Potencial de mineralização do nitrogênio em solos do Rio Grande do Sul

Nitrogen mineralization potential of soils from Rio Grande do Sul state, Brazil

Resumos

Com o objetivo de avaliar o potencial de mineralização de nitrogênio (No) de alguns solos do Rio Grande do Sul e sua relação com a absorção de N por plantas, desenvolveu-se um estudo em casa de vegetação, a céu aberto e em laboratório, no segundo semestre de 1993. Utilizando dez amostras de solos, coletadas a uma profundidade de 0-20 cm e acondicionadas em vasos com 20 kg de solo, cultivou-se milho por um período de 45 dias. Para os mesmos solos, o potencial de mineralização foi obtido, por meio do N mineralizado num experimento de incubação aeróbia, em laboratório, num período de 32 semanas. Os valores de No para os dez solos variaram de 108,6 a 210,8 mg kg-1 e foram, aproximadamente, os mesmos dos totais de N mineralizado. A constante de mineralização variou entre os solos de 0,2985 a 0,3181 semana-1, e a velocidade de mineralização foi maior no período inicial compreendido até a 4ª semana de incubação. O coeficiente de correlação entre a absorção de N por plantas de milho e o potencial de mineralização de N foi significativo (r = 0,887), concluindo-se que este último pode ser utilizado como índice de disponibilidade de N no solo para as plantas.

N-mineralizado; taxa de mineralização; N-potencialmente mineralizável; exponencial simples; milho; disponibilidade


Nitrogen mineralization potential (No) for ten Rio Grande do Sul, Brazil, soils was studied with corn grown on 20 kg pots for 45 days, as compared with nitrogen mineralized in aerobic incubation for 32 weeks. No values ranged from 108.6 to 210.8 mg kg-1, being similar to the total nitrogen mineralized. Mineralization velocity was higher during the first four weeks, and overall mineralization rate varied from 0.2985 to 0.3181 week-1 among soils. The correlation coefficient between corn absorbed nitrogen and mineralization potential was significant (0.886), indicating that this can be used as an index for soil nitrogen availability to plants.

Mineralized-N; mineralization rate; N-potentially mineralizable; simple exponential; corn; availability


SEÇÃO III - BIOLOGIA DO SOLO

F. A. O. Camargo; C. Gianello; C. Vidor

Professor Adjunto do Departamento de Solos da Faculdade de Agronomia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Caixa Postal 776, CEP 90001-970 Porto Alegre (RS)

RESUMO

Com o objetivo de avaliar o potencial de mineralização de nitrogênio (No) de alguns solos do Rio Grande do Sul e sua relação com a absorção de N por plantas, desenvolveu-se um estudo em casa de vegetação, a céu aberto e em laboratório, no segundo semestre de 1993. Utilizando dez amostras de solos, coletadas a uma profundidade de 0-20 cm e acondicionadas em vasos com 20 kg de solo, cultivou-se milho por um período de 45 dias. Para os mesmos solos, o potencial de mineralização foi obtido, por meio do N mineralizado num experimento de incubação aeróbia, em laboratório, num período de 32 semanas. Os valores de No para os dez solos variaram de 108,6 a 210,8 mg kg-1 e foram, aproximadamente, os mesmos dos totais de N mineralizado. A constante de mineralização variou entre os solos de 0,2985 a 0,3181 semana-1, e a velocidade de mineralização foi maior no período inicial compreendido até a 4ª semana de incubação. O coeficiente de correlação entre a absorção de N por plantas de milho e o potencial de mineralização de N foi significativo (r = 0,887), concluindo-se que este último pode ser utilizado como índice de disponibilidade de N no solo para as plantas.

Termos de indexação: N-mineralizado, taxa de mineralização, N-potencialmente mineralizável, exponencial simples, milho, disponibilidade.

SUMMARY

Nitrogen mineralization potential (No) for ten Rio Grande do Sul, Brazil, soils was studied with corn grown on 20 kg pots for 45 days, as compared with nitrogen mineralized in aerobic incubation for 32 weeks. No values ranged from 108.6 to 210.8 mg kg-1, being similar to the total nitrogen mineralized. Mineralization velocity was higher during the first four weeks, and overall mineralization rate varied from 0.2985 to 0.3181 week-1 among soils. The correlation coefficient between corn absorbed nitrogen and mineralization potential was significant (0.886), indicating that this can be used as an index for soil nitrogen availability to plants.

