Revista Brasileira de Educação Médica, Volume: 43, Issue: 1 Supplement 1, Published: 2019
  • And the Past is a Garment that no Longer Suits us: Reflecting on Teaching-Health-Community Integration in a Medical Course in Northeast Brazil Editorial

    Souza, Carlos Dornels Freire de; Correia, Divanise Suruagy; Araújo, Maria Deysiane Porto; Wanderley, Roberta Albuquerque; Machado, Michael Ferreira

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO A formação médica, assim como a sociedade brasileira, tem passado por importantes transformações. Tais mudanças buscam atender as demandas sociais e sanitárias contemporâneas, sobretudo no que diz respeito a uma formação voltada à realidade sociossanitária local. Em razão disso, a formação deve buscar desenvolver competências, habilidades e atitudes em um cenário de integração do ensino com a saúde e a comunidade. O curso de Medicina da Universidade Federal de Alagoas, campus Arapiraca, iniciado no ano de 2015, resulta do processo de expansão das escolas médicas do País e do processo de interiorização das ações dessa universidade. O curso está estruturado em três eixos (tutoria, habilidades médicas e integração ensino-saúde-comunidade). Neste texto, pretende-se apresentar o processo de trabalho do eixo de Integração Ensino-Saúde-Comunidade (Iesc), seus principais avanços e os desafios envolvidos no processo de formação. O Iesc tem como missão promover a aproximação entre o acadêmico e a realidade sociossanitária local a fim de garantir uma formação médica capaz de oferecer uma assistência integral, respeitosa, ética, crítica e humanística, considerando o sujeito e o contexto em que está inserido, sua cultura, crença, hábitos e costumes. Em 2017, para cumprir sua missão, o eixo reestruturou o currículo do curso de modo que a formação ocorra no ciclo básico (primeiro e segundo anos), passando pelo ciclo intermediário (terceiro e quarto anos) e alcançando o internato (quinto e sexto anos). Nossa experiência tem mostrado que o aprendizado significativo deve nascer da prática, isto é, do processo de experimentações com a realidade. É nítido o maior envolvimento dos nossos estudantes quando incluímos atividades com finalidades práticas bem definidas. Nossa sistemática de trabalho envolve reuniões mensais, quando são discutidos os principais problemas e elaboradas estratégias de condução do eixo, padronização de cadernos de curso e estratégias avaliativas, processo de formação continuada dos docentes, como parte do plano bianual de qualificação e inclusão de avaliação por parte dos acadêmicos, com o semestre em curso. A variedade de estratégias pedagógicas, todas ancoradas nas metodologias ativas de ensino-aprendizagem, contribui para o maior envolvimento dos nossos estudantes nas aulas. Os principais desafios são consolidar a inserção na rede de saúde local e qualificar o corpo docente no uso de metodologias ativas em todos os processos de aprendizagem.

    Abstract in English:

    ABSTRACT Both medical education and Brazilian society as a whole have undergone significant transformations in recent years. These changes seek to meet contemporary social and sanitary demands, especially with regard to a training focused on the local socio-sanitary reality. Medical training should therefore seek to develop skills, abilities and attitudes in a setting where teaching is integrated with health care and the community. The medical course of the Federal University of Alagoas, Arapiraca campus, was founded in 2015, resulting from the expansion of medical schools in Brazil and the internalization of the University’s actions. The course is structured on three axes (tutoring, medical skills and teaching-health-community integration). This text intends to present the work process of the Teaching-Health-Community Integration (LESC) axis, its main advances and the challenges involved in the training process. The mission of LESC is to place the academic into closer contact with the local socio-sanitary reality in order to ensure a medical training that offers comprehensive, respectful, ethical, critical and humanistic care, considering the subject and his or her context, culture, beliefs, habits and customs. To fulfill this mission, in 2017 the course curriculum was restructured so as to split the training into the basic cycle (1 st and 2 nd years), the intermediate cycle (3 rd and 4 th years) and, finally, medical internship (5 th and 6 th years). Our experience has shown that meaningful learning must come from practice, that is, from the process of experimentation with reality. Our students are distinctly more involved and interested when we include activities with well-defined practical purposes. Our work system involves monthly meetings, where major issues are discussed and strategies developed for conducting LESC, the standardization of course books and evaluation strategies, a continuing education program for teachers, as part of the biannual qualification plan and the inclusion of student-led evaluation during the semester. The variety of teaching strategies, all anchored in active learning methodologies, encourages greater involvement of our students in class. The main challenges can be summarised as consolidating student insertion into the local health care network and qualifying the teachers in their use of active methodologies in all learning processes.
  • Intrinsic Motivation of Medical Students from a College with Active Methodology in Brazil: a Cross-Sectional Study Original Article

    Azevedo, Pedro Tadeu Álvares Costa Caminha de; Caminha, Maria de Fátima Costa; Andrade, Camyla Rolim Souto de; Godoy, Carolina Gonçalves de; Monteiro, Raissa Lyra Sales; Falbo, Ana Rodrigues

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO Estudo transversal baseado na Teoria da Autodeterminação para identificar a motivação intrínseca no cenário do grupo tutorial e seus fatores associados em 276 estudantes de Medicina de uma faculdade do Nordeste do Brasil entre outubro e dezembro de 2016, tendo sido utilizado o Inventário de Motivação Intrínseca, após sua tradução e adaptação transcultural. Variáveis estudadas: idade, sexo, estado civil, dependentes financeiros, número de tentativas no vestibular para ingresso no curso de Medicina, período em curso, graduação anterior, residência com os pais, escolha do curso por influência ou por pressão dos pais. Realizadas análises uni- e multivariada de Poisson para analisar os fatores associados à motivação intrínseca, foi considerado como nível de significância para fins estatísticos o valor p<0,05. O escore médio da motivação foi de 3,8, indicando motivação. Em estudantes do segundo, sexto e décimo períodos do curso de Medicina, permaneceram no modelo final como variável associada à motivação intrínseca aqueles que haviam realizado uma ou duas tentativas no vestibular, quando comparados aos estudantes que tinham realizado três ou mais tentativas (RP=0,88; IC95%(0,79-0,97); p = 0,011). Nas análises discriminadas por período, no segundo período, permaneceram no modelo final os estudantes que possuíam graduação anterior ao curso de Medicina, quando comparados aos que não possuíam (RP=0,92; IC95% (0,87-0,97); p = 0,005). No sexto período, nenhuma diferença estatisticamente significante foi encontrada; e no décimo período, a variável de ter realizado uma ou duas tentativas no vestibular (RP=0,65; IC95% (0,47-0,88); p = 0,006). Os estudantes se mostraram motivados na atividade do grupo tutorial. O menor número de tentativas no vestibular para ingresso no curso de Medicina e possuir graduação anterior foram variáveis que se mostraram associadas à motivação intrínseca.

    Abstract in English:

    ABSTRACT A cross-sectional study based on the Self Determination Theory to identify intrinsic motivation in the tutorial group scenario, and its associated factors in 276 medical students from a college in the Northeast of Brazil between October and December 2016. The Intrinsic Motivation Inventory was utilized following its adaptation and cross-cultural translation. Variables studied: age, gender, marital status, financial dependents, number of attempts at the university entrance exam for the medical course, current semester of study, previous undergraduate training, living with parents, choice of course by parental influence or pressure. Uni and multivariate Poisson analysis were carried out to assess the factors associated with intrinsic motivation; p <0.05 was considered as the significance level for statistical purposes. Average motivation score was 3.8, which indicates motivation. In 2 nd , 6 th and 10 th semester medicine students, the final model maintained as the variable associated with intrinsic motivation those who attempted the medical school entrance exam once or twice compared to those who had had three or more attempts (PR = 0.88, 95% CI (0.79-0.97), p = 0.011). In the analyses assessed by semester, in the second semester, students who had prior undergraduate training before medical school compared to those who had not was the remaining variable (PR = 0.92, 95% IC (0.87-0.97), p = 0.005). In the sixth semester, no statistically significant difference was found, and in the tenth semester the variable of those who attempted the medical school entrance exam once or twice remained (PR = 0.65, 95% IC (0.47-0.88), p = 0.006). The students seemed to be motivated in the group tutorial activity. The fewer number of medical school entry exam attempts and having previous undergraduate training were variables that showed association with intrinsic motivation.
  • Classification of Special Interest Groups (SIGs) from the Telemedicine University Network (RUTE) in Homogeneous Groups Based on their Production in Communication, Cooperation and Coordination (3C) Artigo Original

    Brito, Thiago Delevidove de Lima Verde; Lopes, Paulo; Meireles, Luan; Moraes, Max; Messina, Luiz; Haddad, Ana Estela; Pisa, Ivan Torres

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO Introdução A Rede Universitária de Telemedicina (Rute) é uma iniciativa que visa, no Brasil, promover a integração em telemedicina e telessaúde de hospitais universitários, hospitais certificados de ensino, faculdades de Medicina e profissionais da área da saúde por meio de infraestrutura de tecnologia da informação e comunicação e dos grupos de interesse especial (SIGs). Nesses grupos, que são criados e coordenados por instituições integrantes da Rute, profissionais de saúde e pesquisadores planejam uma agenda de videoconferências e/ou webconferências para debater temas específicos. Este artigo apresenta resultados da classificação dos SIGs da Rute em grupos homogêneos com base em sua produção em comunicação, cooperação e coordenação (3C). Métodos Foi realizado um inquérito com coordenadores dos SIGs entre abril e maio de 2016. A classificação dos SIGs em grupos homogêneos considerou as atividades desenvolvidas na rede entre 2007 e o momento da aplicação do inquérito. O estudo é retrospectivo, baseado em dados históricos das unidades, instituições e SIGs. Os coordenadores de 71 SIGs Rute foram convidados a responder. Desses, 45 SIGs ativos responderam ao inquérito de avaliação por completo e foram considerados nas análises. Resultados Quase um terço dos coordenadores respondentes (35%) declarou que seus SIGs atuam no eixo ensino, 21% atuam nos eixos de assistência e pesquisa, desenvolvimento e inovação, enquanto 12% atuam em gestão e 11% em avaliação. Foi feita a classificação dos SIGs em três grupos homogêneos – colaboração emergente, colaboração em desenvolvimento e colaboração plena – e identificado que, fora das sessões, 71% dos 45 SIGs (11 do grupo colaboração emergente e 20 do grupo em desenvolvimento) usam correio eletrônico como principal ferramenta de comunicação. Quatro SIGs do grupo colaboração plena indicaram: uso de serviço de mensagens instantâneas (1 SIG), site próprio (1 SIG) e redes sociais (2 SIGs). Conclusão Os resultados deste estudo podem não aferir com precisão a real produção e colaboração que os SIGs desenvolvem. Sugere-se, portanto, apreciar esta análise como um ponto de partida ou um referencial para a comunidade Rute. Porém, os resultados indicam que o desenvolvimento da colaboração na Rute e nos SIGs verificado nas análises é significativo, apontando uma evolução positiva para a Rute quanto ao interesse, participação e divulgação de ações em telemedicina e telessaúde no País.

    Abstract in English:

    ABSTRACT Introduction The Telemedicine University Network (RUTE) in Brazil is an initiative that promotes collaboration between university hospitals, teaching hospitals, health professionals, and students using information and communication technology infrastructure to support special interest groups (SIGs) in health care. Health professionals in RUTE-member institutions plan a program of video conferences and/or web conferences to discuss specific themes. This article presents the results of an analysis of the collaboration between the Special Interest Groups (SIGs) of the Telemedicine University Network (RUTE) considering the SIGs production in communication, cooperation and coordination (3C). Methods A survey was applied to SIG coordinators between April and May 2016. The classification of SIGs into homogeneous groups considered the activities developed in the network between 2007 and the time of the survey application. The study is retrospectively based on historical data from units, institutions and SIGs. The coordinators of 71 RUTE SIGs were invited to respond. Of those, forty-five active SIGs responded to the evaluation survey in its entirety and were considered in the analyses. Results Almost one third of the respondent coordinators (35%) stated that their SIG works in the education axis, 21% work in the care and research, development and innovation axes, while 12% work in management and 11% in evaluation. The SIGs were grouped into three homogeneous categories: emergent collaboration, collaborative development, and full collaboration, and it was identified that 71% of the 45 SIGs (11 in the emerging and 20 developing groups) use email as the main extra-session communication tool. Four SIGs from the full collaboration group reported: use of instant messaging service (1 SIG), own website (1 SIG) and social networks (2 SIGs). Conclusion The results of this study suggests may not accurately gauge the actual production and collaboration that SIGs develop and this analysis can be considered as a starting point or as a reference for the RUTE community. However, the results suggest significant growth in collaboration between RUTE-member SIGs, indicating a positive trend for the RUTE regarding the interest, participation and dissemination of actions in telemedicine and telehealth in the country.
  • An investigation into Familiar Dysfunctions among Medical Students Artigo Original

    Motta, Isabelle Christine de Moraes; Soares, Rita de Cássia Menezes; Belmonte, Terezinha de Souza Agra

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO Introdução As Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Medicina (2014) determinam como perfil do egresso médico uma identidade generalista, humanista, crítica, reflexiva e multicultural. Isto exige habilidades biopsicomotoras qualificadas (competências de cuidar, curar e reabilitar pessoas e suas famílias). Os núcleos psicopedagógicos nacionais encontram no atendimento desses estudantes conflitos pessoais, pedagógicos e familiares traduzidos em transtornos mentais. As disfunções familiares estarão relacionadas ao aumento dessa prevalência na graduação médica (socialização secundária)? Uma socialização primária insatisfatória contribuiria para o adoecer no processo do adultecer? Objetivos Verificar o perfil sociodemográfico, psiquiátrico e familiar de estudantes de Medicina numa instituição federal do Estado do Rio de Janeiro, Brasil. Métodos A pesquisa foi um estudo quali-quantitativo, com intervenção observacional, exploratória, transversal, descritiva e inferencial. A coleta de dados foi feita por meio de dois instrumentos: (1) um questionário construído para esta pesquisa, autoaplicável, com variáveis sociopsicodemográficas e categorias familiares disfuncionais descritas na literatura; (2) o Mini International Neuropsychiatric Interview (Mini), versão 5.0.0, compatível com os critérios do DSM-IV e validado por Patrícia Amorim/2000. Os dados foram colhidos após consentimento livre e esclarecido (TCLE) e organizados em banco de dados, no Excel. A análise foi feita com o software estatístico R. As variáveis quantitativas foram analisadas por desvio padrão, média, mediana e moda. As variáveis qualitativas tiveram análises de frequência. Foram realizados testes estatísticos: exato de Fisher, Wilcoxon bilateral, Qui-Quadrado e Shapiro-Wilk, de acordo com as variáveis e objetivos da análise. A pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética e Pesquisa. CAAE: 67590317.5.0000.5258, em 25/07/2017. Resultados Foram avaliados 129 alunos, com 18 a 32 anos de idade, do primeiro ao 12º período da graduação, 49% do sexo feminino e 51% do sexo masculino. Prevalência de transtorno de ansiedade generalizada: 39,53%; de depressão (atual ou recorrente): 32,56%; e risco de suicídio: 28,68%. A depressão possuiu forte correlação com história familiar de transtorno psiquiátrico (p-valor: 7.639e-08) e com o relacionamento dos pais. Ela esteve presente naqueles com pais divorciados, viúvos ou sem relacionamento (p-valor: 0.008291). O risco de suicídio foi maior entre acadêmicos do ciclo básico, do primeiro ao quarto período da graduação (p-valor: 0,01), e possuía forte correlação com ter sofrido ou sofrer bullying (p-valor: 0,02), ter uma religião (p-valor: 0,006), e depressão (p-valor: 0,03) ou transtorno de pânico (p-valor: 4.903e-05). Houve correlação entre depressão (p-valor: 1.248 e-09) e risco de suicídio (p valor: 0.0009) nos que tinham problemas de comunicação na família. Transtorno de pânico foi observado em 17,05% dos entrevistados, sexo feminino (p-valor: 0.00583). Isto decorre do relacionamento dos pais. Os alunos com pais casados foram os mais afetados (p-valor: 0.01284) Conclusões: Os dados colhidos demonstraram correlações entre disfunções familiares e transtornos psiquiátricos, como depressão, risco de suicídio, transtorno de pânico e transtorno de ansiedade generalizada. Existe a necessidade de um ambiente de ensino-aprendizagem com espaços e cenários e educadores médicos que identifiquem precocemente o sofrimento psíquico na socialização secundária do futuro médico.

    Abstract in English:

    ABSTRACT Introduction The National Curricular Guidelines for Undergraduate Medicine Courses (2014) determine the profile of medical graduates as having a generalist, humanistic, critical, reflective and multicultural identity. This requires qualified biopsychomotor skills (skills of caring, healing and rehabilitating people and their families). The national psycho-pedagogical support centres find in these students personal, pedagogical and family conflicts translated into mental disorders. Will family dysfunctions be related to increased prevalence among medical undergraduate students (secondary socialization)? Would unsatisfactory primary socialization contribute to becoming ill in the ageing process? Objectives To verify the socio-demographic, psychiatric and family profile of medical students in a federal institution in the state of Rio de Janeiro, Brazil. Methods The research was a qualitative-quantitative study, involving an observational intervention, and of an exploratory, transversal, descriptive and inferential nature. Data collection was performed through two strategies: (1) a self-administered questionnaire built for this research, with socio-psycho-demographic variables and dysfunctional family categories described in the literature. (2) the Mini International Neuropsychiatric Interview (Mini), 5.0.0 version, compatible with the DSM-IV criteria; Validated by Patrícia Amorim/2000. Data were collected after an Informed Consent Form (ICF) was signed and a database was created in Excel. The analysis was performed with the statistical software R. Quantitative variables were analysed by standard deviation, mean, median and mode. The qualitative variables underwent frequency analyses. Statistical tests were performed by Fisher exact test, bilateral Wilcoxon, chi-Square and Shapiro-Wilk, according to the variables and objectives of the analysis. The research was approved by the Ethics and Research Committee under number CAAE: 67590317.5.0000.5258, on 25/07/2017. Results 129 students were evaluated, aged 18 to 32 years, ranging from the 1st to 12th semester of the undergraduate course, 49% were female and 51% male. The prevalence of generalized anxiety disorder was 39.53%; depression (current or recurrent), 32.56% and suicide risk, 28.68%. Depression had a strong correlation with a family history of psychiatric disorder (p-value: 7.639 e-08) and the parents’ relationship. It was present in those with divorced parents, widowed or without a relationship (P value: 0.008291). The risk of suicide was higher among students of the basic cycle, 1st to 4th semester of the course (p-value: 0.01), that had a strong correlation with suffering or still suffer bullying (p-value: 0.02), having a religion (p-value: 0.006), and depression (p-value: 0.03) or panic disorder (p-value: 4.903 e-05). There was a correlation between depression (p-value: 1.248 and-09) and suicide risk (p-value: 0.0009) in those who had communication problems in the family. Panic disorder was observed in 17.05% of the interviewees, females (p-value: 0.00583). This stems from the parents’ relationship. Students with married parents were the most affected. (p-value: 0.01284) Conclusions: The collected data showed correlations between family dysfunctions and psychiatric disorders such as depression, suicide risk, panic disorder, and generalized anxiety disorder. There is a need for a teaching/learning environment, including adequate spaces and scenarios, and also medical educators who can, at an early stage, identify psychological distress in the secondary socialization of the future physician.
  • Films as an Educational Resource in the Teaching of Humanistic Attitudes to Medicine Students Original Article

    Picanço, Thaíla Soares da Costa; Nazima, Maira Tiyomi Sacata Tongu; Santos, Braulio Erison França dos; Picanço Júnior, Olavo Magalhães; Cambraia, Maria Izabel de Albuquerque; Morais, Leila do Socorro da Silva; Pena, Luis Felipe da Silva; Costa, Karina Suzany Nery

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO Introdução A educação médica contemporânea prioriza o desenvolvimento de conhecimento científico e habilidades técnicas, associados a atitudes profissionais. Atitudes são componentes da habilidade afetiva e influenciam a prática médica, por isso devem ser ensinadas sistematicamente durante a graduação. A utilização de filmes como recurso pedagógico na graduação médica possibilita uma reflexão no contexto biopsicossocial em que o paciente está inserido, contribuindo para desenvolver atitudes humanísticas entre estudantes de Medicina e futuros médicos. Objetivo Avaliar a eficácia do cinema como recurso educacional no ensino de atitudes humanísticas aos discentes do curso de Medicina. Material e Métodos Foi realizado um estudo transversal, exploratório, quantitativo, com 107 estudantes do primeiro ao sexto ano do curso de Medicina da Universidade Federal do Amapá. Foi utilizada a Escala de Atitude de Estudantes de Medicina (validada por Colares et al.1 ) antes e depois da exibição de filmes relacionados a temáticas relevantes na área médica. Esta escala psicométrica é composta de respostas de múltipla escolha do tipo Likert e visa aferir atitudes de estudantes de Medicina em relação aos seguintes fatores: assistência primária à saúde; aspectos psicológicos e emocionais envolvidos nas doenças; aspectos éticos no exercício profissional; doença mental, situações relacionadas à morte; pesquisa científica. Foi empregado o Teste de Wilcoxon (Wilcoxon Rank Test) para comparar dados de amostras pareadas. Resultados Todos os fatores avaliados pela escala de atitudes dos estudantes de Medicina frente a aspectos relevantes da prática médica apresentaram aumento significativo na frequência de atitudes positivas (p < 0,05) após as sessões de cinema entre os alunos do primeiro ao quarto ano da graduação. Os alunos do quinto e sexto ano não apresentaram mudança significativa de atitudes nos fatores relacionados à morte, à doença mental e à contribuição com o avanço científico da medicina. Conclusão O cinema é uma ferramenta pedagógica eficaz no ensino de atitudes humanísticas a estudantes do curso médico.

    Abstract in English:

    ABSTRACT Introduction Contemporary medical education prioritizes the development of scientific knowledge and technical skills, associated with professional attitudes. Attitudes are components of affective ability and influence medical practice, so they should be taught systematically during undergraduate training. The use of films as a pedagogical resource in medical training allows reflection on the biopsychosocial context in which the patient is inserted, contributing to the development of humanistic attitudes among students and future physicians. Objective To evaluate the effectiveness of cinema as an educational resource in teaching humanistic attitudes to medical students. Material and Methods A cross-sectional, quasi-experimental, qualitative and quantitative study was carried out with 107 students from the first to sixth year of the medical course of the Federal University of Amapá. The Medical Students Attitude Scale (validated by the author Maria de Fátima Colares, 2002) was used before and after the exhibition of films related to relevant themes in the medical area. This psychometric scale is composed of multiple-choice Likert-type responses and aims to assess the attitudes of medical students regarding the following factors: primary health care; psychological and emotional aspects involved in diseases; ethical aspects in professional practice; mental illness, death-related situations; scientific research. The Wilcoxon Rank Test was used to compare data from paired samples. Results All the factors evaluated by the medical students attitudes scale related to relevant aspects of medical practice showed a significant increase in the frequency of positive attitudes (p < 0.05) among the first- to fourth-year students following the cinema sessions. The fifth- and sixth-year students did not present significant changes in attitudes related to death, mental illness and contribution to the scientific advancement of medicine. Conclusion Cinema is an effective pedagogical tool in teaching humanistic attitudes in the preclinical series of the medical course.
  • Cultural Competence: an Answer Required to Overcome Barriers to Health Care Access for Minoritized Populations Artigo Original

    Gouveia, Eneline A. H.; Silva, Rodrigo de Oliveira; Pessoa, Bruno Henrique Soares

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO O reconhecimento das características culturais dos grupos sociais e de suas diferentes necessidades e concepções do processo saúde-doença, segundo Starfield, é um importante atributo derivado da atenção primária: a competência cultural. Por meio desse atributo, é possível desenvolver laços fortes com as pessoas e famílias alvo dos cuidados em saúde, obtendo-se maior satisfação, diagnósticos mais precisos e maior adesão ao tratamento. Mesmo num país como o Brasil, que ainda oferece um sistema de saúde universal e gratuito, populações minorizadas – por etnia, identidade de gênero, orientação sexual ou condição socioeconômica – enfrentam barreiras de acesso a esses serviços e apresentam piores indicadores de saúde. Tanto o profissional de saúde, quanto o usuário podem pertencer a vários grupos culturais simultaneamente, de acordo com sua identidade de gênero, idade, etnia, região, religião, orientação sexual, profissão ou papel que desempenha na família, classe social, bem como de outras características, e manifestar-se de maneiras culturalmente distintas em diferentes situações. É importante que o médico de família e comunidade reconheça que possui um conjunto de premissas e valores fundamentais que influenciam seu comportamento e sua interpretação do que é dito pelo outro. Devido a essa complexidade, esses aspectos devem ser considerados na discussão do processo saúde-doença e da construção de um plano de cuidados compartilhado. Este ensaio discute o desenvolvimento da competência cultural como uma resposta às barreiras de acesso à saúde para populações minorizadas no contexto da medicina de família e comunidade, com base na literatura. Foi realizada uma revisão exploratória do tema, que também identificou objetivos de aprendizagem e estratégias de ensinagem que podem ser incorporadas aos programas de residência em medicina de família e comunidade, visando colaborar com a sistematização do ensino desta competência, respeitando-se as especificidades regionais. Ele ainda aponta a necessidade de mudanças institucionais para incentivar e valorizar a prática da competência cultural, com disponibilização de tempo e infraestrutura para o desenvolvimento dessa competência pelos profissionais da atenção primária.

    Abstract in English:

    ABSTRACT The recognition of cultural characteristics of social groups, as well as their different needs and conceptions of the health-disease process is, according to Starfield, one of the important attributes derived from primary care: cultural competence. Through this attribute it is possible to develop strong bonds with the people and families who are the target of health care, resulting in greater satisfaction, more accurate diagnoses and greater adherence to treatment. Even in a country like Brazil, which still offers a free universal health system, minoritized populations – whether by ethnicity, gender identity, sexual orientation or socioeconomic status – face barriers to access these services and report poorer health indicators. Both the health professional and the user can belong to several cultural groups simultaneously, according to their gender, age, ethnicity, regionality, religion, sexual orientation, profession, role in the family, social class, as well as other characteristics and manifest in culturally distinct ways in different situations. It is important for the family physician to recognize the set of fundamental assumptions and values which influence their behavior and their interpretation of what is said by the other. Due to this complexity, these aspects should be considered in the discussion of the health-disease process and the construction of a shared care plan. This essay aims to discuss the development of cultural competence as a response to barriers health care access for minorities in the context of family and community medicine. An exploratory review of the literature was carried out, which also identified learning objectives and teaching strategies that can be incorporated into family and community medicine residency programs, aiming to collaborate with the systematization of teaching of this competence, respecting regional specificities. It also points out the need for institutional changes so that there is encouragement and appreciation of the practice of cultural competence, with the provision of time and infrastructure for the development of this competence by primary care professionals.
  • Evaluation of the Student’s Preliminary Request for Assistance to the School of Medicine Psychopedagogical Student Support Center (NAPEM) of the Federal University of Minas Gerais Artigo Original

    Ribeiro, Maria Mônica Freitas; Melo, Jordan Diego Costa; Rocha, Andreia Maria Camargos

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO O sofrimento psíquico do estudante universitário, particularmente do estudante de Medicina, é conhecido e tem sido motivo de preocupação. O Núcleo de Apoio Psicopedagógico ao Estudante da Faculdade de Medicina (Napem) da Universidade Federal de Minas Gerais tem como função acolher o estudante que demanda ajuda espontaneamente. O objetivo deste trabalho foi analisar os motivos da busca por atendimento descritos pelos próprios estudantes ao preencherem a ficha de inscrição no Napem. Foram catalogadas 273 fichas, que representam o total de inscrições de novos estudantes em dois anos da última década. Para preservar a identidade dos estudantes, os anos analisados não foram identificados. Desse grupo, 235 eram estudantes de Medicina, 28 de Fonoaudiologia, 4 do curso superior de Tecnologia em Radiologia e 6 eram estudantes de outros cursos. A metodologia utilizada para análise dos dados foi qualitativa, com análise de conteúdo, e o teste do qui-quadrado foi empregado para a comparação de frequências. Os motivos descritos pelos estudantes foram alocados em cinco categorias estabelecidas pelos pesquisadores – distúrbios do humor, problemas pessoais, características de personalidade, questões acadêmicas e outros. Os resultados mostraram que os distúrbios do humor foram os mais frequentemente relatados (44,3%), seguidos por características de personalidade (26,4%) e por problemas pessoais (13,9%). As questões acadêmicas foram as que apresentaram menor frequência (5,5%). O desejo de morrer foi descrito por 17 (6,2%) estudantes. Quando os estudantes de Medicina foram comparados aos dos demais cursos, não foi observada diferença estatisticamente significativa entre as categorias (p = 0,21), sendo também observado o predomínio de motivos alocados na categoria distúrbios do humor (41,7%). Entretanto, quando considerados separadamente os dois períodos analisados, a frequência de distúrbios do humor nos alunos do curso de Medicina foi significativamente maior (p = 0,0005) entre os inscritos no segundo ano, comparados aos inscritos no primeiro ano do estudo. Deve ser ressaltado, ainda, que quase 50% do total de estudantes que se inscreveu no segundo ano analisado neste estudo cursavam os períodos iniciais, resultado significativamente maior (p = 0,002) quando comparado ao dos inscritos no primeiro ano do estudo. Embora reconhecendo as limitações referentes à análise da demanda preliminar de atendimento formulada pelo aluno ao procurar ajuda, particularmente quando expressa de forma escrita, acredita-se que os resultados deste estudo possam contribuir para a organização dos serviços de apoio psíquico e servir de alerta para essa questão. Pela magnitude do problema, fica evidente a necessidade da existência de espaços de acolhimento para os estudantes e de atuação precoce no início do curso, com atividades que possam recebê-los e escutá-los quando do ingresso na faculdade, como, por exemplo, os programas de tutoria.

