Revista Brasileira de Educação Médica, Volume: 44, Issue: 1, Published: 2020
  • Predictive Factors of Graduation Delay in a Medical Program: a Retrospective Cohort Study in Brazil, 2010-2016 Original Article

    Rocha, Bárbara Aparecida da Silva Rego; Toledo Júnior, Antonio

    Abstract in Portuguese:

    Resumo: Introdução: a formação do médico é um processo longo e dispendioso. Os processos de seleção são muito competitivos em todo o mundo, mas a aprovação não é garantia de sucesso acadêmico. Os cursos de Medicina são muito exigentes e estressantes, e alguns estudantes não são capazes de lidar adequadamente com esse novo cenário. Estima-se que 10%-15% dos estudantes de Medicina tenham alguma dificuldade em adaptar-se ao curso, o que pode levar ao insucesso acadêmico. A identificação de fatores preditivos de insucesso pode suportar a criação de mecanismos e estratégias para evitar o atraso ou abandono do curso. O objetivo deste estudo é identificar fatores preditivos de insucesso acadêmico em um curso de Medicina no Brasil. Método: estudo observacional retrospectivo foi realizado com todos os estudantes de Medicina que foram admitidos em uma escola médica privada em 2010 e 2011. O desfecho principal foi o sucesso acadêmico. Definiu-se o insucesso acadêmico como atraso na graduação ou abandono do curso (Grupo 1) e o sucesso acadêmico como graduação seis anos após o ingresso no curso (Grupo 2). Coletaram-se dados sociodemográficos e acadêmicos, além das notas no processo de admissão e nas disciplinas do primeiro semestre. Os alunos ingressantes no curso e aqueles aprovados no primeiro semestre (aprovados) foram analisados separadamente. Realizou-se análise descritiva e comparativa, regressão logística e análise de curva ROC. O nível de significância foi de 0,05. Resultados: 312 alunos foram admitidos no período do estudo, mas dez foram excluídos por falta de informação. Dos 302 ingressante, 105 foram incluídos no Grupo 1 e 197 no Grupo 2. Trinta e dois alunos foram reprovados no primeiro semestre. Os 270 alunos aprovados no primeiro semestre foram divididos em Grupo 1 (n = 73) e Grupo 2 (n = 197). Entre os alunos ingressantes, notas baixas no processo de admissão estavam associadas à maior chance de insucesso acadêmico (pajustado = 0,012). Dos 270 alunos aprovados no primeiro semestre, o baixo desempenho acadêmico (média das notas do semestre) estava associado ao insucesso acadêmico (pajustado = 0,001). Conclusões: notas baixas no processo seletivo (alunos ingressantes) e o baixo desempenho acadêmico no primeiro semestre (alunos aprovados no primeiro semestre) foram fatores preditivos de insucesso acadêmico.

    Abstract in English:

    Abstract: Introduction: Medical training is a long and expensive process. Admission processes are highly competitive all over the world but being accepted is no guarantee of academic success. Medical school is demanding and stressful, and some students are not able to cope with this new scenario successfully. It is estimated that 10-15% of medical students experience difficulties in adapting to the course, which can lead to academic failure. The identification of predictive factors of failure supports the creation of mechanisms and strategies to avoid course dropout or graduation delay. To identify predictive factors of academic failure in a Brazilian medical program. Methods: A retrospective observational study was carried out with all medical students admitted to a private Brazilian medical school in 2010 and 2011. The main outcome was academic success. Academic failure was defined as graduation delay or course dropout (Group 1), and academic success was defined as graduating within 6 years (Group 2). Sociodemographic and academic data were collected, including grades obtained at the admission process and the first-semester courses. Freshman students and students with passing grades in the first semester (passed students) were analyzed separately. Descriptive and comparative analyses, logistic regression and ROC curve analysis were performed. The level of significance was 0.05. Results: A total of 312 students were admitted during the study period, but 10 were excluded due to lack of information. Of the 302 students included in the study, 105 were included in Group 1 and 197 were included in Group 2. Thirty-two students failed the first semester. The 270 students with passing grades in the first semester were divided into Group 1 (n=73) and Group 2 (n=197). Among the freshman students, lower admission grades were associated with a higher chance of failure (padjusted=0.012). Of the 270 students with passing grades, low academic performance (courses’ mean grades) was associated with graduation delay (padjusted<0.001). Conclusions: Low grades at the admission process (freshman students) and low academic performance in the first semester (students with passing grades) were predictive factors of academic failure.
  • Beliefs: The Meeting of Medical Training and Assistance Artigo Original

    Pinto, Anderson Nunes; Falcão, Eliane Brígida Morais

    Abstract in Portuguese:

    Resumo: Introdução: Este artigo relata pesquisa realizada em um hospital público universitário do Rio de Janeiro. A partir da compreensão do ser humano como ser biopsicossocial, abre-se espaço para a investigação de componentes culturais que podem influenciar as pessoas em suas formas de enfrentamento da doença. Foram investigadas as percepções de um grupo de médicos em relação à presença de crenças religiosas de seus pacientes, bem como a inclusão do tema na formação médica. A pesquisa destaca a presença de característica cultural de certos grupos de indivíduos: crença em algo que transcende a realidade natural e que pode assumir variadas formas. Métodos: Foram entrevistados 41 médicos mediante entrevistas semiestruturadas orientadas por questões abertas abordando opiniões, condutas e atitudes com relação às crenças religiosas e espirituais e o seu papel no contexto assistencial. Utilizou-se como base teórica a Teoria das Representações Sociais de Moscovici e como abordagem metodológica o Discurso do Sujeito Coletivo (DSC). Resultados: Os discursos revelaram a percepção do grupo investigado de que não houve nenhum preparo na formação médica para responder às demandas provocadas pelo tema, mas a experiência na assistência os conduziram à percepção de que crenças compõem o perfil de muitos pacientes e que estas podem ser relevantes no trabalho médico. Atividades educativas e consulta à literatura científica já produzida sobre esse tema não fizeram parte da formação. O encontro com a realidade tem sido feita com base no “bom senso” do profissional médico a partir de experiências pessoais e profissionais. Conclusão: Os discursos mostram que responder às demandas provocadas pelas crenças tem sido feito com dificuldades na prática médica, mesmo trabalhando em um hospital universitário que produz pesquisas e estimula constantemente a atualização científica. Na ausência de suporte conceitual qualificado para a prática médica, os sujeitos esforçam-se para aprender nas trocas profissionais e por iniciativas de estudos próprios. Trata-se, assim, de uma questão que demanda resposta apropriada no contexto da formação médica.

    Abstract in English:

    Abstract: Introduction: This article reports research on a conducted at a public university hospital in Rio de Janeiro. We understand the human being as a biopsychosocial being. Thus, there is opportunity to investigate cultural components that can influence people when they are coping diseases. The perceptions of a group of physicians regarding their patients’s religious beliefs, as well as the inclusion of the subject in medical training were investigated. The research highlights the presence of cultural characteristics of some groups of people, such as believing in something that transcends the natural reality and that can take many forms. Methods: A total of 41 physicians were interviewed through semi-structured, open-ended interviews addressing opinions, behaviors, and attitudes regarding religious and spiritual beliefs and their role in the care context. The Theory of Social Representations of Moscovici as the theoretical base and the Collective Subject Discourse (DSC) as the methodological approach. Results: The discourses revealed of the investigated group’s perception that there was no training in medical education to deal with the topic. On the other hand, experience in care led them to the perception that beliefs make up the profile of many patients, and these may be relevant in medical work. Educational activities and consultation of the scientific literature previously produced on this topic were not part of the training. The encounter with reality has been carried out based on “good sense” of the medical professional based on personal and professional experiences. Conclusion: The discourses show that dealing with patients’ beliefs has been carried out with difficulties in medical practice, even when working in a university hospital that produces research and constantly encourages scientific updates. In the absence of qualified conceptual support for the medical practice, the individuals strive to learn through professional exchanges and through their own study initiatives. It is, therefore, an issue that demands an appropriate response in the context of medical training.
  • Analysis of a Family Practice Internship Program at a Public University in Fortaleza, Ceará, from the Student’s Perspective Artigo Original

    Lima, Ivana Cristina Vieira de; Shibuya, Beatriz Yumi Rodrigues; Peixoto, Maria das Graças Barbosa; Lima, Leilson Lira de; Magalhães, Paulo Sávio Fontenele

    Abstract in Portuguese:

    Resumo: Introdução: A atuação do médico de família e comunidade exige um domínio amplo de conhecimentos, habilidades e atitudes para enfrentar a complexidade dos pacientes, da família e da comunidade, com vistas a agir para além da dimensão curativa. Nesse contexto, o internato consiste em uma experiência fundamental para promover a articulação teórico-prática da formação médica. Objetivou-se analisar o internato em Medicina de Família e Comunidade (MFC) de uma universidade pública de Fortaleza-CE, na perspectiva do discente. Métodos: Realizou-se estudo transversal, descritivo, quanti-qualitativo, em agosto e setembro de 2018 com 30 acadêmicos do curso de Medicina do 12º semestre. A coleta de dados foi conduzida por meio de um questionário on-line que avaliou a percepção do acadêmico sobre a preceptoria, a aprendizagem, as aulas teóricas, a estrutura física das unidades, a satisfação geral com o internato e a relação com outros profissionais. Realizaram-se análise descritiva dos dados quantitativos e a análise de conteúdo do tipo temática. Resultados: A maioria dos acadêmicos era do sexo masculino (65,5%) e estava na faixa etária de 22 a 24 anos (55,1%). A satisfação geral com o internato foi considerada como boa (60%) e as aulas teóricas também (63,3%). O aprendizado foi avaliado como bom quanto à: relação médico-paciente e habilidades de comunicação (46,7%); habilidade de registro em prontuário (33,3%); habilidade para realizar atividades coletivas com usuários e equipe multiprofissional (43%). Um total de 73% considerou que o internato contribuiu para a futura atuação profissional na atenção básica. Os aspectos positivos do internato foram: preceptoria; aprendizado acerca da relação médico-paciente; autonomia do discente na condução dos casos; carga horária para estudos; aproximação com a realidade da comunidade; inserção na rotina da unidade; diversidade na aprendizagem; e formação teórico-prática. Por sua vez, destacaram-se como aspectos negativos: infraestrutura da unidade básica de saúde; aprendizagem acerca de ações coletivas e interdisciplinaridade; realização de atividades essenciais; prática baseada em evidências; e preceptoria. Conclusão: De forma geral, o internato em MFC foi bem avaliado pelos discentes, principalmente quanto à preceptoria, ao aprendizado em habilidades clínicas e à contribuição para sua formação médica em uma futura atuação na atenção primária. São necessárias novas pesquisas avaliativas que envolvam a percepção dos preceptores e dos demais profissionais da equipe de saúde, com inclusão da análise da dimensão formativa.

    Abstract in English:

    Abstract: Introduction: The work of a family medicine physician requires mastering a broad set of knowledge, skills and attitudes to deal with the complexity of patients, families and communities, with the aim of going beyond a healing perspective. In this context, the internship constitutes a fundamental experience to promote the theoretical and practical coordination of medical education. The objective of this study was to analyze a family practice internship program at a public university in the city of Fortaleza, state of Ceará, from the students’ perspective. Methods: A cross-sectional, descriptive and quanti-qualitative study was developed in August and September of 2018 with 30 undergraduate medical students attending the 12th semester of the course. Data were collected by means of an online questionnaire that assessed the students’ perception on preceptorship, learning, theoretical classes, unit infrastructure, overall satisfaction with the internship program and their relationship with other professionals. Quantitative data were submitted to descriptive and thematic content analysis. Most undergraduate students were males, (65.5%) aged between 22 and 24 years old (55.1%). Results: Overall satisfaction with the internship was considered good (60%), as well as with theoretical classes (63.3%). Learning was assessed as good regarding the physician-patient relationship and communication skills (46.7%); medical chart recording skills (33.3%); skills to perform collective activities with users and multiprofessional teams (43%). A total of 73% of students reported that the internship program contributed to their future professional performance in primary health care. The positive aspects of the internship program cited were: preceptorship; learning regarding the physician-patient relationship; students’ autonomy in case conduction; course study load; getting closer to the reality of the communities; incorporation into the unit’s routine; diversity in learning; and theoretical-practical training. The negative aspects were: infrastructure of the primary healthcare unit; learning of collective actions and interdisciplinarity; development of essential activities; evidence-based practice; and preceptorship. Conclusion: In general, the family practice internship program was well assessed by the students, mainly regarding preceptorship, learning clinical skills and the contribution to their medical education for future work in primary health care. Further assessment studies are needed, involving the perception of preceptors and other health professionals, and including an analysis of the educational dimension.
  • Evaluation of a University Hospital Medical Record Artigo Original

    Garritano, Célia Regina de Oliveira; Junqueira, Felipe Holanda; Lorosa, Ely Felyppy Soares; Fujimoto, Mayara Sanae; Martins, Wallace Hostalacio Avelar

    Abstract in Portuguese:

    Resumo: Introdução: Este trabalho analisa a qualidade dos prontuários médicos dos pacientes internados no Hospital Universitário Gafrée e Guinle. Métodos: Foram selecionados aleatoriamente 100 prontuários da clínica médica e da clínica cirúrgica de pacientes internados nesse Hospital. A análise dos prontuários consistiu na ausência ou presença, dos seguintes tópicos: ficha de identificação do paciente, laudo médico, boletim de internação e alta hospitalar, resumo de internação, evolução médica, evolução da enfermagem, prescrição médica, boletim operatório, boletim da anestesia, laudo do exame histopatológico. Quando havia estes tópicos, verificou-se ainda se eles estavam adequados ou inadequados. Nos prontuários da clínica médica excluíram-se o boletim operatório e da anestesia, laudo do exame histopatológico e os demais tópicos relacionados à cirurgia. Em cada prontuário foi observado se todos os itens citados estavam presentes, preenchidos corretamente, escritos de forma legível, e se havia abreviaturas, siglas e sinais impróprios. No caso de esses itens estarem presentes nos prontuários avaliou-se a adequação ou inadequação deles. Os resultados das ambas as clínicas foram comparados para a análise de qual serviço apresentou um melhor desempenho. Para avaliar o desempenho do hospital todos os itens foram analisados em relação à presença, ausência, adequação ou inadequação e não aplicabilidade. A análise dos dados foi realizada por meio de tabelas e gráficos e a análise estatística pelo teste não paramétrico Mann-Whitney. Resultados: Durante a pesquisa nem todos os itens foram encontrados e, alguns casos, estavam preenchidos inadequadamente. Além disso, constatou-se a falta de ordenação deles. Do total da amostra analisada, 85,5% estavam legíveis e 32% foram considerados inadequados, sendo 37 prontuários da clínica cirúrgica e 27 da clínica médica. Os resultados dos exames complementares foram encontrados em apenas 55,5% da amostra. Conclusão: A elaboração dos prontuários no Hospital Universitário Gaffrée e Guinle é deficiente com vários itens incompletos e/ou ausentes.

    Abstract in English:

    Abstract: Introduction: To analyze the quality of the medical records of patients admitted to the Gafrée e Guinle University Hospital. Methods: A total of 100 medical records were randomly selected from the Medical and Surgical Clinics of hospitalized patients at Gaffrée and Guinle University Hospital. The analysis of medical records consisted in the absence or presence and, if present, whether the following items are adequate or inadequate: patient identification file; medical report; hospitalization and discharge reports; hospital admission summary; medical evolution report; nursing evolution report; medical prescriptions; operative report; anesthesia report; histopathological test report. In the Medical Clinic records the operative and anesthesia reports, histopathological test report and other topics related to surgery were excluded. In each medical report it was verified whether the aforementioned items were present, correctly filled out, using legible handwriting, and whether there were inadequate abbreviations, symbols and signs. The results were compared in both clinics to analyze which service showed the best performance. To evaluate the performance of the hospital, all items were analyzed for their presence or absence, whether were adequate or inadequate and not applicable. Data analysis was performed using tables and graphs, and the statistical analysis was performed by the non-parametric Mann-Whitney Test. Results: Not all items were found nor filled out, in addition to their lack of order. Of the total analyzed sample 85.5% were legible and 32% were considered inadequate, being 37 medical records from the Surgical Clinic and 27 from the Medical Clinic. The results of the additional tests were found in only 55.5% of the sample. Conclusion: The formulation of Gaffrée and Guinle University Hospital medical records is inadequate, showing multiple incomplete and/or absent items.
  • Factors Associated with Levels of Fatigue and Excessive Daytime Sleepiness in Medical Internship Students Artigo Original

    Vaz, André Luiz de Lucena; Gléria, Vinícius Oliveira; Bastos, Cunha Fialho Cantarelli; Sousa, Ivone Félix de; Silva, Antonio Márcio Teodoro Cordeiro; Almeida, Rogério José de

    Abstract in Portuguese:

    Resumo: Introdução: O objetivo deste estudo foi mensurar os níveis de fadiga e SED em estudantes internos de um curso de Medicina, bem como analisar os fatores sociodemográficos e pessoais associados. Métodos: Trata-se de um estudo transversal analítico com abordagem quantitativa. Os participantes da pesquisa foram alunos do internato da PUC Goiás, período que corresponde aos dois últimos anos de curso. Para o desenvolvimento da pesquisa, utilizaram-se três instrumentos: um questionário sociodemográfico com perguntas direcionadas ao fenômeno investigado, a Escala de Sonolência de Epworth (ESE) e a Escala de Fadiga de Chalder. Resultados: Foram incluídos na pesquisa 116 estudantes internos do curso de medicina da PUC Goiás. A média de idade foi de 24,3 (±8,4) anos. Quanto ao sexo, 31,9% da amostra foi composta pelo sexo masculino, e 68,1%, feminino. Quando se analisou o nível de fadiga, observou-se a presença considerável de fadiga em 99 (85,3%) dos internos. Na comparação entre fadiga e os aspectos sociodemográficos, constatou-se que a variável sexo obteve associação significativa, com maiores escores em alunos do sexo feminino (p = 0,035). Já na comparação da fadiga com os aspectos pessoais, observou-se associação significativa da fadiga com os que afirmaram: praticar atividades físicas raramente (p = 0,0038), praticar atividade artística às vezes (p = 0,034), fazer atividade turística às vezes (p = 0,022), ter doença psiquiátrica (p = 0,0006), ter dificuldades para dormir (p < 0,0001), não ser fumante (p = 0,011), fazer uso de substâncias que alteram o sono (p = 0,028) e não estar satisfeito com o próprio rendimento acadêmico (p < 0,0001). Quanto à análise da sonolência excessiva diurna, perceberam-se níveis consideráveis de sonolência em 62 (53,4%) dos estudantes, e o escore médio entre os internos participantes foi de 11,2. Na comparação dos aspectos sociodemográficos dos participantes do estudo com os níveis de SED, identificou-se maior escore no sexo feminino (p = 0,041). Quando se comparou a SED com os aspectos pessoais dos estudantes, observou-se associação significativa entre os alunos que referiram ter dificuldade para dormir (p = 0,039) e aqueles que não estavam satisfeitos com o próprio rendimento acadêmico (p = 0,027). Por fim, a análise de correlação de Pearson foi realizada entre os níveis de fadiga e os níveis de SED dos 116 estudantes internos de medicina pesquisados e identificou com significância estatística uma moderada correlação positiva (r = 0,3779) entre esses dois agravos (p < 0,0001). Conclusão: Os dados apontaram que aspectos sociodemográficos e pessoais dos discentes exercem influência direta sobre os seus níveis de fadiga e SED. Tal evidência é de suma relevância, já que fadiga e SED podem trazer consequências negativas para os acadêmicos. Um melhor conhecimento da associação positiva entre fadiga e SED, bem como os fatores associados a esses agravos, permite uma abordagem dessa problemática por parte das instituições de ensino superior, visando aos melhores desfechos na qualidade de vida dos discentes e futuros profissionais médicos.

