O território da universidade brasileira: o modelo de câmpus* * Embora o termo câmpus - com acento -, do latim campus, não esteja registrado no Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa (VOLP), utilizamo-lo por julgar coerente sua acentuação. Justificamos o uso com alguns exemplos de palavras que possuem a mesma terminação de câmpus e que recebem acento por serem paroxítonas terminadas em "us" (regra), como bônus, ônus, Vênus e vírus.

BRAZILIAN UNIVERSITY TERRITORY: THE CAMPUS MODEL

EL TERRITORIO DE LA UNIVERSIDAD BRASILEÑA: EL MODELO DE CAMPUS

ESTER BUFFA GELSON DE ALMEIDA PINTO Sobre os autores

RESUMO

O objetivo deste texto é problematizar do ponto de vista pedagógico, arquitetônico e urbanístico o território da universidade brasileira, o modelo de câmpus. O caminho trilhado começou com a criação das universidades europeias no século XII, localizadas na cidade, passou pelas universidades norte-americanas, instaladas no campo, para chegar ao Brasil. Nossas primeiras universidades voltadas para a formação dos quadros necessários ao Estado, de lideranças político-culturais e de profissionais liberais, instalaram-se na cidade. Nos anos de 1960, com a modernização da sociedade brasileira, a universidade passou a ser vista como o lócus da pesquisa para acelerar o desenvolvimento. No planejamento e construção dos câmpus universitários, optou-se por uma arquitetura modernista racionalista. As razões dessa escolha bem como a crítica ao modelo foram focalizadas no texto.

PALAVRAS-CHAVE
território da universidade; cidade universitária; câmpus universitário

ANPEd - Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação Rua Visconde de Santa Isabel, 20 - Conjunto 206-208 Vila Isabel - 20560-120, Rio de Janeiro RJ - Brasil, Tel.: (21) 2576 1447, (21) 2265 5521, Fax: (21) 3879 5511 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: rbe@anped.org.br