    Abstract in English:

    ABSTRACT The psychological distress experienced by university students, particularly medical students, is well-known and has long been a cause for concern. In the School of Medicine of the Universidade Federal de Minas Gerais, the School of Medicine Psychopedagogical Student Support Center (Núcleo de Apoio Psicopedagógico ao Estudante da Faculdade de Medicina - NAPEM) provides care to students who spontaneously seek help. The purpose of this study was to analyze the reasons described when completing the Napem application form by students for their seeking the assistance. A total of 273 students enrolled in the two years studied, which were both in the last decade. To preserve the identity of the students, the years analyzed were not identified. Of this group, 235 were medical students, 28 students of Speech Therapy, four undergraduate students of Technology in Radiology and six were students of other courses. The methodology used for data analysis was qualitative, with content analysis and the frequency comparison was performed using the chi-square test. The reasons to seek care written by the students in the application form were placed in five categories established by the researchers – “mood disorders,” “personal problems,” “personality traits,” “academic issues” and others. The results showed that “mood disorders” were the most frequently reported (44.3%), followed by “personality traits” (26.4%) and “personal problems” (13.9%). The “academic questions” presented the lowest frequency (5.5%). The desire to die was described by 17 (6.2%) students. When the medical students were compared to the students of the other courses, there was no statistically significant difference among the frequencies of the five categories (p = 0.21) with motives allocated in the category “mood disorders” (41.7%) being predominantly observed. However, when considering two studied periods separately, the frequency of the category “mood disorders” for medical students was significantly higher (p = 0.0005) in the second year than in the first year of study. It should be emphasized that almost 50% of the students enrolled in the second year analyzed attended the centre for first two years, a significantly higher result (p = 0.002) when compared to those enrolled in the first year of the study. Even recognizing the limitations regarding the analysis of the student’s preliminary demand for care when seeking help, particularly when expressed in written form, it is believed that the results of this study can contribute to the organization of psychological support services. Due to the magnitude of the problem, there is a clear need to have welcome spaces for the students with activities that can receive them and listen to them when they enter college, such as mentoring programs.
  • Alcohol use by Medical Students according to Course and Medical School Characteristics: a Literature Review Artigo Original

    Nascimento, Maria Isabel do; Costa, Juliana dos Santos; Pereira, Marcos André; Kiepper, Meika Santana; Keher, Natália Braga; Moraes, Roberta Fernandes Silva e

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO Introdução O álcool é fator de risco para várias condições de saúde e responde por mais de 3 milhões de óbitos por ano no mundo. A substância contribui para o desenvolvimento de doenças crônicas, como as cardiovasculares e o câncer, e para condições agudas relacionadas ao efeito direto sobre o sistema nervoso central. Apesar disso, seu uso constituí prática comum entre estudantes, particularmente entre os alunos de Medicina. Os objetivos do presente estudo foram: (i) fazer uma revisão de literatura para identificar estudos de prevalência de uso de álcool entre estudantes de Medicina de escolas brasileiras; (ii) analisar as estimativas de prevalência de uso de álcool segundo características dos cursos e das escolas médicas. Método Trata-se de revisão da literatura efetuada para resgatar publicações nas bases bibliográficas (i) Literatura Latino-Americana em Ciências de Saúde (Lilacs), utilizando a combinação de descritores de saúde [(estudantes de medicina AND álcool)], e (ii) US National Library of Medicine of National Institute of Health (Medline/Pubmed), usando a combinação de descritores de saúde [(medical students AND alcohol AND Brazil)]. Os padrões de uso de álcool nos últimos sete dias (7D), 30 dias (30D) e último ano (ANO) foram analisados pela visualização de gráficos de ações e de dispersão, bem como pela verificação de correlação. Resultados Foram incluídos 14 estudos, dos quais oito foram desenvolvidos na Região Sudeste. A maior parte das instituições envolvidas tinha administração pública (n = 8) e estava localizada em capitais (n = 8). A prevalência de uso de álcool nos últimos sete dias variou de 23,0% a 46,5%; nos últimos 30 dias, variou de 20,2% a 87,6%; e no último ano, variou de 79,3% a 92,9%. A correlação da prevalência com a carga horária do curso e com o tempo de existência da escola mostrou intensidade fraca nos três padrões de uso analisados. No padrão de uso de sete dias, a direção da correlação foi negativa nas duas características (carga horária do curso e tempo de existência da escola). Nos últimos 30 dias, a direção da correlação foi negativa com a carga horária e positiva com o tempo de existência da escola. No último ano, a direção da correlação foi positiva com a carga horária e negativa com o tempo de existência da escola. Conclusões O uso de álcool é tema recorrente na literatura científica no Brasil, e as prevalências de uso nos últimos sete dias, 30 dias e último ano são altas entre estudantes de Medicina. A influência das características de escolas médicas e de cursos de Medicina sobre o uso de substâncias psicoativas carece de mais atenção da comunidade científica, sendo notória a necessidade do envolvimento das instituições de ensino superior no controle do problema do álcool no Brasil.

    Abstract in English:

    ABSTRACT Introduction Alcohol is a risk factor for several health conditions and accounts for more than three million deaths per year worldwide. The substance contributes to the development of chronic diseases such as cardiovascular and cancer, as well as for acute conditions related to direct effects on the central nervous system. Despite this, its use is common practice among university students, including medical students. Objectives The objectives were (i) to develop a literature review to identify studies into the prevalence of alcohol use among students at Brazilian medical schools; and (ii) to analyze the estimates of prevalence according to medical course and school characteristics. Method Literature review developed to search publications in the (i) Latin American and Caribbean Center in Health Sciences Information (Lilacs) database, using the word combination [(estudantes de medicina AND álcool)] and in the US National Library of Medicine of National Institute of Health (Medline/Pubmed) database, using the word combination [(medical students AND alcohol AND Brazil)]. Alcohol use patterns in the past seven days, past thirty days, and past year were analyzed by plotting and visualization of point estimates and confidence intervals, as well as correlations. Results Fourteen studies were included in this review. Eight of them were developed in the southeast region. Most institutions were under public administration (n = 8), and were in state capitals (n = 8). The prevalence of alcohol use in the past seven days ranged from 23.0% to 46.5%, in the past thirty days ranged from 20.2% to 87.6%, and in the past year ranged from 79.3% to 92.9%. The correlations between prevalence and workload, and between prevalence and age of school showed a weak intensity on the three use patterns analyzed. The correlation directions followed diversified patterns. In the past seven days, the correlation directions were negative both with workload and age of the school. In the past thirty days, the correlation direction was negative with the workload, and positive with the age of the school. In the past year, the correlation direction was positive with workload, and negative with the age of the school. Conclusions Alcohol use is a recurring theme in Brazilian scientific literature and the estimates of prevalence of its use in the past seven days, in the past thirty days and in the past year are high among medical students. The influence of medical school and the medical course characteristics on the use of psychoactive substances requires more attention from the scientific community, and the involvement of the higher education institutions in controlling the alcohol problem in Brazil is fundamental.
  • “I’ve Never Been Told about That!”: the Teaching of Sexualities from the Perspective of Undergraduates at a Federal Medical School Artigo Original

    Val, Alexandre Costa; Mesquita, Leonardo Mendes; Rocha, Vinícius de Abreu; Cano-Prais, Hugo Alejandro; Ribeiro, Gustavo Meirelles

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO Estudantes e profissionais de saúde se mostram embaraçados ao se depararem com questões relativas às sexualidades de seus pacientes. Diante disso, não é incomum o estabelecimento de uma relação superficial, erros no diagnóstico e a impossibilidade de condução do tratamento. Pesquisas indicam que essa dificuldade decorre de uma formação inadequada dos profissionais, especialmente no que diz respeito ao cuidado de grupos vulneráveis, cujas experiências extrapolam os marcos heteronormativos hegemônicos que delimitam o campo sexual. No Brasil, poucos estudos buscaram compreender como esse assunto é tratado no ensino médico. Esta investigação se debruçou sobre essa questão e teve como objetivo conhecer, na perspectiva de estudantes de uma escola federal de Medicina, como os aspectos relacionados às sexualidades e aos gêneros são abordados em suas graduações. Trata-se de uma pesquisa qualitativa em que foram realizadas entrevistas semiestruturadas com 15 estudantes do último ano do curso. As falas foram gravadas, transcritas e examinadas por meio da análise de conteúdo. O diálogo entre as categorias empíricas que se sedimentaram ao longo da investigação e a literatura revelaram dificuldades dos alunos em lidar com um tema que não pode ser completamente apreendido por um saber técnico e operacional. A ideia de que não se fala sobre o assunto no curso de Medicina contribui para velar o fato de que se fala (e se fala muito) sobre tais questões. A abordagem, no entanto, se dá por um viés organicista, que contribui para a manutenção da crença em categorias binárias, naturalizadas e essencializadas, que reforçam as normas que regulam o campo da sexualidade. Apostando no protagonismo de todos aqueles envolvidos no ensino médico, discute-se, finalmente, a necessidade de alterações qualitativas no currículo que possibilitem a construção de novas formas de conhecimento e de atuação. Formas que, valorizando experiências, saberes e práticas pedagógicas diversas, possam romper com as dicotomias e com as hierarquias hegemônicas, transformando positivamente a realidade social.

    Abstract in English:

    ABSTRACT Health undergraduates and professionals feel embarrassment when facing issues concerning the sexuality of their patients. As a result, it is not uncommon to see the establishment of a superficial relationship, errors in diagnoses and the impossibility of giving treatment. Studies show that this difficulty is due to inadequate education of these professionals, especially regarding vulnerable groups whose experiences lie beyond the hegemonic heteronormativity which delimits the sexual field. In Brazil, there is limited research which aims to comprehend how this subject has been tackled in medical school. This investigation examined this issue and its main objective was to understand, from the perspectives of undergraduates at a federal medical school, how aspects regarding sexuality and gender are approached in the course. This is a qualitative research involving semi-structured interviews conducted with fifteen students in their final year of the course. The interviews were recorded, transcribed and examined based on content analysis. The subjects of the formal curriculum were also been analyzed, separating the titles of the classes which involved exclusively biological aspects from those which involved psychosocial aspects. Each one of these groups has been considered in relation to the total of content of the curriculum in order to assist us with the analysis of the interviews. The dialogue between the empirical categories and the bibliography shows the difficulty undergraduates feel in dealing with a theme that cannot be completely apprehended by technical and operational knowledge. The idea that the theme is not discussed in medical school contributes to hiding the fact that such a topic is, in reality, widely discussed. However, the approach used is organicist, contributing to the maintenance of binary, naturalized, essentialist categories which reinforce the norms that regulate the field of sexuality. Advocating the pivotal role that all individuals involved in medical education play, we finally discuss the need for qualitative changes in the curriculum which would enable us to build new forms of knowledge and performance. By valuing experiences, expertise and diverse pedagogical practices, these new forms can rupture the hegemonic dichotomies and hierarchies in order to positively transform social reality.
  • Interface between the Medical Residency, Demand for Medical Specialists and the Labor Market Artigo Original

    Silva, Luiz Otávio da; Melo, Isabela Borges de; Teixeira, Luciana de Almeida Silva

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO A formação de médicos especialistas no Brasil vem sofrendo uma série de interferências ao longo do tempo, entre as quais a recomendação de pautar a oferta/ampliação de vagas de residência médica em necessidades regionais. Para direcionar a ampliação de vagas de residência de determinada região, foi realizado um diagnóstico da realidade local de atendimento especializado. Para isso, neste estudo, avaliou-se ao longo de cinco anos: a demanda de consultas por médicos especialistas na rede municipal de saúde, a quantidade de vagas de residência ofertadas nas universidades do município e sua ocupação conforme especialidade, e o número de médicos especialistas atuantes no setor público e privado. Constatou-se que existe grande demanda por consultas de médicos especialistas sem acolhimento pela rede pública de saúde. As especialidades com maior número de encaminhamentos não atendidos foram Oftalmologia, Neurologia, Endocrinologia, Cardiologia, Cirurgia Vascular e Gastroenterologia. Em paralelo, a oferta de vagas de residência foi relevante para o número de egressos locais. No entanto, constatou-se manutenção de vagas ociosas em todos os anos avaliados, especialmente para residência de Medicina de Família e Comunidade. Por fim, o número de médicos especialistas atuantes no setor privado foi muito superior ao dos atuantes no setor público, inclusive para as especialidades com maior carência de atendimento na rede pública. Mesmo com a mobilidade que caracteriza a formação médica complementar por meio da residência, as necessidades locais poderiam influenciar a fixação dos médicos especialistas. Cabe uma discussão sobre os parâmetros norteadores da oferta/ampliação de vagas de residência médica, ao se considerar inclusive que o reduzido número de especialistas em Medicina da Família e Comunidade atuante na rede pode interferir no aumento de encaminhamento a outras especialidades. Assim, a identificação das demandas em saúde é insuficiente para nortear a oferta de vagas de residência, em especial ao se considerar a formação do médico especialista frente ao mercado de trabalho.

    Abstract in English:

    ABSTRACT The training of medical specialists in Brazil has suffered a series of interferences over time, including the recommendation that the offer/expansion of medical residency be based on regional needs. With a view to directing the expansion of residency vacancies in a given region, a diagnosis of the local reality of specialized care was proposed. To that end, this study was evaluated over five years: the demand for consultations by specialists in the municipal health network, the number of vacancies offered in the universities of the municipality and their occupation according to specialty, and the number of practicing medical specialists in the public and private sector. It was verified that there is a great demand for specialist consultations not met by the public health network. Ophthalmology, Neurology and Endocrinology were the specialties with the highest number of unattended referrals. In parallel, the offer of residency places was relevant to the number of local graduates; however, it was observed that vacancies remained idle in all evaluated years, especially for Family and Community Medicine residency. Finally, the number of specialist physicians working in the private sector was much higher than the number of those working in the public sector, including those with the greatest deficiency in public health care. Even with the mobility that characterizes the complementary medical training through residency, local necessities could influence the placement of the specialist physician. The discussion about the parameters of the offer/expansion of medical residency vacancies is considered, bearing in mind that the reduced number of specialists in Family and Community Medicine working in the network can interfere in the increased referrals to other specialties. Thus, the identification of health demands is insufficient to guide the expansion of residency vacancies, especially considering the training of the specialist physician in relation to the labor market.
  • Attitudes and Knowledge of Senior Medical Students regarding Clinical Nutrition Artigo Original

    Barros, Mayana Batista; Rodrigues, Brenda Diniz; Porto, Lara Khaled; Ferreira, Ilma Pastana; Botelho, Nara Macedo

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO Resultados O cuidado nutricional é considerado importante por estudantes de Medicina, médicos e educadores médicos em todo o mundo. É inegável o papel da nutrição na prevenção e tratamento das principais causas de doenças não comunicantes no mundo atual. Assim, o ensino de conhecimentos em nutrição clínica torna-se parte essencial do currículo médico. Embora a prática de nutrição clínica no Brasil, como em muitos países, seja responsabilidade dos médicos, a formação curricular desses médicos é rara. Portanto, o presente trabalho tem como objetivo analisar atitudes e conhecimentos de estudantes de Medicina sobre o ensino de nutrição clínica numa escola médica. Trata-se de um estudo exploratório, analítico, com abordagem quantitativa. A pesquisa foi realizada numa instituição de ensino superior privada de Belém (PA), no período de maio a junho de 2018. Foi elaborado um questionário para a pesquisa, uma adaptação de protocolos utilizados em trabalhos anteriores com questões sobre atitudes e conhecimentos em nutrição clínica. Participaram os alunos que cursavam o 11 o e 12 o semestre (último ano) da graduação em Medicina. A pesquisa seguiu as normas que regulamentam pesquisas que envolvem seres humanos, contidas na Resolução nº 466/12 CNS/Conep. A análise estatística utilizou o programa Bioestat ® . Dos 92 alunos que receberam o questionário, 87 completaram a pesquisa. A maioria deles (94,3%) demonstrou atitude positiva sobre nutrição clínica na prática clínica e concordou com frases como “orientação nutricional deve fazer parte do cuidado de rotina de todos os médicos”. Quanto à avaliação de conhecimentos, a média de acertos foi de 61,3% das questões, com melhor desempenho em áreas como doenças cardiovasculares, gastrointestinais, endocrinologia, obesidade e metabolismo de vitaminas. Por outro lado, foram identificadas lacunas de conhecimentos em temas como nutrição no paciente cirúrgico, nefrologia e ginecologia/obstetrícia. Não foi observada correlação significante entre a atitude positiva dos estudantes e seus conhecimentos em nutrição clínica. Conclui-se que, apesar de apresentarem atitudes positivas sobre nutrição na prática clínica, os estudantes de Medicina no último ano da graduação têm dificuldades sobre os conhecimentos necessários para fornecer tais orientações nutricionais.

    Abstract in English:

    ABSTRACT Results Although clinical nutrition plays a major role in the prevention and treatment of many leading causes of cardiovascular mortality around the world, a large proportion of medical students do not feel properly prepared to give nutritional advice to their patients. The teaching of nutrition in medical school has therefore become imperative. Although the practice of clinical nutrition in Brazil, as in many other countries, is the responsibility of physicians, adequate curricular training at medical school is rare. The main objective of this study, therefore, was to assess the attitudes and knowledge of medical students regarding clinical nutrition. The final sample of this research consisted of 87 students currently in their final year of a private medical school in Belem, surveyed between May and June 2018. Attitudes toward nutrition were measured using previously validated questionnaires. Knowledge was assessed using a multiple-choice quiz adapted from a previous 2008 study conducted by Vetter. This study followed international rules for human research. The statistical analysis was performed using the software Bioestat ® 5.3. Of the 92 participants, 87 (94%) completed the survey. Although 94.3% claimed to have a positive attitude towards nutritional care, students showed ambivalent perspectives concerning the efficacy of physicians in clinical nutrition. 95.3% agreed that it was a physician’s duty to advise high-risk patients about dietary change, yet the average correct score on the knowledge quiz was 61.3%. Knowledge was lacking in the areas of nutrition for surgical patients, nephrology diseases and gynecologic/obstetric patients. There was no correlation between attitudes and knowledge in clinical nutrition. Neither a familiar requesting nutritional care nor the specialty chosen was associated with a difference in knowledge or attitude items. This study concluded that senior medical students perceive nutrition counseling as a priority, but lack the knowledge to provide adequate nutritional education to patients.
  • Assessment of the Curricular Reform of a Medical Course from the Faculty’s Perspective Original Article

    Pavan, Maria Valéria; Senger, Maria Helena; Marques, Waldemar

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO Em 2006, o curso de Medicina da Faculdade de Ciências Médicas e da Saúde da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (FCMS da PUC-SP) reestruturou inteiramente seu currículo e o projeto pedagógico, e passou a utilizar métodos ativos de ensino-aprendizagem, centrados na Aprendizagem Baseada em Problemas. É comum haver certa resistência de parte dos docentes em relação às mudanças em função das possíveis consequências para a sua prática diária. Entretanto, a participação do docente e seu comprometimento diante de propostas de reformas são fundamentais para que elas de fato ocorram e se renovem continuamente. Neste sentido, este estudo teve como objetivo avaliar a visão do docente do curso de Medicina da FCMS da PUC-SP sobre as mudanças desencadeadas pela reforma curricular e o impacto destas mudanças sobre seu próprio trabalho, sobre a qualidade do curso e do médico formado e as sugestões para aperfeiçoar o currículo, dentro da busca contínua por um profissional bem formado e adequado às necessidades da população e do sistema de saúde. Os dados foram obtidos por meio de um questionário semiestruturado, pré-testado, enviado aos docentes em atividade no curso. A segunda parte do questionário, objeto deste artigo, deveria ser respondida pelos docentes que já estivessem em atividade antes da reforma curricular. Dos 178 docentes, 102 responderam ao questionário, e, destes, 73 (71,6%) já exerciam atividades no curso antes da reforma curricular e responderam à segunda parte do questionário. De maneira geral, os docentes têm uma visão positiva sobre as mudanças desencadeadas pela reforma, com ênfase no papel ativo do aluno no processo de ensino-aprendizagem e no crescimento proporcionado ao professor, gerado pelo modelo pedagógico escolhido. Também consideram que houve melhora na qualidade do curso e do médico formado. Embora bem avaliada, a mudança para um modelo interdisciplinar e as deficiências da estrutura física e dos equipamentos disponibilizados para o curso dificultam o trabalho do professor. A dificuldade na avaliação do aluno e a falta de um plano de capacitação permanente do docente aparecem como os principais problemas a serem enfrentados na busca do aperfeiçoamento do curso.

    Abstract in English:

    ABSTRACT In 2006, the medical course of the Faculty of Medical Sciences and Health of PUC-SP (FCMS of PUC-SP) completely restructured its curriculum and pedagogical project and began to use active teaching/learning methods, centered on problem-based learning. There is often some resistance on the part of the teachers in relation to the changes, depending on the consequences for their daily practice. However, the participation of the teachers and their commitment to reform proposals are fundamental for them to occur and to be continually renewed. In this sense, this study had as objective to evaluate the teachers’ view of the FCMS of the PUC-SP medical course on the changes triggered by the curricular reform; the impact of these changes on their own work, on the quality of the course and on the graduate doctor and, the suggestions to improve the curriculum, as part of the ongoing goal to produce well-trained professionals adapted to the needs of the population and to the health care system. The data were obtained through a pre-tested semi-structured questionnaire, sent to the teachers working on the medical course. The second part of the questionnaire, object of this article, was to be answered only by the teachers who were already working before the curricular reform. Of the 178 teachers, 102 answered the questionnaire and, of these, 73 (71.6%) had already worked on the course before the curricular reform and answered the second part of the questionnaire. In general, the teachers have a positive view of the changes triggered by the reform, with emphasis on the active role of the student in the teaching/learning process and the growth provided to the teacher, induced by the pedagogical model chosen. They also consider that there has been an improvement in the quality of the course and the graduate doctor. Although well evaluated, the change to an interdisciplinary model and the deficiencies of the physical structure and equipment made available for the course complicate the work of the teacher. The difficulty in evaluating the student and the lack of a permanent teacher development plan appear as the main problems to be faced in the search for improving the course.
  • Development and Validation of a Mobile Application for the Teaching of Electrocardiogram Original Article

    Lima, Carlos José Mota de; Coelho, Raquel Autran; Medeiros, Melissa Soares; Kubrusly, Marcos; Marçal, Edgar; Peixoto Júnior, Arnaldo Aires

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO Introdução A interpretação do eletrocardiograma (ECG) é fundamental para a identificação de doenças cardiovasculares, que estão entre as principais causas de morte no mundo. A aquisição dessa competência é essencial na formação do médico generalista, e o uso de novas ferramentas de ensino, apoiadas na tecnologia, como o mobile learning, pode facilitar a aquisição desse conhecimento. Objetivos Este estudo teve por objetivo desenvolver e avaliar a usabilidade e a potencialidade para o uso em educação médica de um aplicativo móvel de ensino para interpretação do ECG. Métodos Com a participação de dois professores da área da saúde e um da computação, um analista de sistemas, um programador e um designer gráfico, foi desenvolvido um aplicativo móvel para ensino da interpretação do ECG, utilizando-se a linguagem Java. Para análise de validação foram empregados um questionário de avaliação da usabilidade baseado no System Usability Scale (SUS) e um questionário utilizado para avaliar a adequação de softwares para uso em educação médica, previamente traduzido para o português e aplicado no Brasil. Resultados Foi desenvolvido o aplicativo “ECG Fácil” para uso off-line e de acesso gratuito nas plataformas iOS e Android. Na fase de validação do aplicativo, 109 discentes tiveram acesso livre ao aplicativo móvel durante seis semanas e depois avaliaram a usabilidade por meio de questionário baseado no SUS. As respostas ao questionário mostraram boa confiabilidade, conforme a análise de validação pelo coeficiente alfa de Cronbach (valor: 0,74), e o aplicativo apresentou excelente aceitação, com escore médio de 85,3 na escala SUS. Enquanto isso, 15 docentes avaliaram o aplicativo por meio do questionário utilizado para avaliar a adequação de softwares para uso em educação médica, tendo a maioria concordado com os itens que indicam que ele é adequado ao uso em educação médica. Conclusão O aplicativo “ECG Fácil” foi considerado de boa usabilidade pelos alunos e adequado à finalidade educacional pelos professores. Estudos futuros com esse aplicativo serão necessários para avaliar a aquisição e a retenção de conhecimento sobre a interpretação do ECG pelos alunos.

    Abstract in English:

    ABSTRACT Introduction The interpretation of the electrocardiogram (ECG) is fundamental for the identification of cardiovascular diseases, which are among the main causes of death in the world. The acquisition of this competence is essential in the training of the general practitioner and the use of new teaching tools, based on technology such as the use of mobile learning, can facilitate the acquisition of this knowledge. Objectives The objective of this study was to develop and evaluate the usability and the potentiality for the use in medical education of a mobile teaching application for ECG interpretation. Methods With the participation of two health professors and a computer scientist, a systems analyst, a programmer and a graphic designer, a mobile application was developed to teach ECG interpretation using the Java language. For validation analysis, a usability evaluation questionnaire based on the System Usability Scale (SUS) and a questionnaire used to evaluate the suitability of software for use in medical education, previously translated into Portuguese and applied in Brazil, were used. Results The “ECG Fácil” application was developed for off-line use and free access on iOS and Android platforms. In the validation phase of the application, a total of 109 students had free access to the mobile application for 6 weeks and then evaluated usability through a SUS-based questionnaire. The answers to the questionnaire showed good reliability, according to the validation analysis by Cronbach’s alpha coefficient (value: 0.74), and the application presented an excellent acceptance with a mean score on the SUS scale of 85.3. Meanwhile, fifteen faculty members evaluated the application through the questionnaire used to assess the suitability of software for use in medical education, with most agreeing with items indicating that it is suitable for use in medical education. Conclusion The “ECG Fácil” application was considered to be of good usability by students and suitable for educational purpose by teachers. Future studies with this application will be needed to assess the acquisition and retention of knowledge about ECG interpretation by students.
  • Health Professionals’ Perceptions on the Integration of Medical Students’ Training in Family Health Care Units Original Article

    Parma, Fabiana Arenas Stringari de; Oliveira, Raquel Aparecida; Almeida, Fernando Antônio

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO Introdução O curso de Medicina do Centro Universitário de Votuporanga (UNIFEV), implantado em 2012 em acordo com as Diretrizes Curriculares Nacionais para os Cursos de Graduação em Medicina (DCN) de 2001, insere os discentes nos cenários da atenção primária à saúde (APS) desde o primeiro período do curso até o final do internato, rompendo com o modelo tradicional de formação, centrado no hospital e segmentado em especialidades. Nesse contexto, a integração ensino-serviço-comunidade exerce um papel importante na transformação dos cursos de graduação em saúde, visando também à modificação do modelo assistencial vigente. Objetivos Compreender a percepção dos profissionais das Unidades de Saúde da Família (USF) quanto à inserção dos estudantes de Medicina nesses serviços e interpretar os reflexos desta integração para o serviço, a comunidade e a formação médica. Métodos Pesquisa qualitativa, realizada com profissionais de saúde de três USF de Votuporanga (SP), frequentadas pelos discentes da UNIFEV. Eles foram convidados a participar de grupos focais em que expressaram suas opiniões de acordo com perguntas disparadoras de discussão. O material gravado foi transcrito, organizado e submetido à análise de conteúdo de Bardin. Resultados e discussão Emergiram opiniões que permitem identificar o que segue: a integração ensino-serviço-comunidade contribui com a formação médica; a presença do aluno promove a integração e o autoaprendizado da equipe e promove o processo de trabalho; a integração do aluno tem impacto na comunidade. Entre as contribuições do aluno, os participantes destacaram as práticas reflexivas assistenciais e acadêmicas, as ações de educação em saúde e as atividades complementares que apoiam a equipe na resolução de problemas locais. Os participantes identificaram algumas situações de dificuldade, tais como: os estudantes dos períodos iniciais do curso necessitam adquirir domínios afetivos para uma adequada postura profissional na USF; o constrangimento de pacientes na consulta médica com a presença dos estudantes; e o curto tempo de permanência dos discentes para a necessária construção de vínculo. Conclusão Para os profissionais das USF, a inserção dos estudantes nestes cenários contribui para o desenvolvimento do serviço, a formação médica e o apoio à comunidade. Devido às relações solidárias existentes entre a instituição de ensino e a gestão do SUS, esta pesquisa pode contribuir para promover as adaptações necessárias e preparar a comunidade e os profissionais para a presença dos estudantes na APS.

