Diferentes critérios de formulação de rações para frangos de corte no período de 1 a 21 dias de idade

Different criterion of feed formulation for broilers in the period 1 to 21 days of age

LF Araújo OM Junqueira CSS Araújo SMB Artoni DE Faria Filho Sobre os autores

Resumos

Dois experimentos foram realizados com o objetivo de avaliar diferentes critérios de formulação de rações, baseados em aminoácidos totais e digestíveis, para frangos de corte no período de 1 a 21 dias de idade. As dietas foram formuladas para atender às exigências de metionina, metionina+cistina, lisina e treonina. No primeiro experimento, foram utilizados 800 pintos machos, Hubbard, distribuídos em delineamento inteiramente casualizado com 4 critérios de formulação, para atender às exigências em aminoácidos totais - NRC (1994), Rostagno et al. (1992), Degussa (1997) e AEC (1993), com 4 repetições de 50 aves. No segundo experimento, foram utilizados 600 pintos machos, Cobb, distribuídos em delineamento inteiramente casualizado com 3 critérios de formulação, para atender às exigências em aminoácidos digestíveis - Rostagno et al. (2000), Baker & Han (1994) e Degussa (1997), com 4 repetições de 50 aves. Foram avaliados ganho de peso, consumo de ração e conversão alimentar. Os resultados obtidos demonstraram não haver diferença no desempenho das aves ao serem alimentadas com diferentes critérios de formulação baseados em aminoácidos totais. Ao formular dietas com aminoácidos digestíveis, o padrão estabelecido por Baker & Han (1994) resultaram em melhor desempenho das aves no período avaliado.

aminoácidos; critérios de formulação; desempenho; frangos de corte


Two experiments were conducted with the objective of evaluate different criterion of feed formulation based on total and digestible amino acids for broilers from 1 to 21 days of age. The diets were formulated to attend methionine, methionine+cystine, lysine and threonine recommendations. In the first experiment, eight hundred males birds, Hubbard, were allocated in experimental design with four formulations criterions, for attempt recommendations in total amino acids - NRC (1994), Rostagno et al. (1992), Degussa (1997) e AEC (1993), with 4 replications of 50 broilers each, profiles of amino acids (methionine, methionine+cystine, lysine and threonine) for broilers. In experiment two, six hundred males birds, Cobb, were allocated in experimental design with three formulations criterions, for attempt recommendations in digestible amino acids - Rostagno et al. (2000), Baker & Han (1994) and Degussa (1997), with 4 replications of 50 broilers each, profiles of amino acids (methionine, methionine+cystine, lysine and threonine) for broilers. Weight gain, feed intake and feed conversion were evaluated. The obtained results demonstrated that there is no difference in performance of broilers fed with different criterion formulation based on total amino acids. Diets formulated with digestible amino acids, the standard established for Baker & Han (1994) resulting in best performance of broilers in the available period.

amino acids; broilers; criterion of formulation; performance


Diferentes critérios de formulação de rações para frangos de corte no período de 1 a 21 dias de idade

Different criterion of feed formulation for broilers in the period 1 to 21 days of age

Araújo LFI; Junqueira OMII; Araújo CSSIII; Artoni SMBIV; Faria Filho DEIII

IDocente do Depto. de Zootecnia, FZEA/USP, Pirassununga

IIDocente do Depto. de Zootecnia, FCAV/UNESP, Jaboticabal

IIIAlunos do Curso de Pós-Graduação, FCAV/ UNESP, Jaboticabal

IVDocente do Depto. de Morfologia e Fisiologia Animal, FCAV/UNESP, Jaboticabal

Endereço para correspondência

RESUMO

Dois experimentos foram realizados com o objetivo de avaliar diferentes critérios de formulação de rações, baseados em aminoácidos totais e digestíveis, para frangos de corte no período de 1 a 21 dias de idade. As dietas foram formuladas para atender às exigências de metionina, metionina+cistina, lisina e treonina. No primeiro experimento, foram utilizados 800 pintos machos, Hubbard, distribuídos em delineamento inteiramente casualizado com 4 critérios de formulação, para atender às exigências em aminoácidos totais - NRC (1994), Rostagno et al. (1992), Degussa (1997) e AEC (1993), com 4 repetições de 50 aves. No segundo experimento, foram utilizados 600 pintos machos, Cobb, distribuídos em delineamento inteiramente casualizado com 3 critérios de formulação, para atender às exigências em aminoácidos digestíveis - Rostagno et al. (2000), Baker & Han (1994) e Degussa (1997), com 4 repetições de 50 aves. Foram avaliados ganho de peso, consumo de ração e conversão alimentar. Os resultados obtidos demonstraram não haver diferença no desempenho das aves ao serem alimentadas com diferentes critérios de formulação baseados em aminoácidos totais. Ao formular dietas com aminoácidos digestíveis, o padrão estabelecido por Baker & Han (1994) resultaram em melhor desempenho das aves no período avaliado.

