Prevalência de intolerância ao exercício em adultos obesos submetidos ao teste de exercício cardiopulmonar

Agatha Caveda Matheus Evandro Fornias Sperandio Vinicius Tonon Lauria Rodrigo Pereira da Silva Antônio Ricardo de Toledo Gagliardi Marcello Romiti Rodolfo Leite Arantes Victor Zuniga Dourado Sobre os autores

Resumo

Levantamos a hipótese de que a prevalência de intolerância ao exercício (IE, pico de consumo de O2 < 83%pred.) não é significativamente afetada pelo índice de massa corporal (IMC) em adultos submetidos ao teste de exercício cardiopulmonar (TECP). Nosso objetivo foi avaliar a prevalência de IE e a influência do IMC em adultos assintomáticos. Foram avaliados os resultados do TECP de 780 adultos (idade 41 ± 13 anos). Os participantes foram estratificados de acordo com o IMC: eutrófico (n = 227), sobrepeso (n = 198), e obesidade grau 1 (n = 155), 2 (n = 131), e 3 (n = 69). Após a avaliação do risco cardiovascular, os participantes foram submetidos ao TECP em uma esteira, sob o protocolo de rampa. A prevalência de IE foi 20, 16, 21, 25, e 21% respectivamente nos grupos estratificados, e nenhuma diferença significativa foi encontrada. Os preditores da IE foi inatividade física, idade e tabagismo. A prevalência de IE em adultos assintomáticos é considerável, independentemente do IMC. A redução da aptidão cardiorrespiratória relacionada a obesidade parece ser clinicamente relevante como em não obesos.

Palavras-chave
Aptidão cardiorrespiratória; Atividade física; Obesidade; Tabagismo

Universidade Federal de Santa Catarina Universidade Federal de Santa Catarina, Campus Universitário Trindade, Centro de Desportos - RBCDH, Zip postal: 88040-900 - Florianópolis, SC. Brasil, Fone/fax : (55 48) 3721-8562/(55 48) 3721-6348 - Florianópolis - SC - Brazil
E-mail: rbcdh@contato.ufsc.br