    Abstract in English:

    ABSTRACT Introduction The Centro Universitário de Votuporanga (UNIFEV) medicine course was implemented in 2012 according to the 2001 National Curricular Guidelines for Undergraduate Medical Courses. The practical module of Community Service Education Integration is the curricular unit that places students into Primary Health Care (PHC) scenarios from the first period of the course until the internship period, breaking with the traditional model of hospital-centered training, which is segmented into specialties. The module of medical skills and attitudes training also leads the student, in some cases, to PHC services, but with focus on the basic clinical procedures in controlled scenarios, which may be those from typical clinical practice, simulations or even those performed in laboratories. During internship, the student continues in PHC as an intern in general, family and community medicine. In this context, the integration of community-education-service plays a major role in the transformations undergone in undergraduate training in health, which are also aimed at modifying the current healthcare model. Objectives To understand the perception of professionals from the Family Health Care Units regarding medical student work placement and to interpret the results of this integration as far as the service, the community and the medical training are concerned. Methodology Qualitative research carried out with health professionals who work in three Family Health Care Units of Votuporanga, São Paulo, Brazil. They were invited to participate in focus groups to express their opinions about thought-provoking questions. The recorded material was transcribed, organized and analyzed according to Bardin’s content analysis, which allowed categories of analysis to emerge based on what the participants said. Results and discussion: The opinions that have emerged allow to identify the following aspects: teaching-service-community integration contributes to medical education; student presence promotes team integration and self-learning and promotes the work process; student integration has impact on the community. Among the student’s contributions, participants highlighted the academic and health care reflective practices, health education actions and complementary activities that support the health team in solving local problems. Participants also identified some situations of difficulty, such as: students in the early periods of the course need to acquire affective domains for an adequate professional posture at PHC units; the embarrassment of patients in the medical consultation with the presence of students; and the short length of stay of the students for the necessary bond building. Conclusion For PHC professionals, the inclusion of students in these scenarios contributes to the development of the service, medical training and community support. Due to the solidary relations existing between the educational institution and the PHC management, this research may contribute to promote the necessary adaptations and prepare the community and professionals for the presence of students in PHC.
  • Competency Matrix for Medical Residency Programmes in Endocrinology and Metabolism Original Article

    Valente, Ana Augusta Motta Oliveira; Caldato, Milena Coelho Fernandes

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO Introdução Competências médicas tornaram-se o ponto central em todos os níveis na educação médica ao redor do mundo. Nesse contexto, Programas de Residência Médica (PRM) no Brasil têm começado a buscar um currículo baseado em competências para aprimorar a formação do especialista. Objetivo Elaborar uma proposta de Matriz de Competências para Programas de Residência Médica em Endocrinologia e Metabologia (MREM). Metodologia O estudo foi dividido em quatro fases. A primeira fase consistiu na revisão bibliográfica e construção da Matriz Piloto. Na segunda fase, em encontro presencial, aplicou-se a Matriz Piloto a endocrinologistas, com posterior análise dos dados e construção da Matriz Estruturada. Na terceira fase, aplicou-se a Matriz Estruturada no Congresso Brasileiro de Endocrinologia e Metabologia (CBEM 2016) a endocrinologistas, com um total de 49 respostas. Com base na metodologia Delphi, analisaram-se as 230 competências de cada uma das matrizes e criou-se um questionário contendo competências com divergência superior a 10% e com as sugestões dos especialistas. Na quarta e última fase, também utilizando-se metologia Delphi, enviou-se por e-mail o questionário e realizou-se análise dos dados e construção da proposta MREM. Resultados Na segunda, terceira e quarta fase, a taxa de resposta dos endocrinologistas foi de 73,3%, 51% e 76,4%, respectivamente, tendo o Sudeste apresentado o maior número de participantes. A Matriz Piloto apresentava 219 competências, a Matriz Estruturada, 230, e a proposta final da MREM, 244. As áreas de competências Diabetes e Obesidade, Síndrome Metabólica e Alterações de Apetite tiveram as maiores modificações e sugestões. Em todas as fases, apenas duas competências foram excluídas. As sugestões da terceira fase foram unanimamente aceitas. Conclusão A proposta de MREM finalizou com 21 áreas e 244 competências, 33 classificadas como pré-requisito, 157 como competência essencial, 36 como desejável e 18 como avançada. As competências distribuíram-se da seguinte forma na MREM: campo “Fundamentos” – 100 competências, 15 pré-requisitos, 65 competências essenciais, 14 desejáveis e 6 avançadas; campo “Conhecimento Específico” – 132 competências, 18 pré-requisitos, 87 competências essenciais, 19 desejáveis e 8 avançadas; e campo “Formação Complementar” – 12 competências, nenhum pré-requisito, 5 competências essenciais, 3 desejáveis e 4 avançadas. A MREM foi aprovada pela Comissão de Formação em Endocrinologia e Metabologia da SBEM e submetida a avaliação no Ministério da Educação (MEC), sendo utilizada como base para a Matriz de Competências de Endocrinologia e Metabologia, publicada pelo Conselho Nacional de Residência Médica (CNRM).

    Abstract in English:

    ABSTRACT Introduction Medical competencies have become the focus of Medical Education at all levels around the world. In this context the Medical Residency Programs (MRP) in Brazil have begun to seek a competency-based curriculum to improve the specialist training. Objective To develop a proposed Competency Matrix for Medical Residency Programs in Endocrinology and Metabolism (MREM). Methodology The study was divided into four phases. The first phase consisted of a bibliographical review and construction of the Pilot Matrix. In the second phase the Pilot Matrix was applied to endocrinologists from Belém, with subsequent data analysis and construction of the Structured Matrix. The third phase started with the implementation of the Structured Matrix at the Brazilian Congress of Endocrinology and Metabolism – CBEM 2016 with a total of 49 responses. Based on the Delphi methodology, the 230 competencies of each one of the matrices were analyzed and a questionnaire containing competences with a discrepancy level greater than 10% was created, including some suggestions from the experts. In the fourth and last phase, also using Delphi methodology, the questionnaire was sent by email and data analysis and construction of the MREM proposal was performed. Results In the second, third and fourth phases, the response rate of Endocrinologists was 73.3%, 51% and 76.4%, respectively. With the Southeast region of Brazil presenting the largest number of participants. There are 219 competencies in the Pilot Matrix, 230 in the Structured Matrix and 244 in the final MREM proposal. The competency areas of Diabetes and Obesity, Metabolic Syndrome and Alterations of Appetite were those which showed major change and suggestions. In all phases, only 2 competencies were excluded. The suggestions made in the third phase were unanimously accepted. Conclusion The MREM proposal was concluded with 21 areas and 244 competencies, 33 classified as prerequisites, 157 as essential competencies, 36 as desirable and 18 as advanced. The competencies were distributed as follows in the MCPRMEM: “Fundamental” field with 100 competencies, with 15 prerequisites, 65 core competencies, 14 desirable and 6 advanced ones; “Specific Knowledge” field with 132 competences, with 18 prerequisites, 87 essential competences, 19 desirable and 8 advanced; and “Complementary Training” field with 12 skills, no prerequisites, 5 core competencies, 3 desirable and 4 advanced skills.
  • Assessment of the Quality of Life of Brazilian Orthopedic Residents Artigo Original

    Araújo, Ana Luiza de Sousa Lima Cerqueira; Arar, Fabiano Cassaño; Moura, Eliane Perlatto

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO Introdução São muitos os determinantes que comprometem a saúde e a qualidade de vida (QV) de médicos residentes. O conhecimento sobre a QV de residentes permite subsidiar ações para melhorar a QV pessoal e profissional desse público e, assim, garantir melhoria na qualidade do atendimento prestado aos pacientes. Objetivo Avaliar a QV dos residentes de ortopedia brasileiros e os fatores associados. Método Trata-se de um estudo descritivo, transversal e quantitativo, conduzido por meio de questionário autorrespondido, para avaliação da QV dos residentes de ortopedia do Brasil. Foram utilizados o questionário World Health Organization Quality of Life (WHOQOL)-Abreviado e um questionário sociodemográfico. Resultados Participaram deste estudo 250 residentes de ortopedia brasileiros, do terceiro ano. As variáveis que influenciaram positivamente a QV foram: ser disciplinado para o estudo, estudar uma hora ou mais por dia, ter acesso a banco de dados médico-científico, ter domínio de língua estrangeira, ter boa qualidade de sono, avaliar bem sua residência e seu desempenho na residência e já ter escolhido sua subespecialidade na ortopedia. Observou-se ainda neste estudo que os residentes se distribuíram em três grupos com graus de QV distintos. Os indivíduos do grupo que apresentou maior pontuação em todos os domínios se caracterizaram por já ter escolhido a subespecialidade na ortopedia, apresentar excelente/boa qualidade de sono e se autoavaliar bem no desempenho na residência médica. Conclusão Os residentes de ortopedia percebem sua QV como boa a excelente, mas os residentes com qualidade ruim de sono, que não escolheram uma subespecialidade, que estudam menos de uma hora por dia, com baixo desempenho acadêmico e com baixa avaliação da residência têm pior percepção de sua QV. Esses pontos devem ser áreas-alvo para intervenções específicas, a fim de alcançar maior QV.

    Abstract in English:

    ABSTRACT Introduction There are many determinants that compromise the health and quality of life of resident physicians. Knowledge about the residents’ quality of life subsidize actions to improve personal and professional quality of life of these individuals and thus ensure improvement in the quality of care provided to patients. Objective To evaluate the quality of life of Brazilian orthopedic residents and the factors that influence it. Method This is a descriptive, cross-sectional and quantitative study conducted through a self-answered questionnaire to assess the quality of life of orthopedic residents in Brazil. The WHOQOL-abbreviated quality of life questionnaire and a demographic questionnaire were used. Results A total of 250 third-year orthopedic residents participated in this study. The variables that positively influenced the quality of life were: being well-organized for studying, studying 01 h or more per day, having access to the scientific database and speaking a foreign language, having a good quality of sleep, having a good evaluation of one’s residency and residency performance and having chosen one’s sub-specialty in orthopedic. It was also observed in this study that the residents were distributed in three groups with different quality of life degrees (with significant difference between them): Degree III > Degree II > Degree I. The individuals in the group of Degree three, who showed higher scores in all domains (71.7 to 81.1), mostly comprehends those who have already chosen the sub-specialty in orthopedic, have an excellent/good quality of sleep and evaluate their performance in the medical residency as good. Conclusion Orthopedic residents perceive their QoL as being good to excellent, but residents with poor sleep quality, those who have not chosen a subspecialty, who study less than an hour per day, have poor academic performance, and poor residency evaluation, have a worse perception of their QoL. These issues should be the targeted areas for specific interventions aiming to achieve a higher level of QoL.
  • Viewpoint of Medical Students from a Public University on Health and Quality of Life Artigo Original

    Mendonça, Angela Maria Moreira Canuto; Gêda, Thaís Ferreira; Guimarães, Julia Espíndola; Mendes, Caroline Oliveira; Manna, Tharnier Barbosa Franco; Monteiro, Eduardo Maffra

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO Introdução Desde o preparo para o ingresso até a conclusão do curso de Medicina, há uma cobrança além do conteúdo; exige-se preparo emocional. Diante de um curso com carga horária integral, que demanda dedicação intensa para atingir boa bagagem teórico-prática e contemplar as exigências curriculares, e, muitas vezes, da distância da família, tem-se a percepção diminuída da qualidade de vida entre esse grupo. Essa adaptação a mudanças fisiológicas e emocionais é capaz de interferir no processo de adoecimento desse grupo, refletindo na atuação profissional e na comunidade em que atuará. Objetivo Conhecer hábitos de vida e o processo de adoecimento dos acadêmicos de Medicina da Universidade Federal de Alagoas (UFAL) ao longo do curso, além de buscar entender a possível relação entre esses fatores e a alta incidência de queixas gástricas nesse grupo. Metodologia Estudo descritivo e transversal cuja amostra é composta de estudantes de Medicina do 1º ao 8º período da UFAL, separados por gênero e ciclo do curso. Utilizou-se o método de Bardin para análise qualitativa do conteúdo gerado na discussão dos grupos. Resultados Por meio da análise de Bardin, chegou-se à categoria final qualidade de vida, em todos os grupos, feminino e masculino, tanto do ciclo básico quanto do ciclo clínico. Essa categoria advém das categoriais intermediárias: acessibilidade à alimentação saudável, hábitos de vida e sintomas gerais. A carga horária exorbitante foi a principal queixa dos grupos. Chamaram atenção a frequência das queixas gastrointestinais e a distância do núcleo familiar. Destacaram-se as peculiaridades de cada grupo nas categoriais iniciais, a competitividade entre as alunas do 5º ao 8º período do sexo feminino e a ingestão de bebida alcoólica entre alunos do sexo masculino do 5º e o 8º período. Discussão A diminuição da qualidade de vida é resultado da matriz curricular, com mais de oito mil horas. O reflexo dessa carga horária exorbitante é o estresse, que serve de gatilho para qualidade de sono ruim e carência de tempo para dormir, hábitos alimentares precários, ingestão de bebida alcoólica, nervosismo, ansiedade, competividade, sintomas como cefaleia, dores nas costas e sintomas e patologias digestivas. Com o sistema de seleção unificado, a distância do núcleo familiar transformou o perfil e as necessidades desse grupo, refletindo nas condições financeiras e responsabilidades adicionais que precisam assumir. Considerações finais Os resultados encontrados nesta pesquisa sobre os principais fatores que levam à diminuição da qualidade de vida e à repercussão desse processo no adoecimento tanto de estudantes do sexo masculino quanto do feminino nos diferentes períodos do curso de Medicina coincidem com os da literatura nacional e internacional. Há uma tendência mundial que aposta no autocuidado do currículo médico, a fim de formar profissionais mais capacitados. Em vista disso, este artigo pode despertar as instituições universitárias sobre a necessidade de intervir no curso de Medicina.

    Abstract in English:

    ABSTRACT Introduction From premed to graduating from medical school, more than just the academic content is required from students, and emotional preparation is necessary. Faced with a full-time course that demands intense dedication to achieve good theoretical-practical background and contemplate the curricular requirements and, being often far away from one’s family, there is a diminished perception of quality of life in this group. This adaptation to physiological and emotional changes is capable of interfering with the disease process in this group of individuals, affecting their professional performance and the community where they will work at. Objective To know the life habits and disease processes of medical students of the Federal University of Alagoas throughout the medical course. In addition to seeking to understand the possible association between these factors and the high incidence of gastric complaints in this group. Methodology This is a descriptive and cross-sectional study, comprising medical students from the 1 st to 8 th periods of the Federal University of Alagoas, separated by gender and course cycle. The Bardin method was used for the qualitative analysis of the content generated during the discussions with the groups. Results Through Bardin analysis , the final category of quality of life was reached in the female and male groups, both in the basic cycle and in the clinical cycle. This category derives from intermediate categories: access to a healthy diet, life habits and overall symptoms. An excessive workload was the groups’ main complaint. The frequency of gastrointestinal complaints and those related to being away from the family is noteworthy. It is worth noting the peculiarities of each group in the initial categories, the competitiveness among female students from the 5 th to the 8 th periods and alcohol consumption among male students in the 5 th and 8 th periods. Discussion The decrease in the quality of life is a result of the curricular matrix with more than 8,000 hours. The consequences of this excessive workload is the stress that works as a trigger for poor sleep quality and lack of time to sleep; unhealthy eating habits; alcohol consumption; nervousness, anxiety, competitiveness; symptoms such as headaches, back pain and digestive symptoms and pathologies. With the Unified Selection System, being away from the family nucleus has transformed the profile and needs of this group, reflecting the financial conditions and additional responsibilities they need to assume. Final Considerations The results of this research about the main factors that lead to a decrease in the quality of life and the consequences of this process for the health of both male and female students during the different periods of medical school are in agreement with the national and international literature. There is a worldwide tendency that contemplates including self-care in the medical school curriculum, aiming to train more qualified professionals; hence, this article can make the university institutions aware of the need to intervene in the medical course.
  • Assessment of Communication Skills in the Simulated Environment of Medical Training: Concepts, Challenges and Possibilities in Medical Education Artigo Original

    Rocha, Sheyla Ribeiro; Romão, Gustavo Salata; Setúbal, Maria Sílvia Vellutini; Collares, Carlos Fernando; Amaral, Eliana

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO Na comunidade acadêmica internacional, a comunicação eficaz entre profissionais de saúde, pacientes e seus familiares é reconhecida como condição indispensável para a qualidade dos cuidados em saúde. No Brasil, as Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Medicina estabelecem que o egresso deve ser preparado para se comunicar por meio de linguagem verbal e não verbal, com empatia, sensibilidade e interesse, promovendo o cuidado centrado na pessoa e uma relação horizontal e compartilhada com o paciente. Para alcançar esses objetivos, faz-se preciso a implementação de atividades curriculares que promovam o desenvolvimento dessa habilidade e avaliem a sua aquisição durante a graduação em Medicina. A habilidade em se comunicar adequadamente não pode ser aprendida apenas por observação e tende a declinar ao longo do curso. Recomenda-se que seu ensino se estenda de modo coerente a todos os níveis de formação, incluindo os internatos e programas de residência. Na avaliação de habilidades de comunicação, especialistas recomendam que seja instituída uma matriz que permita repetidas oportunidades de avaliação e feedback, reforçando o uso das habilidades mais básicas de entrevista até as mais complexas, como a comunicação de más notícias. Dessa maneira, para um ensino e avaliação eficientes, são necessários métodos e instrumentos com sólida fundamentação teórica. Atividades em ambiente simulado com a participação de pacientes padronizados têm sido amplamente utilizadas para o ensino e a avaliação dessa habilidade durante a consulta clínica. Nesse contexto, programas de desenvolvimento docente são fundamentais para que estratégias eficazes de ensino e avalição sejam implementadas e permitam ao futuro médico a aquisição de habilidades essenciais ao ético exercício profissional. Este artigo propôs-se a uma revisão narrativa sobre avaliação de habilidades de comunicação em ambiente simulado apresentando seus conceitos, desafios e possibilidades. Também aborda aspectos práticos para a organização desse tipo de avaliação.

    Abstract in English:

    ABSTRACT In the international academic community, effective communication between health professionals, patients, and their families are recognized as an indispensable condition for the quality of health care. In Brazil, the National Curriculum Guidelines for Undergraduate Medical Schools established that medical students should be prepared to communicate through verbal and non-verbal language, with empathy, sensitivity and interest, promoting patient-centered care, and a horizontal and shared relationship with the patient. To achieve these goals, it is necessary to implement curricular activities that promote the development of this skill and assess its acquisition during undergraduate medical school. Adequate communication skills cannot be learned by observation alone and tend to decline as medical students progress through their medical education. For the assessment of communication skills, experts recommend a framework that allows for repeated assessment and feedback opportunities, reinforcing the use of the most basic interviewing skills to the most complex ones, such as communicating bad news. Thus, for an efficient assessment, methods and instruments with a solid theoretical basis are necessary. Thus, activities in a simulated environment with the participation of standardized patients have been widely used for the teaching and assessment of these skills during the clinical consultation. In this context, faculty development programs are fundamental for effective teaching and assessment strategies to be implemented and allow the future doctors to acquire essential skills for their professional practice. This article proposes a narrative review of communication skills assessment in a simulated environment regarding its concepts, challenges, and possibilities. It also discusses practical aspects for the organization of this type of assessment.
  • Stress in Undergraduate Medical Students Artigo Original

    Kam, Suzana Xui Liu; Toledo, Ana Luiza Siqueira de; Pacheco, Carla Colombo; Souza, Giovanna Fernandes Borges de; Santana, Victória Linhares Maia; Bonfá-Araujo, Bruno; Custódio, Cássia Regina da Silva Neves

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO O estresse corresponde a uma resposta física, psíquica e hormonal que ocorre quando o organismo necessita se adaptar frente a uma situação desafiadora. É uma das respostas mais recorrentes no meio acadêmico devido à rotina exaustiva e conteúdo denso que exigem responsabilidade e competitividade dos estudantes. Na graduação médica, somam-se a estes fatores a preocupação do estudante em aprender o conteúdo discutido em aulas e a pressão exercida pelos próprios acadêmicos, além da cobrança da sociedade. Diante da relevância do tema, este estudo teve como objetivo avaliar a ocorrência do estresse durante a graduação médica em acadêmicos de uma universidade privada da região do Alto Tietê, no Estado de São Paulo. Foram aplicados dois instrumentos de pesquisa, o Inventário de Sintomas de Estresse para Adultos de Lipp (ISSL) e a Escala de Estresse Percebido (PSS), em 420 estudantes (67,14% do sexo feminino) matriculados entre os ciclos básico (primeiro e segundo ano) e profissionalizante (terceiro ao sexto ano). Todos os participantes da pesquisa eram voluntários. De acordo com o PSS, foram verificados maiores níveis de estresse entre os alunos do primeiro ao terceiro ano quando comparados aos discentes do quarto ao sexto ano. O ISSL demonstrou a ocorrência de estresse em 65% dos estudantes. Entre estes, 9,04% se encontravam em fase de “quase exaustão” e 0,95% na fase de “exaustão”, as fases mais elevadas dos níveis de estresse, sendo que a ocorrência de sintomas teve prevalência no sexo feminino. Em todas as turmas analisadas, os alunos do primeiro ao terceiro ano apresentaram maior índice de estresse em relação aos demais, o que pode estar associado à distribuição dos conteúdos curriculares com predomínio de disciplinas conceituais, assim como ao processo de transição de conteúdos teóricos para atividades práticas. Estes resultados podem estar vinculados à adaptação dos alunos à rotina das universidades, às disciplinas cursadas e às obrigações que o ensino superior exige.

    Abstract in English:

    ABSTRACT Stress corresponds to physical, psychological and hormonal responses that occur when the body needs to adapt to a challenging situation. It is one of the most recurrent responses in the academic world due to the exhaustive routine and dense content that demand responsibility and competitiveness from the students. In medical undergraduate schools, we add to these factors the student’s concern to learn the content that was discussed in class and the pressure exerted by the students themselves, in addition to the demands of society. Given the relevance of the topic, this study aimed to evaluate the occurrence of stress during medical undergraduate school in students from a private university in the Alto Tietê region, in the state of São Paulo. Two research instruments, the Lipp Adult Stress Symptom Inventory (ISSL) and the Perceived Stress Scale (PSS), were applied to n= 420 undergraduate students (67.14% females) attending the basic (first and second years) and vocational cycles (third to sixth years), and all participants were volunteers. According to the PSS, higher levels of stress were observed in students from the first to the third years, when compared to students from the fourth to the sixth years of medical school. The ISSL demonstrated the occurrence of stress in 65% of the students, of which 9.04% were in the “near exhaustion” phase and 0.95% in the “exhaustion” phase, which represent the highest levels of stress, with the occurrence of symptoms being more prevalent in female students. Among all the analyzed groups, students attending the first to the third years showed a higher stress index than the others, which may be associated to the distribution of curricular contents with the predominance of conceptual disciplines, as well as the process of transition from theoretical contents to practical activities. These results may be related to the students’ adaptation to the university routine, to the courses taken and to the obligations that higher education demands.
  • The Perception of Medical Students about Communication of Bad News in Medical Education Artigo Original

    Dias, Natália Caroline; Pio, Danielle Abdel Massih

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO Introdução A comunicação se apresenta como uma habilidade que deve ser conquistada na graduação médica, configurando-se como um campo de conhecimento a ser contemplado no que se refere à formação médica. A forma como a comunicação é feita, incluindo seu conteúdo, constitui um importante elemento do vínculo estabelecido entre paciente, equipe, família e instituição de saúde. Diante das Diretrizes Curriculares Nacionais, estimula-se a aprendizagem por meio de metodologias ativas, com a comunicação como parte do processo ensino-aprendizagem, com o desafio de contemplar a comunicação de más notícias de forma efetiva na formação. Objetivo Analisar as percepções de estudantes de Medicina que cursam um currículo organizado com metodologias ativas acerca da comunicação de más notícias na formação. Método Tratou-se de um estudo qualitativo, realizado na Faculdade de Medicina de Marília (SP). Participaram da pesquisa 39 estudantes da primeira à sexta série do curso de Medicina. A coleta de dados foi realizada por meio de entrevista semiestruturada, e os dados foram analisados por meio da técnica de Análise de Conteúdo, na modalidade temática. Resultados e discussão Com base na análise realizada, foram identificadas quatro categorias temáticas: Dificuldades em definir “comunicação de más notícias”: produto ou processo?; É possível aprender a dar ou receber más notícias pela experiência?; Dificuldades na implementação do currículo integrado: insuficiente articulação teórico-prática em comunicação de más notícias; Valorizando a comunicação de más notícias: é preciso preparo teórico, técnico e emocional. Os resultados permitem um olhar circunscrito e importante da percepção dos estudantes sobre a comunicação de más notícias dentro da proposta curricular. Considerações finais Aponta-se que os participantes do estudo percebem a necessidade de maior articulação teórico-prática, preparo dos docentes e um cuidado com a formação pessoal e profissional dos estudantes acerca do que abrange a comunicação de más notícias. Espera-se que o estudo contribua para ampliação dos olhares acerca do tema no que se refere ao desenvolvimento de habilidades comunicacionais nos profissionais de saúde a partir da graduação.

    Abstract in English:

    ABSTRACT Introduction Communication presents itself as a skill that must be earned in medical graduation, being configured as a field of knowledge to be contemplated with regard to medical training. The way the communication is made, including its content, are important elements of the bond established between patient, health team, family and health institution. Considering the National Curricular Guidelines, learning is stimulated through active methodologies, with communication as part of the teaching-learning process, with the challenge of contemplating the communication of bad news in an effective way during formation. Objective To analyze the perceptions of medical students studying an organized curriculum with active methodologies about the communication of bad news in medical formation. Method This was a qualitative study, carried out at the School of Medicine of Marília. Thirty-nine students from the 1 st to the 6 th years of the medical course participated in the study. Data collection was performed through a semi-structured interview and the data were analyzed using the Content Analysis technique, in the thematic modality. Results and discussion Based on the analysis, four thematic categories were identified: Difficulty in defining bad news: product or process?; Is it possible to learn how to give or receive bad news from experience?; Difficulties in implementing an integrated curriculum: insufficient theoretical-practical articulation in bad news communication; and Valuing the communication of bad news: it takes theoretical, technical and emotional preparation. The results allow an important well-defined look at the perception of students about the communication of bad news within the curricular proposal. Final considerations It is pointed out that the study participants perceive the need for greater theoretical-practical articulation, training of teachers and care regarding the personal and professional formation of students regarding what comprises the communication of bad news. We expect the study to contribute to the broadening the perspectives on the subject, regarding the development of communication skills in health professionals, since the undergraduate years.
  • Profile of Complementary Activities of Last-Year Medical Students at the State University of Feira de Santana, 2009-2017 Artigo Original

    Cruz, Marcelo Leandro Santana; Peixoto, Marcelo Torres; Silva, Carlos Alberto Lima da; Damas, Wanessa Galvão; Oliveira, Ana Beatriz Menezes de

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO As atividades complementares (AC) têm a finalidade de enriquecer o processo ensino-aprendizagem, privilegiando a complementação da formação social e profissional, sendo realizadas por meio de atividades acadêmico-científico-culturais com o objetivo de aprimorar a formação acadêmica. Este estudo tem como objetivo caracterizar o perfil das atividades complementares realizadas pelos graduandos do curso de Medicina da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS) no período de 2009 a 2017. Trata-se de uma pesquisa documental de natureza descritiva. A coleta foi conduzida por meio da revisão dos dados constantes nos pareceres do colegiado de curso e certificados entregues pelos estudantes. Após a digitação, os dados foram processados por meio do programa estatístico Statistical Package for the Social Sciences (SPSS), versão 20.0 para Windows, e apresentados em gráficos e tabelas, com a subsequente análise descritiva das variáveis de interesse. A amostra foi composta por 171 estudantes, com predomínio do gênero feminino (56,1%). A maioria das atividades realizadas pelos estudantes ocorreu na modalidade participação em eventos científicos (51,6%). Observou-se que atividades culturais e esportivas não são aproveitadas pelo colegiado. Os estágios extracurriculares mais procurados foram na área de Urgência e Emergência (38,5%). Observou-se a média de quase um artigo publicado por aluno, sendo a Pediatria a área de conhecimento com maior número de publicações (24,8%). Além disso, encontrou-se grande disparidade entre carga horária apresentada pelo aluno e carga horária aproveitada pelo colegiado de curso, com perdas de 74% nos estágios extracurriculares e de 63% em monitoria + iniciação científica + extensão. Os resultados deste estudo apontam a necessidade de discussão e revisão do Regimento de Atividades Complementares do curso de Medicina da UEFS e podem contribuir para a educação médica por discutirem um tema esquecido pela maioria dos cursos de graduação em Medicina.