    Abstract in English:

    Abstract: Introduction: To measure the fatigue and excessive daytime sleepiness (EDS) levels in medical internship students, as well as to analyze associated sociodemographic and personal factors. Methods: This is an analytical cross-sectional study with a quantitative approach. The study participants were medical internship students from PUC Goiás, a period that corresponds to the last two years of the medical course. Three instruments were used for the study development: a sociodemographic questionnaire with questions directed to the investigated phenomenon, the Epworth Sleepiness Scale (ESS) and the Chalder Fatigue Scale. Results: A total of 116 internship students from PUC Goiás medical school were included in the study. The mean age was 24.3 (± 8.4) years. Regarding gender, 31.9% of the sample consisted of males and 68.1% of females. When analyzing the level of fatigue, the considerable presence of fatigue was observed in 99 (85.3%) of the internship students. When comparing fatigue with the sociodemographic aspects of the analyzed students, it was observed that the gender variable showed a significant association, reaching higher scores in female students (p = 0.035). When comparing fatigue with the students’ personal aspects a significant association with fatigue was observed among students who stated: rarely practicing physical activities (p = 0.0038); sometimes practicing artistic activities (p = 0.034); sometimes doing tourist activities (p = 0.022), having a psychiatric illness (p = 0.0006); having difficulty sleeping (p <0.0001); not smoking (p = 0.011); using sleep-altering substances (p = 0.028) and not being satisfied with their academic performance (p <0.0001). As for the analysis of EDS, considerable levels of sleepiness were observed in 62 (53.4%) students, and the mean score among the participants was 11.2. When evaluating the sociodemographic aspects of the study participants regarding EDS, it was observed that higher levels were again found in females (p = 0.041). Compared the EDS with the students’ personal aspects , a significant association was observed in students who reported having difficulty sleeping (p = 0.039) and students who were not satisfied with their academic performance (p = 0.027). Finally, Pearson’s correlation analysis was performed between fatigue levels and EDS levels of the 116 medical internship students analyzed and identified a positive moderate correlation with statistical significance (r = 0.3777) between these two disorders (p <0.0001). Conclusion: Data showed that the students’ sociodemographic and personal aspects have a direct influence on their fatigue and EDS levels. Such evidence is of the utmost importance, as fatigue and EDS can have negative consequences for medical students. Having better knowledge about the correlation between these disorders, as well as the factors related to them, allows the approach of this problem by higher education institutions, aiming at better outcomes regarding the quality of life of students and future professionals.
  • Medical Undergraduate Student’s Perception and Experience of Death Artigo Original

    Correia, Divanise Suruagy; Taveira, Marias das Graças Monte Mello; Marques, Andrea Marques Vanderlei Ferreira Andrea; Chagas, Raissa Ruperto Souza; Castro, Cecilia Frazão; Cavalcanti, Sandra Lopes

    Abstract in Portuguese:

    Resumo: Introdução: o estudo da morte envolve a exploração que o indivíduo faz na busca de si mesmo. A Medicina tende a negá-la e controlá-la por meio de avanços tecnológicos e medicalização, o que leva ao pensamento de que o médico pode regular a duração dela. A morte é carregada de significados simbólicos e faz parte do processo de desenvolvimento humano, contudo muitas vezes é desconhecida do estudante de Medicina, o que leva ao temor pela indefinição do momento em que ocorrerá o encontro. Inerente às atividades do médico, há a crença de que poderá ser sempre evitada, sendo entendida como falha ou insucesso do tratamento, ou como desconhecimento do profissional, provocando ansiedade e cobrança tanto por parte da população como dos médicos. Este estudo objetivou relatar a vivência e percepção sobre a morte entre estudantes de Medicina. Método: trata-se se um estudo qualitativo, observacional, realizado com 50 alunos de três períodos de um curso de Medicina em Alagoas, em 2018. Usou-se um questionário com a seguinte pergunta aberta: “Após a vivência da morte durante o curso, o que mudou na sua atuação como estudante e na sua vida?”. Os dados foram analisados manualmente em quatro etapas. A primeira fase consistiu na organização dos dados, procurando ideias que emergiram das respostas à questão norteadora, quando foi realizada a pré-análise, por meio de uma leitura aprofundada, na busca da criação das categorias, uma vez que elas não foram elaboradas previamente. A segunda fase correspondeu à elaboração da segunda planilha que armazenou as ideias explícitas (categorias provisórias) e implícitas (focos) com a identificação dos sentidos. A terceira fase procurou responder à pergunta da pesquisa por meio das unidades de registro, em que se relacionou a fala com o foco/tema e se identificou o sentido da inferência. A quarta fase compreendeu duas planilhas: uma com a interpretação dos focos e suas unidades de registros e outra com elaboração de síntese para cada foco. A vivência da morte pode acontecer em relação ao outro ou à própria morte, ocorrendo diferenças nos dois processos. Aqui abordagem concentrou-se na morte do outro e em como ela é vivenciada pelo estudante de Medicina durante a graduação. Resultados: Os dados obtidos resultaram em três categorias relacionadas à vivência da morte durante a graduação, refletindo o preparo ou não para lidar com o fenômeno. Cada categoria apresentou duas subcategorias: significação da morte, com as subcategorias “vida pessoal” e “vida profissional”; qualificação profissional, com as subcategorias “limites de atuação profissional” e “curso em relação à morte”; humanização, com as subcategorias “relação médico-paciente” e “cuidados paliativos”. Conclusão: A pesquisa mostrou que os discentes modificaram sua visão da morte após a vivência durante o curso e que estão despertos para o tema, revelando a importância deste para sua formação e também a necessidade da ampliação de sua discussão durante a graduação.

    Abstract in English:

    Abstract Introduction: the study of death involves the exploration in the search of oneself. Medicine tends to deny death and control it through technological advances and medicalization, leading to the thought that the doctor can regulate the duration of the process. Death is full of symbolic meanings and it is an important part of the human development process, often unknown by the medical students, which makes them fearful for not knowing when this meeting is going to happen. It is inherent to the doctor’s activities, believing it can be always avoided, being understood as a failure or unsuccessful treatment, or lack of knowledge by the professional, generating anxiety and demands, by the population and the doctors themselves. This research aims to report the experience and perception of death among medical students. Methods: it is a qualitative, observational study carried out with 50 students from three different semesters from a School of Medicine in the state of Alagoas, Brazil, in 2018. It was applied an instrument with an open question: After the experience of death during the course, what has changed in your performance as a student and in your life? The data was analyzed manually during four steps. The first phase consisted of organizing the data, looking for ideas that emerged from the answers to the guiding question, when the pre-analysis was carried out, through a deep reading aiming to define categories, since they had not been previously created; the second phase corresponded to the preparation of the second worksheet that stored the explicit and implicit ideas, the former being the temporary categories and the latter being the focus along with identification of the senses; the third phase sought to answer the study question through the record units, associating the speech to the focus/theme, identifying the sense of inference; the fourth phase was based on two spreadsheets, the first one with the interpretation of the main topics and their record units, and the second one with the creation of the synthesis for each focus. The experience of death may occur in relation to the other or to death itself, with differences between them. This research focus on the death of others and how undergraduate medical students experience it during the course, of which data resulted in three categories related to the experience of death during medical school, reflecting their capacity or not to deal with the phenomenon. Results: the three categories showed two subcategories, as follows: Acceptance of death, with subcategories in personal and professional life; Professional qualification with two subcategories: limits of professional performance and of the course in relation to death. The last category was Humanization, with two more subcategories: medical-patient relationship and palliative care. Conclusion: the research showed that the students modified their views about death during the course, and that they are aware of the topic, disclosing the value of this subject and also the need to discuss it during undergraduate school.
  • Prevalence of and Factors Associated with Depression and Anxiety in Brazilian Medical Students Original Article

    Ribeiro, Christiane Fernandes; Lemos, Carolina Martins Cabrita; Alt, Nina Nogueira; Marins, Rulliany Lizia Tinoco; Corbiceiro, Weydler Campos Hottz; Nascimento, Maria Isabel do

    Abstract in Portuguese:

    Resumo: Introdução: Embora a saúde mental seja uma condição essencial para o desenvolvimento humano, a literatura científica mostra alta frequência de depressão e ansiedade em universitários, principalmente entre estudantes de Medicina. Para contribuir para um melhor entendimento sobre a saúde mental de estudantes de Medicina, esta pesquisa teve os seguintes objetivos: 1. estimar a prevalência de escores indicativos de ansiedade, depressão e ansiedade e depressão simultâneas, e 2. analisar os fatores associados com tais condições em estudantes de Medicina de uma universidade federal do Brasil. Métodos: Trata-se de um estudo do tipo transversal realizado com 355 estudantes de uma faculdade de medicina do Rio de Janeiro. Os participantes foram recrutados durante o primeiro semestre do ano de 2015. As desordens mentais foram avaliadas com o uso da Hospital Anxiety and Depression Scale (Hads). A magnitude dos transtornos mentais e os fatores associados foram analisados com a obtenção de estimativas de prevalência e de razão de prevalência (RP) não ajustada e ajustada e de intervalos de confiança de 95% (IC 95%). Resultados: Analisaram-se 355 estudantes. Ansiedade foi a condição mais comum (41,4%), seguida de depressão (8,2%) e de depressão e ansiedade simultâneas (7,0%). Depois do ajustamento dos modelos multivariados e considerando tanto gênero quanto idade como variáveis de confusão, nossos resultados mostraram um padrão de risco diferenciado em relação aos três desfechos analisados. O risco de ansiedade aumentou com o fato de se “sentir sozinho” (RP ajustada: 1,59; IC 95%: 1.123; 2,259), “ter histórico de acompanhamento psiquiátrico/psicológico antes de ingressar na universidade” (RP ajustada: 1,63; IC 95%: 1,052; 2,542) e “se sentir moralmente lesado na faculdade” (RP ajustada: 1,66; IC 95%: 1,168; 2,364). O risco de depressão aumentou com se “sentir sozinho” (RP ajustada: 6,84; IC 95%: 2,047; 22,894) e “ter histórico de acompanhamento psiquiátrico/psicológico antes de ingressar na universidade” (RP ajustada: 4,74; IC 95%: 1,790; 12,579). Ansiedade e depressão simultâneas foram associadas com se “sentir sozinho” (RP ajustada: 8,90; IC 95%: 2,075; 38,208) e “ter histórico de acompanhamento psiquiátrico/psicológico durante (RP ajustada: 3,16; IC 95%: 1,061; 9,439) e antes (RP ajustada: 6,01; IC 95%: 2,000; 18,098) de ingressar na universidade”. Conclusão: Ansiedade e depressão são comuns em estudantes de Medicina. Os principais fatores associados foram tratamentos para desordens mentais antes do ingresso na universidade, solidão e relações interpessoais problemáticas durante a graduação. Dessa maneira, um melhor acolhimento e uma redução de situações conflituosas podem ajudar a minimizar essas condições frequentes em escolas médicas, uma vez que impactam não apenas a própria qualidade de vida, como também a forma de lidar com os seus pacientes no futuro.

    Abstract in English:

    Abstract: Introduction: Although mental health is an essential condition for the human development, the scientific literature shows a high frequency of depression and anxiety in university students, mainly among medical students. To contribute to a better understanding concerning medical students’ mental health, this study had the following objectives: (a) to estimate the prevalence of indicative scores for anxiety, depression, and for simultaneous anxiety and depression, and (b) to analyze factors associated with these conditions in medical students at a federal university in Brazil. Methods: This is a cross-sectional study including students from a federal medical school in the state of Rio de Janeiro. Participants were enrolled during the first semester of 2015. Mental disorders were assessed with Hospital Anxiety and Depression Scale (HADS). The magnitude of mental disorders and its associated factors were analyzed calculating prevalence rates and unadjusted and adjusted prevalence ratios (PR) and 95% confidence intervals (95% CI). Results: We analyzed 355 students. Anxiety was the most common condition (41.4%), followed by depression (8.2%), and both anxiety and depression simultaneously (7.0%). After adjustment of multivariate models and considering both gender and age as confounding variables, our results showed a differentiated risk pattern in relation to three outcomes analyzed. Anxiety risk increased with ‘feeling alone’ (adjusted PR: 1.59; 95% CI: 1.123; 2.259), ‘having a history of psychological and/or psychiatric treatment before entering university’ (adjusted PR: 1.63; 95% CI: 1.052; 2.542), and ‘feeling morally harmed at college’ (adjusted PR: 1.66; (95% CI: 1.168; 2.364). Depression risk increased with ‘feeling alone’ (adjusted PR: 6.84; 95% CI: 2.047; 22.894) and ‘having a history of psychological and/or psychiatric treatment before entering university’ (adjusted PR: 4.74; 95% CI: 1.790; 12.579). Simultaneous anxiety and depression were associated with ‘feeling alone’ (adjusted PR: 8.90; 95%CI: 2.075; 38.208) and ‘having a history of psychological and/or psychiatric treatment during the medical course (adjusted PR: 3.16; 95% CI: 1.061; 9.439) and before (adjusted PR: 6.01; 95% CI: 2.000; 18.098) entering university’. Conclusion: Anxiety and depression are common conditions in medical students. The main associated factors were therapies for mental health before entering in university, loneliness and lack of respect in interpersonal relationships during the medical course. Therefore, initiatives aiming at better welcoming students and reducing conflicting situations can help minimizing these mental problems during university career, once they have a large impact not only in their quality of life, but also in the way they will deal with their patients in the future.
  • MiniCex as an Assessment Tool of a Medical Course Internship Program Original Article

    Oliveira, Céres Larissa Barbosa de; Appenzeller, Simone; Caldas, Cezar Augusto Muniz

    Abstract in Portuguese:

    Resumo: Introdução: avaliação de programa é o processo de obtenção de informações sobre um curso ou programa de ensino que leva em consideração aspectos de custo-efetividade, de checagem da adequação da avaliação ao propósito do curso e da capacidade do programa de induzir transformação da realidade. Tais avaliações regulares retroalimentam as tomadas de decisão que almejam melhores práticas de ensino e aprendizagem. O Miniexecício Clínico Avaliativo (Mini Clinical Evaluation Exercise - MiniCex) é uma escala de classificação de desempenho projetada para avaliar as habilidades que os acadêmicos e residentes necessitam em encontros reais com os pacientes. Diante da importância da avaliação de programa para uma instituição, a utilização de dados do MiniCex pode ser de grande valia para o acompanhamento dos alunos e do curso, favorecendo o planejamento e as melhorias na instituição. Objetivo: utilizar o MiniCex como parte de uma avaliação de programa no início do internato do curso de Medicina, visando determinar as áreas do curso básico e pré-clínico nas quais o aluno possui deficiências. Métodos: Foi realizado um estudo transversal, de caráter descritivo, com a utilização de dados retrospectivos obtidos por meio das fichas do MiniCex aplicadas aos alunos do nono semestre no módulo de Clínica Médica que correspondeu ao primeiro semestre do internato da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Pará, sendo avaliados um total de 111 alunos dentre os 154 aptos ao internato no período de agosto de 2017 a julho de 2018. Resultados: Dentre as avaliações realizadas, com 97,2% solicitadas pelos professores, a maioria (72%) foi de casos novos, 45% e 38,7% de baixa e moderada complexidade, respectivamente. Houve predomínio afecções do sistema musculoesquelético (27,7%), seguido do sistema gastrointestinal/hepatologia (14,8%). Quanto às habilidades em cada domínio, obteve-se rendimento suficiente em todos. Observou-se que 12,6% dos alunos tiveram deficiência em pelo menos uma área, o que foi seguido de 6,3% de alunos insuficientes em duas áreas e 4,5% com rendimento insatisfatório em três ou mais áreas. Conclusão: o MiniCex aplicado aos estudantes do internato mostrou-se capaz de fornecer informações importantes e úteis como parte de uma avaliação de programa das áreas prévias ao internato. A análise dos dados obtidos foi encaminhada aos professores do pré-internato e do internato e à direção do curso. Enviou-se a análise aos primeiros para que pudessem rever seus programas e detectar em que ponto podem intervir e fazer as alterações que visem à melhor aquisição de conhecimentos básicos pelos discentes e consequentemente ao aumento do desempenho deles. Quanto aos professores do internato, o objetivo foi apresentar-lhes um panorama dos aspectos em que precisarão concentrar seus programas conforme as carências indicadas pelos acadêmicos que chegam ao internato. Por último, à direção, o material serviu de guia do que deve fiscalizar dos docentes dos semestres que antecedem o internato.

