Relação entre a pressão expiratória positiva final pré-extubação e a oxigenação após revascularização cirúrgica do miocárdio

Reijane Oliveira Lima Daniel Lago Borges Marina de Albuquerque Gonçalves Costa Thiago Eduardo Pereira Baldez Mayara Gabrielle Barbosa e Silva Felipe André Silva Sousa Milena de Oliveira Soares Jivago Gentil Moreira Pinto Sobre os autores

Resumo

Introdução:

Após a remoção do tubo endotraqueal e ventilação artificial, o suporte ventilatório deve ser continuado, oferecendo suprimento de oxigênio para garantir uma saturação arterial de oxigênio próxima da fisiológica.

Objetivo:

O objetivo deste estudo foi investigar os efeitos da pressão expiratória positiva final antes de extubação nos índices de oxigenação de pacientes submetidos à cirurgia de revascularização miocárdica.

Métodos:

Ensaio clínico randomizado com 78 pacientes submetidos à cirurgia de revascularização do miocárdio, divididos em três grupos e ventilados com diferentes níveis de pressão expiratória positiva final antes da extubação: Grupo A, 5 cmH2O (n=32); Grupo B, 8 cm H2O (n=26); e grupo C, 10 cmH2O (n=20). Dados do índice de oxigenação foram obtidos a partir de amostras de gases sanguíneos arteriais coletados em 1, 3 e 6 h após a extubação. Pacientes com doença pulmonar crônica e aqueles que foram submetidos à cirurgia sem circulação extracorpórea, de emergência ou combinadas foram excluídos. Para a análise estatística, foram utilizados Shapiro-Wilk, G, Kruskal-Wallis, e análise dos testes de variância e definição do nível de significância em P<0,05.

Resultados:

Os grupos foram homogêneos em relação às variáveis ​​demográficas, clínicas e cirúrgicas. Não houve diferenças estatisticamente significativas entre os grupos nas primeiras 6 h após extubação no que diz respeito aos índices de oxigenação e a utilização de oxigenoterapia.

Conclusão:

Nesta amostra de pacientes submetidos à revascularização do miocárdio, o uso de diferentes níveis de pressão expiratória positiva final antes da extubação não afetou as trocas gasosas ou utilização de oxigenoterapia nas primeiras 6h após a remoção do tubo endotraqueal.

Descritores:
Oxigenação; Respiração por Pressão Positiva Intrínseca; Ponte de Artéria Coronária

Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular Rua Afonso Celso, 1178 Vila Mariana, CEP: 04119-061 - São Paulo/SP Brazil, Tel +55 (11) 3849-0341, Tel +55 (11) 5096-0079 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: bjcvs@sbccv.org.br