    Abstract in English:

    ABSTRACT Complementary Activities aim at enriching the teaching-learning process, favoring the complementation of social and professional formation, being carried out through academic-scientific-cultural activities, of which objective is to improve the academic training. This article aims to characterize the profile of the complementary activities carried out by last-year medical students from Feira de Santana State University (UEFS), from 2009 to 2017. This was a cross-sectional, retrospective and descriptive study. Data collection was carried out by reviewing the data contained in the opinions of the course collegiate and certificates delivered by the students. Subsequently, the data were processed using the software Statistical Package for the Social Sciences (SPSS), version 20.0 for Windows, and presented as charts and tables, with subsequent descriptive analysis of the variables of interest. The sample consisted of 171 students, with a predominance of females (56,1%); most of the activities performed by the students took place as participation in scientific events (51,6%); it was observed that cultural and sports activities are not used by the collegiate. The most sought after extracurricular trainings were in the urgency and emergency area (38.5 %); there was an average of 0.93 articles published per student, with Pediatrics being the area with the highest number of publications (24,8%). Moreover, there was a great disparity between the students’ course load and the hours utilized by the course collegiate, with losses of 74% in the extracurricular training activities and 63% in monitoring + scientific initiation + extension activities. The results of this study point to the need to discuss and revise the Complementary Activities Regulations of the UEFS medical course, and may contribute to medical education, for discussing a topic disregarded by most undergraduate medical courses.
  • Prevalence of Common Mental Disorders in Medical Students from Universidade Regional de Blumenau – SC Artigo Original

    Grether, Eduardo Otávio; Becker, Mateus Ciola; Menezes, Helena Medina; Nunes, Carlos Roberto de Oliveira

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO Os transtornos mentais comuns (TMC) estão cada vez mais frequentes na população mundial, apresentando-se menos graves que outros grupos de transtornos mentais. Estão associados a perda de qualidade de vida, problemas de relacionamento e sofrimento psíquico. Estudos que investigam prevalência de TMC são normalmente voltados ao âmbito ocupacional, acadêmico e da saúde. Estudos brasileiros na área de saúde mental realizados com estudantes de Medicina apontam que entre 30% e 44% de suas amostras apresentam algum tipo de transtorno mental comum ou sintoma nesse grupo. O objetivo do presente estudo é identificar a prevalência de TMC entre os estudantes de Medicina da Universidade Regional de Blumenau (SC). Trata-se de um estudo transversal, realizado de agosto a outubro de 2017, com 340 alunos do primeiro ao décimo segundo semestre do curso de Medicina. Para o rastreamento de TMC foi utilizado o Self-Reporting Questionnaire (SRQ-20). A prevalência de TMC encontrada foi de 50,9%. Os TMC apresentaram-se associados (p < 0,05) a carga horária média por dia maior que 12 horas, menos de uma hora de lazer por dia, sentir que não recebe apoio emocional necessário, ter história médica pregressa de doença psiquiátrica, usar antidepressivo, nunca ter feito psicoterapia ou tê-la abandonado antes de receber alta e uso de álcool e outras substâncias. Foi encontrada maior prevalência de casos suspeitos de TMC na presente amostra do que em outros estudos com alunos dos cursos de Medicina brasileiros. A prevalência de TMC no internato mostrou-se semelhante à dos dois primeiros ciclos do curso, apesar da presença de fatores protetores demonstrados na literatura. É fundamental a atenção da universidade para atividades de promoção de saúde, juntamente com os serviços de saúde e com a família, formando uma rede de apoio psicológico. Para isso, são apresentados subsídios para ações de prevenção e cuidado da saúde mental do estudante de Medicina.

    Abstract in English:

    ABSTRACT Common mental disorders (CMDs) are increasingly frequent in the world’s population and are less severe than other groups of mental disorders. They are associated with loss of quality of life, relationship problems and psychological suffering. The studies that investigate the prevalence of CMDs are aimed at the occupational, academic and health levels. Brazilian studies in the area of Mental Health carried out with medical students indicate that 30% and 44% of this group has some type of common mental disorder or symptom. The aim of the present study is to detect CMDs among medical students from Universidade Regional de Blumenau/SC. This is a cross-sectional study carried out in August 2017 with 340 students from the 1st to the 12th semester of School. The Self-Reporting Questionnaire (SRQ-20) was used for CMD screening. The prevalence of CMD was 50.9%. Classic CMDs were associated (p <0.05) with the mean daily workload of more than 12 hours, less than one hour of leisure per day, having a previous medical history of psychiatric illness, using antidepressants, never having attended or been discharged from psychotherapy and the use of alcohol and other substances. A higher rate of suspected CMD cases was found in the present sample than in other studies with students from other Brazilian Medical Schools. The presence of CMD during the internship cycle was similar to that observed in the early cycles of medical school, despite the presence of protective factors, as demonstrated in the literature. The university must direct its attention to health promotion activities, together with health services and the family, creating a psychological support network. For this purpose, it has subsidies to establish prevention and care actions directed at the mental health of medical students.
  • Knowledge of Medical Students about Palliative Care Artigo Original

    Orth, Larissa Chaiane; Haragushiku, Eder Yukio; Freitas, Inês Carolina Siqueira; Hintz, Micheli Cristiane; Marcon, Chaiana Esmeraldino Mendes; Teixeira, José Francisco

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO Introdução O envelhecimento da população mundial traz consigo o aumento de doenças crônicas, sem ser acompanhado de melhoria na qualidade de vida ou do enfrentamento das enfermidades. Nesse contexto, os cuidados paliativos se enquadram como um modelo interdisciplinar que visa garantir o cuidado integral ao ser humano. Em contrapartida, a busca incessante pela cura pode resultar em um sentimento de negação e derrota frente à finitude da vida. Durante o processo de graduação médica, é necessário abordar essa temática para que os futuros profissionais se sintam adequadamente preparados e seguros, proporcionando o melhor para seus pacientes. Objetivo Avaliar o conhecimento sobre cuidados paliativos dos acadêmicos do internato do curso de graduação em Medicina da Universidade do Sul de Santa Catarina (Unisul), campus Tubarão. Método Realizou-se um estudo transversal por meio de questionário autoaplicável com 39 questões, agrupadas em 12 questões sociodemográficas e 27 questões objetivas sobre cuidados paliativos. A coleta de dados ocorreu de março a junho de 2018. Foram utilizados os testes de qui-quadrado (X2), exato de Fisher, razão de verossimilhança, Anova e teste de Tukey. O nível de significância estatística adotado foi de 5%. Resultados Participaram do estudo 188 acadêmicos, 56,9% do sexo feminino, com faixa etária prevalente entre 21 e 25 anos. Caso fossem pacientes oncológicos, 3,2% (6) dos entrevistados prefeririam a decisão de tratamento tomada somente pelo médico, sendo que, destes, 83,3% (5) eram do sexo masculino (p = 0,04); 49,5% (93) dos entrevistados se declararam preparados para enfrentar o processo de morte e luto, sendo que, destes, 54,8% (51) eram do sexo masculino (p = 0,005); 80,3% (151) dos acadêmicos negaram ter adquirido habilidades para comunicar más notícias, sendo que, destes, 62,9% (95) eram do sexo feminino (p < 0,001). O décimo semestre do curso apresentou a melhor média de acertos em questões relacionadas à farmacologia do tratamento da dor. A maioria dos acadêmicos considerou importante incorporar conteúdos sobre cuidados paliativos ao currículo, porém 68,1% não tinham interesse em atuar nessa área. Conclusão O ensino sobre a temática de cuidados paliativos durante a graduação de Medicina da Unisul resultou em um conhecimento adequado dos acadêmicos do internato, porém se observa dificuldade frente ao processo de morte e insegurança na abordagem de comunicações e na atitude médica. É necessário aprimorar o ensino de competências e habilidades na área, enfatizando o cuidado universal centrado no paciente e não somente na cura de doenças, bem como mobilizar esforços a fim de incentivar a autoestima dos acadêmicos.

    Abstract in English:

    ABSTRACT Introduction The aging of the world’s population brings with it the increase in chronic diseases, although without a concomitant improvement in quality of life or management of the diseases. In this context, palliative care constitutes an interdisciplinary care model aiming at the integral care of the human being. In contrast, the incessant search for a cure can result in a sense of denial and defeat when facing death. Approaching this subject is necessary during medical school, so that future professionals feel adequately prepared and secure, thus providing the best care for their patients. Purpose To evaluate the knowledge on palliative care of undergraduate medical students of Universidade do Sul de Santa Catarina (UNISUL), campus Tubarão. Method A cross-sectional study was carried out through the application of an anonymous, self-administered questionnaire containing 39 questions, divided into 12 sociodemographic questions and 27 objective questions about palliative care. Data collection was carried out from March to June 2018. The Chi-square test (X2), Fisher`s exact test, Likelihood ratio, Analysis of Variance (ANOVA) and Tukey’s tests were used. The significance level was set at 5%. Results A total of 188 medical students, of which 56.9% were females, at the prevalent age range between 21 and 25 years old participated in the study. In the case of an oncological patient, 3.2% (6) of the interviewees would prefer that treatment decisions be made only by the physician, of which 83.3% (5) were males (p = 0.04); 49.5% (93) of the interviewees declared themselves prepared to face the process of death and grief, of which 54.8% (51) were males (p = 0.005); 80.3% (151) of the students denied having acquired skills to communicate bad news, of which 62.9% (95) were females (p <0.001). The students at the 10th semester of the Medical course showed a better average of right answers to questions about the pharmacology of pain management. Most students considered important the incorporation of palliative care content in the curriculum, but 68.1% of them had no interest in working in this area. Conclusion In conclusion, the teaching of the palliative care subject during UNISUL’s medical course resulted in an adequate knowledge of internship students; however, there is some difficulty when facing the process of death and insecurity when approaching the communication and medical attitude. It is necessary to improve the teaching of capabilities and skills in the area, emphasizing universal care focused on the patient and not only on curing diseases, as well as mobilizing efforts to encourage the students’ self-esteem.
  • Evaluation of Empathy in Medical Residents of Alzira Velano University Hospital in Alfenas, Minas Gerais Artigo Original

    Paiva, Antonio Henrique; Andrade, Maria Natalia; Rocha, Marcela Silveira Carvalho; Peixoto, José Maria

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO INTRODUÇÃO Muito se discute a importância da empatia na relação médico-paciente. Poucos estudos avaliaram essa habilidade em médicos residentes (MR). OBJETIVO Avaliar a empatia dos MR do Hospital Universitário Alzira Velano (Huav) por meio da Escala Jefferson de Empatia Médica (Ejem), que fornece quatro tipos de escores: empatia geral (EG); tomada de perspectiva do doente (TP); compaixão (CP) e capacidade de colocar-se no lugar do outro (LO). MÉTODOS A Ejem e um questionário sociodemográfico foram aplicados em 36 MR do Huav no início do segundo semestre de 2016 após assinatura do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido. RESULTADOS A análise estatística mostrou que os escores de empatia apresentaram associação em relação às variáveis: sexo, área de atuação (clínica ou cirúrgica) e período da residência em curso. Para a variável sexo, os seguintes achados foram encontrados: MR do sexo feminino do 1° ano apresentaram escores de EG e TP maiores que as MR no ≥ 2°ano (p = 0,01) e (0,03), respectivamente. Em relação à área de atuação, foi encontrado: (a) os escores de EG dos MR do 1° ano eram maiores, comparados aos dos MR no ≥ 2° ano, tanto para a área clínica (p = 0,03) como para a cirúrgica (p = 0,02); (b) MR da área cirúrgica apresentaram escores TP mais elevados no 1° ano em relação aos MR no ≥ 2° ano (p = 0,01). Nenhuma associação aos fatores estudados foi observada para os escores CP e LO. CONCLUSÃO Os dados demonstram que os escores de empatia dos MR dos anos finais são menores em relação aos dos MR do primeiro ano, fato verificado também para MR do sexo feminino. Nossos dados concordam com as observações da literatura e evidenciam a importância do desenvolvimento de estratégias instrucionais para o ensino da empatia entre médicos residentes.

    Abstract in English:

    ABSTRACT INTRODUCTION Much is discussed about the importance of empathy in the patient-physician relationship. Few studies have evaluated this ability in resident physicians (RPs). OBJECTIVE To evaluate the empathy of the resident physicians of the University Hospital Alzira Velano (HUAV), through the Jefferson Scale of Empathy (JSE), which provides 4 types of scores: General Empathy (GE); Perspective Taking (PT); Compassionate Care (CC) and Standing in Patient’s Shoes (SP). METHODS The JSE and a sociodemographic questionnaire were applied to 36 RPs of the HUAV at the beginning of the second semester of 2016, after they signed the informed consent form. RESULTS Statistical analysis by the Mann-Whitney test showed that empathy scores were associated with variables: gender, area of performance (clinical or surgical) and period of residence in progress. For the variable gender, the following findings were observed: 1) Female RPs of the 1st year had higher GE scores than the RPs in the ≥ 2nd year (p = 0.01) and (0.03), respectively; 2) female RP’s of 1st year had higher TP scores than RPs of ≥ 2nd year (p = 0.03). Regarding the area of performance, 1) the GE scores of the 1st year RPs were higher when compared to the RPs in the ≥ 2nd year, both for the clinical (p = 0.03) and for the surgical area (p = 0.02); 2) RPs of the surgical area had higher PT scores in the 1st year compared to RPs in the ≥ 2nd year (p = 0.01). No association was observed between the studied factors and CC and SP scores. CONCLUSION The data show that the empathy scores of the RPs of the final years are lower in relation to the RPs of the 1 st year, a fact also verified for female RPs. Our data are in agreement with the observations of the literature and show the importance of the development of instructional strategies for the teaching of empathy among resident physicians.
  • Dawn of the Systemic Paradigm in Medical Education Artigo Original

    Cesario, Raquel Rangel; Cesario, Manuel; Santos, Cibele Gomes dos

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO A formação de médicos no Brasil seguia os moldes do projeto flexneriano até que o emergente Sistema Único de Saúde, com o diagnóstico da situação do setor saúde e a implantação de políticas de reorientação do modelo assistencial para um voltado à Atenção Básica, mostrou a necessidade de realinhar a formação médica às suas necessidades. As novas escolas médicas têm que iniciar com um modelo pedagógico que se utilize de metodologias ativas de ensino-aprendizagem, e as antigas escolas têm que se adaptar ao modelo proposto. Este momento de transição vem gerando conflitos, dificuldades, angústias, currículo oculto e incompreensões. Tal situação é decorrente da exigência de ultrapassagem de paradigmas para atuar no novo modelo pedagógico, sem, contudo, que as pessoas envolvidas tenham consciência disso. Vemos e interpretamos o mundo por meio dos nossos paradigmas, que agem como lentes que filtram o que enxergamos, estabelecem limites do que acreditamos, e influenciam nossas percepções e ações. Assim, o objetivo deste artigo é propor um olhar sobre conceitos e práticas neste momento de transição paradigmática, visando colaborar com a discussão e, principalmente, compreensão das incoerências, dificuldades e insucessos na implantação de projetos contemporâneos na área da saúde. O estudo das partes simples não é suficiente para entender o todo complexo, que deve ser estudado e compreendido em sua inteireza, a partir, inclusive, da sua relação com o outro. A instabilidade e a complexidade do mundo colocam em evidência a importância dos processos, do contexto de cada situação e das conexões sistêmicas entre todos os fenômenos. No emergente Pensamento Complexo, não cabem mais as contribuições isoladas de cada disciplina, mas exige-se o olhar e posicionamento interdisciplinar para buscar verdades construídas em conjunto, estabelecidas no contexto e na relação com o outro. Não se fala mais em saúde ou em doença, mas sim no processo saúde-doença; da mesma forma, o ensino e o aprendizado dão lugar ao processo de ensino-aprendizagem. Como característico em uma situação de transição paradigmática, há conflitos e diferenças de compreensão do mundo, que geram situações identificadas como crises. Vivemos sob a égide de dois paradigmas diferentes e simultâneos, que partilham conhecimentos e práticas: o Paradigma Newton-Cartesiano e o Paradigma Sistêmico. A partir da reflexão gerada por este artigo, espera-se que o leitor identifique o paradigma dominante em sua vida e seu posicionamento no contexto da transição paradigmática, compreenda os conflitos que enfrenta no seu trabalho e na sua vida, e se permita uma reorientação de rota, com vistas a viver melhor e atuar de forma mais coerente e saudável no mundo.

    Abstract in English:

    ABSTRACT The training of doctors in Brazil followed the Flexnerian project until the Unified Health System (SUS), with the diagnosis of the health sector situation and the implementation of policies to reorient the care model to one that favours Basic Care, showed the need to realign medical education to the needs of the emerging SUS. The new medical schools have to start with a pedagogical model that uses active teaching-learning methodologies, and the old ones have to adapt to this proposed model. This moment of transition is generating conflicts, difficulties, anxiety, hidden curriculum and misunderstandings. This situation is due to the need to overcome paradigms to act in the new pedagogical model, without, however, the people involved being aware of this. As we see and interpret the world through our paradigms, which act as lenses that filter what we see, establish limits of what is possible to believe and influence our perceptions and actions, the objective of this article is to propose a look at concepts and practices in this complex paradigmatic transition moment, aiming to collaborate with the discussion and, mainly, to understand the inconsistencies, difficulties and failures in the implementation of contemporary projects in the health education area. The study of the simple parts is not enough to understand the complex whole, which must be studied and understood in its entirety, from its relation to the other. The instability and complexity of the world highlight the importance of the processes, of the context of each situation, and the systemic connections between all phenomena. In the emerging Complex Thinking, the isolated contributions of each discipline no longer fit, but an interdisciplinary look and positioning is required to seek co-constructed truths, which are established in the context, and in the relationship with the other. One does not talk about health or disease anymore, but about the health-disease process; similarly, teaching and learning give way to the teaching-learning process. As characteristic in a paradigm transition situation, there are conflicts and differences regarding the understanding of the world, generating situations identified as crises. We live under the aegis of two different and simultaneous paradigms that share knowledge and practices: the Newton-Cartesian Paradigm and the Systemic Paradigm. From the reflection generated by this article it is expected that the reader will identify the dominant paradigm in their life and their consequent positioning in the context of the paradigmatic transition; will understand the conflicts faced in daily work and life; and will allow a route reorientation, aiming at living better and acting in a more coherent and healthy way in the world.
  • Communicating Bad News: an Essential Tool in Undergraduate Medical School Artigo Original

    Vogel, Karolyne Pricyla; Silva, Jéssica Heloise Gomes da; Ferreira, Letícia Caroline; Machado, Lara Cristina

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO A comunicação é um processo dinâmico e aberto. No âmbito da saúde, engloba desde a transmissão de mensagens, até a obtenção de informações. “Má notícia” pode ser considerada como toda a informação que envolva uma mudança drástica e negativa na vida da pessoa e na perspectiva do futuro. Conceder más notícias ao paciente inclui desde um diagnóstico de uma doença terminal, até doenças que interfiram em sua qualidade de vida. No Brasil, há uma problemática sobre esse assunto, pois há pouca inclusão da comunicação de más notícias na grade curricular , como também pouca prática da utilização de métodos de comunicação. Isso impacta diretamente tanto na vida profissional e pessoal do futuro médico, quanto na relação com o paciente. O presente estudo, transversal descritivo, teve como objetivo descrever a compreensão de acadêmicos do sexto ano e residentes do primeiro ano de medicina ao lidar com a comunicação de más notícias. O estudo foi conduzido nas cidades de Joinvile e Jaraguá do Sul.O estudo foi submetido à apreciação ética conforme as normas brasileiras e aprovado. Nosso A amostra constituiu-se de 63 participantes; os dados foram coletados por questionário entre abril e setembro de 2018, e expressos de forma descritiva por meio da frequência de cada resposta. Destacam-se como resultados que a tarefa considerada mais difícil pelos entrevistados foi a de conversar sobre o fim de tentativa de tratamento curativo; 61% consideram-se razoáveis na habilidade de contar más notícias; e envolver o familiar ou paciente na tomada de decisão é o fator mais difícil durante a discussão. Além disso, 74% dos participantes desconheciam algum método de comunicação e 44% acreditam que aulas práticas com pacientes reais seria uma forma efetiva de aprendizado. Conclui-se que o despreparo para mediar tais situações implica em condutas heterogêneas que poderiam ser evitadas com um melhor treinamento durante a graduação.

    Abstract in English:

    ABSTRACT Communication is a dynamic and open process and, in the field of health, it involves from the transmission of messages to obtaining information. “Bad news” can be considered all information that involves a drastic and negative change in the patient’s life and regarding the perspective of the future. To give “bad news” to the patient includes everything from a diagnosis of a terminal illness, to pathologies that interfere with their quality of life. In Brazil, there is a problem regarding this subject, because there is not much content in the curricular grid about the communication of bad news, as well as little practice on the use of communication methods. This directly impacts both the professional and personal life of the future physician, as well as the relationship with the patient. The present article is a cross-sectional descriptive study, carried out in the cities of Joinville and Jaraguá do Sul, and the project was submitted to and approved by the institutions’ ethical assessment according to Brazilian standards. It aims to describe the understanding of sixth-year undergraduate medical students and first-year residents when dealing with the reporting of bad news. The sample consisted of 63 participants, with data collected from a questionnaire, between April and September 2018 and analyzed descriptively in terms of frequency of each response. As for the results, it is noteworthy that the task considered the most difficult one was to talk about the end of an attempted curative treatment; 61% considered themselves reasonably skilled regarding the ability to communicate bad news, and that involving the family member or patient in the decision-making process is the most difficult factor during the discussion. In addition, 74% of the participants were unaware of any method of communication and 44% believed that practical classes with real patients would be an effective way of learning. Therefore, it is concluded that the lack of preparation to mediate such situations implies in heterogeneous behaviors that could be avoided with instructions and would contribute to the best training during undergraduate medical school.
  • Problem-Based Learning: Contribution to Pediatric Practice Artigo Original

    Reis, Fabiana Vieira Duarte de Souza; Passos, Antônio Henrique Rodrigues dos; Higa, Elza de Fátima Ribeiro

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO Introdução A Aprendizagem Baseada em Problemas (ABP) tem se destacado na educação médica por ser uma proposta fundamentada no construtivismo, com a finalidade de desenvolver a autonomia e o raciocínio crítico do estudante para tomada de decisões. Objetivo Por conta das dificuldades encontradas pelos graduandos e das escassas informações relativas à contribuição da ABP para a prática clínica de médicos pediatras, objetivou-se avaliar a contribuição da ABP para a formação dos médicos pediatras. Metodologia Trata-se de uma série de casos de abordagem descritiva, desenvolvida com médicos pediatras egressos de duas instituições públicas de ensino. A definição da amostra ocorreu de forma intencional, amostragem não probabilística, em que os atributos dos participantes são definidos conforme o objeto de estudo, a fim de selecionar quais os indivíduos são mais adequados para serem incluídos na amostra, a qual é composta por dez médicos pediatras, sendo cinco egressos de cada instituição. Para responderem ao questionário, selecionaram-se médicos especialistas em pediatria. A coleta de dados foi realizada pela pesquisadora principal, por meio de três questões semiestruturadas respondidas via e-mail. As respostas dos entrevistados às questões abertas foram analisadas pelo método de análise reflexão-síntese, que pressupõe a análise e síntese de conteúdo mediadas pela sensibilidade e pela razão. Resultados Os resultados obtidos entre 2003 e 2012 indicaram que 28% dos médicos pediatras apresentavam título de especialista e 72% não o tinham esse título. Os discursos apresentados pelos participantes permitiram identificar que a ABP contribuiu para a formação e atuação dos médicos pediatras em diferentes aspectos, proporcionando a busca de conhecimento, a habilidade para trabalhar em equipe e a facilidade para realizar o manejo clínico de forma interdisciplinar e holística. Porém, os discursos também demonstraram que esse método pode não favorecer o aprofundamento das matérias básicas. Conclusão A ABP contribuiu para a formação e atuação do médico pediatra, porém pode não ter favorecido o aprofundamento das matérias básicas.

    Abstract in English:

    ABSTRACT Introduction Problem-Based Learning (PBL) has been highlighted in medical education because it is a proposal based on constructivism, with the purpose of developing students’ autonomy and critical thinking for decision-making. Objective In view of the difficulties experienced by undergraduate students and the scarce information regarding the contribution of PBL to the clinical practice of pediatric physicians, we aimed to evaluate the contribution of PBL to the training of pediatricians. Methods This is a series of descriptive cases, developed with pediatricians from two public educational institutions. This study used an intentional, non-probabilistic sampling technique, in which the attributes of the participants are defined according to the object of study, aiming to select which individuals are more suitable to be included in the sample, consisting of ten pediatricians, with five graduated from each institution. Pediatricians were selected to answer the questionnaire. Data collection was performed by the main researcher, through three semi-structured questions answered via e-mail. The interviewees’ answers to the open questions were analyzed using the method of reflection-synthesis analysis, which presupposes content analysis and synthesis mediated by sensitivity and reason. Results The results indicated that 28% of the pediatricians had a Board Certification degree, and 72% did not, between the years 2003 and 2012. The participants’ discourses allowed us to identify that the PBL contributed to the training and performance of pediatricians in different aspects, providing the search for knowledge; ability to work as a team; and capacity to conduct clinical management in an interdisciplinary and holistic way. However, the discourses also demonstrated that this method might not favor the developing of the basic subjects. Conclusion The PBL contributed to the training and performance of the pediatrician, but it might not have favored the developing of the basic subjects.
  • The Medical Student’s Narrative in Primary Health Care Training: Enhancing Learning Spaces Mediated by Digital Technologies Artigo Original

    Palácio, Maria Augusta Vasconcelos; Gonçalves, Laís Barreto de Brito; Struchiner, Miriam

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO A formação em Atenção Primária à Saúde demanda práticas pedagógicas contextualizadas que promovam participação ativa do aluno e reflexão na aprendizagem. Nessa perspectiva, a narrativa digital surge como estratégia inovadora que integra a arte de contar histórias com as diferentes linguagens das tecnologias digitais de informação e comunicação, possibilitando aos alunos expressar suas vivências de aprendizagem, compartilhá-las e refletir sobre elas. A integração das tecnologias digitais no ensino da saúde oferece opções de trabalho que se distanciam de uma prática tradicional, pois recursos como um ambiente virtual de aprendizagem, um blog ou uma rede social sugerem novas formas de interação e produção de conhecimento. O objetivo deste artigo é analisar a percepção de alunos e sua professora sobre a contribuição de blogs como espaços de construção de narrativas digitais no processo de ensino-aprendizagem, na formação em Atenção Primária à Saúde. O estudo envolveu a realização de entrevistas semiestruturadas com nove alunos e uma professora, de uma disciplina que trabalha o ensino da Atenção Primária à Saúde no curso de Medicina de uma universidade pública brasileira. Durante um semestre, os alunos produziram narrativas digitais como atividades de reflexão sobre o contato com o usuário do serviço de saúde, na comunidade, e as perspectivas relacionadas a esse processo de formação em Atenção Primária à Saúde. Os dados da pesquisa foram organizados e analisados seguindo os pressupostos da análise de conteúdo. As principais percepções revelam as potencialidades do uso do blog na produção de narrativas reflexivas, como interface que promove o diálogo, a subjetividade e a criatividade do aluno, além de incentivar a produção compartilhada de conhecimentos. Os resultados desse estudo corroboram as expectativas sobre a contribuição da narrativa digital para uma prática pedagógica que valorize a participação ativa tanto dos educadores quanto dos educandos, permitindo um movimento dialógico no processo de ensino-aprendizagem e novas formas de pensar a educação e o papel dos sujeitos envolvidos.

    Abstract in English:

    ABSTRACT Primary Health Care training demands contextualized pedagogical practices that promote active student participation and reflection on learning. From this perspective, digital narratives emerge as an innovative strategy that integrates the art of storytelling using different information and communication digital technology languages, enabling students to express, share, and reflect on their learning experiences. The integration of digital technologies in health education offers work options that are distant from a traditional practice, because resources such as a virtual learning environment, a blog or a social network suggest new ways of interaction and knowledge production. The aim of this study is to analyze the perception of students and their teacher about the contribution of blogs as spaces for the construction of digital narratives in the teaching-learning process, in Primary Health Care training. The study involved semi-structured interviews with nine students and one teacher, from a Medical course discipline at a Brazilian public university. This discipline discusses the teaching of Primary Health Care in the first semesters of the medical course. During one semester, the students produced digital narratives, noting down their thoughts on their contact with the patients/users of the health service, in the community, at different times, and the perspectives related to this Primary Health Care training process. The research data were organized and analyzed following the assumptions of content analysis. The main perceptions of the students and teacher showed they see blogs as spaces for constructing reflective narratives and for encouraging the collective production of knowledge, and also as an interface to promote student dialogue, subjectivity, and creativity. The results of this study corroborate the expectations about the contribution of digital narrative to a pedagogical practice that values the active participation of both educators and students, allowing a dialogical movement in the teaching-learning process and new ways of thinking about education and the role of the subjects involved.
  • Structure of The Teaching Training Program in Residency: The Resident as a Teacher Artigo Original

    Feijó, Lorena Pinho; Fakhouri, Saadallah Azor; Ruffini, Vitor Maia Teles; Nunes, Maria do Patrocínio Tenório; Augusto, Kristopherson Lustosa

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO Introdução Na residência médica, os residentes exercem o duplo papel de professor e aprendiz. Treinamentos de como ensinar residentes a exercer a função de docência com qualidade estão sendo implementados em todo o mundo e são denominados programas de Residente como Professor (Resident as Teacher – RaT). De acordo com as Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Medicina, pode-se aprender a estabelecer objetivos educacionais e matriz de competência, além de habilidades como comunicação, empatia, mediação de conflitos, entre outras. A implementação desses programas deve ser baseada na compreensão do contexto de cada residência médica na qual se deseja inseri-los, e os residentes também devem conhecer as potencialidades de cada cenário de atuação da sua especialidade para promover uma docência eficaz. Objetivo O objetivo do estudo foi o desenvolvimento de uma estrutura de programa de treinamento de docência (RaT) dividido em módulos e detalhado com suas respectivas referências bibliográficas. Metodologia Realizou-se uma revisão de literatura sobre ensino médico e testaram-se alguns métodos em cenário de prática durante uma dissertação de mestrado, utilizando a técnica SNAPPS, e durante uma tese de doutorado, utilizando a técnica OMP. Resultado Foi construído um programa de treinamento de docência nas residências médicas baseado nos resultados positivos encontrados na literatura sobre ensino médico. Propõe-se que cada módulo tenha a duração de um mês aproximadamente, com atividades de um turno por semana. O formato da discussão pode variar de acordo com cada especialidade e com o número de residentes de cada programa. Sugere-se a realização de flipped classroom (sala de aula invertida) com o envio do referencial bibliográfico de suporte sobre os temas aos residentes por e-mail uma semana antes da realização de cada módulo. Diversas atividades podem ser postas em prática em cada módulo para sedimentação do material estudado. Conclusão Após a estruturação de um roteiro a ser implementado pelos programas de residência médica no Brasil, espera-se que os residentes desempenhem com maior eficácia o papel que muitos já exercem na prática e que consequentemente o nível de aprendizagem dos alunos de graduação e internos melhore.