    Abstract in Portuguese:

    Resumo: Introdução: avaliação de programa é o processo de obtenção de informações sobre um curso ou programa de ensino que leva em consideração aspectos de custo-efetividade, de checagem da adequação da avaliação ao propósito do curso e da capacidade do programa de induzir transformação da realidade. Tais avaliações regulares retroalimentam as tomadas de decisão que almejam melhores práticas de ensino e aprendizagem. O Miniexecício Clínico Avaliativo (Mini Clinical Evaluation Exercise - MiniCex) é uma escala de classificação de desempenho projetada para avaliar as habilidades que os acadêmicos e residentes necessitam em encontros reais com os pacientes. Diante da importância da avaliação de programa para uma instituição, a utilização de dados do MiniCex pode ser de grande valia para o acompanhamento dos alunos e do curso, favorecendo o planejamento e as melhorias na instituição. Objetivo: utilizar o MiniCex como parte de uma avaliação de programa no início do internato do curso de Medicina, visando determinar as áreas do curso básico e pré-clínico nas quais o aluno possui deficiências. Métodos: Foi realizado um estudo transversal, de caráter descritivo, com a utilização de dados retrospectivos obtidos por meio das fichas do MiniCex aplicadas aos alunos do nono semestre no módulo de Clínica Médica que correspondeu ao primeiro semestre do internato da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Pará, sendo avaliados um total de 111 alunos dentre os 154 aptos ao internato no período de agosto de 2017 a julho de 2018. Resultados: Dentre as avaliações realizadas, com 97,2% solicitadas pelos professores, a maioria (72%) foi de casos novos, 45% e 38,7% de baixa e moderada complexidade, respectivamente. Houve predomínio afecções do sistema musculoesquelético (27,7%), seguido do sistema gastrointestinal/hepatologia (14,8%). Quanto às habilidades em cada domínio, obteve-se rendimento suficiente em todos. Observou-se que 12,6% dos alunos tiveram deficiência em pelo menos uma área, o que foi seguido de 6,3% de alunos insuficientes em duas áreas e 4,5% com rendimento insatisfatório em três ou mais áreas. Conclusão: o MiniCex aplicado aos estudantes do internato mostrou-se capaz de fornecer informações importantes e úteis como parte de uma avaliação de programa das áreas prévias ao internato. A análise dos dados obtidos foi encaminhada aos professores do pré-internato e do internato e à direção do curso. Enviou-se a análise aos primeiros para que pudessem rever seus programas e detectar em que ponto podem intervir e fazer as alterações que visem à melhor aquisição de conhecimentos básicos pelos discentes e consequentemente ao aumento do desempenho deles. Quanto aos professores do internato, o objetivo foi apresentar-lhes um panorama dos aspectos em que precisarão concentrar seus programas conforme as carências indicadas pelos acadêmicos que chegam ao internato. Por último, à direção, o material serviu de guia do que deve fiscalizar dos docentes dos semestres que antecedem o internato.

    Abstract in English:

    Abstract: Introduction: Program assessment is the process of data collection about a course or teaching program that takes into consideration the aspects of cost-effectiveness, checking the adequacy of the evaluation according to the course purpose and the program capacity to yield changes in real life. Such regular assessments provide feedback to the decision-making process that aim at better teaching and learning practices. The Mini Clinical Evaluation Exercise (MiniCex) is a performance rating scale designed to assess the skills that medical students and residents need in real-life situations with patients. Considering the importance of program assessment for an institution, the utilization of the MiniCex data might be of great value for the follow-up of students and the course, helping the planning process and generating improvements in the institution. Therefore, the objective of this study is to assess the program using MiniCex in the beginning of the medical internship, aiming to determine in what areas of the basic and pre-clinical course the students have more difficulties. Methods: A cross-sectional descriptive study was carried out, using the retrospective data obtained by the MiniCex forms that were applied to the 9th-semester medical students, which correspond to the first semester of medical internship in the Federal University of Pará. A total of 111 students was assessed, among the 154 students eligible for internship, from August 2017 to July 2018. Results: Among the performed evaluations, with 97% being requested by the teachers, most of them (72%) were about new cases, and 45% and 38% had low or moderate complexity, respectively. There was a predominance of musculoskeletal system disorders (27.7%), followed by the gastrointestinal/hepatology system (14.8%). Concerning the skills in each domain, the performance was satisfactory in all of them. We observed that 12% of the students had difficulties in at least one area, followed by 6.3% of students with difficulties in 2 areas and 4.5% with an unsatisfactory performance in 3 or more areas. Conclusion: the MiniCex, when applied to internship students, showed to be a source of important and useful information, as part of a program assessment concerning the areas preceding the internship. The analysis of the obtained data was sent to teachers of the pre-internship, internship and course management areas. To the first ones, with the objective of reviewing their programs, detecting where they can intervene and, thus, make changes that aim a better acquisition of basic knowledge by the students and, consequently, improve their performance. To the second ones, to provide an overview of where they will have to focus their programs according to the needs of the medical students who reach the internship. Finally, to the course management, as a guide of what should be supervised by the professionals teaching the semesters that precede the internship.
  • Creating a Mental Health Internship Program: the Experience of Universidade São Francisco Artigo Original

    Paulin, Luiz Fernando; Poças, Regina Caeli Guerra; Giraldez, Fabio; Marim, Juliana; Centelhas, Ivan; Nicolucci, Camila

    Abstract in Portuguese:

    Resumo: Introdução: O modelo de formação médica no Brasil vem apresentando importantes modificações nos últimos anos. Com o lançamento do Programa Mais Médicos em 2013, cujo propósito era a formação de recursos humanos na área médica para atuarem preferencialmente em áreas carentes, sob a referência do Sistema Único de Saúde (SUS), e o posterior lançamento das Diretrizes Curriculares Nacionais, no ano seguinte, uma nova realidade se apresentou em relação ao internato médico, quanto à necessidade do módulo de saúde mental. O surgimento de novas escolas médicas, bem como a inexistência de internato de saúde mental em escolas mais antigas, pressupõe a reflexão e viabilização desse novo campo de atuação. O artigo propõe apresentar a experiência do curso de Medicina da Universidade São Francisco (USF), de Bragança Paulista, que desenvolve internato de saúde mental há 15 anos. Método: Como premissa estrutural estabelecemos cinco norteadores de organização, planejamento e execução do internato, respeitando a especificidade e realidade de cada curso no que tange à carga horária, ao corpo docente e aos cenários de aprendizagem. Resultados: O objetivo é apresentar informações sobre o conteúdo programático de saúde mental na graduação, a estruturação do internato, a existência de internato próprio de saúde mental ou vinculado a um módulo mais abrangente, a carga horária existente, a distribuição do número de alunos por módulo, o número de docentes e os cenários de aprendizagem existentes. Conclusão: Os autores apresentam o modelo de funcionamento do internato de saúde mental do curso de Medicina da USF, que deve servir como proposta de viabilização e norteamento para os cursos de Medicina que necessitam de um referencial de formação. A educação médica que se encontra em importante momento de inflexão deve formar profissionais que, mesmo não sendo psiquiatras, sintam-se preparados para as demandas de saúde mental, que se apresentam no cotidiano da atenção à saúde, sob a estruturação dos princípios básicos do SUS.

    Abstract in English:

    Abstract: Introduction: The medical education model in Brazil has been going through major changes in recent years. With the introduction of the “More Doctors” Program in 2013, which proposes to train human resources in the medical field to work preferentially in Brazil’s neediest regions under the reference of the Brazilian Unified Health System (SUS), and the subsequent launching in the following year of the National Curriculum Guidelines for medical courses, a new reality was introduced regarding medical internship and the need for a mental health module. The emergence of new medical schools, as well as the lack of mental health internship programs in older schools, presupposes the necessity of reflection and viability of this new field of activity. This article aims at presenting the experience of the São Francisco University (USF) medical course in Bragança Paulista, which has been developing its mental health internship program for fifteen years. Method: As the structural premise, we established five guiding principles for the organization, planning and implementation of the internship program, respecting the specificity and reality of each course regarding the workload, faculty and learning scenarios. Results: It seeks to know about the programmatic content of mental health in medical courses, the internship structure, the existence of a mental health internship program of its own or related to a more comprehensive module, the existing workload, the number of students distributed among the modules, the number of faculty members and the learning scenarios. Conclusion: The authors present the operating model of the mental health internship program of the medical course at USF, in order to serve as a proposal of viability and guidance for medical courses that seek for a training referential. It is concluded that medical education, which faces an important moment of change-over, can train professionals who, even if they do not become psychiatrists, feel prepared for the mental health demands that can emerge during the healthcare routine and under the basic principles of SUS.
  • Student’s Perception of the Educational Environment within the Medical Semiology Subject Artigo Original

    Pricinote, Sílvia Cristina Marques Nunes; Gomes, Artur Lorenzo Sena; Monteiro Filho, Alberto; Silva, Bruno Leonardo Wadson; Souza Junior, Reinaldo Elias de; Ferreira, Denise Milioli; Roberti, Maria do Rosário Ferraz; Fernandes, Marcos Rassi

    Abstract in Portuguese:

    Resumo: Introdução: A Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Goiás (FM-UFG) iniciou um novo processo de mudança curricular em 2014. As disciplinas de Semiologia I e II passaram a adotar metodologias ativas de ensino para adequação às necessidades da reforma curricular. O objetivo deste artigo foi avaliar a percepção dos discentes do primeiro ano da FM-UFG sobre o ambiente educacional das disciplinas de Semiologia I e II. Método: Trata-se de um estudo descritivo, do tipo corte transversal, envolvendo 86 alunos. O instrumento de coleta de dados foi o questionário Dundee Ready Education Environment Measure (Dreem), versão em português. Os resultados foram considerados em três níveis: questões individuais, cinco dimensões e Dreem global. Calcularam-se a média, o desvio padrão e os respectivos intervalos de confiança de 95%. Obteve-se a confiabilidade interna do Dreem pelo cálculo do alfa de Cronbach, avaliou-se a distribuição dos dados da amostra pelo teste de Shapiro-Wilk e realizou-se a comparação entre os percentuais da média dos escores dos domínios e do DRREM global pela ANOVA, seguida do teste de Tukey. Resultados: A média do Dreem global foi de 134,83/200 ± 17,42, uma percepção mais positiva que negativa. As cinco dimensões tiveram os seguintes resultados: percepção da aprendizagem (32,74 / 48 ± 5,59 / uma visão mais positiva); percepção dos docentes (32,71 / 44 ± 6,23 / na direção certa); percepção dos resultados acadêmicos (20,22 / 32 ± 4,09 / sentimento positivo); percepção do ambiente geral (31,74 / 48 ± 5,69 / atitude positiva); percepção das relações sociais (17,42 / 28 ± 3,83 / não é tão ruim). Foram encontrados alguns pontos problemáticos em relação a fatos memorizáveis, metodologia de ensino prévio e cansaço para cursarem a disciplina. A dimensão com mais áreas fortes foi a percepção dos docentes. Houve significância estatística quando os percentuais da média dos escores dos domínios e do Dreem global foram comparados. Conclusão: O ambiente educacional das disciplinas de Semiologia I e II da Faculdade de Medicina da UFG criado pelas inovações metodológicas foi avaliado positivamente pelos discentes participantes, com destaque para o domínio percepção dos docentes.

    Abstract in English:

    Abstract: Introduction: In 2014, the Medical School of the Federal University of Goias (FM-UFG) started its curricular changing process. The disciplines of Semiology I and II started to use active teaching methodologies to fit the curricular reform needs. The objective of this article was to evaluate the FM-UFG students’ perception of the Educational Environment in the disciplines of Semiology I and II. Method: This is a descriptive, cross-sectional study encompassing 86 students. The data collection tool was the Dundee Ready Education Environment Measure (DREEM) questionnaire, in its Portuguese version. Results were considered at three levels: individual questions, five domains and global DREEM. Mean values, standard deviation and respective 95% confidence intervals were calculated. The internal reliability of the DREEM was determined using Cronbach’s alpha; the sample normality was determined using the Shapiro-Wilk test; and the comparison between the mean score percentages of the domains and of the global DREEM was performed by ANOVA ,followed by Tukey’s test. Results: The global DREEM mean was 134.83 / 200 ± 17.42, a more positive than negative perception. The five domains showed the following results: Students’ Perception of Learning - SPL (32.74 / 48 ± 5.59 / a more positive approach); Students’ Perception of Teachers - SPT (32.71 / 44 ± 6.23 / going in the right direction); Students’ Academic Self-Perception - SASP: (20.22 / 32 ± 4.09 / feeling more on the positive side); Students’ Perception of the Atmosphere - SPA (31.74 / 48 ± 5.69 / a more positive attitude); Students’ Social Self-Perception - SSSP: (17.42 / 28 ± 3.83 / not too bad). Some issues were found in relation to: memorizable facts; previous teaching methodology; and, fatigue to attend the discipline. The SPT was the domain with the largest number of strong areas. Statistical significance was found when comparing the mean score percentages of the domains and the global DREEM. Conclusion: Students positively evaluated the educational environment in the subjects Semiology I and II created by the new active teaching methodologies adopted by the institution, with the SPT domain being highlighted.
  • Development of Medical Students’ Communication Skills for HIV Pre-Test Counseling at Prenatal Care Artigo Original

    Rodrigues, Larissa Cynthia Cesar; Freitas Júnior, Reginaldo Antônio de Oliveira; Barreto, Carolina Teixeira de Resende; Cassiano, Alexandra do Nascimento; Lima, Alexandra Silva de; Silva, Carla Glenda Souza da

    Abstract in Portuguese:

    Resumo: Introdução: As Diretrizes Curriculares Nacionais dos cursos de graduação em Medicina preconizam a ênfase na habilidade de comunicação para o profissionalismo do egresso. Promover o desenvolvimento da habilidade de comunicação efetiva para a competência clínica representa um desafio para a educação médica. O presente estudo objetivou contribuir para o desenvolvimento da habilidade de comunicação durante a formação médica por meio de estratégia de ensino e aprendizagem que utilizou como ferramenta o aconselhamento pré-teste HIV no pré-natal. Métodos: Trata-se de estudo com métodos mistos sequenciais e abordagem qualitativa, desenvolvido em três fases. Na primeira fase, 30 estudantes do internato em Tocoginecologia participaram de consulta simulada, gravada em áudio e vídeo, direcionada para conhecimentos específicos e habilidades para comunicação efetiva no tema. Na segunda fase, uma estratégia de feedback individual contou com a análise conjunta do vídeo e avaliação de critérios estabelecidos em checklist específico. Na terceira fase, buscou-se avaliar a autopercepção dos estudantes acerca de sua participação na estratégia e de sua necessidade de desenvolvimento da habilidade de comunicação durante a formação. Resultados: A análise geral dos dados revela um baixo desempenho, sobretudo quanto aos conhecimentos específicos necessários à comunicação efetiva para o aconselhamento pré-teste HIV no pré-natal. Conclusões: Nesse sentido, a autopercepção dos estudantes mostrou-se coerente com os resultados observados e apontou a necessidade de melhorar os conhecimentos específicos aliados às habilidades de comunicação para, então, possibilitar um aconselhamento adequado. Além disso, nos discursos dos estudantes, são frequentes falas reflexivas a respeito da importância de praticar e desenvolver a habilidade de comunicação.

