Prevalência de Active Play em crianças e adolescentes brasileiros: uma atualização de revisão sistemática para o Report Card Brasil

Greice Westphal Igor Alisson Spagnol Pereira Maria Luiza Costa Borim Claudiana Marcela Siste Charal Nelson Nardo JuniorSobre os autores

resumo –

Este artigo é uma atualização da revisão sistemática sobre Active Play publicada em 2018 por Mendes et al. Esta revisão sistemática incluiu estudos publicados entre 2018 até 2019. A busca de potenciais artigos foi realizada nas seguintes bases de dados eletrônicas: Pubmed / Medline, Web of Science, Bireme, Scielo e Scopus. Inicialmente, 471 artigos atenderam aos critérios de elegibilidade. Porém, após análise aprofundada, apenas dois estudos permaneceram e foram incluídos na presente revisão. Destes artigos, apenas um apresentou informações individuais sobre a atividade física entre adolescentes de 12 a 17 anos de idade de Curitiba-PR e revelou que 77,2% deles eram fisicamente ativos no tempo livre. O outro estudo foi sobre as preferências por atividades de lazer entre adolescentes de Florianópolis-SC avaliados nos anos de 2001 e 2011. Este apresentou redução significativa na preferência pela prática de atividades físicas, enquanto o contrário foi observado para atividades sedentárias, como assistir TV, jogar videogame e usar o computador. Esses resultados, juntamente com as inconsistências nos pontos de corte do domínio active play entre os países envolvidos na Matriz Global 3.0, deixaram claro a necessidade de uma definição padrão e de uma ferramenta adequada para medi-la.

Palavras-chave:
Adolescentes; Brasil; Crianças; Atividade de lazer

Universidade Federal de Santa Catarina Universidade Federal de Santa Catarina, Campus Universitário Trindade, Centro de Desportos - RBCDH, Zip postal: 88040-900 - Florianópolis, SC. Brasil, Fone/fax : (55 48) 3721-8562/(55 48) 3721-6348 - Florianópolis - SC - Brazil
E-mail: rbcdh@contato.ufsc.br