Pesquisa em Performance: encontro, palavra e corpo

Research on Performance: meeting, word and body

Recherche sur la Performance: rencontre, parole et corps

Aldo Victorio Filho Filipe Espindola Rodrigo Guéron Sara Panamby Sobre os autores

RESUMO

Este é um artigo-encontro, um artigo-diálogo entre dois professores-pesquisadores e dois artistas dedicados à performance e que também têm a universidade como espaço de experimentação: Sara Panamby e Filipe Espindola. Neste encontro, tentamos traduzir em palavras os afetos-ensinamentos das experiências limites do casal. A pergunta sobre o que é a performance, e especificamente as experiências criadas pelos performers conduziram-nos a exemplos das dores e amarras que condicionam nossos corpos, violências biopolíticas em algumas das suas dimensões, mas também às forças, às dores de libertação e às delícias que podemos produzir para escapar à jaula afetiva e sensório-motora que nos coloniza. Descolonização dos corpos de toda a violência, mas também intercolonização que fez de todos nós outros ali: aprendizado que só pôde acontecer por uma certa violência, espanto e maravilhamento.

Palavras-chave:
Performance; Palavra; Corpo; Sara Panamby; Filipe Espindola

ABSTRACT

This is a meeting-article, a dialogue-article between two teachers-searchers and two artists dedicated to the performance and who also have the university as a space of experimentation: Sara Panamby and Filipe Espindola. In this meeting we tried to translate in words the teaching/affections of the couple's experiences. The question about what the performance is, and specifically the experiences created by the performers, led us to examples of the pains and moorings which condition our bodies, bio-political violences in some of their dimensions, but also to the strengths, to the pains of freedom and to the delights that we can produce to escape from the affective and sensory-motor cage that colonizes us. Decolonization of the bodies from all the violence, but also cross-colonization that makes all of us others there: a learning that could only happen because of a certain violence, astonishment, and amazement.

Keywords:
Performance; Word; Body; Sara Panamby; Filipe Espindola

RÉSUMÉ

Il s'agit d'un article-rencontre, un article-dialogue entre deux professeurs/chercheurs et deux artistes dédiés à la performance et qui ont aussi l'université comme un lieu d'expérimentation: Sara Panamby et Filipe Espindola. Lors de cette rencontre, nous avons essayé de mettre en mots les affects-apprentissages des expériences limites du couple. La question sur ce qu'est la performance, et en particulier les expériences qu'ils ont créées, nous ont conduits à des exemples des maux et des chaînes qui conditionnent nos corps, les violences biopolitiques dans certaines de ses dimensions, mais, aussi aux forces, aux douleurs de libération et aux plaisirs que nous pouvons produire pour échapper à la cage affective et sensori-motrice qui nous colonise. La décolonisation des corps de toutes les violences, mais aussi l'intercolonisation qui nous a fait devenir les autres là: un apprentissage qui ne peut arriver que par une certaine violence, étonnement et émerveillement.

Mots-clés:
Performance; Parole; Corps; Sara Panamby; Filipe Espindola

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text available only in PDF format.

