Génio e graça estética: uma arqueologia dos discursos sobre ensino da dança em Portugal (1839-1930)

Génie et grâce esthétique: une archéologie des discours sur l'enseignement de la danse au Portugal (1839-1930)

Jorge Ramos do Ó Ana Luísa Paz Tomás Vallera Sobre os autores

RESUMO

O artigo identifica a emergência de diagnósticos e soluções em torno dos fins e dos meios do ensino da dança em Portugal, e que derivaram na defesa continuada de um Conservatório por vir. Concentra-se em dois momentos - o século XIX e a Primeira República - durante os quais se impôs um discurso em torno da antinomia aptidão natural vs. aprendizagem universal. Com os programas de dança teatral estatuídos em 1911, procura-se suspender esta dicotomia. Porém, estas formações discursivas continuaram a reconduzir os princípios da graça estética e do individualismo do génio, exponenciados pela perceção que então se cultivava da vanguarda estrangeira (Isadora Duncan e Ballets Russes).

Palavras-chave:
Conservatório; Ensino da dança; Dança pantomímica; Génio; História e historiografia

Universidade Federal do Rio Grande do Sul Av. Paulo Gama s/n prédio 12201, sala 700-2, Bairro Farroupilha, Código Postal: 90046-900, Telefone: 5133084142 - Porto Alegre - RS - Brazil
E-mail: rev.presenca@gmail.com