Baixa cobertura da vacina contra COVID-19 e altas taxas de mortalidade por COVID-19 em idosos no Brasil

Emil Kupek Sobre o autor

RESUMO:

Objetivo:

Investigar a relação entre a cobertura vacinal contra COVID-19 e a mortalidade por faixa etária relacionada à COVID-19 no Brasil em 2021.

Métodos:

Foram levantados dados secundários sobre mortes e cobertura vacinal relacionadas a COVID-19, para examinar a evolução da taxa de mortalidade (TM) com avanço da vacinação. Utilizou-se a regressão de Poisson com ajuste para idade e as unidades federadas.

Resultados:

Em abril, a taxa de mortalidade aumentou 2 – 3 vezes comparado com começo do ano 2021 em pessoas com 60 ou mais anos de idade (60 +), atingindo o nível recorde de 5 – 15 por 100.000. Apesar do subsequente declínio, no final de maio a taxa ainda estava aproximadamente 50 e 80% mais alta que no começo do ano para faixas etárias de 40 – 79 e 80 + anos, respectivamente. As pessoas com 70 + anos ultrapassaram a cobertura vacinal de 95%, enquanto aqueles de 60 – 69 anos chegaram à 80% da cobertura com a primeira dose da vacina. Porém, a segunda dose foi aplicada a somente 26, 76, e 64% das pessoas com 60 – 69, 70 – 79, e 80 + anos, respectivamente. As mais altas taxas de 6 a 8.4 per 100.000, ajustadas por faixa etária, foram registradas em Rondônia, Amazonas, Acre e Roraima.

Conclusão:

Cobertura vacinal contra COVID-19 não atingiu os níveis necessários para proteger os Brasileiros contra crescente mortalidade por esta doença entre janeiro e maio de 2021. É preciso tomar medidas urgentes para aumentar o suprimento das vacinas e aderência às medidas preventivas não farmacológicas.

Palavras-chave:
COVID-19; Mortalidade; Cobertura vacinal; Estatística; Brasil

Associação Brasileira de Saúde Coletiva Av. Dr. Arnaldo, 715 - 2º andar - sl. 3 - Cerqueira César, 01246-904 São Paulo SP Brasil , Tel./FAX: +55 11 3085-5411 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: revbrepi@usp.br