Editorial

Editorial

Sociedade Brasileira de Farmacognosia 1976-2006

Revista Brasileira de Farmacognosia 1986-2006

Em 2006 a Sociedade Brasileira de Farmacognosia comemorou 30 anos de existência e há 20 anos a Revista Brasileira de Farmacognosia se destaca como o porta-voz da comunidade farmacognóstica brasileira, publicando em suas páginas artigos originais, de divulgação e revisão de indiscutível valor científico.

Nos dois últimos anos o leitor teve a oportunidade de observar as modificações que foram implementadas e implantadas pela equipe editorial começando pelo lay out, homepage com domínio próprio, periodicidade trimestral, corpo editorial internacional, novas indexações, expansão do idioma para o inglês e espanhol, um sub-título para revista ou seja, passando a se chamar também, Brazilian Journal of Pharmacognosy visando maior inserção internacional. Não se publica um artigo sem que tenha sido referenciado por no mínimo dois especialistas da área. Estamos fechando 2006 com mais um recorde batido, estamos publicando em um mesmo ano, 98 artigos do mais alto nível científico.

Como a Farmacognosia estuda os produtos naturais biologicamente ativos, em especial os da flora terrestre, marinha e obtidos por fermentação, é portanto, uma ciência essencialmente colaborativa e altamente interdisciplinar. Além do farmacognósta, são convidados de honra desta celebração os antropólogos, biólogos, botânicos, agrônomos, fitoquímicos, bioquímicos, farmacólogos, médicos, enfermeiros, veterinários, entre outros. É muito fácil de perceber essa miscelânea de áreas entrelaçadas, passando uma vista nos artigos publicados e disponíveis para download desde o primeiro volume, no sítio www.sbfgnosia.org.br/revista.

Para os periódicos nacionais, o Qualis, lista elaborada pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – Capes do Ministério da Educação, tem-se constituído em referencial de importância quando da tomada de decisão dos autores em submeter seus artigos neste ou outro periódico. O Qualis é a classificação de veículos de divulgação da produção intelectual brasileira em suas diversas áreas. Foi implantado em 1998 e vem sendo utilizado pela Capes como um dos principais indicadores para avaliação dos cursos de pós-graduação strictu sensu. Subdivide-se em nacional e internacional e a ordem de categorização dos periódicos no sistema obedece à seguinte escala de valores: Qualis IntA > IntB > IntC > NacA > NacB > NacC. A Revista Brasileira de Farmacognosia foi classificada na última reunião do Comitê Assessor da Capes como Qualis IntC. Para subirmos mais um degrau, só quando tivermos um Fator de Impacto que é publicado pelo Journal Citation Reports (JCR). Assim, periódicos com FI igual ou superior à mediana da área são classificados como Qualis IntA, e os com FI abaixo da mediana são classificados como Qualis IntB. Este será o nosso próximo desafio a vencer.

Finalizamos 2006 comunicando mais uma meta atingida, “o Comitê Consultivo, em reunião realizada em 23 e 24 de novembro de 2006, concedeu parecer favorável ao ingresso do periódico Revista Brasileira de Farmacognosia na Coleção SCIELO Brasil”.

Agradecemos a todos aqueles que acreditaram, e contribuíram com o desenvolvimento da Farmacognosia no Brasil, esperando nesse ano que se inicia, poder continuar a contar com o apoio e colaboração de todos.

Datas de Publicação

  • Publicação nesta coleção
    24 Mar 2008
  • Data do Fascículo
    Dez 2006
Sociedade Brasileira de Farmacognosia Universidade Federal do Paraná, Laboratório de Farmacognosia, Rua Pref. Lothario Meissner, 632 - Jd. Botânico, 80210-170, Curitiba, PR, Brasil, Tel/FAX (41) 3360-4062 - Curitiba - PR - Brazil
E-mail: revista@sbfgnosia.org.br