  • 1
    Martin Heidegger (1889-1976) foi um filósofo alemão, um dos mais influentes do século XX, que se tornou conhecido por propor a superação da metafísica (re)colocando a questão sobre o sentido do Ser num grau de radicalidade do qual teriam se aproximado filósofos pré-socráticos como Parmênides e Heráclito, e que teria sido abandonado a partir de Platão e Aristóteles. Ex-aluno do fenomenologista Edmund Husserl (1859-1938), Heidegger teria ido além de seu mestre, sendo considerado, nos manuais de Filosofia, um dos fundadores do existencialismo.
  • 2
    Valesca dos Santos, ex-vocalista do grupo Gaiola das Popozudas, que se constituiu, há alguns anos, num dos maiores expoentes do funk feminino (ou feminista, para alguns), juntamente com a cantora Tati Quebra-Barraco. O grupo, comandado por Valesca e suas dançarinas, fez duas turnês internacionais em 2011 e lotou os shows nos Estados Unidos (Washington, Miami, New Jersey e Boston). Valesca tem hoje uma carreira solo e estourou um dos clipes de maior sucesso na internet nos últimos anos: Beijinho no Ombro.
  • 3
    Depoimento de Darcy Ribeiro em O Povo Brasileiro (1995), documentário em dois episódios feito a partir do livro do antropólogo Darcy Ribeiro (1922-1997) com o mesmo título, dirigido por Isa Grinspum Ferraz e produzido pela Fundação Darcy Ribeiro e pela produtora Texto e Imagem.
  • 4
    Nome dado à ocupação do antigo prédio do Museu do Índio, ao lado do estádio de futebol do Maracanã, no Rio de Janeiro, feito por indígenas de diversas etnias e ativistas políticos em geral. Essa ocupação desencadeou uma longa luta política pela instalação no local de uma espécie de escola indígena, com apoio de vários setores da sociedade, mas com a oposição firme, muitas vezes recorrendo à repressão e à violência policial por parte das autoridades do Estado.
  • 5
    Slavoj Žižek (1949-presente), filósofo esloveno, é uma das principais estrelas do pensamento marxista contemporâneo, além de ser um importante estudioso de Hegel e de Lacan.
  • 6
    Evo Morales, atual presidente boliviano, foi o primeiro presidente de origem indígena do país, vindo da etnia uru-aimará. Antes de tornar-se presidente, em 2005, Morales se destacou como ativista de movimentos sociais indígenas e campesinos, liderando grandes mobilizações políticas.
  • 7
    Referência feita em conferência realizada no Cinema Odeon, no Rio de Janeiro (25/05/2011), pelo filósofo Slavoj Žižek ao presidente boliviano Evo Morales e seu culto a Pachamama (Mãe Terra) como um discurso político. Nesta mesma palestra, logo em seguida, Zizek reiterou que apóia politicamente o Presidente Morales, apesar desta crítica.
  • 8
    Educação e Imagens: instituições escolares, mídias e contemporaneidade (Berino; Soares, 2011, s.p.).
  • 9
    Genealogia da Moral (Nietzsche, 2004, p. 73).
  • 10
    Referência ao filme O Sétimo Selo (1956), do cineasta sueco Ingmar Bergman (1918-2007), em que o protagonista disputa uma partida de xadrez com a morte.
  • 11
    Friedrich Nietzsche (1844-1900), filósofo alemão, foi o autor de uma imensa ruptura na histórica da Filosofia, rompendo com os paradigmas do iluminismo e com a teleologia histórica hegeliana. Crítico e desconstrutor da moral judaico-cristão ocidental e da filosofia moral iniciada por Sócrates e Platão, que opõe o modo de pensar trágico. Nietzsche busca mostrar como a noção científica de verdade e a crença do Ocidente na Razão têm as suas origens nessa moral. Nietzsche é o criador do importante conceito de vontade de potência, afirmando um vitalismo e um perspectivismo, a vida como imanência, como o que se afirma em si mesmo e que deve se libertar da amarra de toda e qualquer transcendência, ou seja, de todo e qualquer princípio que para além da vida pretende julgá-la. Conceitos como os de eterno retorno e os de super-homem (o homem para além do homem) também são fundamentais na Filosofia de Nietzsche.
  • 12
    José Celso Martinez Corrêa (1937-presente), um dos mais importantes diretores de teatro, encenadores e dramaturgos brasileiros, uma espécie de pensador do e através do teatro, experimentador radical, antropofágico, dirige o grupo de Teatro Oficina em São Paulo desde os anos 1960. Diretor, entre inúmeras peças, da primeira montagem da peça de Oswald de Andrade O Rei da Vela (1967), bem como montagens mais recentes como a sua versão da tragédia grega As Bacantes, de Eurípedes, e uma enorme e ousada adaptação para o teatro do romance Os Sertões, de Euclides da Cunha.
  • 13
    Gilberto Freire (1900-1987), escritor e antropólogo brasileiro, foi autor de clássicos como Casa Grande e Senzala e Sobrados e Mocambos. Freire foi o principal responsável pela criação do mito da democracia racial, que veio a ser, mais tarde, duramente criticado por escamotear, e até mesmo manter e aprofundar, o racismo no Brasil. Sua obra, no entanto, é muito mais complexa e vasta para ser reduzida apenas a essa crítica, ainda que ela seja pertinente, sobretudo no que se refere à apropriação conservadora que foi feita de seu pensamento.

Datas de Publicação

  • Publicação nesta coleção
    Dez 2014

Histórico

  • Recebido
    22 Maio 2014
  • Aceito
    01 Jul 2014
Universidade Federal do Rio Grande do Sul Av. Paulo Gama s/n prédio 12201, sala 700-2, Bairro Farroupilha, Código Postal: 90046-900, Telefone: 5133084142 - Porto Alegre - RS - Brazil
E-mail: rev.presenca@gmail.com
Accessibility / Report Error