Unitermos: aminoácidos, critérios de formulação, desempenho, frangos de corte

ABSTRACT

Two experiments were conducted with the objective of evaluate different criterion of feed formulation based on total and digestible amino acids for broilers from 1 to 21 days of age. The diets were formulated to attend methionine, methionine+cystine, lysine and threonine recommendations. In the first experiment, eight hundred males birds, Hubbard, were allocated in experimental design with four formulations criterions, for attempt recommendations in total amino acids – NRC (1994), Rostagno et al. (1992), Degussa (1997) e AEC (1993), with 4 replications of 50 broilers each, profiles of amino acids (methionine, methionine+cystine, lysine and threonine) for broilers. In experiment two, six hundred males birds, Cobb, were allocated in experimental design with three formulations criterions, for attempt recommendations in digestible amino acids – Rostagno et al. (2000), Baker & Han (1994) and Degussa (1997), with 4 replications of 50 broilers each, profiles of amino acids (methionine, methionine+cystine, lysine and threonine) for broilers. Weight gain, feed intake and feed conversion were evaluated. The obtained results demonstrated that there is no difference in performance of broilers fed with different criterion formulation based on total amino acids. Diets formulated with digestible amino acids, the standard established for Baker & Han (1994) resulting in best performance of broilers in the available period.

Keywords: amino acids, broilers, criterion of formulation, performance

INTRODUÇÃO

Nos últimos vinte anos, a indústria avícola alcançou um desenvolvimento extraordinário, obtendo altos índices de produtividade, associando fatores como genética, nutrição, manejo e ambiência. Hoje, a avicultura se encontra em uma fase na qual o subjetivismo não encontra mais espaço. Todos os processos da cadeia produtiva devem ser conhecidos e detalhados para o alcance das metas produtivas. Sendo assim, a nutrição deve ser cada vez mais precisa.

O uso de uma dieta diferenciada para frangos de corte no primeiro período de vida tem sido defendido por diversos pesquisadores à medida que o frango de corte tem se tornado mais precoce. A cada ano, perdas no desenvolvimento no período inicial da ave são cada vez mais limitantes.

Uma importante função da produção animal é fornecer alta qualidade protéica para a alimentação humana. Para cumprir esse papel, os próprios animais requerem alta qualidade protéica em correta proporção nas dietas.

Durante muitos anos, a formulação de rações para aves esteve baseada no conceito de proteína bruta, o que freqüentemente resultava em dietas com níveis de aminoácidos acima das exigências reais das aves. Com isso, o excesso de aminoácidos é utilizado de forma ineficiente pelos animais, já que resulta numa inconveniente sobrecarga do fígado e dos rins, pois os mesmos são desaminados até ácido úrico, subindo o nível desse composto no sangue. Além disso, parte da proteína não utilizada fornecerá o esqueleto carbônico para a formação de gorduras que serão depositadas no organismo da ave. Dessa forma, níveis excessivos de proteína na ração não significam apenas alto custo da formulação, mas também problemas no desempenho produtivo. Com a produção em nível comercial de aminoácidos sintéticos, os nutricionistas passaram a formular rações com menor custo e níveis mais adequados de aminoácidos, porém ainda com níveis de proteína elevados. As aves não apresentam uma exigência alta de proteína bruta, necessitando apenas de uma quantidade que assegure uma suficiente reserva de nitrogênio para a síntese de aminoácidos não essenciais. À medida que existam mais aminoácidos sintéticos economicamente disponíveis, menor será o nível de proteína bruta da dieta (Mendes et al., 1996; Kidd & Kerr, 1996). Além disso, Austic (1996) relata que o excesso protéico da dieta induz a atividade da treonina desidrogenase, enzima que cataboliza a treonina à forma de glicina. A deficiência de treonina é mais visível sobre o crescimento de frangos quanto maior for o nível protéico da dieta, ressaltando novamente a necessidade de um balanço ideal dos níveis de aminoácidos utilizados nas dietas.