    Abstract in English:

    Abstract: Introduction: The Brazilian National Curriculum Guidelines for medical undergraduate courses underscore the emphasis on communication skills for recently graduated professionals. Promoting the development of effective communication skills for clinical competence poses a challenge for medical education. The present study aims to contribute to the development of communication skills during medical education through a teaching and learning strategy that uses prenatal HIV pretest counseling as a tool. Methods: This is a study with sequential mixed methods and qualitative approach developed in three phases. In the first phase, thirty students from the Tocho-Gynecology Internship participated in a simulated consultation, which was recorded in audio and video, directed to specific knowledge and skills for effective communication in the topic. In the second phase, an individual feedback strategy included the joint analysis of the video and the evaluation of established criteria in a specific checklist. In the third phase, the objective was to evaluate the students’ self-perception about their participation in the strategy and their need to develop communication skills during medical training. Results: The general analysis of the data reveals a poor performance, especially regarding the specific knowledge required for effective communication for prenatal HIV pretest counseling. Conclusion: Therefore, the students’ self-perception was consistent with the observed results and indicated the need to improve specific knowledge combined with communication skills, so as to allow appropriate counseling. Moreover, the students’ discourses frequently disclose reflective comments about the importance of practicing and developing communication skills.
  • Antibiotic and Art: an Innovative Approach in Medical Education Artigo Original

    Távora, Lara Gurgel Fernandes; Amorim, Laila Maria Teixeira; Araújo, Ranna Jorge de; Baracho, Monya Garcia; Libório, Mariana Pitombeira

    Abstract in Portuguese:

    Resumo: Introdução: Com o intuito de estimular o exercício do pensamento crítico e da criatividade e considerando a complexidade vinculada ao aprendizado de antibióticos, criou-se o Teste de Sensibilidade artística aos Antimicrobianos (TSaA). Trata-se de uma atividade inovadora no ensino de antimicrobianos que avalia conhecimento e raciocínio clínico por meio de apresentações envolvendo a arte. Desde o segundo semestre de 2014, o TSaA mostrou-se uma prática integrativa no ensino de antimicrobianos para estudantes de Medicina do quinto semestre da Universidade de Fortaleza (Unifor). O objetivo deste estudo foi analisar o TSaA como metodologia de ensino/aprendizagem sobre antimicrobianos e a satisfação dos alunos com essa atividade. M étodos: Os alunos do quinto semestre do curso de Medicina foram divididos em oito grupos de 12 alunos. Os alunos receberam o desafio de utilizar a arte como ferramenta de comunicação para mostrar os seus conhecimentos sobre antimicrobianos. Cada grupo ficou responsável por apresentar conteúdos relacionados a uma classe de antimicrobiano previamente sorteada. A apresentação da atividade foi avaliada por dois docentes simultaneamente que utilizaram um instrumento específico para esse fim. Ao término do TSaA, os alunos foram convidados a responder a um questionário que abordava questões sobre a sua percepção acerca da atividade, os benefícios no contexto da aprendizagem e as dificuldades identificadas. As perguntas eram tanto objetivas quanto abertas. Resultados: Participaram do estudo 92 estudantes. A metodologia adotada para a atividade foi considerada adequada para 82% dos participantes. As formas de apresentação mais utilizadas foram encenação e música. A maioria dos participantes percebeu o TSaA como uma estratégia valiosa de facilitação de aprendizagem sobre antimicrobianos. A associação do estudo do antibiótico com a arte foi considerada uma forma divertida de aprendizagem do tema, que os levou a trabalhar de forma integrada. Na opinião dos alunos, houve realmente uma maior fixação de conteúdo com essa atividade. Conclusão: O TSaA facilitou a aprendizagem sobre antimicrobianos e estimulou a criatividade e o raciocínio crítico/lógico nos estudantes de Medicina do quinto semestre.

    Abstract in English:

    Abstract: Introduction: To stimulate the practice of critical thinking and creativity and considering the complexity associated with antibiotic learning, the Antimicrobial Artistic Sensitivity Test (TSaA) was created, which is an innovative activity in antimicrobial teaching that evaluates knowledge and clinical reasoning through artistic presentations. Since the second semester of 2014 (2014.2), TSaA has proven to be an integrative practice in antimicrobial teaching for fifth-semester medical students of the University of Fortaleza/CE (UNIFOR). The objectives of this study were to analyze TSaA as a methodology of antimicrobial teaching / learning and students’ satisfaction with this practice. Methods: Fifth-semester medical students were divided into eight groups, each one with twelve participants. Students were challenged to show their knowledge of one class of antimicrobial drug using art as the communication tool. Each group was assigned to work with a specific class of antibiotic, which was previously randomly selected. Two teachers simultaneously evaluated the presentation, using a specific form to carry out this evaluation. In the end of the activity, students were invited to answer a questionnaire, with objective and subjective questions, addressing their perceptions of the activity, the benefits on antibiotic learning and identified difficulties. Results: A total of 92 students participated in the study. The methodology used to carry out the TSaA activity was considered adequate by 82% of the participants. Staging performance and music were the most frequently chosen forms of presentation. The majority of the participants indicated TSaA as a valuable strategy to facilitate antimicrobial learning. The association between antibiotic study and art was considered an amusing way of content learning. According to students’ perception, this practice also stimulated teamwork. In the students’ opinion, there was indeed a greater content learning with this activity. Conclusion: The Antimicrobial Artistic Sensitivity Test facilitated antimicrobial learning, stimulating the creativity and critical/logical thinking of fifth-semester medical students.
  • The Effect of the Increase in General Surgery Residency Openings in Brazil Original Article

    Tonatto Filho, Antoninho José; Gallotti, Felipe Melloto; Treiguer, Alberto; Olijnyk, José Gustavo; Grossmann, Thiago Kreutz; Lombard, Thiago Filomena

    Abstract in Portuguese:

    Resumo: Introdução: Nos últimos anos, houve um aumento no número de vagas de residência médica em todas as regiões do Brasil. Apenas nos últimos quatro anos, de 2014 a 2018, houve um aumento de 18.953 vagas gerais ofertadas para o primeiro ano de residência médica para 26.094, 37% a mais, o que foi acompanhado também pela área de cirurgia geral. Em consequência, o número de cirurgiões gerais vem aumentando substancialmente, de 12.430 em 2008 para 34.065 em 2018, um aumento percentual absoluto de 174%. Esses novos cirurgiões vêm trazendo consigo seus conhecimentos teóricos e práticos já atualizados, em sua maioria, de novas técnicas e modalidades cirúrgicas. Nesse contexto, nas últimas duas décadas a cirurgia videoassistida vem se tornando a via de escolha para inúmeros procedimentos no Brasil e no mundo, tendo em vista seus benefícios para os pacientes, tais como menor permanência hospitalar no pós-operatório e menos resposta metabólica ao trauma cirúrgico. Este estudo correlaciona o aumento do número de vagas em residência médica e consequentemente de novos cirurgiões ao aumento de cirurgias videolaparoscópicas no sistema público de saúde. Metodologia: Os dados para revisão foram extraídos do Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (Datasus). Escolheram-se as cirurgias com maior frequência para análise dos dados. Resultados: Os resultados foram divididos nas cinco áreas geograficamente distribuídas pelo Brasil. Ao final do estudo atual, demonstrou-se que o número de cirurgias videoassistidas aumentou em 233%, acompanhado pela elevação de 63% no número de vagas de residência médica e acréscimo de 174% no número de novos cirurgiões no Brasil, no mesmo período. Conclusão: O atual estudo demonstrou que o aumento do número de cirurgias videoassistidas no país está relacionado diretamente com o aumento exponencial do número de vagas de residência médica e, por consequência, do número de novos cirurgiões gerais. A formação desses novos cirurgiões gerais ocorre, cada vez mais, num contexto de técnicas videolaparoscópicas que trazem consigo inúmeros benefícios já reconhecidos para os pacientes. Conclui-se, portanto, que o acréscimo no número de vagas de residências médicas em cirurgia geral - que cada vez mais empregam os ensinamentos em técnicas videolaparoscópicas - tem contribuído como fator complementar para o aumento do número de cirurgias videoassistidas observado em todas as regiões do Brasil.

    Abstract in English:

    Abstract: Introduction: In recent years, there has been an increase in the number of medical residency programs in all regions of Brazil, only in the last 4 years, from 2014 to 2018, there was an increase from 18,953 general spots offered for the first year of medical residency to 26,094, 37% more, this was also observed in General Surgery Residencies around Brazil. As a result, the number of general surgeons has increased substantially, from 12,430 in 2008 to 34,065 in 2018, an absolute percentage increase of 174%. These new surgeons are bringing with them their theoretical and practical knowledge already updated, regarding new techniques and surgical modalities. In this context, in the last 2 decades, video-assisted surgery has become the choice for numerous procedures in Brazil and in the World, considering its benefits for patients, such as less postoperative hospital stay and less metabolic response to surgical trauma, for example. The current study correlates the data between the increase in the number of spots in medical residency programs, related to the graduation of new surgeons in Brazil, to the increase of videolaparoscopic surgeries in the public health system. Methodology: Review and online analysis of the national electronic public health registry database - DATASUS. The most performed Surgeries in Brazil were chosen for our data analysis. Results: The results were divided into five geographically distributed areas in Brazil. At the end of the current study, the number of video-assisted surgeries increased by 233%, accompanied by a 63% increase in the number of medical residency openings and a 174% absolute increase in the number of new surgeons in Brazil at the same period. Conclusion: The current study showed that the increase in the number of video-assisted surgeries in the country is related to the exponential increase in the number of medical residency spots and, consequently, to the number of new graduated general surgeons. This increase occurs more and more in a context of videolaparoscopic techniques, revealing multiple benefits already recognized for patients. We could conclude, therefore, that the increase in the number of medical residencies in general surgery - which are increasingly teaching videolaparoscopic techniques - has contributed as a complementary factor to the increase in the number of video-assisted surgeries observed in all regions of Brazil.
  • Health Empathy Map: Creation of an Instrument for Empathy Development Original Article

    Peixoto, José Maria; Moura, Eliane Perlatto

    Abstract in Portuguese:

    Resumo: Introdução: A empatia é um construto multidimensional que requer a habilidade de perceber e entender a perspectiva do outro, bem como sentir seu estado emocional. Trata-se de habilidade intelectual a ser aprendida que representa um dos domínios da inteligência emocional. O objetivo deste estudo foi elaborar um instrumento para o ensino e a prática da habilidade de empatia nos cenários de ensino em saúde, denominado Mapa da Empatia em Saúde (MES). Método: Trata-se de um estudo com abordagem qualitativa e descritiva para elaboração do MES. O estudo apresentou três fases: 1. adaptação do Mapa da Empatia a cenários de ensino em saúde, 2. adequação do conteúdo do instrumento realizado por professores de ambulatório da Universidade José do Rosário Vellano (UNIFENAS-BH) durante capacitação docente e 3. avaliação do conteúdo e da exequibilidade do instrumento, primeiramente realizada pela técnica de grupo focal e posteriormente por estudantes do terceiro ano de medicina durante a prática ambulatorial e no grupo tutorial. Resultados: A adequação do instrumento para a utilização em cenários de ensino em saúde foi ancorada nos pilares conceituais da empatia - tomada de perspectiva, compartilhamento emocional e preocupação empática -, bem como nas sugestões dos professores de ambulatório, dos participantes do grupo focal e dos estudantes de medicina. Todas as sugestões foram debatidas e acatadas, após consenso de que indicavam avanços e melhorias do instrumento, no sentido de viabilizar a utilização pelos estudantes em cenários de aprendizagem em saúde. Conclusão: A versão final do MES foi considerada pelos participantes das diferentes fases do estudo uma ferramenta educacional com grande potencial instrucional no que tange ao estímulo do desenvolvimento de empatia, com abrangência de utilização em cenários de ensino na área da saúde.

    Abstract in English:

    Abstract: Introduction: Empathy is a multidimensional construct that requires the ability to perceive and understand the others’ perspectives, as well as feel their emotional state. It is an intellectual skill to be learned and represents one of the domains of emotional intelligence. The aim of this study was to create an instrument for the teaching and practice of empathy skills in medical education scenarios, called the “Health Empathy Map” (HEM). Method: This is a qualitative and descriptive study, aimed at developing the Health Empathy Map. The study had 3 phases: (1) Adaptation of the empathy map for medical education scenarios (2) Adequacy of the instrument content performed by teachers from the Outpatient Clinic of José do Rosário Vellano University, during teacher training (3) Assessment of content and feasibility of the instrument, first performed using the focal group technique and then by third-year medical students during outpatient clinic practice and in the tutorial group. Results: The adequacy of the instrument for medical education teaching scenarios was based on conceptual aspects of empathy: perspective-taking, emotional sharing and empathetic concern, as well as suggestions from the outpatient clinic teachers, focal group participants and medical students. All suggestions were debated and accepted, after a consensus that indicated advances and improvements of the instrument, in order to allow its use by students in health learning scenarios. Conclusion: The final version of the HEM was considered by participants of different phases of the study, as an educational instrument with great instructional potential, in terms of stimulating the development of empathy, with a broad use in medical education scenarios.
  • Impact of the Training of Professionals from São Paulo Public Health System in Phytotherapy Practice Original Article

    Haraguchi, Linete Maria Menzenga; Sañudo, Adriana; Rodrigues, Eliana; Cervigni, Herbert; Carlini, Elisaldo Luiz de Araujo

    Abstract in Portuguese:

    Resumo: Introdução: Após a aprovação da Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares e da Política Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos em 2006, a Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente de São Paulo iniciou o curso “Plantas Medicinais” que posteriormente foi ampliado para curso “Plantas Medicinais e Fitoterapia”, com o propósito de capacitar profissionais de saúde. Este estudo teve como objetivo avaliar o impacto das edições de 2014 e 2015 do curso “Plantas Medicinais e Fitoterapia” nas práticas profissionais. Métodos: Realizou-se estudo exploratório, descritivo, com abordagem quali-quantitativa. No processo quantitativo (fase I), enviou-se um questionário via e-mail para profissionais de saúde egressos do curso, divididos em sete categorias: biomédico, cirurgião-dentista, enfermeiro, farmacêutico, fisioterapeuta, médico e nutricionista. Do total de 165 questionários, 114 foram respondidos (69,1%). No processo qualitativo e quantitativo (fase II), realizaram-se entrevistas semiestruturadas, presenciais e individuais visando obter informações detalhadas da prática fitoterápica. Entrevistaram-se 73 profissionais de saúde a fim de comparar as práticas deles antes e depois da capacitação. Resultados: O curso impactou positivamente a aceitação e a aplicação da fitoterapia pelos profissionais de saúde, com um aumento significativo (p < 0,001) na ampliação de atividades relacionadas à fitoterapia (rodas de “chás”, “hortas medicinais” e capacitação). Houve ainda impacto na aplicação de produtos à base de plantas como Matricaria chamomilla (camomila), Maytenus ilicifolia (espinheira-santa) e Valeriana officinalis (valeriana). Verificou-se também aumento no conhecimento dos riscos da fitoterapia, embora sem o respectivo aumento na notificação de reações adversas. O estudo confirmou a importância da inclusão dos cursos em “Plantas Medicinais e Fitoterapia” na graduação e na pós-graduação, bem como da capacitação técnica e educação permanente para profissionais de saúde do SUS. Conclusão: O impacto positivo na quase totalidade dos aspectos avaliados, como o aumento do conhecimento e a prescrição de fitoterápicos, confirma a importância de tais cursos. Os resultados sugerem que a capacitação promoveu impacto positivo na prática fitoterápica dos profissionais da rede pública de saúde de São Paulo.

    Abstract in English:

    Abstract: Introduction: Following the introduction in 2006 of the National Policy on Integrative and Complementary Practices, and The National Policy on Medicinal Plants and Herbal Medicines, the Municipal Secretariat for the Environment of the City Hall of Sao Paulo initiated the Medicinal Plants Course, later expanded to The Medicinal Plants and Herbal Medicines Course for the training of health professionals. This study aimed to evaluate the impact of the 2014 and 2015 edition of the course “Medicinal Plants and Herbal Medicines” on health professional practices. Methods: An exploratory and descriptive study was conducted with a qualitative-quantitative approach. The quantitative process (Phase I) consisted of a questionnaire being emailed to health professionals who were involved in the course, divided into seven categories: biomedical professional, dental surgeon, nurse, pharmacist, physiotherapist, physician and nutritionist; and, out of 165 questionnaires, 114 responses were received (69.1%). The Qualitative and Quantitative process (Phase II), comprised semi-structured, in-person individual interviews to obtain detailed information on Phytotherapy practices, with 73 health professionals being interviewed, before and after the training, comparing their practices afterwards. Results: The course had a positive impact on the acceptance and application of Phytotherapy by health professionals with a significant increase (p<0.001) in the expansion of activities related to Phytotherapy (herbal tea “meetings”, medicinal herb gardens and capacity training), regarding the use of herbal products, such as Matricaria chamomilla (chamomile), Maytenus ilicifolia (espinheira-santa), Valeriana officinalis (valeriana). An increase in the knowledge of Phytotherapy risks was also observed, although there was no increase in the reporting of adverse reactions. The study confirmed the importance of the inclusion of Medicinal Plants and Herbal Medicines Courses as part of undergraduate and postgraduate school, as well as the technical training and continuing education for SUS health professionals. Conclusion: The positive impact found out in almost all evaluated aspects, such as the increase in the knowledge and in the prescription of herbal medicines, confirms the importance of such courses. The results suggest the training promoted a positive impact on the Phytotherapy practice of the Public Health System professionals in São Paulo.
  • Children in Situation of Intra-Family Violence: Concepts, Personal Experiences and Feelings of Undergraduate Medical Students Original Article

    Santos, Nilma Lazara de Almeida Cruz; Lima, Isabel Maria Sampaio Oliveira; Carvalho, Rosely Cabral de

    Abstract in Portuguese:

    Resumo: Introdução: O objetivo do estudo foi conhecer as concepções de violência entre acadêmicos dos cursos de Medicina do estado da Bahia, suas vivências com o fenômeno e orientação quanto ao encaminhamento dos casos. Métodos: Trata-se de uma pesquisa qualitativa realizada com 20 graduandos de cursos de Medicina de instituições públicas do estado da Bahia. Coletaram-se os dados por meio de um formulário eletrônico via web, disponibilizado no Google Forms, e os discentes foram informados sobre o endereço da página por meio de e-mail. Resultados: A maioria dos discentes afirmou que o tema violência contra a criança foi abordado durante a graduação. Concepções compartilhadas pela maioria dos discentes sobre o tema estão relacionadas às definições da violência como agravos físicos infringidos às vítimas, porém identificaram-se, além de aspectos subjetivos, definições mais amplas da percepção social, contemplando diferentes dimensões do fenômeno. Os sentimentos vivenciados em face de situações de violência mais frequentemente citados foram impotência, medo, tristeza, despreparo, compaixão, empatia, revolta e raiva. Para os discentes, as dificuldades encontradas na abordagem das vítimas da violência decorrem da falta de preparo na formação e de posicionamentos relacionados ao próprio médico, como medo de envolvimento e responsabilização. Mencionaram-se ainda características inerentes às crianças e descrença nos órgãos de proteção. Conclusão: Embora os discentes tenham relatado contato com o tema durante a graduação, a maioria avaliou a formação como insuficiente. O despreparo profissional para a abordagem de temas médico-sociais, a exemplo da violência, tem sido atribuído em parte ao viés biologicista da formação médica. Nesse sentido, destaca-se a compreensão da violência como fenômeno essencialmente sócio-histórico, em detrimento das diferentes dimensões do agravo que implicam o processo saúde-doença. Nessa perspectiva, tal viés obscurece o reconhecimento das diversas manifestações da violência como objeto do trabalho em saúde, sugerindo a necessidade de uma abordagem ampliada na formação médica que possa contemplar a complexidade do tema.