    Abstract in English:

    ABSTRACT Introduction In medical residency, residents play the dual role of teachers and learners. Training programs aiming at teaching residents how to become teachers are being implemented around the world and are referred to as ‘Resident as teacher’ (RaT) programs. According to the National Curricular Guidelines of the Medical Undergraduate Course, one can learn to establish educational goals and competence matrix, as well as skills such as communication, empathy, mediation of conflicts, among others. The implementation of these programs should be based on the understanding of the context of each medical residency where they are to be included and the residents should also know the potential of each scenario of their specialty to promote an effective teaching. Objective The objective of the study was the development of the structure of a Teaching Training Program (Resident as Teacher) divided into modules and detailed with their respective bibliographical references. Method a literature review was performed on medical education and some methods were tested in a practice scenario during a master’s degree dissertation, using the SNAPPS technique, and during a doctoral thesis presentation using the OMP technique. Outcome A Teaching Training Program was built in medical residencies based on the positive results found in the medical education literature. It is proposed that each module has a duration of approximately one month, with activities lasting one shift per week. The format of the discussion may vary with each specialty and with the number of residents in each program. It is suggested that a flipped classroom situation be carried out, sending the bibliographic reference of support on the subjects to the residents by email one week before the completion of each module. Several activities can be implemented in each module to consolidate the studied material. Conclusion After structuring a script to be implemented by the residency programs in Brazil, residents are expected to more effectively play the role that many already exercise in practice and that the level of learning of undergraduate and internship students consequently improves.
  • Empathy Learning in the Medical-Patient Relationship: a Qualitative Look Among Internship Students of Medical Schools in the Northeast of Brazil Artigo Original

    Batista, Nildo Alves; Lessa, Simone Schwartz

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO A empatia é um atributo do ato clínico, de fundamental importância para o estabelecimento de uma boa relação médico-paciente. Os cursos de graduação em Medicina devem orientar a formação com o propósito de desenvolver competências que favoreçam a capacitação de um profissional crítico e apto a entender a importância do trabalho em equipe. Este estudo tem por objetivo analisar a aprendizagem da empatia em estudantes de graduação de cursos médicos de universidades públicas do Nordeste do Brasil, os quais estão inseridos no último ano do internato médico. Para tanto, buscou-se apreender as concepções de empatia desses alunos, conhecer como ocorreu a aprendizagem para uma atitude empática durante a formação médica e identificar a maneira de aprimorar essa aprendizagem. Optou-se pela metodologia de cunho qualitativo, e utilizou-se de grupos focais com estudantes de duas universidades distintas, cujas falas foram submetidas a uma análise temática, em que se procurou apreender as concepções de empatia, a aprendizagem da mesma na graduação e as sugestões para o aprimoramento de seu ensino/aprendizagem. Os resultados apontaram que os estudantes não reconhecem ou identificam momentos de ensino relevantes, durante a formação, no tocante à aprendizagem da empatia e, quando mencionados, fazem a sua relação mais à teoria do que à prática médica. Destacam que a metodologia utilizada é pouco estimulante e que os docentes carecem de capacitação. Solicitam, ainda, um olhar institucional para a saúde mental deles. Não houve diferenças significativas entre sexo e idade dos estudantes quanto à disposição empática. Conclui-se que esta pesquisa confirmou o pressuposto inicial: a graduação médica, de modo geral, não tem preparado, adequadamente, os estudantes para a prática da empatia na relação médico-paciente. Para esses alunos, destaca-se como dificuldade a “capacidade de se colocar no lugar do outro”, fortalecendo, assim, a necessidade de um olhar mais cuidadoso do aparelho formador no sentido de intervir com mais propriedade para elevar a aprendizagem desse componente da empatia.

    Abstract in English:

    ABSTRACT Empathy is an attribute of the clinical act, of fundamental importance for the establishment of a good doctor-patient relationship. Medical undergraduate courses should guide the students’ training, with the purpose of developing skills that favor the qualification of a decisive professional and able to understand the importance of teamwork. This study aims to analyze the learning of empathy in undergraduate students of medical courses from public universities in the Northeast of Brazil, which are in their last year of medical internship. In order to do so, we sought to understand these students’ empathy conceptions, to know how the learning for an empathic attitude during medical training occurred and to identify how to improve this learning. A qualitative methodology was used, and focal groups were used with students from two different universities, whose speeches were submitted to a thematic analysis, which tried to apprehend the conceptions of empathy, its learning during undergraduate school and the suggestions for the improvement of its teaching / learning. The results pointed out that students do not recognize or identify relevant teaching moments during their training in relation to the learning of empathy and, when mentioned, they associate it more to theory than to medical practice. They emphasize that the methodology used is not very stimulating and that teachers lack training. They also request an institutional look at their mental health. There were no significant differences between the gender and the age of the students regarding the empathic disposition. It is concluded that this research confirmed the initial assumption: that the medical undergraduate course, in general, has not adequately prepared students for the practice of empathy in the doctor-patient relationship. For these students, the “capacity to put oneself in the other’s shoes” stands out as difficult, thus strengthening the need for a more careful look at the training scenario in order to intervene more adequately to increase the learning of the empathy component.
  • Resilience in the Training of Medical Students in a University With a Hybrid Teaching-Learning System Original Article

    Kubrusly, Marcos; Rocha, Hermano Alexandre Lima; Maia, Allan Carlos Costa; Sá, Amanda Kubrusly de Miranda; Sales, Mariana Mendonça; Mazza, Selene Regina

    Abstract in Spanish:

    RESUMEN Introducción La exposición de estudiantes a eventos que los estresan y la asociación de esos eventos con la salud mental de los alumnos, es una cuestión importante en la Educación Médica. Para andar por el arduo camino del pregrado y resolver problemas emergentes, algunos alumnos desarrollan métodos que los ayuden, entre ellos, la resiliencia. Un sistema de aprendizaje híbrido, con fusión de aprendizaje activo y tradicional, puede ser un sistema complementario que genere estrés, una vez que demanda la adquisición de conocimiento por parte de los alumnos, tanto para evaluaciones de enseñanza tradicional como para la búsqueda autónoma del conocimiento y las habilidades, que son las actitudes exigidas en la problematización. Objetivo Determinar el grado de resiliencia durante el curso de Medicina en un sistema híbrido de enseñanza, identificando mecanismos subyacentes. Métodos Estudio transversal desarrollado entre agosto del 2017 y agosto del 2018, en el centro universitario Christus, Brasil, una escuela de Medicina que utiliza currículos de aprendizaje con base en la problematización y asociados a la metodología tradicional de enseñanza. La escala de resiliencia de Wagnild y Young se aplicó a estudiantes de medicina de todos los semestres. También se compilaron variables socioeconómicas, emocionales e de desempeño académico, auto-referidas. La asociación entre las variables se evaluó con modelos de regresión logística mínimamente ajustados. Resultados 173 estudiantes de medicina participaron en este estudio, con un promedio de edad entre los 22,4 años, siendo que un 65,3% eran mujeres. El 88,1% de los estudiantes de Medicina presentaron alta o muy alta resiliencia. Recibir apoyo de los familiares y amigos, se asoció a una mejor resiliencia (valores de p inferiores a 0,001), los estudiantes que estaban “muy satisfechos” o “satisfechos” con el apoyo familiar tenían una tendencia mayor para desarrollar grados mejores de resiliencia, con resultados de tendencias de resiliencia muy elevadas (82,50%) y altas (71,10%), superando la prevalencia encontrada en estudiantes insatisfechos. Además, tener una creencia religiosa, también se asoció a grados más elevados de resiliencia (valor de p = 0,02). Conclusiones Los factores identificados en este estudio, principalmente la importancia de la red de apoyo de la familia y los amigos, pueden ser estimulados para mejorar la resiliencia de los alumnos. No se registró asociación directa entre la auto evaluación del desempeño académico y la resiliencia de los alumnos, siendo que ella tiende a permanecer constante a lo largo del curso.

    Abstract in English:

    ABSTRACT Background The exposure of students to stressful events and the association of these events with students’ mental health is an important matter in Medical Education. To address this arduous training and solve emerging problems, some students develop methods to help them and, among these, resilience. A hybrid learning system, merging active and traditional learning, can be a supplementary source of stress generation , since it demands the acquisition of knowledge by the students, for summative assessments of traditional teaching as well as for the autonomous search for knowledge, skills, and attitudes required in the problematization. Purpose To determine the degree of resilience throughout the medical course under the hybrid teaching-learning system, identifying underlying mechanisms. Methods This was a cross-sectional study developed from August 2017 to August 2018, at Christus University Center, Brazil, a medical school that uses problem-based learning curricula associated with traditional teaching methodology. Wagnild and Young Resilience Scale was applied to medical students from all semesters. Socioeconomic, emotional and self-reported performance variables were also collected. The association between variables was assessed with minimally adjusted logistic regression models. Results 173 medical students participated in this study, with a mean age of 22.4 years, of which 65.3% were females. 88.1% of the medical students showed high or very high resilience. Receiving support from family and friends was associated with better resilience (p values lower than 0.001), as students who were “very satisfied” or “satisfied” with family support had a greater tendency to develop better degrees of resilience, with results of “very high resilience trends” (82.50%) and “high resilience trends” (71.10%) surpassing the prevalence identified in dissatisfied students. Also, having a religious belief was also associated with higher resilience degrees (p value = 0.02). Conclusions Factors identified in this study, mainly the importance of the support network from family and friends can be stimulated in order to improve students’ resilience. There was no direct association between the academic performance self-assessment and the students’ resilience and the resilience of medical students tends to remain constant throughout the course.
  • A Tool to Develop and Monitor Collective Health Education in Medical School Artigo Original

    Bursztyn, Ivani; Alves, Rosana

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO Introdução As novas Diretrizes Curriculares Nacionais do curso médico (DCN 2014) enfatizam a saúde coletiva como forma de assegurar o compromisso social na educação médica. Porém, elas não indicam claramente as competências a serem adquiridas e os conteúdos a serem trabalhados nesse campo. Essa lacuna precisa ser preenchida, tendo em vista a necessidade de orientar o vasto número de novos cursos de Medicina, que acompanhou a política do Programa Mais Médicos. Objetivos Identificar os desafios da saúde coletiva no ensino médico e construir uma ferramenta de planejamento estratégico para apoiar as escolas médicas no desenho e monitoramento desse componente do currículo de seus cursos. Metodologia A metodologia compreendeu duas etapas: 1. análise crítica de documentos-chave da educação médica (DCN e Matriz do Revalida) e 2. construção de ferramenta de planejamento estratégico para apoio à elaboração do currículo de saúde coletiva na graduação, por meio da condução de oficinas em que se utiliza o “método do mapeio de alcances”. Resultados Os documentos analisados revelam grande variabilidade no entendimento do lugar da saúde coletiva na formação e nas práticas médicas. Enquanto a Matriz do Revalida, publicada em 2009, estabelece as cinco áreas médicas sem fazer alusão à saúde coletiva, as DCN, publicadas em 2014, parecem supervalorizar esse campo. Porém, como não há uma definição clara acerca das competências e dos conteúdos, muitas vezes a saúde coletiva sofre um reducionismo e aparece confundida com medicina de família e comunidade ou sobreposta a ela. As oficinas participativas tomaram como desafio a reversão dessa visão reducionista ao construírem uma ferramenta apoiada na visão do médico no futuro, tendo como missão precisar competências e conteúdos de saúde coletiva no currículo. Identificaram-se os parceiros na implementação desse componente, as atitudes e mudanças esperadas de cada parceiro e o modo de monitorar seus progressos. Conclusão A ferramenta que se baseia no método de mapeio de alcances focaliza as conquistas e mudanças das pessoas. Apresenta-se como um dispositivo flexível e participativo e pode contribuir para a construção de currículos que formem médicos comprometidos com a realidade social.

    Abstract in English:

    ABSTRACT Introduction The new National Curriculum Guidelines of the undergraduate medical course (DCN-2014) emphasize collective health as a way to ensure social commitment in medical education. However, they do not clearly indicate the skills to be acquired and content to be worked in this field. This gap needs to be filled, given the need to guide the vast number of new medical courses, which followed the “More Doctors” policy in Brazil. Objective To identify the challenges of collective health in medical education and to build a strategic planning tool to support medical schools in designing and monitoring this component of the curriculum of their courses. Method The method comprised two stages: 1) critical analysis of key medical education documents (DCN and REVALIDA Matrix) and 2) construction of a strategic planning tool to support the development of the collective health curriculum in undergraduate programs by conducting workshops using the “outcome mapping method’. Results The documents analyzed disclose great variability in the understanding of the collective health role in medical training and practice. While the REVALIDA Matrix, published in 2009, establishes the 5 medical areas with no reference to collective health, the DCN, published in 2014, seems to overestimate this field. However, since there is no clear definition of skills and content, collective health often suffers from reductionism and seems to be mistaken by or overlap with family and community medicine. The participatory workshops took on the challenge of reversing this reductionist vision, building a tool based on the physician’s vision in the future, with the mission of requiring collective health skills and contents in the curriculum. Partners have been identified for the implementation of this component, as well as the attitudes and changes expected from each partner, and how to monitor their progress. Conclusion The tool, based on the outcome mapping method, focuses on people’s achievements and changes. It is a flexible, participatory device and can contribute to the construction of curricula that will train physicians committed to the social reality.
  • Epidemiological Profile and Quality of Life of Medicine Students with Primary Hyperhidrosis Artigo Original

    Lima, Sônia Oliveira; Almeida, Maria Tainar Barbosa de; Rocha, Fernanda Rodrigues; Santos, Rafael Silva; Andrade, Renata Lima Batalha de; Jesus, Carla Viviane Freitas de

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO Hiperidrose é a produção excessiva de suor pelo corpo, podendo ser primária ou secundária e generalizada ou localizada. As regiões craniofacial, axilar, palmar, dorso, face interna das coxas, plantar são comumente afetadas. A hiperidrose primária (HP), embora seja uma doença benigna, apresenta um eminente impacto negativo na qualidade de vida do paciente. Essa doença é classificada quantitativamente de acordo com a Escala de Gravidade da Doença da Hiperidrose, com base em como ela pode afetar as atividades diárias, podendo ser de leve a grave intensidade. Os acadêmicos de medicina enfrentam situações desgastantes físicas e emocionais durante seus afazeres e, quando portadores de doenças crônicas como a HP, podem ser estigmatizados como inseguros na sua profissão. Objetivou-se definir a prevalência, os critérios diagnósticos, a gravidade e o impacto na qualidade de vida que a HP proporciona nos âmbitos profissional e extracurricular dos acadêmicos de medicina. Trata-se de um estudo transversal de abordagem quantitativa de caráter descritivo, que inclui 300 acadêmicos do curso de Medicina da Universidade Tiradentes, em Aracaju/SE, no período de agosto a novembro de 2017. Utilizaram-se frequências absolutas e relativas no caso de variáveis categóricas e medidas de tendência e variabilidade central no caso de variáveis numéricas. O valor de p < 0,05 foi considerado significativo. A prevalência de HP em estudantes de medicina foi de 18% sem diferença entre os sexos e com predomínios das cores branca e parda. A doença ocorreu principalmente em sítios combinados, como palmoplantar, sendo a região palmar a mais acometida. Os sintomas iniciaram-se, principalmente, durante a infância e adolescência, com prejuízo importante nas atividades diárias pessoais e laborativas, e exacerbação do suor com situações de estresse. A gravidade da HP mais encontrada foi a moderada, sendo o impacto negativo na qualidade de vida principalmente relatado nos graus mais avançados da doença, dificultando as atividades acadêmicas. É importante a inclusão do conhecimento da HP no currículo médico para uma maior divulgação da doença, de modo a permitir um diagnóstico precoce e relacionado à intensidade da sudorese na sua abordagem terapêutica.

    Abstract in English:

    ABSTRACT Hyperhidrosis is the excessive production of sweat by the body, which can be primary or secondary and generalized or localized. The craniofacial, axillary, palmar, dorsum, inner thigh, and plantar regions are commonly affected. Primary hyperhidrosis (HP), although a benign disease, has an imminent negative impact on the patient’s quality of life. This disease is quantitatively classified according to the Hyperhidrosis Disease Severity Scale, based on how the disease affects daily activities, ranging from mild to severe intensity. Medical undergraduate students face physical and emotional stressful situations during their tasks, and when they have a chronic illness such as HP, they can be stigmatized as unsafe for their profession. The objective was to define HP prevalence, diagnostic criteria, severity and impact on the quality of life in the professional and extracurricular scenario of undergraduate medical students. This is a cross-sectional quantitative study of a descriptive nature, including 300 students from the Tiradentes University medical school, in Aracaju-SE, from August to November 2017. Absolute and relative frequencies were used in the case of categorical variables and measures of central tendency and variability were used for numerical variables; p value was considered significant when p <0.05. The prevalence of HP in medical students was 18%, with no difference between the genders and with the predominance of white and brown ethnicities. The disease occurred mainly in combined sites, such as palmar-plantar, with the palmar region being the most affected one. The symptoms began mainly during childhood and adolescence, with significant impairment in daily personal and work activities, with disease exacerbation under stress situations. The most common HP severity was moderate, with a negative impact on quality of life, mainly reported at the more advanced stages of the disease, hindering academic activities. It is important to include the knowledge of HP in the medical curriculum for a greater dissemination of information on the disease, allowing its early diagnosis and related to the intensity of sweating in its therapeutic approach.
  • Aspects of the Family Health Care Professionals’ Profile: the Case of a Municipal Hub in Minas Gerais Artigo Original

    Barbosa, Simone de Pinho; Coelho, Karina Aza; Carvalho, Lorena Miranda de; Sarria, Bianca; Santos, Regina Consolação dos; Cavalcante, Ricardo Bezerra

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO Estudo quali-quantitativo, de abordagem exploratória, que buscou identificar o perfil do médico da Estratégia Saúde da Família no município de Governador Valadares, bem como sua formação e características do seu trabalho. Foram realizadas entrevistas semiestruturadas com 36 médicos de equipes de Saúde da Família nesse município. Utilizou-se a estatística descritiva simples e análise de conteúdo, modalidade temático-categorial, para a organização e análise dos dados coletados. Os resultados indicaram a predominância do sexo feminino, e apontaram profissionais brasileiros com idades entre 24 e 35 anos, com formação em instituição pública, com especialização na área de Medicina de Família. A maioria dos entrevistados pertence ao Programa Mais Médicos, com tempo de permanência na mesma equipe de até três anos. As vantagens destacadas foram identificação com a proposta de trabalho e valorização profissional, ao passo que as desvantagens apontadas foram vínculo empregatício instável, desamparo da gestão, local de atuação de difícil acesso e excesso de cobranças. Foram relatados como pontos facilitadores o trabalho em equipe e boa relação com a comunidade, enquanto a falta de recursos humanos e materiais, de equipamentos, financeiros e de tecnologia é um dos pontos dificultadores. Salienta-se a importância da atenção da gestão diante dessas dificuldades a fim de adequar a infraestrutura das unidades de saúde para proporcionar um trabalho que colabore para a mudança da saúde da população do território adscrito. É necessário repensar a maneira de incentivar o médico a permanecer na Estratégia Saúde da Família, com segurança e perspectivas no trabalho. Cabe salientar a importância do perfil desse médico, que, muitas vezes, teve uma formação diferente da preconizada nas Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Medicina, o que dificulta a resolução dos problemas apontados neste estudo, haja vista o desconhecimento do papel da atenção primária, da importância da integração da rede de saúde e dos atributos do médico nesse nível de atenção.

    Abstract in English:

    ABSTRACT This study is an exploratory, mixed methods study aimed at identifying the profile of family health care physicians in the municipality of Governador Valadares, Minas Gerais, Brazil, as well as his/her training and work characteristics. We conducted semi-structured interviews with 36 physicians from family health care teams, using simple descriptive statistics and content analysis in a thematic-categorical mode to organize and analyze the data. The results indicated a predominance of female, Brazilian professionals aged between 24 and 35 years, trained in public institutions and specialized in the field of Family Medicine. Most interviewees belong to the Mais Médicos Program , and have remained in the same team for up to 3 years. The prominent advantages were the identification of the professionals with the work proposal and professional valuation, while the disadvantages were the unstable employment relationship, disregard by management, workplace of difficult access, and excessive demands imposed on them. The facilitating points were teamwork and good relationship with the community, while the most challenging points were the lack of human resources, equipment, finances, and technology. We highlight the importance of the attention given by management to the difficulties to adapt the infrastructure of the Health Care Units and provide a work that contributes to change the health care of the population in this region. Therefore, it is necessary to rethink how physicians can be encouraged to remain in the Family Health Care Strategy, providing them with enhanced job security and prospects. However, it is worth underlining the importance of the profile of family doctors, whose training often diverges from the National Curricular Directives for medical training. These differences make it challenging to solve the issues indicated in this study due to the lack of knowledge about the role of primary healthcare, the importance of integration of the health care network, and lack of knowledge about the physician’s attributes at this level of care.
  • Biochemistry and Renal Function: Use of Inquiry-Based Teaching Sequences for Retrieval of Specific Concepts Original Article

    Magalhães, Prislaine Pupolin; Oliveira, Rodrigo Cardoso; Ponce, Daniela; Zuliani, Silvia Regina Quijadas Aro

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO As propostas de ensino atuais envolvem estratégias de ensino que auxiliam e incentivam a construção do conhecimento, fazendo com que o aluno seja um participante ativo do processo de aprendizagem, e têm sido alvo de diversas pesquisas. Este artigo relata, aula a aula, uma sequência didática realizada com alunos em fase inicial de formação, aplicada à primeira turma do curso de Ciências Médicas da USP – Bauru, que propõe em seu projeto pedagógico o Aprendizado Baseado em Problemas (PBL) como principal estratégia de ensino. Nesta sequência didática, utilizamos atividades experimentais investigativas. A característica principal de uma sequência didática que inclui atividades investigativas é seu processo evolutivo gradual, com o objetivo de entrelaçar a perspectiva científica e as concepções dos estudantes por meio de atividades de ensino-aprendizagem bem planejadas, contextualizadas e empiricamente adaptadas ao raciocínio do aluno. O objetivo deste trabalho é compartilhar uma vivência assertiva da aplicação de uma sequência didática de caráter investigativo contextualizada, que envolveu conceitos que foram desde as propriedades químicas mais simples das biomoléculas/íons até a associação e discussão de um caso clínico hipotético envolvendo proteinúria. Essa fisiopatologia consiste na excreção de proteína na urina, principalmente albumina, e ocorre quando há algum dano nos rins. Sendo assim, a dosagem da fração proteica na urina (albuminúria) é utilizada principalmente para detecção precoce de doença renal crônica e pode ser também um instrumento para o diagnóstico de doenças cardiovasculares. Portanto, deve-se estar atento aos possíveis elementos interferentes e às variadas causas de erros inerentes a esse exame. Desta maneira, por meio de um recurso didático que envolve atividades experimentais investigativas contextualizadas, tendo como questão problematizadora um caso de proteinúria, pudemos nos reaproximar de conceitos específicos e valorizar os saberes procedimentais e atitudinais, o que é importante para os alunos nesta fase de formação. Nesta proposta, os alunos foram protagonistas do processo de aprendizagem, no qual puderam levantar e testar suas hipóteses, interligando conhecimentos e adquirindo habilidades e competências específicas, o que possibilitou uma reflexão sobre a importância dos fundamentos e aplicações das ciências básicas. O propósito das sequências didáticas investigativas e contextualizadas é formar sujeitos autônomos, que saibam tomar decisões e trabalhar emequipe, seguros e críticos, compreendendo como os saberes científicos evoluem e estão relacionados.

    Abstract in English:

    ABSTRACT Current teaching proposals involve teaching strategies that seek to assist and encourage the construction of knowledge by the students, turning them into active participants during the learning process and these have been the subject of several researches. This article reports a didactic sequence carried out with students of applied training for the first year Medical Sciences USP – Bauru, and proposes, as part of its pedagogical design, Problem Based Learning (PBL) as the main teaching strategy. In this didactic sequence we used experimental investigative activities. A didactic sequence that includes investigative activities can be characterized as a gradual evolutionary process, with the objective of intertwining the scientific perspective and the students’ conceptions, through well-planned teaching and learning activities contextualized and empirically adapted to the student’s reasoning. The objective of this work is to share an assertive experience of the application of a contextualized research didactic sequence that involved concepts ranging from the simplest chemical properties of biomolecules and ions to the association and discussion of a hypothetical clinical case involving proteinuria. Its pathophysiology consists of the excretion of protein in the urine, mainly albumin, and occurs when there is some damage to the kidneys. Therefore, the dosage of the protein fraction in urine (albuminuria) is mainly used for the early detection of chronic or acute kidney disease and can also be an instrument for the diagnosis of cardiovascular diseases. Therefore, one should be aware of the possible interferences and the various causes of errors inherent to this examination. In this way, through a didactic resource involving contextualized research experimental activities, having proteinuria as the key problem, we were able to re-approximate specific concepts and to value procedural and attitudinal knowledge, which is important for students in this training phase. In this proposal, the students were protagonists of the learning process, where they were able to raise and test their hypotheses, interconnecting knowledge, acquiring specific skills and competences, allowing reflection on the importance of fundamentals and applications of the basic sciences. The purpose of the investigative and contextualized didactic sequences is to form autonomous subjects, who know how to make decisions and work in teams and have a sound and critical understanding of how scientific knowledge evolves and is related.
  • Increased Knowledge among Psychiatric Medical Interns does not Reduce the Stigmatization of Mental Disorders Artigo Original

    Araújo, Gabriel de Oliveira; Ramos, Mariana Mendonça Ferreira; Suarte, Antonio Pedro de Melo Moreira; Coutinho, Lays Genro; Braga, Bárbara Vidigal; Blanco-Vieira, Thiago

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO Introdução Considerando a prevalência dos transtornos mentais, é essencial que qualquer médico seja capaz de prestar assistência qualificada e humanizada a pessoas em sofrimento psíquico. No entanto, o usual estigma e a falta de conhecimento no manejo das doenças mentais por parte dos médicos podem representar uma barreira de acesso e ineficiência importante enfrentada pelos pacientes no sistema de saúde. Objetivo Estimar o ganho de aprendizado percebido e a redução de estigma em relação a pessoas portadoras de esquizofrenia por estudantes de Medicina após a exposição ao estágio obrigatório no internato numa escola médica pública no Distrito Federal. Método Estudo quasi-experimental para avaliação de impacto de programa educacional durante o internato médico em saúde mental. A amostra consistiu em 35 estudantes do último ano do curso de Medicina. Foram aplicados questionários para aferição do grau e tipificação do estigma em relação à esquizofrenia e à autopercepção sobre manejo de medicamentos e sobre tratamento de doenças psiquiátricas. Os instrumentos utilizaram uma escala do tipo Likert de três pontos para aferição dos resultados. Os questionários foram aplicados imediatamente antes e após a exposição ao programa educacional, que teve duração de quatro semanas. Os valores médios de autopercepção e estigma foram comparados entre os dois momentos empregando-se o teste t de Student emparelhado. Resultados Não houve mudança significativa do grau de estigmatização nas dimensões avaliadas (estereótipo total, p = .230; preconceito percebido, p = .172; distância social, p = .209; direitos civis, p = .837). Quanto à autopercepção de conhecimento, os valores médios do número de resposta igual a 3 e a soma no momento pós- são significativamente maiores que no momento pré- (p = .007 e p < .0001, respectivamente). Os ganhos não se mostraram associados significativamente com as variáveis demográficas. Conclusão A despeito do ganho em conhecimento, a imersão em saúde mental no internato do curso de Medicina ao longo de quatro semanas não se mostrou eficaz para mudança no estigma. É possível que a curta duração da intervenção implique contato insuficiente com o portador de doença mental para redução do estigma. Sugerimos a realização de novos trabalhos com ampliação da amostra e com desenhos experimentais.