A formulação de dietas com base em aminoácidos digestíveis, embora tenha sido bastante trabalhada nos últimos tempos em nível experimental, tem sido um conceito distante da realidade utilizada na prática. Vários autores têm demonstrado as vantagens de sua utilização. Baker & Han (1994), fornecendo dietas formuladas com aminoácidos digestíveis segundo as recomendações de Illinóis e com aminoácidos totais de acordo com recomendações do NRC (1984) e NRC (1994), no período de 1 a 21 dias de idade, observaram melhor desempenho em aves alimentadas com a dieta formulada com aminoácidos digestíveis. Segundo Pack (1995), não restam dúvidas de que as formulações de aminoácidos devem ser expressas em digestíveis ao invés de totais. Araujo et al. (2001) conduziram dois experimentos avaliando dietas formuladas à base de milho e farelo de soja, com base em aminoácidos digestíveis e totais no período de 1 a 21 dias de idade. Os autores encontraram melhor desempenho com aves alimentadas com as dietas formuladas com aminoácidos digestíveis.

A disponibilidade de recomendações nutricionais oriundas de diferentes regiões brasileiras também tem sido um problema para se estabelecer a melhor nutrição para o frango de corte, pois sempre há dúvidas sobre qual recomendação deve ser utilizada.

O objetivo deste trabalho foi o de avaliar diferentes critérios de formulação de rações, baseados em aminoácidos totais e aminoácidos digestíveis, para frangos de corte, no período de 1 a 21 dias de idade.

MATERIAL E MÉTODOS

Foram conduzidos dois experimentos, com o objetivo de avaliar diferentes critérios de formulação de rações para frangos de corte, no período de 1 a 21 dias de idade.

No Experimento I, avaliou-se o desempenho de frangos de corte recebendo dietas com diferentes critérios de formulações, com base em aminoácidos totais (metionina, metionina+cistina, lisina e treonina) segundo recomendações do NRC (1994), Rostagno et al. (1992), Degussa (1997) e AEC (1993), no período de 1 a 21 dias. O NRC (1994) foi considerado a recomendação padrão e os níveis dos demais aminoácidos foram estabelecidos em proporção ao seu nível de lisina. Os perfis nutricionais de aminoácidos de cada recomendação são apresentados na Tabela 1. Foram utilizados 800 pintinhos machos, da linhagem Hubbard, distribuídos em delineamento inteiramente casualizado, com 4 tratamentos (4 perfis nutricionais de aminoácidos totais) com 4 repetições por tratamento, com 50 aves cada.

No Experimento II, avaliou-se o desempenho de frangos de corte alimentados com diferentes critérios de formulação, com base em aminoácidos digestíveis, envolvendo metionina, metionina+cistina, lisina e treonina, segundo recomendações de Rostagno et al. (2000), Baker & Han (1994) e Degussa (1997), no período de 1 a 21 dias. Nesse experimento, a recomendação padrão utilizada foi a de Rostagno et al. (2000) e os níveis dos demais aminoácidos foram estabelecidos em proporção ao seu nível de lisina. Os perfis de aminoácidos de cada critério de formulação são apresentados na Tabela 2. Foram utilizados 600 pintos machos, da linhagem Cobb, distribuídos em delineamento inteiramente casualizado, com 3 tratamentos (3 perfis de aminoácidos digestíveis) e 4 repetições por tratamento, com 50 aves cada.

As aves receberam água e alimentação à vontade. Foi utilizado um galpão de alvenaria, com 30 x 6.65m, cumeeira com orientação leste-oeste, pé-direito de 3.2m, sem lanternim, coberto com telhas cimento amianto, contendo 32 boxes de 2.1 x 2.5 m cada, com uma mureta de alvenaria de 0.40 m e tela de arame, protegido por cortina de plástico amarela, com sistema móvel de catraca para sua movimentação no controle do ambiente interno do mesmo. Os boxes foram equipados com campânula para aquecimento dos pintos, comedouros tipo tubular infantil e bebedouros de pressão, forrados com casca de arroz, como material de cama. A retirada dos equipamentos infantis foi feita a partir do 5o. dia de criação, sendo que já no 3o dia iniciou-se a introdução dos equipamentos adultos. O controle do aquecimento, bem como o manejo das cortinas, foi de acordo com a necessidade das aves.

No início do experimento, as aves foram pesadas, selecionadas e distribuídas em seus respectivos tratamentos. Como características de desempenho, foram avaliados o ganho de peso, consumo de ração e conversão alimentar.