    Abstract in English:

    ABSTRACT: Introduction: The objective of the study was to learn about the concepts of violence among medical undergraduate students in the state of Bahia, their personal experiences with the phenomenon and advice regarding case referral. Method: a qualitative research was carried out with 20 undergraduate medical students from public institutions in the state of Bahia. The data were collected via the web through an electronic file made available by Google Forms. The students were informed about the page address through an e-mail. Results: Most of the students said that the topic of “Violence against Children” was addressed during their undergraduate years. Shared conceptions by most of the students on the subject are related to the definitions of violence as physical injuries inflicted on the victims, but broader definitions of social and subjective perception, encompassing different dimensions of the phenomenon were also identified. The most frequently cited feelings experienced in situations of violence were the following: helplessness, fear, sadness, unpreparedness, compassion, empathy, anger and rage. The difficulties that the students encountered in approaching the victims of violence stem from the lack of preparation in the training and from the positions related to the physicians themselves, such as fear of involvement and accountability. The inherent characteristics of children and distrust in protective services were also mentioned. Conclusion: Although the students reported having contact with the topic during graduation, most of them evaluated the training as insufficient. The lack of professional preparation to approach the medical-social issues, such as violence, has been partially attributed to the biologicist bias of the medical training. In this sense, we highlight the understanding of violence as an essentially social and historical phenomenon, to the detriment of the different dimensions of the illness that imply in the health-disease process. From this perspective, this bias obscure the recognition of the different manifestations of violence as objects of healthcare work, suggesting a need for a broader approach in medical education, which can help to contemplate the complexity of the subject.
  • Initial Difficulties in Learning the Physical Exam According to the Student’s Perception Artigo Original

    Costa, Gilka Paiva Oliveira; França, Kaio Alighieri Nunes de; Santos, Maria Albertina Leite; Guilherme, Janaína Guerra; Medeiros, José Givaldo Melquiades de; Silva Júnior, Estácio Amaro da

    Abstract in Portuguese:

    Resumo: Introdução: Ao longo da formação no curso de Medicina, o estudante enfrenta diversas situações que podem ser geradoras de insegurança e ansiedade, entre as quais se destacam as primeiras aulas práticas com pacientes que tradicionalmente ocorrem na disciplina de Semiologia Médica. A realização do primeiro exame físico com um paciente real é uma potencial circunstância geradora de estresse para os que dão seus primeiros passos na construção de habilidades indispensáveis à carreira médica. A forma de lidar com o estresse advindo desses encontros é bastante individual e relaciona-se com diversos fatores inerentes ao estudante e ao modelo de ensino adotado. O presente estudo propõe-se a identificar as principais adversidades relatadas pelos alunos na sua iniciação ao exame físico. Método: Para tanto, realizou-se um estudo exploratório, com abordagem qualitativa, executado durante as atividades do Módulo Horizontal Básico 4 (MHB4), o qual está inserido na grade curricular do quarto semestre do curso de Medicina da Universidade Federal da Paraíba. Uma amostra de 35 estudantes foi dividida em seis grupos focais. A coleta de dados foi realizada na oitava semana do semestre letivo e ocorreu simultaneamente em todos os grupos. A discussão iniciou-se por meio da pergunta norteadora “Quais são as dificuldades encontradas durante o exame físico do paciente?”. Procedeu-se, então, à gravação das falas dos alunos, com posterior transcrição, na íntegra, de todo o material textual, o qual foi submetido à análise de conteúdo por meio do método preconizado por Bardin. Resultados: As falas dos alunos foram elencadas em cinco categorias nomeadas como: insegurança e inexperiência; submissão do paciente; sensação de estar incomodando o paciente; direcionamento de gênero; escolha do paciente por conveniência. A partir dessa análise foi possível observar que a realização do primeiro exame físico é um evento gerador de grande estresse emocional para os estudantes. Questões como a insegurança, a inexperiência e a sensação de estar utilizando o paciente como um objeto são citadas como fatores que geram desconforto nos estudantes e dificultam seu aprendizado. Conclusões: As percepções dos estudantes são de insegurança, inexperiência e invasão da privacidade de um paciente que se encontra numa situação de passividade diante da situação. Nesse contexto, o enfrentamento das dificuldades toma proporções maiores e irrealísticas no aprendizado do exame físico.

    Abstract in English:

    Abstract: Introduction: During Medical School, the student faces several situations that can generate insecurity and anxiety, and among them, the one that stands out is the first practical class with patients, which traditionally occur during the Medical Semiology course. Performing the first physical examination in a real patient is a potential stress-inducing situation for those who take their first steps towards building the necessary skills for a medical career. The way one deals with the stress generated by these situations is quite individual and is related to several factors inherent to the student and to the teaching model adopted. The present study aims to identify the main adversities reported by students in their initiation to physical examination. Method: An exploratory study with a qualitative approach was carried out during the activities of the Basic Horizontal Module 4 (MHB4), which is part of the curriculum of the fourth semester of the Medical School at Federal University of Paraíba. A sample of 35 students was divided into 6 focal groups. Data collection was performed in the eighth week of the semester and occurred simultaneously in all groups. The discussion began with the guiding question “What are the difficulties faced during the physical examination of the patient?”. The student’s speeches were recorded and then transcripted in full and the material was submitted to content analysis using the method recommended by Bardin¹. Results: The students’ statements were listed into 5 categories: insecurity and inexperience; patient’s submission; feeling of bothering the patient; gender targeting; selection of the patient for convenience. Based on this analysis it was possible to observe that the performance of the first physical examination is an event that causes much emotional stress to students. Issues such as insecurity, inexperience and the feeling of using the patient as an object are mentioned as factors that causes discomfort to students and hinder their learning process. Conclusions: The students’ perceptions are those of insecurity, inexperience and invasion of the patient’s privacy, who is in a passive situation. In this context, the process of facing the difficulties takes on bigger and unrealistic proportions in the learning process of physical examination.
  • Medical Humanities and their Place in the Curriculum: Opinions of Cobem/2017 Participants Artigo Original

    Barboza, Jaqueline Santos; Felício, Helena Maria dos Santos

    Abstract in Portuguese:

    Resumo: É crescente a percepção de que uma formação médica com enfoque exclusivo nas disciplinas biológicas é insuficiente para a apreensão da complexidade e da singularidade do adoecimento humano. Partimos, assim, do pressuposto de que as humanidades médicas oferecem uma contribuição importante para a formação médica, por meio de referências para uma compreensão ampliada do processo saúde-doença e para a organização do cuidado em saúde, isto é, voltadas para a humanização. Este trabalho buscou conhecer as percepções de um grupo de discentes, docentes e coordenadores de curso médico sobre a integração das disciplinas de humanidades médicas nos currículos dos cursos de Medicina. A pesquisa de abordagem descritiva, quantitativa e de corte transversal consistiu na aplicação de um questionário estruturado a um grupo de participantes do 55º Congresso Brasileiro de Educação Médica (Cobem, Porto Alegre, RS, outubro de 2017), considerado assim uma amostra de conveniência. Os participantes do evento foram abordados nos intervalos das conferências e convidados a responder a um questionário que buscava opiniões sobre a inserção e a integração das disciplinas das Ciências Humanas nos currículos dos cursos de Medicina. O questionário continha ainda a caracterização da amostra quanto à região de origem, ao âmbito jurídico da instituição (privada, pública ou confessional) e ao papel do respondente (docente, discente ou coordenador/a). Foram obtidos 234 questionários, submetidos posteriormente à análise estatística descritiva. A análise evidenciou que as humanidades médicas são percebidas como importantes na formação, mas não há consenso sobre serem fundamentais na aquisição de habilidades humanísticas. As experiências interdisciplinares curriculares existem, porém nem todos percebem as temáticas de humanidades em diversos momentos no currículo médico ou articuladas a outras disciplinas. Enquanto as experiências interdisciplinares são percebidas com maior facilidade, a articulação transversal das temáticas humanísticas aparece em menor medida. De acordo com as respostas, as disciplinas permanecem concentradas apenas nos períodos iniciais, contudo a percepção de suficiência apresenta opiniões divididas. Também há discreta diferença na opinião sobre a articulação das humanidades nos ciclos básico e avançado. A menor percepção de integração das humanidades aparece nas práticas que integram ensino-serviço-comunidade.

    Abstract in English:

    Abstract: There is a growing perception that medical training with an exclusive focus on biological disciplines is insufficient for the understanding of the complexity and individuality of human illness. We start from the assumption that medical humanities make an important contribution to medical education, through references to expanded understanding of the health-disease process and to the organization of health care, that is, directed at humanization. This work sought to assess the perceptions of a group of students, teachers and coordinators of a medical course on the integration of the disciplines of medical humanities in the curricula of medical courses. The descriptive, quantitative and cross-sectional research consisted of the application of a structured questionnaire to a group of participants of the 55th Brazilian Congress of Medical Education (COBEM, Porto Alegre, RS, October/2017), considered to be a convenience sample. The event participants were approached during the intervals of the conferences and invited to answer a questionnaire that sought opinions on the insertion and the integration of the disciplines of the human sciences into the curricula of the medical courses. The questionnaire also contained the sample’s characterization of the region of origin, the legal scope of the institution (private, public or confessional) and the role of the respondent (teacher, student or coordinator). A total of 234 (two hundred and thirty-four) individuals answered the questionnaires, which were submitted to descriptive statistical analysis. The analysis showed that the medical humanities are perceived as important for the medical formation, but there is no consensus about their being crucial for the acquisition of humanistic skills. There are interdisciplinary curricular experiences; however, not all of them perceive the subjects of humanities at different times in the medical curriculum or articulated with other disciplines. While interdisciplinary experiences are perceived more easily, the cross-sectional articulation of humanistic topics appears to a lesser degree. According to the answers, the disciplines remain concentrated only in the initial periods; however, the perception of sufficiency discloses quite divided opinions. There is also a slight difference in opinion about the articulation of the humanities in the basic and advanced cycles. The lower perception of integration of the humanities appears in practices that integrate teaching-service-community.
  • Prevalence of the Settlement of Medical Residences in the State of Tocantins in the Period 2013-2017 Original Article

    Guedes, Ana Carolina Batista de Souza; Dias, Fellipe Camargo Ferreira; Osório, Neila Barbosa; Baldaçara, Raquel Prudente de Carvalho; Guedes, Virgílio Ribeiro; Silva Neto, Luiz Sinésio

    Abstract in Portuguese:

    Resumo: Introdução: A realização de residência médica (RM) é uma vertente de qualificação considerada “padrão ouro” para a especialização médica. A compreensão dos motivos que levam ou não à maior fixação do profissional estimulado pela RM e a identificação dos fatores que dificultam a permanência do médico no local ou contribuem para isso são importantes informações para a estruturação dos programas de RM e sistema de saúde. O objetivo deste estudo foi avaliar a prevalência de fixação dos egressos no estado do Tocantins, após a implantação das residências médicas no período de 2013 a 2017. Método: Trata-se de uma pesquisa observacional do tipo quantitativo, com delineamento transversal, de caráter descritivo e analítico, com uso da técnica telematizada e questionário próprio, realizada com 44 egressos dos programas de RM no estado do Tocantins. O projeto foi revisado e aprovado pelo Comitê de Ética da Universidade Federal do Tocantins (UFT) sob o Parecer nº 2.292.540. Resultados: A prevalência de fixação foi de 65,9% dos médicos no estado do Tocantins. A maioria dos residentes era do sexo feminino (59,1%), com idade média de 30,8±3,1 anos e renda entre dez e 20 salários mínimos (55,8%), e trabalhou durante a residência (84,1%). As especialidades com maior índice de fixação foram as cirurgias geral e médica. No caso desse estudo, a maioria dos participantes atua nas redes privada e estadual. O principal motivo para não fixação no Tocantins foi cursar outra residência ou subespecialidade em outro estado (64,7%). Conclusão: A prevalência de fixação das RMs no Tocantins no período analisado pode ser considerada alta (65,9%). O perfil de feminização, o juvenescimento e o motivo da não fixação dos egressos são importantes indicadores para serem analisados em conjunto com o processo de fixação e oferta de vagas nas especialidades disponibilizadas no Tocantins. Os resultados do estudo apontaram uma perspectiva favorável e estratégica dos Programas de Residência Médica (PRM) na fixação de médico no Tocantins, o que não pode ser generalizado para a realidade de um sistema de saúde tão desigual no país. Um maior investimento público na estruturação dos serviços da rede de saúde, em especial na rede municipal, na organização de apoio e no desenvolvimento socioeconômico das cidades é necessário.

    Abstract in English:

    Abstract: Introduction: The accomplishment of medical residency (MR) is a type of qualification considered to be the “gold standard” for medical specialization. Understanding whether there is actually greater professional settlement or not stimulated by MR and which factors hinder or contribute to the physician’s permanence in that place, are important information for the structuring of medical residency and health system programs. The aim of this study was to evaluate the prevalence of settlement of medical residents who finished the residency training in the state of Tocantins, after the implementation of medical residency programs in the period from 2013 to 2017. Method: This is an observational quantitative research, with a cross-sectional, descriptive and analytical design, using the telematic technique and its own questionnaire, carried out with 44 medical residents that finished the medical residency program in the state of Tocantins. The project was reviewed and approved by the Ethics Committee of the Federal University of Tocantins (UFT) under Opinion number 2.292.540. Results: The prevalence of settlement was 65.9% of physicians in the state of Tocantins. Most residents were females (59.1%), with a mean age of 30.8 ± 3.1 years, income between 10 and 20 minimum wages (55.8%) and worked during their residency training (84.1%). The specialties that showed the highest settlement rates were general surgery and clinical medicine, and among these, the majority works for the private and state health networks. The main reason for not settling in Tocantins was to attend another residency or subspecialty program in another state (64.7%). Conclusion: The prevalence of medical residents that finished the residency and settled in Tocantins during the analyzed period can be considered high (65.9%). The fact that most of these individuals are young and female and the reason for not settling in the state are important indicators to be analyzed together with the settlement process and the offering of positions in the specialties available in Tocantins. The results of the study indicated a favorable and strategic perspective of the Medical Residency Programs (MRP) in the medical settlement in Tocantins, which cannot be generalized to the reality of such an unequal health system in the country. A larger public investment in the structuring of health network services is necessary, especially in the municipal network, in the organization of support and socioeconomic development of cities.
  • Reflections on the Terminality of Life with Undergraduate Medical Students Original Article

    Brito, Priscelly Cristina Castro; Sobreiro, Izaura Mariana; Atzingen, Dênia Amélia Novato Castelli von; Silva, José Vitor da; Mendonça, Adriana Rodrigues dos Anjos

    Abstract in Portuguese:

    Resumo Introdução: A morte e o morrer são temas pertinentes ao cotidiano de profissionais de saúde e ao processo de aprendizagem de acadêmicos de Medicina; entretanto, desde os primeiros anos da graduação, o estudante é obrigado a suplantar a concepção holística do ser humano e da vida em prol da supervalorização dos fundamentos técnico-científicos da profissão. Métodos: Nesse sentido, diante das poucas oportunidades de questionar os sentimentos e a compreensão desses futuros profissionais com relação à terminalidade da vida, buscou-se conhecer suas percepções por meio da aplicação de um questionário semiestruturado. Foram entrevistados dez acadêmicos de cada ano do curso de Medicina da Univás, totalizando 60 alunos. Para inclusão no estudo, os estudantes deveriam estar regularmente matriculados no curso, aceitando, por livre-arbítrio, participar da pesquisa por meio da assinatura do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE). As entrevistas foram gravadas nas dependências da instituição e o material contendo a fala dos participantes foi posteriormente descartado. Para análise das respostas, utilizou-se o método do Discurso do Sujeito Coletivo. Resultados: Foi suscitada, de maneira preponderante em todos os anos, a concepção de terminalidade como sendo propriamente o “fim da vida”, situação com a qual parcela considerável dos entrevistados (58%) dizia não se sentir preparada para lidar por conta da escassez de reflexões sobre a morte, seus aspectos psicológicos e suas repercussões no contexto médico-acadêmico. Curiosamente, cerca de 16% dos acadêmicos consideravam-se preparados para vivenciar a morte de alguém, mas não para serem intervencionistas no processo; isso é sustentado pelo fato de que os estudantes têm de lidar com o cenário real de transmissão de más notícias, sem antes passar por situações hipotéticas e reflexivas envolvendo o “binômio vida e morte”. Conclusão: Sendo assim, parece necessária a criação de espaços na grade curricular que forneçam apoio não apenas teórico-prático, mas também afetivo das questões envolvendo a terminalidade. A proposta de educação teórico-prática relativa aos cuidados paliativos inserida na grade curricular lapidaria a confiança e atitude dos futuros profissionais perante o cuidado.

