Complicações neurais e incapacidades em hanseníase em capital do nordeste brasileiro com alta endemicidade

Ana Eugênia Ribeiro de Araújo e Araújo Dorlene Maria Cardoso de Aquino Isabela Maria Bernardes Goulart Silma Regina Ferreira Pereira Ivan Abreu Figueiredo Humberto Oliveira Serra Poliana Cristina de Almeida Fonseca Arlene de Jesus Mendes Caldas Sobre os autores

INTRODUÇÃO:

A hanseníase é uma doença infectocontagiosa cujo agente etiológico é o Mycobacterium leprae, que se manifesta por sinais e sintomas dermatoneurológicos.

OBJETIVO:

investigar as complicações neurais e o grau de incapacidades físicas nos olhos, mãos e pés antes e após o tratamento, bem como o perfil sociodemográfico e clínico dos pacientes acometidos pela hanseníase.

MÉTODO:

Estudo epidemiológico do tipo longitudinal constituído por 155 pacientes com hanseníase, a partir da demanda espontânea, diagnosticados no período de março de 2010 a fevereiro de 2011 e tratados com poliquimioterapia (PQT) entre março de 2010 a julho de 2012, em um programa de eliminação da hanseníase, no município de São Luís (MA).

RESULTADOS:

Antes do tratamento, 46,5% dos pacientes apresentaram forma dimorfa, 51,6% possuíam alguma alteração nos olhos e 52,3% nos pés, sendo o nervo radial (18,7%) o mais acometido. Houve diferença estatisticamente significante entre as complicações do nervo radial no inicio e após o tratamento.

CONCLUSÕES:

Evidenciou-se a presença do diagnóstico tardio, posto que alguns pacientes já apresentavam complicações neurais e incapacidades físicas antes do tratamento.

Hanseníase; Terapêutica; Pessoas com incapacidade; Mycobacterium leprae; Degeneração neural; Epidemiologia


Associação Brasileira de Saúde Coletiva Av. Dr. Arnaldo, 715 - 2º andar - sl. 3 - Cerqueira César, 01246-904 São Paulo SP Brasil , Tel./FAX: +55 11 3085-5411 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: revbrepi@usp.br