    Abstract in English:

    ABSTRACT Introduction Considering the high prevalence of mental illnesses, it is essential for any physician to offer proper treatment and attention to people with these disorders. Nevertheless, the usual stigma and lack of knowledge regarding the management of mental disorders on the part of physicians can represent a significant barrier to treatment and inefficiency faced by patients in the health care system. Objective This study aimed to measure the gain of psychiatric knowledge and the reduction in the stigmatization of people with schizophrenia by medical students after exposure to the compulsory internship program at a public medical school in the Federal District. Methods Quasi-experimental study to evaluate the impact of the training program during medical internship in the final year of undergraduate medical training. The sample was 35 final-year medical students. Questionnaires were applied to measure the degree and type of stigma in relation to schizophrenia and self-perception regarding the drug management and treatment of psychiatric diseases. A three-point Likert scale was used to measure the results. The questionnaires were applied immediately before and after exposure to the four-week training program. The medical values of self-perception and stigma were compared between two moments using the Student’s t test. Results: There was no statistically significant difference found between stigmatization before and after the intervention (total stereotype, p = 0.230; perceived prejudice, p = 0.172; social distance, p = 0.209; civil rights, p = 0.837). Regarding self-perception of knowledge, the number of items reaching total confidence and the mean values after the training were significantly improved (p = 0.007 and p < 0.0001, respectively). There was no correlation with sociodemographic characteristics. Conclusion Despite the knowledge gain, medical students failed to show any improvement in the degree of stigma held after immersion in a 4-week practical psychiatric training program. The short duration of the intervention might have meant that the students’ contact with patients was insufficient to reduce stigma. More studies are needed with larger groups and experimental designs.
  • Evaluation of the Competence of Medical Students in Identifying Risks to the Safety of the Patient through Simulation Artigo Original

    Guarana, Carlos Vinicius Pacheco dos Santos; Souza, Edvaldo da Silva; Dias, Victor de Souza; Valentim, Eliana

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO Introdução A segurança do paciente (SP) está entre os principais temas discutidos pelos profissionais da área de saúde em todo o mundo. No Brasil, em 2016, ocorreram mais de 302 mil mortes por eventos adversos evitáveis e 70% eram de causas preveníveis, que custaram mais de 10,9 bilhões de reais. Objetivo Avaliar os conhecimentos, habilidades e atitudes de estudantes do quarto e oitavo períodos do curso de Medicina sobre segurança do paciente por meio de simulação. Método Foi realizado um estudo transversal. A coleta de dados foi feita por meio de dois instrumentos, um com o perfil sociodemográfico e outro a ser preenchido durante a simulação. A simulação ocorreu numa sala de laboratório preparada para reproduzir um cenário hospitalar. Foram planejados pelos pesquisadores seis riscos a serem identificados no cenário durante o tempo de sete minutos. Os dados foram analisados com uso do Epi-Info 7.1. A pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética da instituição. Resultado Participaram do estudo 42 estudantes, sendo 24 do quarto período e 18 do oitavo. Nenhum estudante identificou todos os seis riscos. No geral, os alunos apresentaram baixo desempenho, tendo identificado em média de dois a três riscos à segurança do paciente. O risco de administração de medicação equivocada foi percebido por 34 estudantes (81%); a falta de identificação por 15 (36%); o risco de quedas por 11 (26%); problemas de higienização das mãos por 6 (14%); o risco de procedimentos cirúrgicos equivocados por 3 (7%) e o risco de lesões por pressão não foi identificado por nenhum estudante. Três riscos adicionais não planejados pelos pesquisadores foram identificados pelos estudantes, com predomínio de identificação de dois riscos por estudantes do oitavo período. Conclusão Os estudantes apresentaram pouca competência em identificar riscos à segurança do paciente. Contudo, demonstraram melhor desempenho ao longo do curso, revelando quão importante é trabalhar a segurança do paciente já nos primeiros anos de graduação.

    Abstract in English:

    ABSTRACT Introduction Patient safety (PS) is among the main topics discussed by healthcare professionals worldwide. In Brazil, more than 302,000 deaths from preventable adverse events were reported in 2016, and 70% had preventable causes that cost more than 10.9 billion reais. Objective To evaluate the knowledge, skills and attitudes, through simulation of students of the medical course of the 4th and 8th semesters regarding the subject of patient safety. Methods A cross-sectional study was conducted. The data was collected through two instruments, one to ascertain the sociodemographic profile and the other to be completed during the simulation. The simulation took place in a laboratory room prepared to reproduce a hospital scenario. The researchers planned six risks to be identified in the scenario with a duration of 7 minutes. All data were analyzed by EPI-INFO 7.1. The research was approved by an ethics committee. Results A total of 42 students participated in the study, 24 and 18 of the 4th and 8th periods, respectively. No student has identified all six risks. Overall, students performed poorly, identifying on average two to three risks to patient safety. The risk of administration of wrong medication was perceived by 34 (81%); lack of identification by 15 (36%); risk of falling by 11 (26%); problems with hand hygiene by 6 (14%); risk of wrong surgical procedures by 3 (7%) and risk of pressure ulcers was not identified by any student. Three additional risks not planned by the researchers were identified by the students, especially two risks identified by 8th-period students. Conclusion Students displayed little ability to identify patient safety risks. However, they demonstrated better performance throughout the course, revealing how important it is to work on patient safety in the early years of undergraduate training.
  • Competency Profile in Genetics for Physicians in Brazil: A Proposal of the Brazilian Society of Medical Genetics and Genomics Original Article

    Melo, Débora Gusmão; Silva, André Anjos da; Husny, Antonette Souto El; Ferraz, Victor Evangelista de Faria

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO Educação em genética é fundamental para o entendimento dos aspectos biológicos do binômio saúde-doença. Além disso, com a mudança do perfil epidemiológico, as doenças com determinantes genéticos tornaram-se mais relevantes como problema de saúde pública. Assim, manejar estas doenças, tanto em pacientes como em suas famílias, de forma ética, diligente e considerando a lógica e as políticas do Sistema Único de Saúde (SUS), passa a ser competência desejável para todos os médicos, impactando sua formação na graduação. Entendendo esta questão como absolutamente relevante, a Sociedade Brasileira de Genética Médica e Genômica (SBGM) definiu as competências desejáveis em genética para os médicos do Brasil, articuladas às políticas públicas relacionadas à área existentes no País. Este artigo é um ensaio teórico que objetiva contextualizar e apresentar o perfil de competência em genética para médicos proposto pela SBGM. O perfil de competência, apresentado e discutido neste ensaio, foi estruturado com base em quatro competências essenciais: (a) reconhecer a necessidade de educação continuada, examinando regularmente a sua própria competência clínica; (b) identificar indivíduos que apresentem ou possam desenvolver uma doença genética e saber como e quando encaminhá-los para aconselhamento genético; (c) manejar pacientes com doenças genéticas e/ou defeitos congênitos no âmbito da sua atuação profissional; (d) promover e estimular práticas clínicas e de educação em saúde, objetivando a prevenção de doenças genéticas e defeitos congênitos. Conhecimentos, habilidades e atitudes necessários para alcançar essas quatro competências foram elencados. Dessa forma, é apresentado um referencial teórico, baseado em competências, para apoiar o ensino da genética durante a graduação em Medicina. Defende-se a adoção deste perfil de competência mínimo em genética em todas as escolas médicas brasileiras com a finalidade de formar um médico mais adequado às atuais demandas do SUS. Adicionalmente, esse perfil de competência pode subsidiar ações de educação profissional permanente na área da genética, de forma a capacitar o recurso humano do SUS em relação às doenças genéticas e aos defeitos congênitos.

    Abstract in English:

    ABSTRACT Training in genetics is fundamental to understanding the biological aspects of the health-disease binomial. Moreover, with the change in the epidemiological profile, genetically determined disorders have become more relevant as a public health concern. Thus, managing these disorders in an ethical and diligent manner, both in patients and in their families, and considering the logic and policies of the Brazilian Unified Health System (SUS), has become a desirable competency for all physicians, impacting on their undergraduate training. Viewing this issue as relevant, the Brazilian Society of Medical Genetics and Genomics (SBGM) defined the desirable competencies in genetics for Brazilian physicians, tied to the public policies related to medical genetics in Brazil. This paper is a theoretical essay that aims to contextualize and present the competency profile in Genetics for physicians proposed by the SBGM. The proficiency profile, presented and discussed in this essay, was structured based on four essential competencies: (1) to recognise the necessity for continuing education, regularly examining one’s own clinical competency, identifying learning gaps and the advances of genetics and of genomics over time; (2) to identify individuals that present or can develop a genetic disorder and know how and when to refer the patient to a specialist in medical genetics; (3) to manage patients with previously diagnosed genetic disorders and/or birth defects, employing established clinical guidelines in the scope of their professional role; and (4) to promote and stimulate clinical and education practices aimed at preventing genetic disorders and birth defects. The knowledge, skills and attitudes required for attaining these four competencies were identified. Therefore, a competency-based theoretical reference is presented to support the teaching of genetics during medical training. It is proposed that this essential competency profile in genetics should be adopted in all Brazilian medical schools with the purpose of training physicians better prepared for the current demands of the SUS. Furthermore, this competency profile can support continuing professional education actions in the area of Genetics, in order to qualify SUS staff in relation to genetic disorders and birth defects.
  • Social Accountability of Medical Schools and Social Representations of Medical Students in the Context of the More Doctors Program Artigo Original

    Oliveira, Felipe Proenço de; Santos, Leonor Maria Pacheco; Shimizu, Helena Eri

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO Diversos debates, no contexto nacional e internacional, têm sugerido a necessidade de mudanças na formação médica, de modo que ela esteja em consonância com a organização dos sistemas de saúde. Nessa perspectiva, propõe-se que as escolas sejam orientadas pela responsabilidade social, que consiste em ordenar o ensino, a pesquisa e as atividades em serviço para atender às necessidades em saúde com foco prioritariamente em áreas de difícil acesso. Uma referência mais recente na formação médica em nível nacional foi o Programa Mais Médicos, que dispôs sobre um novo marco regulatório para a educação médica. Avalia-se que as modificações introduzidas pelo programa podem influenciar a elaboração de novas representações sociais dos estudantes de Medicina. Por meio da teoria das representações sociais, realizou-se um estudo qualitativo para analisar a percepção sobre a responsabilidade social das escolas médicas de 149 estudantes de Medicina do sétimo semestre de quatro cursos de instituições federais de ensino superior da Região Nordeste. Dois dos cursos estão no interior e foram criados em virtude do Programa Mais Médicos e outros dois correspondem aos cursos de capitais com mais de 60 anos de existência. Com base na análise do currículo de cada curso, eles foram denominados “tradicionais” ou “novos”. Nos resultados, observou-se que os estudantes dos diferentes cursos se assemelham no que diz respeito ao ingresso por cotas, mas os estudantes de cursos “novos” têm maior ingresso por políticas afirmativas, incluindo critérios regionais de acesso. Ambos os grupos de estudantes destacaram prioritariamente o termo “dever”, o que pode remeter a um âmbito mais individual da noção de responsabilidade. Também foram citados com destaque nos dois grupos os termos “cidadania” e “ética”. Somente os estudantes das escolas “novas” citaram termos como “compromisso”, “justiça” e “SUS”. Essa percepção sugere uma noção mais ampla da responsabilidade social nos estudantes de escolas criadas em virtude do Programa Mais Médicos, apesar da literatura nacional insuficiente sobre esse tema. Conclui-se ressaltando a importância desse programa na implantação de escolas médicas em regiões que anteriormente não contavam com essa formação. Reforça-se ainda a relevância da dedicação dos professores que implantaram os cursos no interior da Região Nordeste, demonstrando a necessidade de se aprofundar nas temáticas que envolvem o desenvolvimento docente. Sugere-se ampliar as análises sobre experiências como essas, de modo que possam ser aprofundadas com a radicalidade necessária ao fortalecimento do Sistema Único de Saúde.

    Abstract in English:

    ABSTRACT Several debates, in the national and international context, have suggested the need for changes in medical education, so that it is in line with the organization of health systems. From this perspective, it is proposed that schools be guided by social accountability, which consists of ordering teaching, research and activities in service to meet health needs with a focus on areas that are difficult to reach. A more recent reference in medical education at the national level was the More Doctors Program, which provided for a new regulatory framework for medical education. It is evaluated that the modifications introduced by the Program can influence the elaboration of new social representations of medical students. Through the theory of social representations, a qualitative study was carried out to analyze the perception about the social accountability of the medical schools of 149 medical students, of the seventh semester of four courses of Federal Higher Education Institutions in the Northeast Region. Two of the courses are in the interior and were created by virtue of the More Doctors Program and another two correspond to courses in the state capital existing for more than 60 years. From the curriculum analysis of each course, they were termed “traditional” or “new”. In the results, it was observed that the students of the different courses resemble each other in terms of admission by quotas, but students of “new” courses have a greater entrance under affirmative action policies, including regional access criteria. Both groups of students have emphasized the term “duty” as a priority, which may refer to a more individual scope of the notion of accountability. The terms “citizenship” and “ethics” were also highlighted in both groups. Only for students in “new” schools were terms such as “commitment”, “justice” and “SUS” cited. This insight suggests a broader notion of social accountability in school students created under the More Doctors Program, despite insufficient national literature on this topic. The conclusion emphasizes the importance of the Program in the implantation of medical schools in regions that did not previously have this training. It also reinforces the relevance of the dedication of the teachers who implemented the courses in the interior of the Northeast, demonstrating the need to deepen in the themes that involve teacher development. It is suggested that there is a need to broaden the analysis of experiences such as these, so that they can be explored with the radicalism necessary to strengthen the Unified Health System.
  • Teaching Antimicrobial Stewardship at a Rio de Janeiro Medical School Artigo Original

    Silva, André Ricardo Araujo da; Almeida, Igor Melo de; Sacre, Rafael Carvalho; Souza, Cristina Letícia Passos de

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO Introdução Programas de gestão de antimicrobianos (PGA) são ferramentas importantes para minimizar o problema global da resistência antimicrobiana. As bases destes programas devem começar idealmente na graduação médica. Objetivo Identificar a apresentação dos conceitos dos PGA no currículo de uma escola médica. Material e métodos Estudo transversal realizado com docentes da Universidade Federal Fluminense (UFF). O critério de inclusão utilizado foi ministrar conteúdos relativos a PGA para o curso de Medicina. Foram mensurados apresentação de componentes-chave dos PGA, carga horária destinada, metodologias de ensino e avaliações empregadas. Resultados Estudo realizado entre dezembro de 2017 e janeiro de 2018, sendo incluídos 6 dos 329 (1,8%) docentes que ministravam aulas para o curso de Medicina. A carga horária destinada à apresentação dos PGA totalizou 83 horas, com mediana de 3 h/docente, o que correspondeu a 1,1% da carga horária total do curso inteiro. Cinco dos seis professores (83,3%) apresentaram pelo menos um dos componentes-chave dos PGA. A frequência de apresentação dos componentes-chave dos PGA foi de: especificidade do tratamento (5/6 - 83,3%), duração do tratamento (4/6 - 66,7%), otimização do tempo de administração (4/6 - 66,7%), possibilidade de troca de via de administração (3/6 - 50%) e monitorização de níveis séricos (2/6 - 33,3%). Quatro dos seis docentes (66,7%) utilizaram combinações de metodologia de ensino, as quais foram reportadas nas seguintes frequências: aulas tradicionais (5/6 - 83,3%), estudos de casos clínicos (4/6 - 66,7%) e aprendizado baseado em problemas (4/6 - 66,7%). Cinquenta por cento dos docentes utilizaram combinações de avaliações para assimilação do conteúdo, e as mais utilizadas foram: respostas dissertativas curtas (3/6), casos clínicos (2/6), perguntas de múltipla escolha (2/6), resumos clínicos (1/6), seminários (1/6) e respostas dissertativas longas (1/6). Conclusões Verificamos que os componentes-chave relativos aos PGA foram apresentados em uma escola médica do Rio de Janeiro, sendo a combinação de diferentes metodologias de ensino a principal estratégia para transmissão dos conceitos. Metade dos docentes utilizou combinação de avaliações para mensurar o conteúdo apresentado. Há necessidade de ajustes para que aspectos importantes, como troca de via de administração e monitorização de níveis séricos, sejam mais debatidos na graduação.

    Abstract in English:

    ABSTRACT Introduction Antimicrobial stewardship programs (ASP) are important tools in the effort to reduce the global issue of antimicrobial resistance. Ideally, the foundations of ASP should start to be conveyed in undergraduate medical training. Aim To identify the presentation of ASP concepts in the curriculum of a medical school. Material and methods A cross-sectional study conducted among medical teachers from the Universidade Federal Fluminense (UFF). The inclusion criterion was teaching ASP-related content in the undergraduate medical course. We analyzed which key-concepts were presented, the number of hours dedicated to presentation, the teaching methodologies and the evaluation methods. Results The study was conducted between December 2017 and January 2018 and included six of the 329 (1.8%) teachers who taught on the Medicine course. The total hours dedicated to ASP teaching was 83; median of 3h/teacher, corresponding to 1.1% of the total class hours for the whole course. Five out of six (83.3%) teachers present at least one key component of ASP. The frequency of key ASP concepts presented was: specificity of treatment (5/6 - 83.3%), duration of treatment (4/6 - 66.7%), optimization of administration time (4/6 - 66.7%), possible switching of administration method (3/6 - 50%) and therapeutic drug level monitoring (2/6 - 33.3%). Four out of six (66.7%) teachers used combinations of teaching methodologies, which were reported in the following frequency: lectures (5/6 - 83.3%), clinical cases (4/6 - 66.7%) and problem-based learning (4/6 - 66.7%). Fifty percent of the teachers employed combined evaluations to measure the concepts presented and the most common used were: short dissertation questions (3/6), clinical cases (2/6), multiple choice questions (2/6), clinical summaries (1/6), seminars (1/6) and long dissertation questions (1/6). Conclusions We verified that key ASP-related concepts were presented in a Rio de Janeiro medical school, with a combination of different methodologies constituting the main strategy to convey the concepts. Combinations of evaluations were used by half of the teachers to measure the contents presented. A requirement is observed to improve the teaching of important aspects such as when it is possible to switch the administration method and monitoring of the therapeutic drug level.
  • Volunteering: an Assessment of the Motivation among Medical Students and the Experience in the Project “Caring for Your Health in Ponto dos Volantes, Jequitinhonha, MG” Artigo Original

    Amorim, Fernanda Mendes; Real, Ana Paula Bernardes; Duarte, Gustavo Antunes Rodrigues; Mesquita, Juliana Toledo; Cota, Bruno Cézar Lage; Miranda, Luís Felipe José Ravic de

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO Objetivo Trata-se de um estudo descritivo, dividido em duas abordagens distintas, a respeito do trabalho voluntário entre estudantes de Medicina. Este artigo buscou compreender o nível de engajamento desses estudantes em projetos voluntários e as repercussões geradas com a atuação em um projeto de voluntariado da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) em um grupo de alunos. Método O estudo foi realizado em duas partes. A primeira parte trata-se de um estudo transversal de análise quantitativa que, por meio de um questionário online na plataforma Google Forms, entrevistou 135 acadêmicos de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) do primeiro ao décimo segundo período. Os participantes foram questionados sobre já terem ou não se engajado em serviços voluntários e os motivos deste engajamento. A segunda parte do artigo versa sobre um estudo transversal de análise qualitativa que avaliou o impacto do projeto voluntário “Cuidando da sua saúde em Ponto dos Volantes”, promovido pela Faculdade de Medicina da UFMG, na vida dos participantes. O projeto ocorreu em julho de 2017 no Vale do Jequitinhonha (MG), com 19 integrantes, todos alunos da graduação de Medicina. Foram avaliadas, por meio da plataforma Google Forms, as opiniões de 15 dos 19 estudantes participantes do projeto. Resultados Os resultados do primeiro estudo mostraram que 108 (80%) dos participantes já haviam feito algum trabalho voluntário na vida e 97,3% deles gostariam de participar de outra atividade semelhante. Quando questionados sobre os benefícios que o voluntariado proporcionou, o crescimento pessoal foi a alternativa mais selecionada, com 94 (25,06%) votos dentre o total de 375 votos; o incremento do curriculum vitae não ficou entre os mais votados, tendo obtido somente 23 (6,13%) votos. Entre as pessoas sem interesse em se dedicar ao voluntariado, a falta de tempo foi o motivo mais escolhido. Além disso, 110 (81,48%) dos participantes da pesquisa afirmam ter desejo de trabalhar como voluntários após a graduação. No segundo estudo, todos os 15 alunos (100%) que responderam ao questionário mostraram interesse em realizar novo trabalho voluntário. Quando indagados sobre o impacto do trabalho em suas vidas, apenas aspectos positivos foram levantados, como valorização da própria vida e da do próximo. Quanto ao motivo de se engajar no projeto, a grande maioria mencionou a possibilidade de conhecer realidades distintas da cotidiana e dos serviços da faculdade. Conclusão Juntos, ambos os estudos mostram que o trabalho voluntário tem alcançado notoriedade na vida dos estudantes de Medicina da UFMG e que o não engajamento em tais projetos ocorre mais por falta de conhecimento e divulgação destes do que pela falta de interesse dos alunos. Nosso estudo concluiu ser necessário maior investimento na criação e divulgação de projetos voluntários acadêmicos e acredita que essa realidade deva ser expandida não só nas universidades ao longo do País, mas em escolas e em comunidades como um todo.

    Abstract in English:

    ABSTRACT Objective This is a descriptive study divided into two distinct approaches to voluntary work among medical students. This article sought to understand the level of engagement of these students in voluntary projects and the repercussions generated by working in a volunteer project of the Federal University of Minas Gerais (UFMG) in a group of students. Methods The study was carried out in two parts. The first part is a cross-sectional study involving quantitative analysis, through which, with the use of an online questionnaire in Google Forms, 135 first- to sixth-year medical students from the Federal University of Minas Gerais (UFMG) were interviewed. Participants were asked whether or not they had engaged in voluntary services and the reasons for doing so. The second part of the article is a cross-sectional, qualitative analysis that evaluated the impact of the voluntary project “Caring for your health in Ponto dos Volantes”, promoted by the UFMG Medical School on the life of the participants. The project took place in July 2017 in Vale do Jequitinhonha, Minas Gerais, with 19 members, all of them undergraduate medical students. The opinions of 15 of the 19 students participating in the project were evaluated through the Google Forms platform. Results The results of the first study showed that 108 (80%) of the participants had previously done some voluntary work and 97.3% of them would like to participate in another similar activity. When questioned about the benefits that volunteering provided, personal growth was the most common answer, with 94 (25.06%) votes out of 375 votes; enhancing one’s curriculum vitae was not among the most voted, obtaining only 23 (6.13%) votes. Among those with no interest in volunteering, lack of time was the most common reason. In addition, 110 (81.48%) of the study participants stated that they would like to volunteer after graduation. In the second study, all 15 students (100%) who answered the questionnaire showed interest in carrying out new voluntary work. When asked about the impact of volunteering on their lives, only positive aspects were raised, such as valuing one’s life and that of others. As for the reason for engaging in the project, the vast majority mentioned the possibility of learning about different realities from daily life and college services. Conclusion Together, the two studies show that voluntary work has become a well-known feature in the life of UFMG medical students and that non-engagement in such projects is more due to lack of knowledge and dissemination than to lack of interest. Our study concluded that greater investment in the creation and dissemination of academic voluntary projects is needed and that this reality should be expanded not only within universities across the country but in schools and communities as a whole.
  • Abdominal Computed Tomography in the Emergency Room: Overuse of Medical Technologies and the Depreciation of Clinical Diagnosis Original Article

    Silva, Henrique Soares; Oliveira, Fernanda Kelly Fraga; Prado, Lourivania Oliveira Melo; Almeida-Santos, Marcos; Reis, Francisco Prado

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO O número de tomografias computadorizadas (TC) realizadas de urgência tem aumentado cada vez mais desde a introdução desse recurso nos pronto-atendimentos (PA). Isso levou ao aumento substancial dos custos hospitalares e da exposição dos pacientes à radiação ionizante, o que tem despertado a necessidade do uso mais criterioso da TC no PA. O objetivo deste estudo é mostrar a relação entre os diagnósticos clínico, tomográfico e definitivo em pacientes com dor abdominal aguda não traumática como forma de evidenciar situações nas quais o uso da TC de abdome no PA possa ser considerado dispensável. Trata-se de um estudo transversal, com coleta retrospectiva de dados em prontuário eletrônico. Foram selecionados 834 prontuários de pacientes com dor abdominal aguda (DAA) com menos de sete dias de duração até o atendimento inicial, submetidos à TC de abdome de urgência entre 1º de janeiro de 2016 e 31 de dezembro de 2017. Os diagnósticos clínicos (pré-TC), tomográficos (pós-TC) e finais foram registrados e submetidos à análise de concordância por meio do cálculo do coeficiente Kappa (K), adotando-se p < 0,05 como significativo. As TC foram avaliadas como desnecessárias quando o diagnóstico clínico foi concordante com as situações em que o diagnóstico final e pós-TC foram também o mesmo. Os diagnósticos mais frequentes foram dor abdominal inespecífica (DAI), uropatia obstrutiva (UO) e apendicite (AP), que correspondem a 73,6% de todos os diagnósticos clínicos, 58,5% dos diagnósticos pós-TC e 61,3% dos diagnósticos finais. Os resultados mostraram concordância moderada para DAI (Kappa = 0,41; p < 0,001) e para UO (Kappa = 0,46; p < 0,001) e excelente para AP (Kappa = 0,87; p < 0,001). Foram consideradas desnecessárias 52,6% das TC realizadas em pacientes com diagnóstico de DAI, 82,4% dos pacientes com UO e 91,7% daqueles com diagnóstico final de AP. Conclui-se que há altas taxas de TC que podem ser entendidas como desnecessárias para o diagnóstico das principais condições de urgência encontradas, especialmente AP. O estudo alerta para a utilização exagerada da TC no PA e faz uma reflexão sobre possíveis causas, como falta de confiança no diagnóstico clínico, medo de erros médicos e processos judiciais, cujas soluções possíveis podem ser mais eficazes se adotadas ainda na base da formação médica.

    Abstract in English:

    ABSTRACT The number of computed tomography (CT) examinations performed in urgent care has been increasing since its introduction in the emergency room (ER). This has led to a substantial increase in hospital costs and patient’s exposure to ionizing radiation, which has led to the need for more judicious use of CT in the ER. The aim of this study is to show the difference between clinical (pre-CT), tomographic (post-CT) and definitive diagnoses in patients with abdominal CT in the ER. This is a cross-sectional study, with retrospective data collection through electronic medical records. A total of 834 patients with acute abdominal pain (AAP) lasting less than 7 days, submitted to abdominal computed tomography between January 1, 2016 and December 31, 2017 were selected. Clinical, tomographic and final diagnoses were recorded and submitted to a concordance analysis by calculating the Kappa coefficient, considering p <0.05 as significant. CT scans were considered unnecessary when the clinical diagnosis was concordant when both final and post-CT diagnosis were also concordant. The most frequent diagnoses were nonspecific abdominal pain (NSAP), obstructive uropathy (OU) and appendicitis (AP), corresponding to 73.6%, 58.5% and 61.3% of all diagnoses, respectively. Data analysis showed a moderate Concordance for NSAP (kappa: 0.41, p ¬<0.001) and for OU (kappa: 0.46, p <0.001) and excellent for AP (kappa:0.87, p <0.001). In total, 52.6% of computed tomography were considered unnecessary for NSAP, 82.4% for OU and 91.7% for AP. It was concluded that there are high rates of CT that may be considered unnecessary for the diagnosis of the main emergency conditions, especially appendicitis. The study warns to the exaggerated use of CT in the ER and raise discussions over the possible causes, such as lack of confidence in the clinical diagnosis, fear of diagnostic errors and fear of malpractice lawsuits, of which possible solutions may be more effective when applied since the medical education basis.
  • Development and Evaluation of a Crowdsourcing Platform for Education and Evidence-Based Medical Decision-Making Original Article

    Santos, Álisson Oliveira dos; Sztajnberg, Alexandre; Machado, Tales Mota; Nobre, Daniel Magalhães; Souza, Adriano Neves de Paula e; Savassi, Leonardo Cançado Monteiro

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO O processo de educação para tomada de decisão médica tem passado por mudanças nos últimos anos. Anteriormente suportada por material impresso, a resolução de problemas da prática clínica passou a contar recentemente com a ajuda de ferramentas digitais conhecidas como plataformas de sumários. Médicos e estudantes de Medicina têm utilizado tais ferramentas quando têm dúvidas encontradas nos cenários de prática. Essas plataformas apresentam como vantagem a presença de conteúdo de alta qualidade, baseado em evidências e sempre atualizado. Sua popularização deu-se sobretudo com a ascensão do uso da internet e, mais recentemente, de dispositivos móveis como tablets e smartphones, facilitando seu uso na prática clínica. Apesar de amplamente disponíveis, a maioria das plataformas atuais apresenta diversas barreiras de acesso, como custo, idioma estrangeiro e não ser adaptada à epidemiologia brasileira. Uma plataforma gratuita e totalmente nacional de sumários médicos baseados em evidências foi proposta, por meio do conceito da construção colaborativa, para contornar essas barreiras. Além disso, foram implementados conceitos de gamificação. Também há a possibilidade de avaliação pelos próprios usuários, que atribuem notas a cada conteúdo desenvolvido. A plataforma foi construída mediante ferramentas tecnológicas modernas e disponibilizada para web e aplicativo para dispositivos móveis. Após o desenvolvimento, um processo de avaliação foi conduzido pelos pesquisadores para atestar a validade do conteúdo, a usabilidade e a satisfação dos usuários. Foram aplicados questionários e ferramentas de avaliação consolidados na literatura. O processo de desenvolvimento da plataforma digital fomentou a interdisciplinaridade, por intermédio do envolvimento de profissionais da área médica e de tecnologia da informação. O trabalho também permitiu a reflexão sobre os processos educacionais inovadores, nos quais o aprendizado fundamentado em problemas da vida real e a construção de conhecimento de forma colaborativa estão integrados. Osresultados da avaliação apontam que a plataforma criada pode se tornar uma alternativa factível para tomada de decisão médica baseada em evidências.