    Abstract in English:

    Abstract: Introduction: Death and dying are daily relevant themes for health care professionals and medical students. Nonetheless, since their first years of graduation, students are contrived to supplant the holistic conception of human beings and life in favor of enhancing the technical aspects of the medical profession. Methods: Therefore, in face of the few opportunities to enquire about these future professionals’ feelings and comprehensions toward life terminality, we pursued their perceptions through the application of a semi-structured questionnaire. Ten students from each year of the medical course at UNIVAS were interviewed, encompassing 60 scholars. Students should be regularly enrolled in the medical course, as well as give their consent, by signing the Consent Term, to participate in the study. The interviews took place at the institution and the material containing students’ responses was fully destroyed afterwards. Their responses were analyzed based on the Discourse of the Collective Subject Method. Results: The idea of terminality being properly the “end of life” was paramount among the years, situation with which a great amount of the scholars (58%) admitted not being prepared to deal with, due to the lack of reflections about death, its psychological aspects and repercussions in the academic context. Interestingly, about 16% of the scholars considered themselves prepared to deal with someone’s death, although they were not prepared to intervene in the actual process. This is reinforced by the fact that students must deal with the real scenario of giving undesirable news without previously being prepared to do so, by means of reflecting upon a hypothetical related to the “life-death binomial”. Conclusion: Thus, it seems necessary to create spaces in the curriculum that yield not only theoretical-practical but also affective support in situations related to terminality. The proposal of a theoretical-practical education based on palliative care amid the learning programs would shape confident attitudes of future health care professionals towards care.
  • Consumption of Brain Stimulants by Students in Montes Claros/MG Artigo Original

    Santana, Luíza Côrtes; Ramos, Andreza Neves; Azevedo, Bruna Lopes de; Neves, Inácio Luiz Morais; Lima, Mateus Magalhães; Oliveira, Marcos Vinícius Macedo de

    Abstract in Portuguese:

    Resumo: Introdução: A entrada dos jovens na universidade gera uma mudança de ambiente e costumes, tornando-se um período de grande vulnerabilidade para o uso de substâncias psicoativas. O objetivo deste estudo foi analisar o uso de substâncias psicoativas por estudantes de graduação e pré-vestibulandos, de Montes Claros-MG. Métodos: Foi realizado um estudo quantitativo, transversal, que avaliou 348 estudantes, em instituições de ensino pré-vestibular (52 estudantes) e superior (98 de Engenharia Civil, 68 de Medicina e 130 de Direito), da cidade de Montes Claros, em Minas Gerais, analisando fatores associados ao uso de psicoestimulantes. Para a obtenção dos dados, utilizou-se um questionário padronizado e validado de autopreenchimento. Obtiveram-se informações sobre o uso de metilfenidato (Ritalina®), cafeína, pó de guaraná, modafinila, piracetam, energético, anfetamina e ecstasy. Resultados: Dos 348 estudantes entrevistados, cerca de 53,7% faziam uso de algum psicoestimulante. Houve um maior uso de substâncias psicoativas nos participantes do grupo do pré-vestibular (75%) em relação ao ensino superior (50%). Observou-se uma maior prevalência do uso atual de cafeína (63,5%) e de pó de guaraná (11,5%) entre os estudantes de pré-vestibular, e de ecstasy (1,7%) e cloridrato de metilfenidato (1,9%) entre os estudantes de ensino superior. A redução do sono (64,9%) foi o efeito mais percebido pelos usuários de estimulantes cerebrais do ensino superior, seguido de melhora na concentração (48%), no bem-estar (45,3%) e no raciocínio (38,5%), redução da fadiga (33,1%), melhora na memória (23,6%) e redução do estresse (23%). Entretanto, nos estudantes do pré-vestibular apenas a melhora no raciocínio (43,6%) e a redução do estresse (23%) obtiveram relevância significativa. Conclusões: Foi possível observar uma maior prevalência do uso de psicoestimulantes nos pré-vestibulandos em relação ao grupo dos universitários. Entre as áreas do ensino superior, não foram encontradas diferenças quanto ao uso dos estimulantes cerebrais pesquisados. É preciso destacar os malefícios do uso de psicoestimulantes em longo prazo, sobretudo a dependência e a tolerância química. Em função disso, o apoio familiar e o psicopedagógico são indispensáveis para prevenir e tratar as consequências do uso desmedido de psicoestimulantes.

    Abstract in English:

    Abstract: Introduction: When young people enter the university, it generates a change of environment and customs, thus becoming a period of great vulnerability for the use of psychoactive substances. The objective of this study was to analyze the use of psychoactive substances in undergraduate and pre-college students, in Montes Claros-MG, associating the epidemiological profile, the frequency of use among the groups and describe the main benefits and side effects of the used substances. Methods: A quantitative cross-sectional study was carried out, which evaluated 348 students in pre-college (52 students) and higher education institutions (98 Civil Engineering, 68 Medical and 130 Law students), in the city of Montes Claros, state of Minas Gerais, analyzing factors associated with the use of psychostimulants. To obtain the data, a standardized and validated self-filling questionnaire was used. Information on the use of Methylphenidate (Ritalin®), Caffeine, Guarana Powder, Modafinil, Piracetam, Energy drinks, Amphetamine and Ecstasy were obtained. Results: Of the 348 students interviewed, about 53.7% used some type of psychostimulant. There was a greater use of psychoactive substances among the participants of the pre-college group (75%) in relation to those of the higher education group (50%). There was a higher prevalence of current use of caffeine (63.5%) and guarana powder (11.5%) among pre-university students, Ecstasy (1.7%) and Ritalin (1.9%) among students of higher education institutions. The reduction of sleep (64.9%) was the most perceived effect by the users of brain stimulants in higher education, followed by improvement in concentration (48%), wellness (45.3%), reasoning (38.5%), fatigue reduction (33.1%), memory improvement (23.6%) and stress reduction (23%). However, among the pre-college students only the improvement in reasoning (43.6%) and stress reduction (23%) obtained significant relevance. Conclusion: It was possible to observe a higher prevalence of the use of psychostimulants among the pre-college students in relation to the group of university students. Among the areas of higher education, no differences were found regarding the use of the assessed brain stimulants. It is necessary to highlight the harmful effects of the use of psychostimulants in the long term, especially dependence and chemical tolerance. As a result, family and psycho-pedagogical support are indispensable to prevent and treat the consequences of the excessive use of psychostimulants.
  • An Affordable Knee Arthroscopy Simulator Original Article

    Milcent, Paul André Alain; Coelho, Alexandre Roberto Roman; Rosa, Sthéphano Pellizzaro; Fonseca, Ygor Luiz Degraf da; Schroeder, Andressa Zabudovski; Stieven Filho, Edmar

    Abstract in Portuguese:

    Resumo: Introdução: O objetivo deste trabalho é descrever um modelo de simulador de artroscopia de joelho acessível, de baixo custo e facilmente reprodutível, com o intuito de permitir a difusão de metodologias de ensino ativas e treinamento mais eficazes. Métodos: Para a confecção da câmera artroscópica, foi utilizada uma câmera endoscópica para celulares e computadores modelo SXT-5.0M da fabricante KKMOON. Introduziu-se a câmera em um tubo de metal, o qual foi acoplado a um conjunto de três conectores hidráulicos de PVC de 20 mm para simular a empunhadura e camisa do artroscópio. A câmera tem resolução de 1.280 x 720 pixels e seis lâmpadas brancas de LED embutidas, simulando e dispensando a utilização de uma fonte de luz auxiliar. O modelo de joelho foi confeccionado a partir de um cano de PVC fixado em uma base de madeira, ao qual se acoplou um modelo de fêmur e tíbia sintéticos. No corpo do cano de PVC, foram confeccionadas quatro perfurações de 3 cm de diâmetro, compatíveis com os portais artroscópicos habituais. Para os meniscos, fez-se um modelo em massa de modelar (Corfix®), até que as estruturas anatômicas estivessem próximas do real. O modelo é composto por ambos os meniscos e pela eminência intercondilar, simulando a superfície articular proximal da tíbia. O modelo de massa de modelar foi a base para um molde em resina poliéster cristal fina. Com o molde em resina, os modelos meniscais foram confeccionados com borracha de silicone para moldes do tipo II, amplamente utilizados na indústria e no artesanato. Resultados: Obteve-se um simulador funcional e reprodutível, composto de um modelo de joelho e uma câmera artroscópica. Tal simulador funciona adequadamente adaptado a uma TV, um monitor ou computador e permite a simulação de procedimentos diagnósticos, meniscectomia e meniscoplastia. Conclusão: É possível desenvolver um simulador de artroscopia de joelho, com peças disponíveis em comércio local e eletrônico, por um valor aproximado de R$ 300,00.

    Abstract in English:

    Abstract: Introduction: The objective of this study is to describe a model of knee arthroscopy simulator that is affordable, low-cost and easily reproducible, aiming to enable the diffusion of more effective active teaching and training methodologies. Methods: For the creation of the arthroscopic camera, an endoscopic camera for mobile phones and computers model SXT-5.0M manufactured by KKMOON were used. The camera was introduced in a metal tube, which was coupled to a set of three 20 mm PVC hydraulic connectors to simulate the handle and sleeve of the arthroscope. The camera has a resolution of 1280 x 720 pixels and is equipped with six built-in white LED lamps, simulating and eliminating the need to use an additional light source. The knee model was developed using a PVC pipe fixed on a wooden support, to which synthetic femur and tibia models were affixed. Four three-centimeter diameter holes, compatible with the standard arthroscopic portals, were made in the body of the PVC pipe. For the menisci, a model was made out of modeling clay (Corfix®), until the anatomical structures were close to the real ones. The model consists of both menisci and the intercondylar eminence, simulating the proximal tibial articular surface. The model made out of modeling clay was the basis for the production of a thin Crystal Polyester Resin mold. Using the resin mold, the meniscal models were made of Silicone Rubber Type II, widely used in industry and crafts. Results: A functional and reproducible simulator was obtained, consisting of a knee model and an arthroscopic camera. The simulator works adequately adapted to a TV, monitor or computer, and allows the simulation of diagnostic procedures, meniscectomy and meniscoplasty. Conclusion: It is possible to develop a knee arthroscopy simulator, with components available in local and electronic commerce, at a cost of approximately R$ 300.
  • Symptoms of Depression, Anxiety and Stress in Medical Students and Institutional Coping Strategies Artigo Original

    Costa, Deyvison Soares da; Medeiros, Natany de Souza Batista; Cordeiro, Rayane Alves; Frutuoso, Everton de Souza; Lopes, Johnnatas Mikael; Moreira, Simone da Nóbrega Tomaz

    Abstract in Portuguese:

    Resumo: Introdução: Este estudo teve como propósito estimar a prevalência de sintomas de estresse, depressão e ansiedade dos estudantes de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), associando-os com outros fatores. Métodos: Trata-se de um estudo quantitativo epidemiológico, do tipo transversal. Participaram desta pesquisa estudantes de Medicina da UFRN, distribuídos equitativamente entre os diferentes períodos do curso. Entregaram-se 288 questionários, no entanto validaram-se 279, os demais não foram respondidos corretamente. Este estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da UFRN (Parecer nº 2.009.026) e todos os voluntários assinaram o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE), após serem informados sobre os objetivos da pesquisa. Para a coleta dos dados, utilizaram-se os seguintes instrumentos: 1. ficha de Identificação para os dados sociodemográficos, 2. Inventário de Sintomas de Stress para Adultos de Lipp (ISSL), 3. Inventário de Depressão de Beck (IDB) e 4. Inventário de Ansiedade de Beck (BAI). Para análise dos resultados, realizaram-se análises descritivas a partir da média, do desvio padrão e da frequência dos dados coletados. A análise inferencial foi realizada para verificar a associação entre as variáveis de desfechos e os atributos dos estudantes. Resultados: Dos estudantes entrevistados, 66,3% tinham estresse e a maioria estava na fase de resistência (58,4%) com predominância de sintomas psicológicos (42,3%). Em relação à sintomatologia depressiva, 28% dos estudantes apresentavam sintomas: 51,3% com sinais de depressão de leve a moderada, 35,9% com sinais de depressão moderada e 12,8% com sinais de depressão severa. No que se refere à sintomatologia ansiosa, 66,3% dos estudantes apresentavam sinais de ansiedade em seu grau mínimo; e 33,7%, sinais de ansiedade leve, moderada ou severa. Desses últimos, 21,9% tinham sinais de ansiedade leve; 10,8%, sinais de ansiedade moderada; e 1%, sinais de ansiedade severa. Conclusões: Diante disso, acredita-se que as instituições de ensino superior devem se comprometer com o desenvolvimento integral dos seus estudantes apresentando estratégias institucionais para o enfrentamento dessa realidade.

    Abstract in English:

    Abstract: Introduction: The purpose of this study was to estimate the prevalence of stress, depression and anxiety symptoms among medical students of the Federal University of Rio Grande do Norte, associating them with other factors. Methods: This is a quantitative cross-sectional epidemiological study. Medical students from the Federal University of Rio Grande do Norte participated in this study, distributed equally among the different periods of the course. 288 questionnaires were delivered; however, 279 were validated, while the others were not answered correctly. This study was approved by the Research Ethics Committee of UFRN (Opinion n. 2,009,026) and all volunteers signed the free and informed consent (FIC) form, after being informed about the research objectives. The following instruments were used to collect the data: (1) Identification card for the socio-demographic data, (2) Inventory of Stress Symptoms for Adults of Lipp (ISSL), (3) Beck Depression Inventory - BDI, (4) Beck Anxiety Inventory (BAI). For the analysis of the results, descriptive analyzes were performed based on the mean, standard deviation and frequency of the collected data. Inferential analysis was performed to verify the association between outcome variables and student attributes. Results: Of the interviewed students, it was observed that 66.3% had stress symptoms and the majority was in the resistance phase (58.4%) with a predominance of psychological symptoms (42.3%). In relation to depressive symptomatology, 28% of the students had symptoms, with 51.3% showing signs of mild to moderate depression, 35.9% signs of moderate depression and 12.8% showing signs of severe depression. Regarding the anxious symptomatology, 66.3% of the students showed minimal signs of anxiety and 33.7% showed signs of mild, moderate or severe anxiety. Of the latter, 21.9% had signs of mild anxiety, 10.8% signs of moderate anxiety and 1% signs of severe anxiety. Conclusions: In view of this, it is believed that higher education institutions should commit themselves to the integral development of their students, offering institutional strategies for students to cope with this reality.
  • Analysis of Empathy Levels of Teachers and Medical Preceptors of a Medical Course Artigo Original

    Nunes, Geórgia Ferreira; Guimarães, Thays Ferreira; Pargeon, Júlia da Paixão Oliveira Mello e; Bastos, Gabriela Cunha Fialho Cantarelli; Silva, Antonio Márcio Teodoro Cordeiro; Almeida, Rogério José de

    Abstract in Portuguese:

    Resumo: Introdução: O objetivo deste estudo foi avaliar os níveis de empatia, bem como os aspectos sociodemográficos e pessoais relacionados a docentes e preceptores médicos de um curso de Medicina. Métodos: Trata-se de um estudo transversal analítico com abordagem quantitativa. A pesquisa foi realizada por meio de questionários aplicados a docentes e preceptores médicos vinculados ao curso de Medicina da Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC Goiás), desde o módulo I até o XII, os quais tinham contato direto com os acadêmicos, assim como com os pacientes. A amostragem utilizada foi por conveniência. A coleta de dados foi realizada entre os meses de agosto e novembro de 2018. Dois questionários foram aplicados, sendo um com dados sociodemográficos e o outro com a Escala Multidimensional de Reatividade Interpessoal (EMRI), que mensura multidimensionalmente a empatia. Resultados: Incluíram-se na pesquisa 101 médicos, entre docentes e preceptores. A média de idade foi de 45,2 (±8,4) anos. Quanto ao sexo, 45,5% da amostra foi composta pelo sexo feminino e 54,4% pelo sexo masculino. A maioria era casada (80,2%) e possuía alguma religião. Identificaram-se maiores escores de empatia no gênero feminino, nas dimensões FS (p = 0,0468), CE (p = 0,0219) e AP (p = 0,0230), bem como na média geral (p = 0,0057). Níveis maiores de empatia também foram identificados entre os que possuíam uma religião, na dimensão AP (p = 0,0074). Os aspectos pessoais que obtiveram maiores escores nas dimensões da escala foram docentes e preceptores médicos que afirmaram que procuram orientar os seus alunos sobre empatia, dimensões FS (p = 0,0341), CE (p = 0,0398), TP (p = 0,0464) e média geral (p = 0,0442); aqueles que afirmaram que são pessoas empáticas, dimensões FS (p = 0,0327), CE (p = 0,0061), TP (p = 0,0008) e média geral (p = 0,0067); aqueles que estão satisfeitos com suas atitudes no exercício da docência, dimensão TP (p = 0,0289). Conclusão: Os dados apontaram que aspectos sociodemográficos e pessoais dos docentes e preceptores médicos exercem influência direta em maiores ou menores níveis de empatia. Tal evidência é relevante, já que a formação de futuros médicos mais empáticos depende da influência desses docentes e preceptores médicos.

