Toxicidade aguda de extrato de raízes de Brosimum gaudichaudii Trécul. em camundongos: determinação da dose letal aproximada e da dose letal mediana

O Brosimum gaudichaudii Trécul. (BG) família Moraceae, é largamente distribuído nas regiões de cerrado do Brasil e é popularmente conhecido como "mamacadela" e possui, na sua composição química, furocumarinas fotossensibilizantes. O principal uso terapêutico do BG é no tratamento do vitiligo, uma doença despigmentante da pele com prevalência de aproximadamente 1-2% da população mundial. Há um produto no mercado (Viticromin®), que é comercializado com tal finalidade, havendo poucos dados disponíveis acerca da toxicidade experimental, ao lado de eficácia clínica comprovada. Portanto, o desenvolvimento de estudos de toxicidade pré-clínica foi proposto (dose letal aproximada, DLA e dose letal mediana, DL50) para o exsudato da raiz de BG em animais de laboratório. Foram utilizados camundongos machos, albinos, pesando entre 25 e 30 g, em boas condições sanitárias, recebendo água e ração ad libitum. O pó de BG foi suspenso em solução salina 0,9% com 0,5% de cremofor e administrado p.o. (gavage) e intraperitonealmente. A DL50 foi obtida através do método de regressão linear de Lichtfield & Wilcoxon (1949), utilizando um software de domínio público. Foram formados 6 grupos de 10 animais para cada via de administração, incluindo grupo controle, e o número de mortes foi observado durante 14 dias; o grupo controle recebeu uma emulsão de solução salina 0,9% com 0,5% de cremofor. Antes de estabelecer a DL50 e visando reduzir o número de animais utilizados, determinou-se a DLA, utilizando 1 animal por dose (a próxima dose 50% maior do que a dose anterior), até identificar a dose letal para 1 animal. Assim, a DLA p.o. foi de 3750 mg/kg e a DLA i.p., 2920 mg/kg. A DL50 p.o. foi de 3517,54 mg/kg e a DL50 i.p. foi 2871,76 mg/kg. O produto foi considerado possuir baixa toxicidade, considerando apenas uma dose neste ensaio de toxicidade aguda.

Brosimum gaudichaudii; Moraceae; Toxicidade aguda


Sociedade Brasileira de Farmacognosia Universidade Federal do Paraná, Laboratório de Farmacognosia, Rua Pref. Lothario Meissner, 632 - Jd. Botânico, 80210-170, Curitiba, PR, Brasil, Tel/FAX (41) 3360-4062 - Curitiba - PR - Brazil
E-mail: revista@sbfgnosia.org.br