Index terms: Mineralized-N, mineralization rate, N-potentially mineralizable, simple exponential, corn, availability.

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text available only in PDF format.

LITERATURA CITADA

Recebido para publicação em junho de 1996

Aprovado em setembro de 1997

  • BROADBENT, F.E. Empirical modeling of soil nitrogen mineralization. Soil Sci., Baltimore, 141:208-213, 1986.
  • GEYPENS, M. & VANDERDRIECHE, H. Advisory systems for nitrogen fertilizer recommendation. Plant Soil, The Hague, 181:31-38, 1996.
  • JANSSEN, B.H. Nitrogen mineralization in relation to C:N ratio and decomposability of organic materials. Plant Soil, The Hague, 181:39-45, 1996.
  • LADD, J.N. & JACKSON, R.B. Biochemistry of ammonification. In: STEVENSON, F.J., ed. Nitrogen in agricultural soils. Madison, American Society of Agronomy, 1982. p.173-228.
  • MARION, G.M.; KUMMEROW, J. & MILLER, P.C. Predicting nitrogen mineralization in Chaparral soils. Soil Sci. Soc. Am. J., Madison, 45:956-961, 1981.
  • MARQUARDT, D.W. An algorithm for least squares estimation of non-linear parameters. J. Soc. Ind. Appl. Mathem., New York, 11:431-441, 1963.
  • MARY, B.; RECOUS, S.; DARWIS, D. & ROBIN, D. Interaction between decomposition of plant residues and nitrogen and nitrogen cycling in soil. Plant Soil, The Hague, 181:71-82, 1996.
  • MATAR, A.E.; BECK, D.P.; PALA, M. & GARABET, S. Nitrogen mineralization potentials of selected mediterranean soils. Commun. Soil Sci. Plant Anal., New York, 22:23-36, 1991.
  • MENGEL, K. Turnover of organic nitrogen in soils and its availability to crops. Pl. Soil, The Hague, 181:83-93, 1996.
  • OLIVEIRA, S.A. Avaliação da mineralização e disponibilidade de nitrogênio para o trigo (Triticum aestivum L.) em solos do Distrito Federal. Piracicaba, ESALQ, 1987. 128p. (Tese de Doutorado)
  • PARENTONI, S.N., FRANÇA, G.E. & BAHIA FILHO, A.F.C. Avaliação dos conceitos de quantidade e intensidade de mineralização de nitrogênio para trinta solos do Rio Grande do Sul. R. bras. Ci. Solo, Campinas, 12:225-229, 1988.
  • POTTKER, D. & TEDESCO, M.J. Efeito do tipo e tempo de incubação sobre a mineralização da matéria orgânica e nitrogênio total em solos do Rio Grande do Sul. R. bras. Ci. Solo, Campinas, 3:20-24, 1979.
  • SAMPAIO, E.V.S.; SALCEDO, I.H.; SILVA, V.M. & ALVES, G.D. Capacidade de suprimento de nitrogênio e resposta à fertilização de vinte solos de Pernanbuco. R. bras. Ci. Solo, Campinas, 19:269-279, 1995.
  • SIGMASTA, T. Scientific Graphing Software. Transform & Curve Fitting. Revision SPW 2.0. San Rafael, Jandel Scientific, 1994. n.p.
  • STANFORD, G. & SMITH, S.J. Nitrogen mineralization potential of soils. Soil Sci. Soc. Am. Proc., Madison, 36:465-472, 1972.
  • TEDESCO, M.J.; VOLKWEISS, S.J. & BOHNEM, H. Análises de solo, plantas e outros materiais. Porto Alegre, Departamento de Solos, Faculdade de Agronomia - UFRGS, 1985. 188p. (Boletim Técnico, 5)

  • Potencial de mineralização do nitrogênio em solos do Rio Grande do Sul
    Nitrogen mineralization potential of soils from Rio Grande do Sul state, Brazil

Datas de Publicação

  • Publicação nesta coleção
    08 Out 2014
  • Data do Fascículo
    Dez 1997

Histórico

  • Aceito
    Set 1997
  • Recebido
    Jun 1996
Sociedade Brasileira de Ciência do Solo Secretaria Executiva , Caixa Postal 231, 36570-000 Viçosa MG Brasil, Tel.: (55 31) 3899 2471 - Viçosa - MG - Brazil
E-mail: sbcs@ufv.br