    Abstract in English:

    Abstract: Introduction: To assess the level of empathy, as well as sociodemographic and personal aspects related to teachers/preceptors of a medical graduation course, who are also clinicians. Methods: This is a cross-sectional analytical study with a quantitative approach. The research was carried out through questionnaires applied to teachers and medical preceptors linked to the medical course of the Pontifical Catholic University of Goiás (PUC Goiás), from module I to module XII, who had direct contact with the students, as well as with patients. The data collection period ranged from August to November 2018 and was developed by means of a convenience sampling. Two different questionnaires were applied, the first one being about sociodemographic and personal aspects, and the second one the Interpersonal Reactivity Index (IRI), which multidimensionally measures empathy. Results: The participants included 101 doctors who are teachers and/or preceptors in a medical graduation course. The mean age was 45.2 (±8.4) years old. As for gender, 45.5% of the sample consisted of women, and 54.4% of men. Most participants are married (80.2%) and declared having a religion. This research showed higher scores of empathy in the female gender in Fantasy (FS) (p=0.0468), Empathic Concern (EC) (p=0.0219) and Personal Distress (PD) (p=0.0230) dimensions, as well as in general average (p=0.0057). Higher levels of empathy were also identified in those participants with a religion, in the PD dimension (p=0.0074). The personal aspects that most influenced the empathy levels were: teachers/preceptors that cared about stimulating their students regarding empathy - in the FS (p=0.0341), EC (p=0.0398), Perspective Taking (PT) (p=0.0464) dimensions and general average (p=0.0442); those who affirmed to be empathetic themselves - FS (p=0.0327), EC (p=0.0061), PT (p=0.0008) dimensions and general average (p=0.0067); and those who are satisfied about their teaching practice - PT dimension (p=0.0289). Conclusion: The collected data showed that sociodemographic and personal aspects have a direct influence on empathy levels. Such evidence is relevant since the education of medical students suffer the influence of the teachers/preceptors’ approach and behavior.
  • The Professional Ideal in Medical Formation Artigo Original

    Sassi, André Petraglia; Seminotti, Elisa Pinto; Paredes, Eduardo Alfeu Peixoto; Vieira, Micael Barbosa

    Abstract in Portuguese:

    Resumo Introdução: No curso de Medicina, os estudantes recebem não somente conhecimento e habilidades técnicas em sala de aula e nos campos de prática, mas também aprendem valores, atitudes e comportamentos profissionais. Nesse processo, ocorre a construção social do médico, em que será desenvolvido o ideal profissional. Esta pesquisa teve como objetivo compreender o processo de formação da identidade profissional a partir dos seguintes aspectos: a identificação dos ideais de profissão e de profissionais sobre as qualidades pessoais e profissionais dos docentes do curso médico, a imagem de profissional e os fatores contribuintes para o ingresso na profissão. Métodos: Para isso, utilizou-se uma metodologia qualitativa de caráter exploratório, realizada por meio de entrevista semiestruturada com 20 discentes do primeiro ao sétimo semestre do curso de Medicina de uma escola médica de João Pessoa. As informações coletadas foram estudadas com base na análise do discurso. As categorias utilizadas para análise foram: o “bom médico”, o “bom professor” e a idealização do profissional “bem-sucedido”. Resultados: Os sujeitos da pesquisa tinham em média 22,2 anos de idade e 13 eram do sexo feminino e sete do sexo masculino. Mais da metade dos alunos se autodeclarou de cor branca e 45% informaram renda familiar maior que 20 salários mínimos. Quando se exploraram as categorias, percebeu-se que a imagem profissional mescla a ideia de status, por meio do reconhecimento da sociedade e da estabilidade financeira, e a de intenção de cuidar das pessoas. Conclusão: Observou-se que o “bom médico” deve ser um profissional “humano”; “estudioso”, “atualizado” e “resolutivo”; “profissional comprometido” e “responsável”. Além disso, os estudantes esperam desenvolver esses aspectos durante a graduação, mas muitas vezes se deparam com o que “não querem ser”. Outro elemento importante foi a percepção do conflito entre as ideias de “técnico competente” e “médico humano”. Essas características são transferidas para o “bom professor”, sendo reconhecido o educador que detém mais características do ideal profissional.

    Abstract in English:

    Abstract Introduction: In medical school, students receive not only technical knowledge and skills in the classroom and fields of practice, but also learn values, attitudes, and professional behaviors. In this process, the social construction of the physician takes place, in which the professional ideal will be developed. The aim of this research was to understand the process of professional identity formation based on: the identification of the ideals of the profession and professionals on the personal and professional qualities of the medical course teachers; professional image; and the factors contributing to the entry into the profession. Methods: For this purpose, a qualitative exploratory methodology was used through a semi-structured interview with 20 students from the first to the seventh semesters of the medical course of a medical school in João Pessoa. The collected information was studied from the discourse analysis. The categories used for analysis were: the “good doctor”; the “good teacher”; and the idealization of the “successful” professional. Results: The subjects were 22.2 years of age; 13 were females and 7 were males. More than half of the students self-declared their ethnicity as white and 45% reported a family income greater than twenty minimum wages. Exploring the categories, it was observed that the professional image merges the idea of status, through the recognition of society and financial stability, and the intention to take care of people. Conclusion: It was observed that the “good doctor” must be a “humane” professional; “studious,” “updated,” and “resolutive”; “committed professional” and “responsible”. In addition, the students expect to develop these aspects during their undergraduate education, but often encounter what they “do not want to be.” Another important element was the perception of the conflict between the ideas of a “competent technician” and a “humane doctor”. These characteristics are transferred to the “good teacher”, thus recognizing the educator that holds the most characteristics of the professional ideal.
  • Permanent Education Strategies in the Evaluation of Family Health Teams: a Systematic Review Revisão

    Mesquita, Livia Mendes; Valente, Geilsa Soraia Cavalcanti; Soeiro, Raquel Lima; Cortez, Elaine Antunes; Lobo, Bianca Maria Innocencio da Silveira; Xavier, Simone Costa da Matta

    Abstract in Portuguese:

    Resumo: O Programa de Melhoria de Acesso e Qualidade da Atenção Básica, implantado pelo Ministério da Saúde, visa garantir a melhoria do acesso e da qualidade dos serviços ofertados pela atenção básica. Essa estratégia tem como perspectiva a promoção de melhorias do processo de trabalho e da assistência à saúde com base na indução, no monitoramento e na avaliação de processos e resultados a serem alcançados pelas equipes da Estratégia Saúde da Família. Nesse contexto, apresenta como uma das suas ferramentas mais potentes a educação permanente em saúde, que tem como objetivo promover as mudanças das práticas de atenção, gestão, educação e participação. Este artigo objetiva descrever as estratégias de educação permanente em saúde utilizadas no processo de avaliação das equipes de saúde da família, visando à melhoria da qualidade da assistência. Trata-se de uma revisão sistemática, com vistas a responder à seguinte questão de pesquisa: “Quais estratégias devem ser inseridas no âmbito das equipes de saúde da família para consolidar os processos avaliativos fomentados pelo Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica, tendo como foco a educação permanente em saúde?”. Em síntese, os artigos selecionados nesta revisão apresentam as experiências em relação à avaliação do Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica, as ações referentes à educação permanente em saúde inseridas no processo de trabalho das equipes de saúde da família e o grau de incorporação de tecnologias de informação e comunicação na atenção básica. Ainda há evidências do uso de práticas educativas formativas e verticalizadas que não levam em consideração as necessidades do território nem as demandas dos profissionais no cotidiano do trabalho em saúde. A revisão demonstra a existência de uma lacuna do conhecimento que retrate estratégias de educação permanente para efetivação do processo avaliativo fomentado pelo Programa de Melhoria de Acesso e Qualidade da Atenção Básica.

    Abstract in English:

    Abstract: The Program for Primary Care Access and Quality Improvement, implemented by the Ministry of Health, aims to ensure the improvement of access and quality of services offered by Primary Care. This strategy aims to promote work process and health care improvements based on the induction, monitoring and evaluation of processes and results to be achieved by the Family Health Strategy teams. In this context, one of its most potent tools is permanent health education, which aims to promote changes in care practices, management, education and participation. This article aims to describe the Permanent Health Education strategies used in the evaluation process of family health teams, aiming at improving the quality of care. This is a systematic review, aimed at answering the following research question: “What strategies should be included within the scope of family health teams to consolidate the evaluation processes promoted by the National Program for Primary Care Access and Quality Improvement, focusing on Permanent Health Education?”. In summary, the articles selected for this review depict the experiences regarding the evaluation of the National Program for Primary Care Access and Quality Improvement, the actions related to Permanent Health Education included in the work process of family health teams and the degree of incorporation of information and communication technologies into primary care. There is still evidence on the use of formative and verticalized educational practices that do not take into account the needs of the territory or the demands of professionals in the health care daily work. The review demonstrates the existence of a knowledge gap that portrays continuing education strategies for the effectiveness of the evaluation process promoted by the Program for Primary Care Access and Quality Improvement.
  • Progress Test in Medical School: a Systematic Review of the Literature Review Article

    Reberti, Ademir Garcia; Monfredini, Nayme Hechem; Ferreira Filho, Olavo Franco; Andrade, Dalton Francisco de; Pinheiro, Carlos Eduardo Andrade; Silva, Jean Carl

    Abstract in Portuguese:

    Resumo: O Teste de Progresso é uma avaliação objetiva, estruturada com 60 a 150 questões de múltipla escolha, elaborada com o objetivo de promover uma avaliação das competências cognitivas esperadas no final do curso de graduação. Esse teste é aplicado a todos os discentes no mesmo dia, de modo que seja possível comparar os resultados entre as séries e analisar a performance evolutiva do conhecimento no decorrer do curso. Este trabalho teve como objetivo realizar uma revisão sistemática e literária acerca do Teste de Progresso nas escolas médicas no Brasil e no mundo, compreendendo os benefícios de sua implantação para o desenvolvimento do aprendizado, tanto para o aluno quanto para o docente e para a instituição. A pesquisa foi realizada no período de julho de 2018 a abril de 2019 e abordou artigos publicados no período de janeiro de 2002 a março de 2019. Utilizaram-se os descritores “Teste de Progresso nas escolas médicas” e “Teoria de Resposta ao Item em Medicina” nas plataformas PubMed, SciELO e Lilacs. Não houve limitação de idioma na seleção dos artigos, porém a pesquisa foi realizada em inglês. Foram encontrados 192.026 artigos, e, após a aplicação de filtros de busca avançada, incluíram-se 11 artigos no estudo. O Teste de Progresso (TP) vem sendo aplicado nas escolas médicas, de forma isolada ou em grupos de escolas parceiras, desde o final da década de 1990. Os resultados do teste constroem curvas de desempenho dos acadêmicos, o que permite identificar fragilidades e qualidades dos estudantes nas diversas áreas do conhecimento relacionadas ao curso. O Teste de Progresso não é um instrumento exclusivo de avaliação do desempenho dos estudantes, mas assume também um significado como ferramenta avaliativa para uso na gestão acadêmica, e para isso é fundamental que as instituições assumam papel ativo na elaboração e na análise dos dados dessa avaliação. Os exames desenvolvidos para testar a competência clínica em estudantes de Medicina necessitam ser válidos e confiáveis. Para que o método avaliativo seja válido, é necessário que o assunto seja amplamente revisado e estudado, visando a melhorias e adequações na execução dos testes.

    Abstract in English:

    Abstract: Progress Test is an objective assessment, consisting of 60 to 150 multiple-choice questions, designed to promote an assessment of the cognitive skills expected at the end of undergraduate school. This test is applied to all students on the same day, so that it is possible to compare the results between grades and analyze the development of knowledge performance throughout the course. This study aimed to carry out a systematic and literary review about Progress Test in medical schools in Brazil and around the world, understanding the benefits of its implementation for the development of learning for the student, the teacher and the institution. The study was carried out from July 2018 to April 2019, which addressed articles published from January 2002 to March 2019. The keywords used were: “Progress Test in Medical Schools” and “Item Response Theory in Medicine” in the PubMed, Scielo, and Lilacs platforms. There was no language limitation in article selection, but the research was carried out in English. A total of 192,026 articles were identified, and after applying advanced search filters, 11 articles were included in the study. The Progress Test (PTMed) has been applied in medical schools, either alone or in groups of partner schools, since the late 1990s. The test results build the students’ performance curves, which allow us to identify weaknesses and strengths of the students in the several areas of knowledge related to the course. The Progress Test is not an exclusive instrument for assessing student performance, but it is also important as an assessment tool for academic management use and thus, it is crucial that institutions take an active role in the preparation and analysis of this assessment data. Assessments designed to test clinical competence in medical students need to be valid and reliable. For the evaluative method to be valid it is necessary that the subject be extensively reviewed and studied, aiming at improvements and adjustments in test performance.
  • Educational Predictors for the Retention of Physicians in Remote and Unassisted Areas: a Narrative Review Review Article

    Rocha, Erika Maria Sampaio; Boiteux, Pablo de Almeida; Azevedo, George Dantas de; Siqueira, Carlos Eduardo Gomes; Andrade, Maria Angélica Carvalho

    Abstract in Portuguese:

    Resumo: O estudo é uma revisão narrativa da literatura internacional cujos objetivos foram identificar e compreender aspectos educacionais determinantes para fixação de médicos em áreas remotas e desassistidas. A partir de buscas nas bases de dados, foram selecionados dez artigos de revisão sobre instituições e programas de ensino médico que aumentaram a atração e a permanência de seus egressos em regiões de escassez profissional e que explicitaram os aspectos educacionais associados a tais resultados, os quais foram considerados preditores educacionais para fixação de médicos. Os principais preditores encontrados foram: a realização de processos seletivos que priorizaram o ingresso de estudantes previamente vinculados aos locais com escassez de médicos; a construção de estruturas curriculares com metodologias de problematização com foco em questões locais de saúde e com ênfase na abordagem clínica da atenção primária à saúde e da Medicina de Família e Comunidade; e a qualidade das experiências formativas, sobretudo nos cenários de atenção primária, em áreas rurais ou remotas, a qual, por sua vez, envolve a formação e a experiência docente, assim como a infraestrutura e a localização das escolas médicas em áreas estratégicas que permitam a aproximação dos discentes com a realidade das comunidades vulneráveis. Os resultados da revisão apontam ainda que a fixação de médicos em áreas desassistidas demanda o enfrentamento de fatores socioculturais, econômicos e políticos que, frequentemente, transcendem a governabilidade das instituições formadoras. E reiteram a necessidade de uma maior uniformidade conceitual entre as pesquisas, com o intuito de assegurar evidências científicas mais sólidas sobre o assunto e a importância da realização de estudos que contemplem o contexto latino-americano e, de forma específica, o Brasil, onde ainda é escassa a literatura sobre o tema.

    Abstract in English:

    Abstract: This is an international narrative review study, which had the objectives of identifying and understanding the determining educational aspects for the retention of physicians in remote and unassisted areas. Through search on databases, we selected ten articles about medical education institutions and programs that increased the recruitment and retention levels for their alumni in areas where there was shortage of professionals, which clarified the educational aspects associated to such results, and which were considered as predictors for the retention of physicians. The main predictors found were: selection processes that prioritized the admission of students who were previously linked to places where there was a shortage of physicians; the creation of curricular frameworks based on problem-based methodologies focused on local health issues, with an emphasis in primary care and Family and Community Medicine approaches; and the quality of the educational experiences, especially in the primary care environment in rural or remote areas, which, in turn, involve the educational trajectory and experience of professors, as well as the infrastructure and localization of the medical schools in strategic areas. The placement of school is such areas allow close proximity between the professors to the reality of the vulnerable communities. The results of the review still point out that the retention of physicians in unassisted areas demands the confrontation of social, cultural, economic and political factors, which frequently transcend the governability of educational institutions. They also reiterate the need for a wider conceptual uniformity among research studies in order to ensure more solid scientific evidence about the subject, and the importance of conducting studies that contemplate the Latin-American context, specifically Brazil, where the literature on the topic is still scarce.
  • Teleconsultation: an Integrative Review of the Doctor-Patient Interaction Mediated by Technology Review Article

    Catapan, Soraia de Camargo; Calvo, Maria Cristina Marino

    Abstract in Portuguese:

    Resumo: A teleconsulta médica pode utilizar diferentes tecnologias para mediar a comunicação entre médico e paciente localizados em espaços geográficos diferentes. A implementação dessa ferramenta tem sido incentivada em diversos países, sob a alegação de seu potencial em superar distâncias, oferecendo cuidados em saúde em menor tempo, com redução de custos e da carga de trabalho. A escassez de evidências sobre essas alegações, além do esclarecimento sobre as situações nas quais a teleconsulta pode ser adequada, segura e eficaz, tem gerado debates, intensificados após a publicação da Resolução nº 2.227/2018 pelo Conselho Federal de Medicina (CFM), que permitiu a teleconsulta médica, com premissas e recomendações. Este artigo visa analisar as experiências internacionais da teleconsulta médica, incluindo os meios de comunicação e tecnologias empregados, sua utilização, benefícios e limitações, evidenciando e relacionando os pontos polêmicos da resolução publicada pelo CFM. Foi realizada uma revisão integrativa da literatura para identificar essas experiências em quatro bases de dados, de janeiro de 2013 a fevereiro de 2019. Das 1.912 referências encontradas, foram analisadas 42, após a aplicação dos critérios de exclusão e inclusão. A coleta e a análise de dados indicaram que sistemas de telefonia, e-mail, consulta eletrônica, vídeo ou uma combinação deles têm sido utilizados em diversos países para mediar a relação médico-paciente. Sua aplicação vai do diagnóstico ao tratamento, ao monitoramento, ao manejo e à prescrição tanto de condições agudas quanto crônicas. Os principais benefícios incluem menor demanda por consultas presenciais, com possibilidade de gerenciamento da carga de trabalho dos médicos, permitindo uma reorganização dos sistemas. Além disso, a teleconsulta permite superar barreiras de distância, de maneira flexível e conveniente para os pacientes, com a possibilidade de contribuir para a continuidade do cuidado, autonomia do paciente e economia de recursos, nesse último caso, quando se evita o absenteísmo laboral para atendimento médico presencial. Algumas limitações da teleconsulta incluem a incapacidade de realizar o exame físico, e por essa razão ela não é recomendada para a primeira consulta. As dificuldades técnicas e de comunicação para cada meio de comunicação e sua inadequação para determinados grupos de pacientes são outras barreiras importantes. A segurança, tanto dos dados quando da acurácia do diagnóstico e da precisão clínica, a aceitação dos pacientes e profissionais e a necessidade de mudanças organizacionais também são consideradas limitações da teleconsulta. O sucesso da teleconsulta depende da integração de diferentes organizações e profissionais, que deverão, por meio de planejamento cuidadoso, maximizar seu potencial e melhorar o desenho do serviço, englobando questões clínicas, técnicas, organizacionais e do contexto. Portanto, é importante pesquisar em quais situações e agravos a teleconsulta pode ser benéfica, segura e eficaz para o cuidado ao paciente, assim como o meio de comunicação mais apropriado para cada uma delas.

