verificou-se marcada hiperplasia epitelial com preenchimento dos espaços entre as lamelas secundárias, congestão e teleangiectasia sinusoidal. Observou-se ainda hiperplasia de células caliciformes e inúmeros cistos do parasito, com até 70,3 mim de diâmetro, localizados entre as lamelas secundárias, recobertos ou não pelo epitélio hiperplásico. Estabelecido o diagnóstico foram realizadas três aplicações de formalina na dose de 10 ml/m³ de água. Após 15 dias da última dose do tratamento, os peixes foram novamente examinados, constatando-se a eficácia das medidas adotadas para interromper a mortalidade, a enfermidade e combater o parasitismo. As únicas alterações teciduais presentes nas brânquias nesse último exame foram moderada congestão sinusoidal e discreta hiperplasia epitelial na base das lamelas secundárias.

Myxozoa; Henneguya leporinicola; Leporinus macrocephalus; histopatologia; descrição


Instituto Internacional de Ecologia R. Bento Carlos, 750, 13560-660 São Carlos SP - Brazil, Tel. / Fax: +55 16 271-5726 - São Carlos - SP - Brazil
E-mail: bjb.iie@terra.com.br