Bioatividade de Excoecaria agallocha

Os resultados dos estudos neurofarmacológicos, microbiológicos e toxicológicos do extrato etanólico da casca de Excoecaria agallocha são reportados. O extrato (dosagens de 100 e 200 mg/kg) produziu uma diminuição profunda na atividade exploratória de maneira dose-dependente. Ele também mostrou um efeito sedativo marcante conforme evidenciado por uma redução significativa no comportamento total e potencialização do tempo de sono induzido por tiopental sódico. A totalidade destes efeitos mostrou que o extrato possui ação depressora sobre o sistema nervoso central (SNC). O extrato de E. agallocha exibiu significante atividade antibacteriana in vitro contra Staphylococcus aureus, Shigella dysenteriae, Shigella sonnei e Enterococci com as zonas de inibição medindo entre 11 a 15 mm. Enquanto o extrato mostrou considerável toxicidade em Artemia salina (DL50 = 20 mg/mL), ele exibiu apenas baixo nível de toxicidade em camundongos.

Excoecaria agallocha; Euphorbiaceae; Tiopental sódico; Teste de campo aberto; Teste do orifício cruzado


Sociedade Brasileira de Farmacognosia Universidade Federal do Paraná, Laboratório de Farmacognosia, Rua Pref. Lothario Meissner, 632 - Jd. Botânico, 80210-170, Curitiba, PR, Brasil, Tel/FAX (41) 3360-4062 - Curitiba - PR - Brazil
E-mail: revista@sbfgnosia.org.br