    Abstract in English:

    Abstract: Medical teleconsultation can apply different technologies to mediate the communication between doctors and patients located in different geographic spaces. Its implementation has been encouraged in several countries, under the assumption of its potential to overcome distances, offering health care in a shorter time, reducing costs and workload. The scarcity of evidence about these allegations, in addition to the need of clarifying the situations in which teleconsultation can be adequate, safe and effective, have generated debates, intensified after the publication of Resolution N. 2.227/2018 by the Federal Council of Medicine, which allowed medical teleconsultation, containing principles and recommendations. This article aims to analyze the international experience of medical teleconsultation, including the media and technologies employed, their use, benefits and limitations, highlighting and associating the controversial points of the resolution recently published by the Federal Council of Medicine. An integrative review of the literature was carried out to identify these experiences from January 2013 to February 2019. Of the 1912 identified references, 42 were analyzed after applying the exclusion and inclusion criteria. Data collection and analysis indicated that telephone, e-mail, e-consulting systems, video or a combination of those have been used in several countries to mediate the doctor-patient relationship. Its use goes ranges from diagnosis to treatment, monitoring, management and prescription, both in acute and chronic conditions. The main benefits include less demand for face-to-face consultations, with the possibility of doctors’ workload management, allowing systems’ reorganization. Moreover, the teleconsultation allows overcoming distance barriers, in a flexible and convenient way for patients, possibly contributing to continuity of care, patient autonomy and resource savings, in the latter case, when it avoids work absenteeism due to face-to-face consultation. Some limitations of the teleconsultation include the inability to perform the physical examination, so it is not recommended for the first consultation. Technical and communication difficulties for each media, as well as its inadequacy for some groups of patients, are other important barriers. Data security regarding diagnosis and clinical precision, patients’ and professionals’ acceptance and the need for organizational adjustments are also considered limitations of the teleconsultation. The success of the teleconsultation depends on the integration of different organizations and professionals, aiming to maximize its potential and improve service design, encompassing clinical, technical, organizational and context issues. Therefore, it is important to investigate in which contexts, situations and conditions the teleconsultation can be beneficial, safe and effective for patient care, as well as the most appropriate means of communication.
  • Improvement of Faculty’s Skills on the Creation of Items for Progress Testing Through Feedback to Item Writers: a Successful Experience Experience Report

    Hamamoto Filho, Pedro Tadao; Bicudo, Angélica Maria

    Abstract in Portuguese:

    Resumo: A avaliação de conhecimentos é uma etapa importante do trabalho docente, pois é preciso que os resultados das avaliações sejam válidos e confiáveis. Diversos programas de desenvolvimento docente têm sido realizados para melhorar a habilidade em elaborar questões objetivas pelos professores. Poucos estudos, no entanto, exploraram os benefícios de fornecer feedback aos autores de itens de múltipla escolha. O Teste de Progresso é uma avaliação longitudinal do ganho de conhecimentos dos estudantes cujos resultados são úteis para gerar feedback aos próprios estudantes, aos professores e aos gestores das escolas médicas. O objetivo deste relato é apresentar uma experiência exitosa em gerar desenvolvimento docente na habilidade de elaborar itens de qualidade para o Teste de Progresso por meio do feedback a respeito da qualidade e do destino destes. Anualmente, os professores das escolas médicas participantes de um consórcio para aplicação do Teste de Progresso são solicitados a formular novos itens para compor a versão do teste. Porém, o destino dos itens não é conhecido por seus autores, ou seja, eles não sabem se as questões são incorporadas à prova, se elas têm boa qualidade, qual o desempenho dos estudantes em cada questão e qual o funcionamento psicométrico delas. Em 2017, uma das escolas participantes do consórcio ofereceu aos seus autores de questões uma devolutiva sobre as falhas na redação, a modificação dos itens pelo comitê revisor, o desempenho dos estudantes nas questões e o funcionamento psicométrico em cada item. A porcentagem de itens falhos, ou seja, de qualidade não satisfatória para a inclusão no teste, era superior a 30%. Houve uma relação inversa entre a quantidade de itens falhos e o número de itens incluídos na prova final, numa análise por área de conhecimento da prova (ou seja, clínica, cirurgia, pediatria, ginecologia e obstetrícia, saúde pública e ciências básicas). No ano seguinte, observamos uma diminuição no número de falhas de itens (menor que 10%) e um aumento no número de questões elegíveis a serem selecionadas para o exame de Teste de Progresso. Portanto, oferecer feedback para os redatores de questões parece ser uma boa estratégia para desenvolver a habilidade docente em elaborar itens objetivos de boa qualidade.

    Abstract in English:

    Abstract: The evaluation of knowledge is an important step in the teachers’ work, because it is fundamental that the evaluation results be valid and reliable. Several faculty development programs have been undertaken to improve teachers’ skills on item writing. Few studies, however, have explored the benefits of providing feedback to multiple-choice item writers. Progress Testing is a longitudinal assessment of students’ knowledge gain. Their results are useful for generating feedback to students, teachers and medical school managers. The aim of this report is to present a successful experience of faculty development on high-quality item writing for Progress Testing through feedback about the fate of the items written by faculty members. Annually, faculties from medical schools participating in a consortium for the application of the Progress Test are asked to formulate new items to compose the test version. However, the fate of the items is not known by their authors, that is, they do not know if the items are incorporated into the test, if the items have good quality, what is the students’ performance in each of the items, and what is the psychometric function of the items. In 2017, one of the schools participating in the consortium offered its item authors a feedback regarding the flaws in item writing, modification of items by the review committee and students’ performance, as well as psychometric function in each item. The percentage of flawed item (items without enough quality to be selected for the test) was more than 30%. There was an inverse relation between the number of flawed item and the number of items included in the final exam, when analyzing the different content areas of the test (that is, Internal Medicine, Surgery, Pediatrics, Obstetrics and Gynecology, Public Health, and Basic Sciences). In the following year, we observed a decrease in the number of flawed item (less than 10%) and an increase in the number of eligible items to be selected for the Progress Testing. Therefore, giving feedback to item writers seems to be a good strategy for developing the faculty’s ability on writing good quality items.
  • Lessons Learned from the Student’s Surgery Academic League: Is It Worth It? Experience Report

    Miranda, Luiz Eduardo Correia; Miranda, Ana Clara Galindo; Lima, Diego Laurentino de; Arraes, Ana Karla Alves

    Abstract in Portuguese:

    Resumo: Introdução: Um dos grandes desafios dos currículos de escolas médicas é oferecer treinamento em técnicas cirúrgicas básicas que permitam ao egresso de Medicina desenvolver competências para atender a casos simples que se apresentam à assistência primária do SUS. A fim de abordar o problema da qualificação técnico-cirúrgica dos estudantes de Medicina e aproveitar o apelo das ligas, foi proposto e realizado um projeto de assistência cirúrgica a pacientes portadores de hérnia inguinal, baseado em ligas acadêmicas. O objetivo do estudo é expor e discutir os resultados e a experiência acadêmica aprendida com a Liga de Cirurgia de Hérnia Inguinal. Métodos: Este é o relato da experiência de três anos com um grupo de liga acadêmica para abordar o problema da qualificação técnico-cirúrgica de estudantes de Medicina e que se aproveita do apelo das ligas acadêmicas entre estudantes de Medicina. Os participantes foram um professor de cirurgia geral, um anestesista e estudantes de graduação em Medicina interessados na clínica cirúrgica, da Faculdade de Medicina da Faculdade de Medicina da Universidade de Pernambuco, Recife, Brasil. Resultados: Vinte e quatro estudantes foram atendidos. Operaram-se 86 pacientes. Realizaram-se dois seminários com nove aulas e uma oficina de técnicas cirúrgicas. Um trabalho intitulado “Liga de cirurgia de hérnia inguinal” foi apresentado. Não se observou recorrência de hérnia; as complicações cirúrgicas foram mínimas e em pequeno número. Os estudantes mostraram rápido desenvolvimento de habilidades cirúrgicas, interpessoais e de comunicação. Entretanto, esse modelo de ensino suporta um pequeno número de estudantes e gera grande competição para os residentes de cirurgia geral em seu primeiro ano no Hospital Universitário. Conclusão: A liga de cirurgia proporciona aos estudantes uma rica experiência pedagógica, oferecendo a oportunidade de qualificação técnica e humana. No entanto, o modelo proposto apresenta limitações. De acordo com o nosso julgamento, não representa a solução para as falhas e omissões no currículo da grade universitária.

    Abstract in English:

    Abstract: Introduction: One of the great challenges of a medical school curriculum is to offer training in basic surgical techniques, which allows graduates to develop competences to take care of simple cases presented in the primary care level of SUS. In order to approach the problem of the technical-surgical qualification of medical students and taking advantage of the interest raised by students’ leagues, a surgical care project directed at patients with inguinal hernia was proposed and carried out, based on the students’ academic leagues. The aim of this study is to disclose and discuss the results and the academic experience learned from a students’ league in surgical learning. Methods: This report encompasses the three-year experience of an academic league aiming to approach the problem of the technical-surgical qualification of medical students and which takes advantage of the academic leagues among undergraduate medical students. The participants comprised one general surgery professor, one anesthesiologist, and undergraduate medical students interested in the surgical clinic, from the School of Medicine, University of Pernambuco, Recife (PE), Brazil. Results: Twenty-four students were included. Ninety-six patients were submitted to surgery. Two seminars with nine lectures and one workshop on surgical skills were held. One paper entitled “League of Inguinal Hernia Surgery” was presented. We did not observe hernia recurrences; the surgical complications were minimum and small in number. The students showed fast development of surgical, interpersonal, and communication skills. However, this education model included a small number of students and offered heavy competition to the general surgery residents in their first year at the University Hospital. Conclusion: The academic league in surgery allows a rich pedagogical experience, offering the opportunity for human and technical qualification. However, the proposed model has limitations. In our opinion, it does not represent a solution for the flaws and omissions observed in the school’s curricular grid.
  • The Fellows Project: Education Skills for Health Profession Students Experience Report

    Caramori, Ugo; Mello, Júlia Brum de; Barretto, Camila Azeredo Pereira; Costa, Rafael de Madureira Ribas; Peña, Stela Souza; Ramos, Ana Luisa Carneiro; Almeida, Fernando Antonio de; Pavan, Maria Valéria

    Abstract in Portuguese:

    Resumo: As novas tecnologias da informação produziram profundas transformações na educação e na sociedade. Todas as áreas do conhecimento têm sido constantemente reinventadas, readaptadas e recriadas para se ajustarem às novas exigências da prática profissional. A educação nas profissões da saúde também tem seguido esses passos. É nítido como os estudantes, futuros educadores, estão envolvidos nessa transformação e têm sido vetores dessas mudanças. Paralelamente, a concepção dos novos currículos para os cursos da área da saúde pressupõe a participação ativa dos estudantes na própria formação e na de seus pares. Essa nova forma de ensinar, que privilegia o trabalho em equipe, a aprendizagem por pares, a interdisciplinaridade e a autonomia, estimula e exige esse protagonismo dos estudantes. A participação ativa do estudante nas atividades educativas da graduação traz inúmeros benefícios: favorece o aprendizado, as relações interpessoais e a aquisição de habilidades de comunicação, de orientação, de liderança, de pesquisa e de gestão, e desenvolve a responsabilidade social. Os estudantes das profissões da saúde, mesmo nas fases mais precoces de formação, fazem suas escolhas e direcionam sua formação para o que desejam na vida profissional. Quando essa escolha recai sobre uma área específica da saúde, eles encontram, desde a graduação, maneiras de começar a desenvolver seus conhecimentos e habilidades em clínica médica, cirurgia, pediatria, pesquisa em laboratório, saúde pública e outras áreas, mas não encontram apoio à formação quando pretendem ser futuros professores. Nesse contexto, surgiu o Projeto FELLOWS, um projeto de desenvolvimento docente, proposto e conduzido por estudantes de Medicina, em blended learning (presencial e a distância) que tem como objetivos a formação e o aperfeiçoamento em habilidades de educação para estudantes das profissões da saúde, aqui apresentado como um relato de experiência. Em 2017, o projeto estendeu-se de abril a outubro em encontros mensais no horário noturno e, eventualmente, aos sábados. Foi conduzido por quatro estudantes de Medicina (coordenadores) e dois professores supervisores e contou com colaboradores de outras instituições de educação médica. Em 2018, as atividades educativas foram realizadas exclusivamente pelos estudantes/residentes coordenadores e os professores supervisores, por meio de duas sessões de imersão (sexta, sábado e domingo), separadas por um período de quatro meses em que foi elaborado um projeto de educação, construído em grupos de seis estudantes acompanhados por um tutor e um coordenador. As atividades do Projeto FELLOWS seguem as Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Medicina de 2001 e 2014, atendem às demandas da educação nas áreas da saúde no Brasil e respeitam o perfil desejado do profissional egresso, com responsabilidade social. Oferecem o contato e progressivo domínio de habilidades de comunicação e de competências para o trabalho docente, o uso de metodologias ativas de ensino-aprendizagem, o trabalho em equipe, o uso de tecnologias digitais, o exercício da comunicação oral e escrita e a criatividade para a inovação. O processo de execução do Projeto FELLOWS trouxe benefícios diretos para os organizadores e para os participantes, e benefícios indiretos para as instituições de ensino a que pertencem, pois envolveu produção de conhecimento, engajamento estudantil e responsabilidade social.

    Abstract in English:

    Abstract: New information technologies have produced profound changes in education and society. All knowledge areas have been constantly reinvented, readjusted and recreated to fit the changing demands of professional practice. Education in the health professions has also followed this trend. It is now clear how students, the future educators, are involved in this transformation and have been vectors of these changes. In parallel, the new curricula for health professions courses presuppose the active participation of students in their own training and in the training of their peers. This new way of teaching, which privileges teamwork, peer learning, interdisciplinarity, and autonomy, stimulates and demands this leadership role from students. Active student participation in undergraduate educational activities has several benefits: it favors learning; interpersonal relationships; acquiring skills in communication, mentoring, leadership, research, and management and develops social accountability. Undergraduate students in the health professions, even at the earliest stages of their education, make their choices and direct their interest to the area of knowledge they desire in professional life. When this choice falls on a specific area of health, they find, at the undergraduate level, ways to begin to develop their knowledge and skills in clinical practice, surgery, pediatrics, laboratory research, public health and other areas, but find no support for training when they intend to be future teachers. In this context, the FELLOWS Project emerged, proposed and carried out by medical students, a blended learning teaching development project that aims to train and improve education skills for students of the health professions, herein presented as an experience report. In 2017 the project took place from April to October, in monthly nighttime meetings, and eventually on Saturdays. It was conducted by four medical students (coordinators), two supervising local teachers and had collaborators from other medical education institutions. In 2018 the educational activities were held exclusively by students/resident coordinators and supervising teachers through two immersion sessions (Friday, Saturday and Sunday), separated by a 4 month-period, during which an education project was prepared, created in groups of six students accompanied by a tutor and a coordinator. The activities of the FELLOWS Project follow the National Curriculum Guidelines for the Undergraduate Medical Course of 2001 and 2014, meet the demands of health education in Brazil and respect the desired profile of the professional graduate, with social accountability. It offers contact with and progressive skills of communication and competencies for teaching, using active teaching-learning methodologies, teamwork, the use of digital technologies, exercising oral and written communication and creativity for innovation. The FELLOWS Project implementation process has brought direct benefits to the organizers and participants and indirect benefits to the educational institutions to which they belong, as it involved knowledge production, student engagement and social accountability.
Associação Brasileira de Educação Médica SCN - QD 02 - BL D - Torre A - Salas 1021 e 1023 | Asa Norte, Brasília | DF | CEP: 70712-903, Tel: (61) 3024-9978 / 3024-8013, Fax: +55 21 2260-6662 - Brasília - DF - Brazil
E-mail: rbem.abem@gmail.com