Fita plástica e fita degradável na enxertia de citros

Plastic and degradable tape on citrus budding

Este trabalho foi realizado com o objetivo de avaliar o efeito de fitas plástica e degradável no pegamento e no desenvolvimento de enxertos de citros, em viveiro telado. Borbulhas certificadas de 6-8 mm das cultivares de laranjeira-de-umbigo 'Navelina' (Citrus sinensis (L.) Osbeck), tangerineira 'Marisol' (C. reticulata Blanco) e do híbrido 'Nova' [C. clementina x (C. paradisi x C. tangerina) ] foram enxertadas em limoeiro 'Cravo' (C. limonia Osbeck), com 10 meses de idade, em fevereiro de 2003. A fixação das borbulhas nos porta-enxertos foi feita com fitas de dois tipos: fita plástica de polietileno transparente e fita degradável de parafilme. Os tratamentos foram dispostos em esquema fatorial (3 cultivares x 2 tipos de fita), em delineamento inteiramente ao acaso, com quatro repetições, sendo as unidades experimentais constituídas por dez plantas. A média geral de pegamento dos enxertos foi elevada (99,6%), em razão das condições propícias à enxertia fornecidas no viveiro telado. Não houve efeito do tipo de fita no pegamento dos enxertos nem das cultivares no pegamento e desenvolvimento dos enxertos. No entanto, o desenvolvimento dos enxertos foi sensivelmente maior quando a enxertia foi realizada com fita degradável em relação à fita plástica.

limoeiro 'Cravo'; Marisol; Navelina; Nova; propagação; viveiro telado


Sociedade Brasileira de Fruticultura Via de acesso Prof. Paulo Donato Castellane, s/n , 14884-900 Jaboticabal SP Brazil, Tel.: +55 16 3209-7188/3209-7609 - Jaboticabal - SP - Brazil
E-mail: rbf@fcav.unesp.br