As rações experimentais do Experimento I (Tabela 3) e do Experimento II (Tabela 4) foram formuladas à base de milho, farelo de soja, óleo, fosfato bicálcico, calcário calcítico, sal comum, aminoácidos sintéticos e suplementos vitamínico e mineral, sendo que a dieta basal, no Experimento I, teve os níveis de aminoácidos estabelecidos pelo NRC (1994) e no Experimento II, por Rostagno et al. (2000). As variáveis das dietas foram os perfis de aminoácidos de cada recomendação avaliada. As dietas foram isoprotéicas e isocalóricas. Quando os perfis foram comparados, os níveis de lisina permaneceram constantes.

As análises estatísticas foram realizadas utilizando-se o programa SAS - Statistic Analisys System (SAS, 1986). Como teste de comparação de médias, foi utilizado o Teste de Tukey ao nível de 5%.

RESULTADOS E DISCUSSÃO

Na Tabela 5, encontram-se os resultados de desempenho de frangos de corte alimentados com diferentes critérios de formulação, baseados em aminoácidos totais, no período de 1 a 21 dias. Ainda que não tenham ocorrido diferenças estatísticas, as aves que receberam dietas com a relação de aminoácidos estabelecida pelo NRC (1994) apresentaram, numericamente, maior ganho de peso. Embora as aves que se alimentaram com a relação estabelecida pelo NRC (1994) terem apresentado melhor ganho de peso, as aves que receberam a dieta formulada de acordo com Rostagno et al. (1992) obtiveram melhor conversão alimentar, pois apresentaram menor consumo de ração. Aves alimentadas com o perfil de aminoácidos estabelecido pelo AEC (1993) apresentaram, numericamente, menor peso final e ganho de peso, maior consumo de ração e, conseqüentemente, pior conversão alimentar, embora essa recomendação estabeleça uma maior proporção de metionina, metionina+cistina e treonina em relação ao nível de lisina, o que resultará em maior custo por quilograma de ração produzida. Alguns autores relatam que o excesso de aminoácidos consumido prejudica o desempenho das aves, eleva o custo de formulação das dietas, incrementa o calor metabólico e contribui com a excreção de nitrogênio, além de poder causar problemas sanitários, relacionados à má qualidade da cama do aviário ou de mineralização óssea (Bercovici & Suida, 1998).

Baker & Han (1994), comparando perfil de aminoácidos digestíveis com perfil do NRC para frangos de corte no período de 1 a 21 dias, não observaram diferenças estatísticas para ganho de peso, consumo de ração e conversão alimentar, denotando que a utilização de aminoácidos digestíveis é adequada para atender às necessidades nutricionais de aminoácidos para as aves. Penz Jr (1998) demonstrou a importância do nível adequado de proteína para frangos de corte na fase inicial, já que nesse período as aves necessitam de um ambiente com uma temperatura mais elevada, o que nem sempre está disponível. A forma que as aves encontrariam para compensar essa falta de temperatura ambiental seria a de consumir mais proteína do que teoricamente necessitam, catabolizando o excesso de alguns aminoácidos, o que levaria a produzir calor metabólico, sendo então benéfico para as aves nesse período de vida. Já Schuttle et al. (1997) sugeriram que dietas para frangos de corte à base de milho e soja não podem ter menos que 21% de proteína, pois alguns aminoácidos passam a ser limitantes.

Na Tabela 6 são apresentados os resultados de desempenho de frangos de corte alimentados com diferentes critérios de formulação de rações, com base em aminoácidos digestíveis, no período de 1 a 21 dias de idade. Os resultados demonstraram que o melhor ganho de peso (p<0,05) foi encontrado com aves recebendo dietas formuladas com o padrão de Baker & Han (1994), seguido pelo padrão estabelecido pela Degussa (1997). Com relação à conversão alimentar, o melhor valor observado foi para aves alimentas com o perfil estabelecido por Baker & Han (1994), já que o consumo de ração não foi alterado pelos tratamentos estudados. Os piores valores de desempenho foram encontrados em aves alimentadas com o perfil estabelecido por Rostagno et al. (2000). Esses resultados podem ser decorrentes da maior proporção de aminoácidos encontrados nos dois últimos perfis quando comparados com o padrão de Rostagno et al. (2000).

Poucos trabalhos na literatura avaliam diferentes critérios de formulação baseados em aminoácidos digestíveis para frangos de corte.

Baseados em estudos de crescimento com dietas de aminoácidos cristalinos em pintos de crescimento, Baker & Han (1994) sugeriram proporções de 72% e 67% de Met+Cis e de treonina para aves naquele período de criação.

