Avaliação de um Programa de Residência Médica em Ginecologia e Obstetrícia

Natalia Romano Sanchez Cibele Isaac Saad Rodrigues Sobre os autores

Resumo:

Introdução:

A residência médica em ginecologia e obstetrícia é indiscutivelmente importante para a capacitação dos médicos que optam por essa especialidade dos Ministérios da Saúde e da Educação. Entretanto, as pesquisas que avaliaram esses programas de residência são escassas, especialmente no que tange a aspectos reflexivos qualitativos. Assim, este estudo descritivo e exploratório, com abordagem quantitativa e qualitativa, buscou avaliar o programa atual de residência médica em ginecologia e obstetrícia da Faculdade de Ciências Médicas e da Saúde (FCMS) da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP).

Método:

Como metodologia, utilizou-se a análise curricular comparativa entre o programa preconizado pela Comissão Nacional de Residência Médica até 2018 e o programa oferecido pela FCMS da PUC-SP, além de questionários autoaplicáveis a egressos do período de 2007 a 2018.

Resultados:

Entre os achados mais importantes da análise curricular comparativa, estão divergências sobre a disposição percentual de carga horária anual, evidenciando sobrecarga em horas de plantão, e a distribuição não equilibrada de estágios. A taxa de retorno do questionário foi de 66% (41 dos 62 participantes). A maioria dos respondentes era do gênero feminino (n = 32, 78%), com atividade predominante nas cidades de Sorocaba (n = 21, 43,7%) e São Paulo (n = 10, 21%). Houve preponderância de satisfação parcial do egresso com o programa cursado (n = 34, 82,9%). Também foram observadas respostas que condizem com os achados da análise curricular comparativa, como a insatisfação com o número de procedimentos cirúrgicos ginecológicos realizados (n = 39, 95,1%). Em relação à análise de conteúdo das questões discursivas, categorizadas segundo Bardin, houve valorização das atividades em obstetrícia pelos egressos, e as críticas mais evidentes foram relacionadas à menor quantidade de horas para certas atividades, em especial àquelas dedicadas às práticas cirúrgicas ginecológicas e atividades teóricas.

Conclusões:

Com base nos achados, foram propostas e acatadas pelos gestores sugestões de mudanças que devem trazer impacto positivo ao programa da residência médica. Esta pesquisa contribui para a avaliação diagnóstica de um tradicional programa de residência médica, propõe melhorias e utiliza metodologia reprodutível, podendo, assim, servir de comparação para outros estudos, de modo que avanços possam ser estabelecidos na formação do especialista.

Palavras-chave:
Educação Médica; Internato e Residência; Avaliação Educacional; Ginecologia; Obstetrícia

Associação Brasileira de Educação Médica SCN - QD 02 - BL D - Torre A - Salas 1021 e 1023 | Asa Norte, Brasília | DF | CEP: 70712-903, Tel: (61) 3024-9978 / 3024-8013, Fax: +55 21 2260-6662 - Brasília - DF - Brazil
E-mail: rbem.abem@gmail.com