Resposta do amendoim à calagem e ao molibdênio em solo ácido

A calagem em solos ácidos tem sido considerada prática suficiente para garantir a disponibilidade de molibdênio para as culturas. Adicionalmente, seu efeito positivo na cultura do amendoim tem sido associado ao melhor fornecimento de cálcio, maior disponibilidade de molibdênio para o complexo nitrogenase, e outros processos na planta não relacionados com a fixação biológica de N. Esse trabalho foi realizado, com vistas em estudar os efeitos de doses de calcário e de molibdênio e suas interações na cultura do amendoim, num Argissolo ácido da Estação Experimental de Mococa do IAC durante três safras (1987 a 1990). Foi empregado o delineamento em blocos, com quatro repetições, num esquema fatorial 4 x 4. Os tratamentos constituíram das doses de 0, 2, 4 e 6 t ha-1 de calcário calcinado e de 0, 100, 200 e 300 g ha-1 de Mo, aplicadas como tratamento de sementes, na forma de molibdato de amônio. O calcário foi aplicado uma única vez no início do ensaio, enquanto o Mo foi aplicado anualmente por ocasião do plantio. Foi utilizado o amendoim cv. Tatu. Houve resposta significativa da produção de grãos à calagem apenas na ausência de Mo, enquanto a resposta do amendoim ao Mo foi observada em duas das três safras estudadas. Foi encontrado um maior ganho de produção (28 %) quando o Mo foi aplicado na ausência de calagem. A disponibilidade de Mo no solo, avaliada por meio da análise de folhas, aumentou significativamente com a calagem. A aplicação de Mo proporcionou maior concentração de nitrogênio nas folhas, o que aumentou a produtividade do amendoim nos tratamentos com doses mais baixas de calcário.

Arachis hypogaea; calagem; molibdênio; fixação de nitrogênio


Sociedade Brasileira de Ciência do Solo Secretaria Executiva , Caixa Postal 231, 36570-000 Viçosa MG Brasil, Tel.: (55 31) 3899 2471 - Viçosa - MG - Brazil
E-mail: sbcs@ufv.br