    Abstract in English:

    ABSTRACT The medical education for clinical decision-making has undergone changes in recent years. Previously supported by printed material, problem solving in clinical practice has recently been aided by digital tools known as summaries platforms. Doctors and medical students have been using such tools from questions found in practice scenarios. These platforms have the advantage of high-quality, evidence-based and always up-to-date content. Its popularization was mainly due to the rise of the internet use and, more recently, of mobile devices such as tablets and smartphones, facilitating their use in clinical practice. Despite this platform is widely available, the most of them actually present several access barriers as costs, foreign language and not be able to Brazilian epidemiology. A free national platform of evidence-based medical summaries was proposed, using the crowdsourcing concept to resolve those barriers. Furthermore, concepts of gamification and content evaluation were implemented. Also, there is the possibility of evaluation by the users, who assigns note for each content created. The platform was built with modern technological tools and made available for web and mobile application. After development, an evaluation process was conducted by researchers to attest to the valid of content, usability, and user satisfying. Consolidated questionnaires and evaluation tools by the literature were applied. The process of developing the digital platform fostered interdisciplinarity, from the involvement of medical and information technology professionals. The work also allowed the reflection on the innovative educational processes, in which the learning from real life problems and the construction of knowledge in a collaborative way are integrated. The assessment results suggest that platform can be real alternative form the evidence-based medical decision-making.
  • Interpersonal Violence/Bullying Situations at the University: Academic Daily Life Clippings among Students from Undergraduate Health Programs Original Article

    Panúncio-Pinto, Maria Paula; Alpes, Matheus Francoy; Colares, Maria de Fátima Aveiro

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO Bullying compreende todas as formas de atitudes agressivas, intencionais e repetidas (de maneira insistente e perturbadora) que ocorrem sem motivação evidente e de forma velada, sendo adotadas por um ou mais estudantes contra outro(s) numa relação desigual de poder, e são consideradas uma forma de violência interpessoal. Este fenômeno se manifesta sutilmente, sob a forma de brincadeiras, apelidos, trotes, gozações e agressões físicas. É possível identificar extensa literatura sobre as consequências do bullying para o desempenho escolar e participação em contextos de vida para crianças e adolescentes, mas ainda são poucos os estudos sobre o fenômeno na universidade. Este estudo buscou a percepção de estudantes e professores de uma universidade pública sobre a presença de violência interpessoal/ bullying no cotidiano acadêmico e suas manifestações. Participaram 137 estudantes e 32 professores, abordados por meio do questionário eletrônico Google Docs. Para 86 estudantes (63%) e 20 professores (63%), a violência interpessoal/ bullying está presente na graduação. A análise de conteúdo permitiu identificar sete categorias empíricas entre estudantes e três entre professores, sendo as mais frequentes violência interpessoal/ bullying na relação veterano-calouro; violência interpessoal/ bullying devido a características pessoais; violência interpessoal/ bullying devido à orientação sexual/gênero e violência na relação professor-aluno. Estudantes e professores são capazes de identificar tal fenômeno como presente no cotidiano da graduação e em diversas esferas, sendo mais recorrente entre os pares. Situações que emergem dos recortes discursivos preocupam pela intolerância presente no cotidiano, fazendo refletir sobre o papel da educação universitária na formação para a cidadania. É imprescindível tomar atitudes em relação à prática do bullying na universidade, a fim de garantir ao estudante sua estabilidade emocional e psicológica e seu bem-estar.

    Abstract in English:

    RESUMO Bullying compreende todas as formas de atitudes agressivas, intencionais e repetidas (de maneira insistente e perturbadora) que ocorrem sem motivação evidente e de forma velada, sendo adotadas por um ou mais estudantes contra outro(s) numa relação desigual de poder, e são consideradas uma forma de violência interpessoal. Este fenômeno se manifesta sutilmente, sob a forma de brincadeiras, apelidos, trotes, gozações e agressões físicas. É possível identificar extensa literatura sobre as consequências do bullying para o desempenho escolar e participação em contextos de vida para crianças e adolescentes, mas ainda são poucos os estudos sobre o fenômeno na universidade. Este estudo buscou a percepção de estudantes e professores de uma universidade pública sobre a presença de violência interpessoal/ bullying no cotidiano acadêmico e suas manifestações. Participaram 137 estudantes e 32 professores, abordados por meio do questionário eletrônico Google Docs. Para 86 estudantes (63%) e 20 professores (63%), a violência interpessoal/ bullying está presente na graduação. A análise de conteúdo permitiu identificar sete categorias empíricas entre estudantes e três entre professores, sendo as mais frequentes violência interpessoal/ bullying na relação veterano-calouro; violência interpessoal/ bullying devido a características pessoais; violência interpessoal/ bullying devido à orientação sexual/gênero e violência na relação professor-aluno. Estudantes e professores são capazes de identificar tal fenômeno como presente no cotidiano da graduação e em diversas esferas, sendo mais recorrente entre os pares. Situações que emergem dos recortes discursivos preocupam pela intolerância presente no cotidiano, fazendo refletir sobre o papel da educação universitária na formação para a cidadania. É imprescindível tomar atitudes em relação à prática do bullying na universidade, a fim de garantir ao estudante sua estabilidade emocional e psicológica e seu bem-estar.
  • Prejudice Against Gender and Sexual Diversity among Medical Students from the 1st to the 8th Semesters of a Medical Course in Southern Brazil Original Article

    Moretti-Pires, Rodrigo Otávio; Guadagnin, Lucas Ide; Tesser-Júnior, Zeno Carlos; Campos, Dalvan Antonio de; Turatti, Bárbara Oliveira

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO As disparidades no oferecimento de cuidado em saúde à população de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (LGBT) são evidentes e documentadas. O preconceito molda-se na naturalização de padrões instaurados e mantidos por diversas instituições, e a literatura corrobora com a existência de preconceito contra LGBT em escolas de medicina. A educação médica, historicamente consolidada em modelo biomédico-farmacêutico, concreto, positivista, hospitalocêntrico, com enfoque em um processo saúde-doença unicausal, representa um status conservador que se mantem rígido há um século. A despeito de programas e diretrizes nacionais e internacionais que orientam medidas inclusivas e de combate à discriminação, é verificada a presença de preconceito contra LGBT na prática médica e inclusive durante o processo educacional médico, notando-se atitudes preconceituosas entre os estudantes de medicina. Objetivo analisar o perfil de atitude e o preconceito contra diversidade sexual e de gênero entre estudantes de um curso de Medicina. Métodos foram empregados questionários autoaplicáveis a 391 estudantes de primeiro ao oitavo semestre de um curso de Medicina público da região sul do Brasil no ano de 2017. Resultados obteve-se uma taxa de resposta de 85,2% dos entrevistados. O nível de preconceito com base nas assertivas variou de 69% a 89%. Entre os respondentes, 74,9% concordaram que o sexo entre dois homens é errado, 83,9% consideraram homens gays nojentos, 83,9% acreditaram que a homossexualidade masculina é uma perversão, 80,9% afirmaram que o sexo entre duas mulheres é totalmente errado, 83,9% afirmaram que as meninas masculinas deveriam receber tratamento. Em relação à comparação da distribuição dos resultados quanto ao gênero declarado dos estudantes, observou-se que os estudantes autodeclarados masculinos foram mais preconceituosos que as estudantes autodeclaradas femininas. A distribuição de preconceito entre estudantes que se autodeclararam masculinos variou entre 81,5% a 94,4%, e rntre as estudantes que se autodeclararam femininas, variou entre 57,3% e 76,4%. Os dados corroboraram para a importância de integrar a temática de saúde LGBT de forma obrigatória aos currículos e de construir mecanismos de apoio à estruturação pedagógica que auxiliem as aulas e/ou disciplinas a cumprirem seu papel.

    Abstract in English:

    RESUMO As disparidades no oferecimento de cuidado em saúde à população de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (LGBT) são evidentes e documentadas. O preconceito molda-se na naturalização de padrões instaurados e mantidos por diversas instituições, e a literatura corrobora com a existência de preconceito contra LGBT em escolas de medicina. A educação médica, historicamente consolidada em modelo biomédico-farmacêutico, concreto, positivista, hospitalocêntrico, com enfoque em um processo saúde-doença unicausal, representa um status conservador que se mantem rígido há um século. A despeito de programas e diretrizes nacionais e internacionais que orientam medidas inclusivas e de combate à discriminação, é verificada a presença de preconceito contra LGBT na prática médica e inclusive durante o processo educacional médico, notando-se atitudes preconceituosas entre os estudantes de medicina. Objetivo analisar o perfil de atitude e o preconceito contra diversidade sexual e de gênero entre estudantes de um curso de Medicina. Métodos foram empregados questionários autoaplicáveis a 391 estudantes de primeiro ao oitavo semestre de um curso de Medicina público da região sul do Brasil no ano de 2017. Resultados obteve-se uma taxa de resposta de 85,2% dos entrevistados. O nível de preconceito com base nas assertivas variou de 69% a 89%. Entre os respondentes, 74,9% concordaram que o sexo entre dois homens é errado, 83,9% consideraram homens gays nojentos, 83,9% acreditaram que a homossexualidade masculina é uma perversão, 80,9% afirmaram que o sexo entre duas mulheres é totalmente errado, 83,9% afirmaram que as meninas masculinas deveriam receber tratamento. Em relação à comparação da distribuição dos resultados quanto ao gênero declarado dos estudantes, observou-se que os estudantes autodeclarados masculinos foram mais preconceituosos que as estudantes autodeclaradas femininas. A distribuição de preconceito entre estudantes que se autodeclararam masculinos variou entre 81,5% a 94,4%, e entre as estudantes que se autodeclararam femininas, variou entre 57,3% e 76,4%. Os dados corroboraram para a importância de integrar a temática de saúde LGBT de forma obrigatória aos currículos e de construir mecanismos de apoio à estruturação pedagógica que auxiliem as aulas e/ou disciplinas a cumprirem seu papel.
  • Lack of Corpses for Teaching and Research Original Article

    Cordeiro, Rogério Guimarães; Menezes, Ricardo Fernandes

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO O estudo tem como objetivo abordar a importância da disponibilização de cadáveres não reclamados e de cadáveres doados para utilização em estudos, com foco na formação de profissionais da área da saúde, no aperfeiçoamento de profissionais já formados nessa área e no avanço de pesquisas sobretudo em técnicas cirúrgicas, no âmbito de instituições de ensino e pesquisa, tanto públicas como privadas. Parece unânime, entre os autores que versam sobre a matéria, a opinião de que a utilização de cadáveres é insubstituível na formação técnica e no aperfeiçoamento do profissional. Verifica-se, entretanto, a falta do material em questão, o que, por sua vez, se deve a uma série de dificuldades aqui levantadas, como a falta de centrais de regulação que administrem o fluxo de captação e distribuição de cadáveres e a diminuição do número de cadáveres não reclamados. Configura-se, assim, o seguinte problema: por um lado, tem-se a clara necessidade de obtenção de restos mortais humanos para o ensino básico na área da saúde – em se tratando fundamentalmente das disciplinas de Anatomia –, para o aperfeiçoamento de profissionais dessa área e para pesquisa – a exemplo das disciplinas de técnicas cirúrgicas –; por outro lado, é flagrante a carência de material cadavérico, fato que, por via de consequência, vem comprometendo a qualidade final dos serviços de saúde, em especial os de caráter cirúrgico. Realizou-se aqui levantamento bibliográfico visando conhecer o estado da arte sobre a legislação vigente e os projetos de lei em tramitação no Congresso Nacional. Verificou-se que, apesar da existência de legislação concernente à matéria, é necessário haver aperfeiçoamento legislativo-normativo para contemplar as diversas demandas, incluídas as tecnologias que vêm surgindo. O processo legislativo é muito lento em face da necessidade aqui apontada, considerado o expressivo aumento do número de cursos na área da saúde. É mister, pois, que sejam tomadas medidas urgentes para suprir o passivo na área, o que deve realizar-se necessariamente por meio de regulamentação legal e normativa.

    Abstract in English:

    ABSTRACT The aim of this study is to address the importance of providing unclaimed corpses and cadavers donated for use in studies, focusing on the training of health professionals, the improvement of professionals already trained in this area and the advance of research, mainly in surgical techniques, in the scope of educational and research institutions, both public and private. It seems unanimous, among the authors who deal with the matter, the view that the use of corpses is irreplaceable in technical training and professional development. There is, however, a lack of the material in question, which in turn is due to a series of difficulties raised here, such as the lack of regulation centers that manage the flow of capture and distribution of cadavers and the decrease in the number of unclaimed corpses. The following problem is thus defined: on the one hand, there is a clear need to obtain human remains for basic education in the health area – fundamentally in the disciplines of Anatomy – for the improvement of professionals in this area and for research – such as the disciplines of surgical techniques –; on the other hand, the lack of cadaveric material is evident, a fact that, by consequence, has been compromising the final quality of health services, especially those of surgical nature. A bibliographic survey was carried out aiming to know the state of the art on the current legislation and on the Bills currently submitted to the National Congress. It was found that, despite the existence of legislation concerning this matter, it is necessary to have legislative-normative improvement to encompass the several demands, including those of the emerging technologies. The legislative process is very slow, taking into account the need indicated here, considering the significant increase in the number of courses in the health area. It is necessary, therefore, that urgent measures be taken to supply the needs in the area, which must necessarily take place through legal and regulatory norms.
  • Development and Validation of an Instrument to Evaluate General Competences in Health Area Courses Original Article

    Matia, Graciele de; Almeida, Marcio José de; Esteves, Roberto Zonato; Ribeiro, Elaine Rossi; Coelho, Izabel Cristina Meister Martins

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO A avaliação das competências gerais nas graduações da área da saúde permanece desafiante. Objetivos Desenvolver um instrumento para apoiar os docentes na avaliação das competências gerais dos graduandos de cursos da área da saúde; testar a confiabilidade do instrumento com professores e estudantes do mesmo campo de atuação; validar o instrumento de competências gerais, direcionado aos professores e graduandos da área da saúde. Métodos A pesquisa foi do tipo metodológico, aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa nº 826.770. Foram realizadas a validação de constructo, a de critério e a de conteúdo com base nas Diretrizes Curriculares Nacionais (DCNs) e na busca de referencial teórico, além de testes estatísticos como alfa de Cronbach, test t, valor de p, análise fatorial, correlação do coeficiente de Pearson e Akaike information criterion (AIC), que também garantiram a confiabilidade. O estudo foi desenvolvido em uma instituição de ensino superior de Curitiba (PR), nos cursos de Enfermagem, Biomedicina, Farmácia, Psicologia e Medicina, sendo a sua população composta de 50 avaliações de estudantes e 50 de professores, o que contemplou todos os períodos e cursos em andamento no segundo semestre de 2014. Resultados Foi possível a confecção de um modelo com três versões de instrumentos que avaliam as competências gerais para os cursos da área da saúde. A primeira englobou as competências gerais de 10 cursos da área da saúde, que se subdividem em: atenção à saúde, tomada de decisões, comunicação, liderança, administração e gerenciamento e educação permanente. A segunda e terceira versões contam com três dimensões, atenção à saúde, gestão em saúde e educação em saúde, voltadas para as competências gerais da nova formulação das DCNs do curso de Medicina. As três versões contam com um instrumento voltado para o professor e outro, espelho, dirigido ao estudante. Conclusão Para validar o instrumento sobre competências gerais, direcionado aos professores e graduandos de cursos da área da saúde, foram utilizadas, no que se refere ao seu conteúdo, a busca de referencial teórico, as DCNs e a avaliação de experts; para a validação de critério, o teste t, o teste χ2e a correlação de coeficiente de Pearson; e para validade de constructo, os testes estatísticos de análise fatorial exploratória e confirmatória e o AIC. Para validade de conteúdo, recorreu-se aos mesmos passos descritos para o primeiro objetivo, a fim de garantir a confiabilidade dos instrumentos, e empregaram-se o alfa de Cronbach e o AIC. Após esse processo, foi possível o desenvolvimento de três versões do instrumento, sendo as duas primeiras para utilização de professores e para professores e estudantes em conjunto; e a versão 3 foi apropriada para professores ou estudantes e ainda para professores e estudantes em conjunto, porém ela pode ser utilizada por todos os cursos da área da saúde estudados.

    Abstract in English:

    ABSTRACT The evaluation of the General Competencies in undergraduate courses in the healthcare area remains challenging. Objectives To develop an instrument for supporting teaching staff in evaluating the General Competencies of undergraduate students in the healthcare area; to test the reliability of the instrument with teachers and students of the same working field; validate the instrument of General Competencies, directed to teachers and students from the health area. Methods the present was a Methodological study, approved by REC N. 826.770. The validation of the construct, criterion and content based on the National Curricular Guidelines (NCG), and the search for a theoretical framework were performed, as well as statistical tests such as alpha Cronbach, t Test, p-value, Factorial Analysis, Pearson’s Correlation Coefficient and Akaike Information Criterion, which also ensured the reliability. The study was performed in a Higher Education Institution in Curitiba/PR, in the courses of Nursing, Biomedical Sciences, Pharmacy, Psychology and Medicine. The study population consisted of 50 evaluations of students and 50 of teachers, covering all the periods and courses during the second half of 2014. Results it was possible to create one model with three versions of instruments that evaluated the general competencies for the healthcare area courses. One of these was directed towards the general competencies of 10 courses in the healthcare area, subdivided in Health Care, Decision-making, Communication, Leadership, Administration and Management and Continuing Education, with one instrument directed at the student and another ‘mirror’ at the professor. The second and third versions had three dimensions: Health Care, Management in Healthcare and Education in Health, directed towards the general competencies of the new structure of the NCG of the medical course. The three versions also had an instrument for teachers and a mirror one for students. Conclusion To validate the instrument on General Competencies, directed to teachers and undergraduate students of health area courses, the theoretical search, the NCG and the experts’ evaluation were used for Content Validity; the t Test, Chi-square Test and Pearson’s correlation coefficient were used for Criterion Validation; statistical tests of exploratory and confirmatory factorial analysis and the AIC were used for Construct Validity; and Cronbach’s alpha and the AIC were used for Content validity, using the same steps described for the first goal, to ensure the reliability of the instruments. After this process three versions of the instrument were developed, the first two to be used with teachers and with teachers and students together; and the third version is adequate to be used with students or teachers; and also, for teachers and students together. However, it can be used by all health courses studied.
  • Learning Hepatobiliary Anatomy through the Virtual 3d Anatomy Table Original Article

    Rosa, Bruno Rodrigues; Correia, Mauro Monteiro; Zidde, Daniel Hetti; Thuler, Luiz Claudio Santos; Brito, Ana Paula Coutinho Barros de; Biolchini, Jorge Calmon de Almeida

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO Objetivo Avaliar a eficácia da mesa anatômica virtual 3D como recurso complementar ao aprendizado da anatomia hepatobiliar por estudantes de graduação em Medicina. Metodologia Trata-se de estudo randomizado e controlado que comparou a aprendizagem anatômica de estruturas hepatobiliares, apoiada por um modelo real versus por um modelo virtual, ambos tridimensionais (3D), por parte de estudantes de medicina. Avaliou-se também a percepção dos estudantes quanto aos recursos utilizados para o ensino da anatomia. Os alunos foram submetidos a um pré-teste e a duas avaliações após a aplicação das intervenções. Resultados Globalmente, tanto a mesa anatômica virtual 3D quanto o fígado real aumentaram o conhecimento dos estudantes sobre a anatomia hepatobiliar em relação ao conhecimento prévio deles (p = 0,001 e p = 0,01, respectivamente para a segunda e terceira avaliação). Na comparação longitudinal entre o pré-teste e a segunda avaliação (anatomia hepatobiliar e segmentação de Couinaud), esse aumento foi significantemente maior no grupo alocado para o fígado real (p = 0,002); já na comparação do pré-teste com a terceira avaliação (inclusão de órgãos anexos na mesa anatômica ou no fígado real), o aumento do conhecimento foi significantemente maior no grupo alocado para a mesa anatômica (p = 0,04). A percepção de satisfação dos participantes quanto aos recursos de aprendizagem foi considerada muito boa, com percentual mínimo de satisfação de 80%. Conclusão A mesa anatômica virtual 3D forneceu mais conhecimento de anatomia hepatobiliar que um fígado real para estudantes de medicina, em relação ao conhecimento prévio deles sobre essas estruturas. Na comparação transversal das avaliações pós-instrução, não houve diferença entre as duas intervenções. Além disso, a plataforma 3D teve um impacto positivo no nível de satisfação dos participantes do estudo. Este estudo mostra que a mesa anatômica virtual 3D tem potencial para melhorar tanto a compreensão quanto o interesse dos estudantes de medicina pela anatomia. Recomenda-se, no entanto, que futuros protocolos como este sejam realizados com amostras maiores e explorando outras estruturas anatômicas.

    Abstract in English:

    ABSTRACT Objective to evaluate the effectiveness of the 3D virtual anatomical table as a complementary resource to the learning of the hepatobiliary anatomy by undergraduate medical students. Method A randomized controlled study comparing the anatomical learning of hepatobiliary structures, supported by a real model versus a virtual model, both three-dimensional (3D), by undergraduate medical students. The students’ perception of the resources used to teach anatomy was also evaluated. The students were submitted to a pre-test and to two evaluations after the interventions were applied. Results Overall, both the 3D virtual anatomical table and the real liver increased students’ knowledge of the hepatobiliary anatomy in relation to their previous knowledge (p = 0.001 and p = 0.01, respectively for second and third evaluations). In the longitudinal comparison between the pre-test and the second evaluation (hepatobiliary anatomy and Couinaud’s segmentation), this increase was significantly higher in the group allocated to the real liver (p = 0.002); in the comparison of the pre-test with the third evaluation (inclusion of adjacent organs in the anatomical table or in the real liver), the increase in knowledge was significantly higher in the group allocated to the anatomical table (p = 0.04). The perception of participants’ satisfaction regarding the learning resources was considered very good, with a minimum percentage of satisfaction of 80%. Conclusion the 3D virtual anatomical table provided more hepatobiliary anatomy knowledge than a real liver for undergraduate medical students, in comparison to their previous knowledge about these structures. In the cross-sectional comparison of the post-instruction evaluations, there was no difference between the two interventions. Moreover, the 3D platform had a positive impact on the level of satisfaction of study participants. This study shows that the 3D virtual anatomical table has the potential to improve both medical students’ understanding and interest in anatomy. It is recommended, however, that future protocols such as this be carried out with larger samples and exploring other anatomical structures.
  • Training-Intervention in Primary Care, a Pedagogical Gamble on Medical Education Relato De Experiência

    Coêlho, Bernadete Perez; Miranda, Gabriella Morais Duarte; Coutinho, Oscar Bandeira

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO A implantação do Sistema Único de Saúde e o reconhecimento da atenção primária à saúde (APS) como reorientadora do modelo de atenção à saúde trouxeram consigo a necessidade de novos processos de formação que incorporassem o ensinar e o aprender aos processos cotidianos de trabalho. Apresentamos um relato de experiência de implementação dos módulos de Fundamentos da Atenção Básica I e II (FABS I e FABS II), oferecidos aos estudantes de uma universidade pública do Nordeste brasileiro. Com uma estrutura fundamentada em módulos, adota-se o modelo tutorial como orientação pedagógica e parte-se do pressuposto da longitudinalidade, assegurando um contato contínuo e consistente do estudante com os temas abordados e com os serviços de APS e os demais nós que compõem a rede de saúde. Encontros semestrais potencializam a consolidação da relação ensino-serviço, propiciando a permanente avaliação dos processos vivenciados nas Unidades de Saúde, numa perspectiva reflexiva, histórica, crítica e transformadora. O primeiro módulo representa uma introdução teórico-prática à APS, e o segundo, situado no eixo de desenvolvimento profissional e compromisso social, aprofunda as noções teórico-práticas sobre a APS e a atuação do médico nesse contexto. Após cada tutoria, os estudantes vivenciam, nos encontros com e nas Unidades de Saúde da Família, os temas abordados e sua relação com o território e com aqueles que nele habitam e trabalham. No contexto das graduações em saúde, a inserção dos alunos no cotidiano da atenção primária é fundamental, considerando a indissociabilidade entre teoria e prática, a roda enquanto método democrático nas tutorias e a oferta e demanda dos temas em discussão coletiva. Ampliamos a análise sobre o papel do professor-apoiador, numa dupla tarefa de apoio aos alunos e à rede de atenção envolvida no processo formação-intervenção. A valorização da integração ensino-serviço-comunidade contribui para a formação de profissionais para o sistema de saúde e implica a defesa de diretrizes para legitimidade e sustentabilidade da atenção primária.

    Abstract in English:

    ABSTRACT The implementation of the Unified Health System and the recognition of primary health care as a reorientation of the health care model have brought about the need for new training processes that incorporate teaching and learning into work processes. We present an experience report on the implementation of the Basic Care Fundamentals I and II modules (FABS I and FABS II), offered to students of a public university in the northeast of Brazil. With a module-based structure, the tutorial model is adopted as a pedagogical orientation and starts from the longitudinal presupposition, ensuring the student maintains continuous and consistent contact with the topics addressed and with the PHC services and the other nodes that make up the health network. Bi-annual meetings strengthen the consolidation of the teaching-service relationship, providing a permanent evaluation of the processes experienced in the Health Units, in a reflective, historical, critical and transformative perspective. The first module represents a theoretical-practical introduction to PHC and the second module, focused on professional development and social commitment, deepens the theoretical-practical notions about PHC and the physician’s performance in this context. After each tutorial, the students experience, in the meetings with and from within the Family Health Units, the topics addressed and their relationship with the territory and with those who live and work there. In the context of undergraduate health training, involving students in the daily primary care routine is fundamental, considering the inseparable nature of theory and practice, the conversation circle as a democratic method in tutoring, and the supply and demand of the themes in collective discussion. We broadened our analysis of the role of the teacher-supporter, as a dual function to support both student and care network involved in the training-intervention process. The enhancement of the teaching-service-community integration contributes to the training of professionals for the country’s health system and implies the defense of political guidelines for the legitimacy and sustainability of primary care.
  • Health Promotion: Coherence in Teaching-Learning Strategies Relato De Experiência

    Dias, Lineker Fernandes; Vargas, Laura Gomes; Silva, Gabriel Marinho e; Souza, Talissa Gomes de; Santos, Camila Amaro Guedes; Raimondi, Gustavo Antonio; Paulino, Danilo Borges

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO A formação em medicina pode gerar grandes responsabilidades ao estudante e provocar diversos problemas comportamentais, psíquicos e físicos. Diante desse fato, evidencia-se a necessidade de problematização de estratégias de Promoção da Saúde física e mental dos graduandos, conforme apontam as Diretrizes Curriculares Nacionais para os cursos de graduação em Medicina no Brasil. Este relato de experiência almeja problematizar uma iniciativa do eixo curricular de Saúde Coletiva de uma Universidade Federal brasileira voltada para o aprimoramento de competências relacionadas à Promoção da Saúde. Durante a terceira unidade curricular desse eixo, problematizou-se com os estudantes, por meio do Arco de Maguerez, o aprimoramento de competências relacionadas à Promoção da Saúde e à salutogênese, em consonância com os princípios do Sistema Único de Saúde (SUS) e as políticas públicas de saúde, especialmente a Política Nacional de Promoção da Saúde. Com isso, a unidade curricular com essa temática foi construída coletivamente, com diálogo e amorosidade entre discentes e docentes. Partimos da realidade dos estudantes para aprender sobre Promoção da Saúde e, assim, poder transformá-la. As atividades construídas, em um componente do currículo formal de um curso médico, permitiram aprender a relevância e a prática da Promoção da Saúde no cotidiano e se sensibilizarem em relação a elas. Buscou-se realizar ações para a ampliação do bem-estar dos discentes de forma autônoma e libertadora. Assim, empoderados com esses saberes, a unidade foi encerrada em uma atividade construída pelos estudantes por meio dos objetivos pedagógicos propostos. O local em que ela ocorreu se mostrou potente para produzir saúde e constituir-se como cenário de ensino-aprendizagem para a formação médica. Compreendeu-se que a Promoção da Saúde por intermédio de atividades contextualizadas com as realidades e necessidades discentes, inseridas na rotina acadêmica, possui potencial transformador na saúde dos estudantes, preparando-os para uma prática médica ética, relacional, com amorosidade e corresponsabilidade. A experiência foi inovadora, pois enfrentou a incoerência de ensinar a Promoção da Saúde sem praticá-la, em um contexto em que cada vez mais as condições de saúde física e mental dos estudantes de Medicina têm se tornado precárias. Assim, a oportunidade de aprender sobre o tema foi aproveitada para desenvolver competências e vivenciar a Promoção da Saúde na realidade dos estudantes, preparando-os para as intervenções com a comunidade, que ocorreram em seguida. A avaliação da atividade foi positiva, e destacou-se a relevância da Saúde Coletiva na formação médica para pensar as interfaces entre o eu e o outro, nossas semelhanças, diferenças e necessidades de transformações nos encontros que a graduação e a profissão médica proporcionam.