CONCLUSÕES

Nas condições em foram conduzidos os experimentos pode-se concluir que: ao fornecer dietas formuladas para atender às exigências em aminoácidos totais, no período de 1 a 21 dias de idade, as aves utilizam os aminoácidos metionina, metionina+cistina, lisina e treonina com a mesma eficiência, não ocorrendo diferenças entre os critérios avaliados; a dieta formulada de acordo com os níveis estabelecidos por Baker & Han (1994) para atender às exigências em aminoácidos digestíveis proporciona melhor desempenho das aves na fase inicial.

  • Endereço para correspondência
    Lúcio Francelino Araújo
    Depto. de Zootecnia, FZEA/USP
    Av. Duque de Caxias Norte, 225
    CP 23
    13635-900, Pirassununga, SP, Brasil
    E mail:
  • Parte da Tese de Doutorado do primeiro autor. Projeto financiado pela FAPESP 98/06355-3

    • AEC - Alimentacion Equilibrée Commentry. Feed Formulation Guide. 6a. ed., Comentary: Rhone-Poulenc 1993;. 39p.
    • Araujo LF, Junqueira OM, Araujo CSS, Laurentiz AC, Almeida JG, Serrano PP. Proteína bruta e proteína ideal para frangos de corte no período de 1 a 21 dias de idade. Revista Brasileira de Ciência Avícola 2001; 3(2): 157 162.
    • Austic R E. Dietary protein level and the response to dietary amino acids. In: Proceedings of the Meeting Cornell Nutrition Conference; 1996; Cornell. University; 1996. p. 168-175.
    • Baker DH, Han Y. Ideal amino acid profile for chicks during the first three weeks posthatching. Poultry Science 1994; 73: 1441-1447.
    • Bercovici D, Suida D. Nutrição protéica de frangos de corte . In: Simpósio sobre Nutrição e Tecnologia de Produção de Rações; 1998; Campinas, SP. Brasil. p. 42-54.
    • Degussa - Amino acid recomendations for poultry. Feed Formulation Guide. Hanau: Degussa AG, 1997.
    • Kidd MT, Kerr BJ. Threonine in the poultry nutrition. In: Meeting Arkansas Nutrition Conference; 1996; Arkansas, EUA. p. 203-228.
    • Mendes AA, Watkins SE, England JA. Effects of protein status during starter and grower period and amino acid and lysine levels in finisher period on liver performance and carcass composition of broilers. Poultry Science 1996; 75: 741-753.
    • NRC - National Research Council, Nutrient requirements of poultry, Washington: National Academy Press, 8th revised ed., 1984.
    • NRC - National Research Council, Nutrient requirements of poultry, Washington: National Academy Press, 9th revised ed., 1994.
    • Pack M. Proteína ideal para frangos de corte. Conceitos e posição atual. In: Conferência APINCO de Ciência e Tecnologia Avícolas; 1995; Curitiba, PR. Brasil. p. 95 110.
    • Penz Jr AM. Nutrição na primeira semana. In: Conferência APINCO de Ciência e Tecnologia Avícolas; 1998; Campinas, SP. Brasil. p. 121 139.
    • Rostagno HS, Silva DJ, Costa PMA, Fonseca JB, Soares PR, Pereira JAA, Silva MA. Composição de alimentos e exigências nutricionais de aves e suínos: Tabelas Brasileiras, Viçosa, MG, UFV, 1992, 59 p.
    • Rostagno HS, Albino LFT, Donzele JL, Gomes PC, Ferreira AS, Oliveira RF, Lopes DC. Composição de alimentos e exigências nutricionais de aves e suínos: Tabelas Brasileiras para Aves e Suínos, Viçosa, MG, UFV, 2000, 141p.
    • SAS Institute Inc. (1986) – SAS User's Guide: Statistics. SAS Institute Inc., Cary, NC.
    • Schutte JB, Smink W, Pack M. Requirement of young broiler chicks for glycine+serine. Archiv fur Geflugelkunde 1997; 61: 43-47.

    Endereço para correspondência Lúcio Francelino Araújo Depto. de Zootecnia, FZEA/USP Av. Duque de Caxias Norte, 225 CP 23 13635-900, Pirassununga, SP, Brasil E mail: lfaraujo@usp.br

    Datas de Publicação

    • Publicação nesta coleção
      19 Maio 2003
    • Data do Fascículo
      Dez 2002
    Fundacao de Apoio a Ciência e Tecnologia Avicolas Rua Barão de Paranapanema, 146 - Sala 72, Bloco A, Bosque, Campinas, SP - 13026-010. Tel.: 19 3255-8500 - Campinas - SP - Brazil
    E-mail: revista@facta.com.br
    Accessibility / Report Error