Toxicidade aguda e atividade antiedematogênica e antinociceptiva do extrato aquoso da entrecasca de Tabebuia avellanedae Lor. ex Griseb

Os efeitos antinociceptivo e antiedematogênico do extrato aquoso da entrecasca de Tabebuia avellanedae foram verificados através dos modelos experimentais de nocicepção em camundongos e edema de pata induzido por carragenina (1%) em ratos. O extrato aquoso (100, 200 e 400 mg/kg) reduziu a nocicepção produzida pelo ácido acético (0,6%) em 44,9%, 63,7% e 43,8%. No teste da formalina (1%) o extrato aquoso (200 e 400 mg/kg) reduziu o efeito da formalina apenas na 2a fase do teste; o percentual de inibição foi de 49,3% e 53,7%. A naloxona (5 mg/kg) não reverteu a ação do extrato; a cafeína (10 mg/kg) reverteu seu efeito em 19,8% na 2a fase do teste da formalina. No modelo de edema de pata, o extrato aquoso (200 mg/kg) inibiu o edema em 12,9%. A toxicidade aguda foi baixa em camundongos. O extrato aquoso da entrecasca de T. avellanedae apresentou atividades antiedematogênica e antinociceptiva nos modelos testados, com o efeito antinociceptivo associado ao sistema adenosina.


Sociedade Brasileira de Farmacognosia Universidade Federal do Paraná, Laboratório de Farmacognosia, Rua Pref. Lothario Meissner, 632 - Jd. Botânico, 80210-170, Curitiba, PR, Brasil, Tel/FAX (41) 3360-4062 - Curitiba - PR - Brazil
E-mail: revista@sbfgnosia.org.br