    Abstract in English:

    ABSTRACT Medical training can generate huge responsibilities for the students and cause various behavioral, mental and physical problems. Considering this fact, we need to problematize strategies to promote the physical and mental health of medical students, as highlighted by the National Guidelines for Undergraduate Medical Education in Brazil. This experience report aims to problematize an initiative of a curricular axis of Public Health of a Brazilian Federal University, focused on the improvement of competencies related to health promotion. During the third curricular unit of this axis, the students were challenged, through the Arch of Maguerez, to improve competencies related to health promotion and salutogenesis, according to the principles of SUS and Public Health Policies, especially the National Policy for Health Promotion. After that, the curricular unit that included this theme was collectively constructed, with dialogue and affection between students and teachers. We began with the students’ reality, to learn about Health Promotion and, thus, to be able to transform it. The developed activities, within a component of the formal curriculum of a medical course, allowed them to learn and become aware of the relevance and practice of Health Promotion in everyday life. Efforts were made to expand and promote health and well-being in a free and autonomous way. Empowered with these knowledges and based on the proposed pedagogical objectives, the students built the final activity of this unit. The place where it occurred showed to be effective in producing health and in constituting a scenario of teaching and learning for medical training. It was understood that health promotion, based on activities contextualized with the students’ realities and needs, as part of the academic routine, has a transformative potential for their health, and can prepare them for a medical practice that is ethical, relational, affective and co-responsible. The experience was innovative, because it faced the incoherence of teaching Health Promotion without practicing it, in a context where the physical and mental health conditions of medical students have become more precarious. Thus, the opportunity to learn about the subject was used to develop skills and to experience Health Promotion within the students’ reality, preparing them for the interventions with the community, which occurred next. The activity was positively evaluated, highlighting the relevance of Public Health in the medical training, aiming to think about the interfaces between the self and the other, our similarities, differences and need for transformations in the meetings that the undergraduate school and the medical profession provide.
  • Facebook® as a Pedagogical Tool in Public Health: Integrating Medical Training and Health Education Relato De Experiência

    Bernardes, Viviane Pereira; Dias, Lineker Fernandes; Pereira, Monique Arantes; Fernandes, Maria Eduarda; Raimondi, Gustavo Antonio; Paulino, Danilo Borges

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO As mídias sociais conquistaram significativa importância na vida dos jovens contemporâneos, tanto no âmbito pessoal – para informação, divertimento – quanto no coletivo – para se projetarem como seres sociais e compartilharem informações com várias pessoas quase que instantaneamente. Diante disso, docentes da unidade curricular Saúde Coletiva III do curso de Medicina em uma universidade pública de Minas Gerais perceberam a influência do Facebook® na vida dos discentes e utilizaram-no para atingir objetivos de aprendizagem de conceitos e aplicações práticas de promoção em saúde e prevenção de agravos com a comunidade. A experiência foi conduzida durante dois semestres letivos consecutivos, por duas diferentes turmas do curso. Foi criada uma página do Facebook® com a finalidade de promover a saúde da população por meio de postagens criativas, críticas e acessíveis. Os acadêmicos tornaram-se protagonistas da atividade, uma vez que a escolha das temáticas, a busca ativa por fontes científicas de qualidade, a responsabilidade por cada postagem e o gerenciamento da página foram atribuídos a eles, sendo supervisionados pelos docentes. Obteve-se a interação com a comunidade para além da acadêmica, já que a página foi divulgada para atingir a população como um todo, contribuindo para a educação em saúde e consequentemente para a autonomia do cuidado pelos indivíduos. Dessa forma, as postagens dos discentes alcançaram muitos cidadãos, os quais, além de acessarem informações relevantes sobre saúde, podiam tirar dúvidas e fazer comentários sobre o tema. Portanto, a vivência permitiu o desenvolvimento de competências como Comunicação, Liderança, Atenção à Saúde e Administração e Gerenciamento, preconizadas nas Diretrizes Curriculares Nacionais. Entretanto, existem algumas limitações, como a necessidade de acesso à internet e a smartphones. À luz da vivência, pôde-se concluir que o uso de mídias sociais no curso de Medicina é uma forma efetiva de desenvolvimento de competências e de ampliação e consolidação do conhecimento, sendo os acadêmicos sujeitos fundamentais nesse processo, uma vez que a participação ativa deles é requisitada. Dessa forma, é proposta a replicação dessa experiência em outros ambientes de ensino-aprendizagem em Saúde, não somente pelo curso de Medicina, especialmente com utilização desse recurso pela Atenção Básica, favorecendo a formação de profissionais mais comprometidos com o cuidado integrado da população, em consonância com os princípios do Sistema Único de Saúde (SUS).

    Abstract in English:

    ABSTRACT Social media has gained significant importance in the lives of contemporary youth, both personally - for information, entertainment, and collectively - to project themselves as social beings and to share information with several people almost instantly. Thus, professors of Public Health curricular unit III, from the Medical School of a public university in Minas Gerais perceived the influence of Facebook® in the lives of students and used it to achieve concept learning objectives and practical applications of health promotion and prevention with the community. The experiment was conducted during two consecutive semesters, by two different classes of the course. A Facebook® page was created to promote the health of the population through creative, critical and accessible posts. The undergraduate students became the protagonists of the activity, since the choice of topics, the active search for high-quality scientific sources, responsibility for each post and page management were attributed to them, while they were supervised by the professors. Interaction with the non-academic community was obtained, since the page was divulged to reach all the population, contributing to health education and consequent autonomy of care by the individuals. Thus, the students’ posts reached many citizens, who, in addition to accessing relevant health information, could ask questions and make comments on the topic. Therefore, the experience allowed the development of skills such as Communication, Leadership, Health Care and Administration and Management, as recommended in the National Guideline for Undergraduate Medical Education. However, there are some limitations, such as the need to have access to the Internet and smartphones. Considering the experience, it was concluded that the use of social media in the medical course is an effective way of developing skills and expanding and consolidating knowledge, with the undergraduate students being central to this process, since their active participation is required. Thus, it is proposed to replicate this experience in other teaching-learning environments in Health, not only in Medical Schools, especially with the use of this resource by Primary Health Care, allowing the formation of professionals more committed to the integrated care of the population, in agreement with the principles of the Unified Health System (SUS).
  • Role-Play as a Pedagogical Strategy to Problematize the Lines of Comprehensive Health Care for Adolescents and Young People Relato De Experiência

    Paulino, Danilo Borges; Rosa, Gabriela Ferreira de Camargos; Alves, Guilherme Henrique de Faria; Barros, Matheus Cesar Vieira; Oliveira, Bruna Carolina de; Raimondi, Gustavo Antonio

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO Diante da necessidade de integrar o debate de gênero e sexualidade à formação médica, uma unidade curricular de Saúde Coletiva de um curso de Medicina público federal propôs a metodologia da Aprendizagem Baseada em Projetos (ABPj) para essa formação. Nessa proposta pedagógica, os estudantes constroem um produto final como recurso para intervenção/aprimoramento da realidade. Dessa forma, a metodologia da Problematização, com o Arco de Maguerez, forneceu o subsídio à concretização desses produtos. Cada um desses projetos utilizou uma das políticas públicas relacionadas ao debate em torno do gênero e da sexualidade. Neste artigo, relata-se o projeto relacionado à Política Pública de Atenção Integral à Saúde de Adolescentes e Jovens na Promoção, Proteção e Recuperação da Saúde. Na apresentação desse produto foi utilizada a metodologia do role-play, com três cenas, para intervenção/aprimoramento da realidade observada/vivida. Essa experiência também conquistou a premiação de melhor trabalho apresentado naquele ano no Congresso Brasileiro de Educação Médica, construindo nessa escola médica um espaço formal para o desenvolvimento de competências no tocante aos determinantes sociais de gênero e sexualidade, para uma prática médica integral e equânime. Este relato de experiência destaca ainda a relevância do uso de metodologias ativas, como a ABPj e role-play, na educação médica.

    Abstract in English:

    ABSTRACT Faced with the need to integrate the gender and sexuality debate into medical training, a Public Health curricular unit from a Federal Public Medicine course proposed the Project Based Learning (PjBL) methodology as a resource for the implementation of this debate. In this pedagogical proposal, the students construct a final product as a resource for intervention/improvement of reality. Thus, the methodology of Problematization, with the Arch of Maguerez, supported the consolidation of these products. Each of these projects was based on one of the public policies that are related to the debate of gender and sexuality. In this article, we report the project related to the public policy of Comprehensive Health Care for Adolescents and Young People in Health Promotion, Protection and Recovery. The presentation of this product was made using the methodology of role-play, with three scenarios, for intervention/improvement in the observed/lived reality. This experience also won the award for best work presented that year at the Brazilian Congress of Medical Education, building a formal space for the development of gender and sexuality determined competencies in the Medical School, to ensure comprehensive and equal medical practice. Moreover, this report highlights the relevance of the use of active methodologies, such as PjBL and role-play, in medical education.
  • Curricularisation of University Community Outreach in Medical Education: Meeting of Generations for a Humanized Training Relato De Experiência

    Almeida, Sinara Monica Vitalino de; Barbosa, Larissa Marcelle Vaz

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO Este trabalho relata uma experiência de curricularização da extensão universitária no curso médico que teve como objetivos conduzir ações de extensão com vistas ao bem-estar de idosas de uma Instituição de Longa Permanência (ILP), bem como desenvolver habilidades do médico honesto, íntegro, cuidadoso, altruísta e empático consigo, com os “idosos” e com os pares envolvidos nas ações. O modelo usado para organização das atividades combinou métodos de aprendizagem de habilidades por meio da experiência, reflexão crítica sobre as experiências, ambiente de pequeno grupo para suporte e validação e programa longitudinal coeso para desenvolvimento total. As atividades foram vivenciadas em grupos de 12 integrantes, supervisionados por um professor com visitas semanais à ILP de agosto a dezembro de 2018. O modelo utilizado mostrou-se útil para o desenvolvimento de características humanísticas almejadas nos indivíduos em formação. O envolvimento em todas as etapas do processo e o comprometimento com o bem-estar da população selecionada indicam que a curricularização cumpriu seu papel de proporcionar aos estudantes o desenvolvimento de consciência cidadã em paralelo à formação técnica. A instituição de ensino superior deve oferecer continuamente ações para que os estudantes desenvolvam plenamente seu lado humano e preservem as características observadas no contato com a população idosa.

    Abstract in English:

    ABSTRACT This work describes the experience of including community outreach activities of a university into the medical course curriculum, with the objectives of developing outreach actions directed at the well-being of the elderly from a Long Stay Institution (ILP). At the same time the work promoted the development of honest, caring, selfless professionals empathetic toward the “elderly” and peers involved in the actions. The model used to organize the activities combined methods of learning skills through experience, critical reflection on experiences, small group environment for support and validation, and a cohesive longitudinal program for total development. The activities were experienced in groups of 12 supervised by a teacher with weekly visits to the ILP from August to December of 2018. The model used proved to be useful for the development of humanistic characteristics. Involvement in all stages of the process and commitment to the well-being of the selected population indicate that the curricularisation fulfilled its role of providing students with the development of citizen awareness and technical training. The institution must continually offer actions for students to fully develop their human side and preserve the characteristics observed in their contact with the elderly population.
  • Group Health Education in the Treatment of Obese Class III: a Challenge for Health Professionals Revisão

    Soeiro, Raquel Lima; Valente, Geilsa Soraia Cavalcanti; Cortez, Elaine Antunes; Mesquita, Livia Mendes; Xavier, Simone Costa da Matta; Lobo, Bianca Maria Innocencio da Silveira

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO A obesidade tem se apresentado como sério problema de saúde pública mundial devido à magnitude que seus números alcançaram nos últimos anos. Diante do quadro de aumento do sobrepeso e obesidade no município do Rio de Janeiro, a Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro (SMSRJ), com o apoio técnico do Instituto de Nutrição Annes Dias (INAD), implementou em julho de 2011 o primeiro Centro de Referência em Obesidade (CRO) no bairro de Acari. Este serviço oferece tratamento clínico ambulatorial para usuários com obesidade grau III (também conhecida como obesidade mórbida), com consultas individuais, assim como atendimentos em grupo, e também funciona como apoio especializado, contribuindo para ampliação da capacidade de atuação das equipes da Atenção Primária à Saúde (APS) com esse perfil de usuários através de uma equipe multiprofissional composta por educador físico, enfermeiro, médico endocrinologista, nutricionista e psicólogo. Neste contexto, a partir das experiências vivenciadas no CRO o objetivo do estudo é realizar uma revisão da literatura sobre a importância das atividades de educação em saúde em grupo no tratamento de indivíduos obesos grau III e como os profissionais de saúde tem lidado com esse tema nas publicações dos últimos 5 anos. Metodologia Trata-se de uma revisão integrativa da literatura, de acordo com a estratégia PICO (participantes, intervenção, contexto e resultados), cuja coleta dos dados foi realizada entre outubro e novembro de 2018, nas bases de dados Literatura Latino Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (LILACS), Web of science, SciVerse Scopus, PUBMED e Bases de Dados em Enfermagem (BDENF). Resultados A partir da análise dos 11 artigos selecionados no estudo foi possível identificar três temáticas relevantes para a discussão: Rede de apoio aos usuários em tratamento, A Atenção primária à saúde e atividades em grupo no tratamento de obesos grau III, implementação de serviços especializados e qualificados no atendimento desse público. Conclusão As evidências mostram que a função da equipe de saúde em relação ao cuidado desse perfil de usuários vai além de orientações e informações e que o desenvolvimento e a implementação de serviços e/ou tratamentos voltados para obesos grau III constituem desafios significativos, e necessitam de profissionais qualificados na configuração de equipe multidisciplinar atuando de forma interdisciplinar que conscientizem o usuário a assumir o protagonismo de seu tratamento. E para isso, as atividades educativas em saúde em grupo, são ferramentas importantes para promoção de autonomia e compartilhamentos de experiências na busca por qualidade de vida relacionada à saúde.

    Abstract in English:

    ABSTRACT Obesity has become a serious, global public health problem, with the number of people it affects reaching extreme numbers in recent years.In view of the increase in overweight and obese individuals in the municipality of Rio de Janeiro, the Municipal Health Department of Rio de Janeiro (SMSRJ), with the technical support of the Annes Dias Institute of Nutrition (INAD), implemented the first Obesity Reference Centre (CRO) in the district of Acari in July 2011.This service offers outpatient clinical treatment for class III obesity users (also known as morbid obesity), with individual consultations, as well as group visits. It also represents a specialized support service, contributing toward the increased capacity of Primary Health Care (PHC) teams to offer assistance to users with this profile through a cross-functional team composed of a physical education instructor, nurse, endocrinologist, nutritionist and psychologist.In this context, based on the experiences of the CRO, the objective of the study is to perform a literature review on the importance of group health education activities in the treatment of class III obese individuals and how health professionals have addressed this topic in publications of the last five years. Methodology This is an integrative literature review, according to the PICO strategy (participants, intervention, context and results), the data of which was collected between October and November 2018, in the Latin American Literature and Caribbean in Health Sciences (Lilacs), Web of Science, SciVerse Scopus, Pubmed databases and Nursing Databases (BDENF). Results Based on the analysis of the 11 articles selected in the study, three relevant themes were identified for discussion:network of users in treatment, primary health care and group activities in the treatment of class III obesity, implementation of specialized and qualified service to attend this group of users. Conclusion The evidence shows that the role of the health team in relation to the care of this user profile goes beyond guidelines and information and that the development and implementation of services and/or treatments for class III obesity are significant challenges and require qualified professionals to compose multidisciplinary teams acting in an interdisciplinary manner that make the user aware that he or she must take the lead role in their own treatment.And to this end, group health education activities are important tools to promote autonomy and share experiences in the search for health-related quality of life.
  • Professionalism in the Training of Medical Specialists: an Integrative Literature Review Review

    Feitosa, Elaine Saraiva; Brilhante, Aline Veras Morais; Cunha, Sílvia de Melo; Sá, Rejane Brasil; Nunes, Rogevando Rodrigues; Carneiro, Mariana Aroucha; Santos, Zélia Maria de Sousa Araújo; Catrib, Ana Maria Fontenelle

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO Introdução O constructo profissionalismo vem, cada vez mais, sendo reconhecido como importante componente da educação médica, sendo fundamental na atuação do médico na sociedade. Objetivo Reunir de forma sucinta e sistematizada as informações disponíveis nas produções científicas sobre o conceito de profissionalismo médico e sua aplicação nos programas de residência médica. Métodos Foram encontrados 85 artigos em maio de 2018, dos quais 13 foram excluídos por duplicidade com o uso da plataforma Mendeley. Dos 72 artigos restantes, 35 foram excluídos por não responderem à pergunta de pesquisa. Dos 37 artigos selecionados pela leitura dos resumos, 8 não estavam disponíveis, restando 29 artigos. Após leitura integral de todos os artigos para a seleção definitiva, foram eliminadas 11 publicações. Destas, 6 artigos não responderam aos objetivos da pesquisa e 5 eram artigos de opinião. Resultados A amostra incluiu 18 artigos, de cuja análise emergiram três categorias temáticas: (a) profissionalismo: constructo multidimensional; (b) ensino de profissionalismo: papel da modelagem e do currículo; (c) avaliação de profissionalismo: estratégias múltiplas no currículo. Os domínios mais citados foram: altruísmo, responsabilidade, cuidado, trabalho em equipe, autocontrole, princípios éticos e excelência clínica. Dez artigos destacaram a importância da modelagem por preceptores e membros da equipe de saúde no programa de residência médica para o ensino de profissionalismo. Em relação às estratégias mais utilizadas para avaliação, destacaram-se as práticas de feedback e Osce em cenários para avaliar os domínios de profissionalismo. Conclusão Profissionalismo é um constructo dinâmico que é trabalhado na forma de domínios no ensino e avaliação nos Programas de Residência Médica. Não há consenso sobre o conceito de profissionalismo, sendo utilizadas estratégias múltiplas para o ensino, com destaque para a modelagem. O ensino do profissionalismo médico, enquanto constructo, na formação de especialistas pode reduzir lapsos e fomentar uma assistência pautada no respeito à autonomia das pessoas e na responsabilização social.

    Abstract in English:

    ABSTRACT Introduction The construct professionalism is increasingly being recognized as an important component of medical education; fundamental to the physician’s role in society Objective: To group in a concise and systemized way the information available in scientific productions on the concept of medical professionalism and its applications in medical residency programs. Methods A total of 85 articles were found in 2018, of which 13 were excluded for duplication using the Mendeley platform. Of the 72 remaining articles, 35 were excluded for not answering the research question. Of the 37 articles selected for reading of the abstract, eight were not available, leaving 29 articles. After reading all articles for the final selection, 11 articles were excluded. Six papers did not fulfill the goals of the research, and five were opinion articles. Results The production included 18 articles, from which analysis emerged three thematic categories: (a) professionalism: multidimensional construct; (b) teaching of professionalism: role modeling and the curriculum; (c) evaluation of professionalism: multiple strategies in the curriculum. The most frequently cited domains were: altruism, responsibility, care, teamwork, self-control, ethical principles and clinic excellence. Ten articles highlighted the importance of role modeling by preceptors and members of the health team in the Medical Residency Program for teaching professionalism. Regarding the most commonly used strategies for the selection, feedback practices and the OSCE were highlighted in scenarios to evaluate the domains of professionalism. Conclusion Professionalism is a dynamic construct that is worked on in the form of teaching and assessment in Medical Residency Programs. There is no consensus on the professionalism concept, and thus, multiple strategies are used for the teaching, among which role modeling can be highlighted. The teaching of medical professionalism, as a construct, in the training of specialists can reduce lapses and foster assistance based on respect for the autonomy of people and social responsibility.
  • Book Review: System Thinking: the New Paradigm of Science Revisão

    Cesario, Raquel Rangel; Cesario, Manuel

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO O livro Pensamento sistêmico: o novo paradigma da ciência exercerá profundas implicações sobre aqueles que desejam compreender as políticas públicas brasileiras para a educação médica, pois tal paradigma estende seus tentáculos para quase todas as áreas do cotidiano, influenciando nossos modos de ser e estar no mundo. Os dois capítulos da parte I apresentam as noções de paradigma e epistemologia, conceitos amplamente utilizados muitas vezes com significados conflitantes, e destacam momentos marcantes no desenvolvimento da concepção de conhecimento científico. Percebem-se a importância do surgimento da ciência para a evolução do mundo e a origem de fenômenos tão presentes e controversos hoje, como a separação entre ciência e filosofia e entre corpo e mente. Os três capítulos da parte II apresentam respectivamente: o delineamento do paradigma tradicional da ciência, as dimensões do paradigma emergente da ciência contemporânea e o pensamento sistêmico como o novo paradigma da ciência. O capítulo 3 apresenta a ciência clássica e tradicional do ponto de vista de três pressupostos fundamentais: simplicidade, estabilidade e objetividade; um quadro de referência com seus próprios termos ajuda o leitor a situar-se em relação a esse paradigma da ciência e ao seu modo de ver o mundo. O capítulo 4 apresenta o paradigma emergente a partir dos pressupostos-espelho daqueles apresentados anteriormente: à simplicidade sobrepõe-se a complexidade; à estabilidade, a instabilidade; e à objetividade, a intersubjetividade. Outro quadro de referência com os termos que se encaixam nos três pressupostos, usados para explicar o novo paradigma, aproxima o leitor de termos mais relevantes para a educação necessária para o século XXI. O capítulo 5 apresenta o cientista novo-paradigmático e defende o pensamento sistêmico como o novo paradigma da ciência. É aqui que o leitor poderá adquirir o argumento que lhe faltava para se apropriar desse novo paradigma, transformando definitivamente sua postura epistemológica diante das questões da vida e do trabalho. O último capítulo, na parte III, traça as origens das abordagens teóricas dos sistemas e leva o leitor a vagar entre a teoria geral dos sistemas e a cibernética; construtivismo e si-cibernética; a teoria da autopoiese e a biologia do conhecer; a nova teoria geral dos sistemas e a teoria geral dos sistemas autônomos. Embora o paradigma da ciência tradicional ainda seja hegemônico, há evidências de que estamos passando por uma transição paradigmática. A revolução digital mudou a maneira como as pessoas pensam e aprendem; isso exige dos professores e profissionais de saúde treinados no último século uma ampliação do olhar para um objeto que emerge da distinção do(s) observador(es) quando em interação com outros objetos e com o ambiente em que vivem. O livro pode ser um começo para aqueles que se lançam na academia ou uma chegada para os que já iniciaram suas reflexões sobre seus papéis, como professores ou estudantes, nos tempos atuais; deve ser lido e debatido por todos os envolvidos com a formação de profissionais para o século XXI.

    Abstract in English:

    ABSTRACT The book “System Thinking: The New Paradigm of Science” will have profound implications for those who wish to understand Brazilian public policies for Medical Education, since such a paradigm extends its tentacles into almost every area of everyday life, influencing our ways of being in the world. The two chapters of Part I present the notions of Paradigm and Epistemology, widely used concepts and often with conflicting meanings and highlight outstanding moments in the development of the conception of scientific knowledge. The importance of the emergence of science for the world evolution and the origin of phenomena as present and controversial today as the separation between science and philosophy and between body and mind can be perceived. The three chapters of Part II present, respectively: the outline of the traditional paradigm of science; the dimensions of the emerging paradigm of contemporary science; and System Thinking as the new paradigm of science. Chapter 3 presents classical and traditional science from the perspective of three fundamental assumptions: simplicity, stability and objectivity; and a reference framework with its own terms helps the readers to situate themselves in relation to this science paradigm and their way to see the world. Chapter 4 presents the emerging paradigm from the mirror-assumptions of those presented earlier: complexity overlaps simplicity; instability, the stability; and intersubjectivity, the objectivity. Another reference framework with the terms that fit the three assumptions, used to explain the new paradigm, brings the readers closer to terms that are more relevant to the education needed for the 21st Century. Chapter 5 presents the new-paradigmatic scientist and defends System Thinking as the new paradigm of science. It is here that readers can acquire the argument they lacked to be able to appropriate this new paradigm, definitively transforming their epistemological posture in the face of life and work questions. A final chapter in Part III outlines the origins of theoretical approaches to systems and leads the reader to wander between the General Theory of Systems and Cybernetics; Constructivism and Si-Cybernetics; the Theory of Autopoiesis and the Biology of Knowing; the New General Theory of Systems and the General Theory of Autonomous Systems. Although the paradigm of traditional science is still hegemonic, there is evidence that we are experiencing a paradigm shift. The digital revolution has changed the way people think and learn; this requires of teachers and health professionals trained in the last century a widening of their gaze towards an object that emerges from the distinction of the observer(s), when interacting with other objects and with the environment where they live. This book may be a start for those who wish to enter academia, or it may be an advent for those who have started their reflections on their roles, as teachers or students, at the present time; it should be read and discussed by all those involved in the training of professionals for the 21st Century.
  • An Updated Primer on Entrustable Professional Activities (EPAs) Revision

    Cate, Olle ten

    Abstract in Portuguese:

    RESUMO Desde a virada do milênio, a Educação Médica Baseada em Competências (EMBC) tornou-se um novo padrão para a formação médica em muitos países. A EMBC foi operacionalizada em estruturas detalhadas de competências que todo médico deve demonstrar na graduação, e estruturas semelhantes foram criadas para especialidades. No entanto, as competências, descrevendo as qualidades que os médicos devem possuir, não se traduzem diretamente nas atividades cotidianas dos médicos. Por essa razão, as Atividades Profissionais Confiáveis (APCs) foram introduzidas. As APCs são unidades de prática profissional que podem ser confiadas aos estudantes, uma vez que demonstram as competências necessárias para executá-las sem supervisão. As APCs se tornaram um tema popular nos programas de EMBC em diferentes países com centenas de publicações em poucos anos. Este trabalho foi escrito para apresentar em língua portuguesa as fortalezas e fragilidades das APCs. Após uma sucinta revisão histórica, expõe-se a razão de as APCs serem uma ponte entre o marco das competências e a prática clínica diária. Enquanto as competências são qualidades dos indivíduos, as APCs são unidades de trabalho. As duas podem ser vistas como duas dimensões de uma matriz, mostrando que quase todas as atividades na área da saúde se baseiam em múltiplas competências, como capacidade de comunicação, colaboração, comportamento profissional e conhecimento de conteúdo. Em continuidade, apresentam-se o modo de elaborar uma tomada de decisão de atribuição como forma de avaliação e os referenciais para os níveis de supervisão. As decisões de atribuição se concentram nos cinco níveis de supervisão que o estudante demanda para realizar uma atividade específica: 1. ao aprendiz é permitido observar; 2. é permitido executar a APC sob supervisão; 3. é permitido realizar a APC com supervisão indireta; 4. é permitido executar a atividade sem supervisão; 5: é permitido supervisionar aprendizes iniciantes. Para os leitores interessados em aplicar esse conceito na prática, é proposto um processo com o passo a passo dentro do desenvolvimento curricular. O artigo conclui com uma revisão do estado da arte do trabalho com as APCs em diferentes disciplinas, profissões e países.

    Abstract in English:

    ABSTRACT Since the turn of the millennium, competency-based medical education (CBME) has become a new standard for medical training in many countries. CBME has been operationalized in detailed frameworks of competencies that every physician should demonstrate at graduation, and similar frameworks have been created for specialties. However, the competencies, describing qualities that physicians should possess, do not directly translate into everyday activities of physicians. For that reason, the Entrustable Professional Activities (EPAs) were introduced. EPAs are units of professional practice that may be entrusted to undergraduate students, once they show the competencies needed to perform them without supervision. EPAs have become a popular topic within CBME programs in many countries and hundreds of publications within only a few years. This paper was written to introduce the strengths and weaknesses of EPAs. After a brief historical overview, the reason why EPAs are a bridge between a competency framework and daily clinical practice is explained. While competencies are qualities of individuals, EPAs are units of work. The two can be seen as two dimensions of a matrix, showing that almost all activities in health care are based on multiple competencies, such as communication skill, collaboration, professional behavior, content knowledge. Next, entrustment decision-making as a form of assessment is created and a framework of levels of supervision is presented. Entrustment decisions focus on the level of supervision a student requires for a specific activity, divided into five levels (1: allowed to observe; 2; allowed to perform under direct supervision; 3: allowed to perform under indirect supervision; 4: allowed to perform the activity unsupervised; 5: allowed to supervise the activity performed by more junior learners). For readers interested in applying the concept to practice, a stepwise approach to the curriculum development is proposed. The paper concludes with an overview of the state-of-the-art of working with EPAs across disciplines, professions and countries.
  • ERRATUM IN: Brazilian Journal of Medical Education, volume 42, issue 3, July-September 2019 Errata

Associação Brasileira de Educação Médica SCN - QD 02 - BL D - Torre A - Salas 1021 e 1023 | Asa Norte, Brasília | DF | CEP: 70712-903, Tel: (61) 3024-9978 / 3024-8013, Fax: +55 21 2260-6662 - Brasília - DF - Brazil
E-mail: rbem.abem@gmail.com