Atividade antiinflamatória, antiúlcera gástrica e toxicidade subcrônica do extrato etanólico de própolis

C.M.F. Reis J.C.T. Carvalho L.R.G. Caputo K.C.M. Patricio M.V.J. Barbosa A.L. Chieff J. K. Bastos Sobre os autores

Resumos

Avaliou-se a atividade antiinflamatória do extrato etanólico de própolis - EEP, . sobre o edema desencadeado por carragenina, dextrana e histamina. O EEP apresentou dose eficaz (DE50) de 650 mg/kg (v.o), inibindo significativamente o processo inflamatório desencadeado pela carragenina, mas não inibiu o produzido por dextrana. O EEP antagonizou ainda o efeito edematogênico produzido por histamina. Nas úlceras produzidas por estresse, o EPP inibiu de forma significativa a geração dos diversos tipos classificados. Em todos os parâmetros analisados no estudo da toxicidade em fase de tratamento subcrônico , (hematológicos, bioquímicos e histopatológicos), o grupo tratado com o EEP não apresentou diferença significativa em relação ao grupo controle. Desta forma, sugere-se que na dose de 650 mg/kg (dose eficaz) não existe a presença de efeitos tóxicos que possam comprometer a utilização deste extrato.

extrato; etanólico de própolis; antiinflamatório; antiúlcera gástrica; toxicidade


The antlinflammatory activity of Ethanolic Extract of Propolis - EEP was evaluated on edema induced by carrageenan, dextran and hystamine. The inflammatory process induced by carrageenan was significantly reduced by the treatment with EEP (650 mg/kg, p.o), while it did not interfere in the response induced by dextran. The EEP antagonized the edematous effect produced by hystamine. The EEP promoted a significant inhibition in the generation of the ulcers induced by stress (p < 0.05). The hematological, biochemical and histopathological parameters presented no differences between treated and control groups. Therefore it can be concluded that the effective dose of 650 mg/kg of the EEP has no toxic effect which may compromise the use of this extract.

ethanolic; extract of propolis; anti-inflammatory; gastric anti-ulcer; toxicity


Atividade antiinflamatória, antiúlcera gástrica e toxicidade subcrônica do extrato etanólico de própolis

Reis, C.M.F.I; Carvalho, J.C.T.I,* * Autor para correspondência: Prof. Dr. José Carlos Tavares Carvalho Laboratório de Fitofármacos Instituto de Farmácia e Nutrição Universidade de Alfenas - Rodovia MG 179 - km 0 Caixa Postal 23 – 37130-000 - Alfenas - MG E-mail: jctc@artefinal.com.br ; Caputo, L.R.G.II; Patricio, K.C.M.II; Barbosa, M.V.J.II; Chieff, A.L.III; Bastos, J. K.IV

ILaboratório de Fitofármacos, Instituto de Farmácia e Nutrição, Uníversidade de Alfenas

IILaboratório de Patologia, Faculdade de Ciências Médicas, Universidade de Alfenas

IIILaboratório de Farmacognosia, Faculdade de Ciências Farmacêuticas, Unesp/Araraquara

IVLaboratório de Farmacognosia, Faculdade de Ciências Farmacêuticas, USP/Ribeirão Preto

RESUMO

Avaliou-se a atividade antiinflamatória do extrato etanólico de própolis - EEP, . sobre o edema desencadeado por carragenina, dextrana e histamina. O EEP apresentou dose eficaz (DE50) de 650 mg/kg (v.o), inibindo significativamente o processo inflamatório desencadeado pela carragenina, mas não inibiu o produzido por dextrana. O EEP antagonizou ainda o efeito edematogênico produzido por histamina. Nas úlceras produzidas por estresse, o EPP inibiu de forma significativa a geração dos diversos tipos classificados. Em todos os parâmetros analisados no estudo da toxicidade em fase de tratamento subcrônico , (hematológicos, bioquímicos e histopatológicos), o grupo tratado com o EEP não apresentou diferença significativa em relação ao grupo controle. Desta forma, sugere-se que na dose de 650 mg/kg (dose eficaz) não existe a presença de efeitos tóxicos que possam comprometer a utilização deste extrato.

Unitermos: extrato etanólico de própolis, antiinflamatório, antiúlcera gástrica, toxicidade.

ABSTRACT

The antlinflammatory activity of Ethanolic Extract of Propolis - EEP was evaluated on edema induced by carrageenan, dextran and hystamine. The inflammatory process induced by carrageenan was significantly reduced by the treatment with EEP (650 mg/kg, p.o), while it did not interfere in the response induced by dextran. The EEP antagonized the edematous effect produced by hystamine. The EEP promoted a significant inhibition in the generation of the ulcers induced by stress (p < 0.05). The hematological, biochemical and histopathological parameters presented no differences between treated and control groups. Therefore it can be concluded that the effective dose of 650 mg/kg of the EEP has no toxic effect which may compromise the use of this extract.

Key words: ethanolic, extract of propolis, anti-inflammatory, gastric anti-ulcer, toxicity.

Texto completo disponível apenas em PDF.

Full text available only in PDF format.

AGRADECIMENTOS:

Os autores agradecem a ajuda técnica de Alberto Van de Kamp do Laboratório de Fitofarmármacos da Universidade de Alfenas, e o auxílio financeiro da Apis Flora, para que este trabalho pudesse ser realizado.

  • *
    Autor para correspondência:
    Prof. Dr. José Carlos Tavares Carvalho
    Laboratório de Fitofármacos
    Instituto de Farmácia e Nutrição
    Universidade de Alfenas - Rodovia MG 179 - km 0
    Caixa Postal 23 – 37130-000 - Alfenas - MG
    E-mail:
    • BASILE, A.C.; SERTIÉ, J.A.A.; PANIZZA, S.; OSHIRO, T.T.; AZZOLINI, C.A. Pharmacological assay of Casearia sylvestris. l: Preventive antiulcer activity and toxicity of the leaf crude extract. J. Ethnopharmacol, 30: 185-197, 1990.
    • CARSON, J.L.; STRON, B.L. The gestrointestinal toxicity of the nonsteroidal antlinflamatory drugs. In: Side-effects of antiinflamatory drugs Boston: Kluwer Academic Publishers, 1993. v.3, pp. 1-8.
    • CARVALHO, J.C.T. Validaçăo Químico-Farmacológica da Espécie Vegetal Pterodon emarginatus Vog. (Atividade Antiinflamatória). Tese de Doutorado, Faculdade de Cięncias Farmacęuticas/ USP, 184pp, 1998.
    • CRHISTENSEN, H.E. The toxic substances list Edition US Dept. Health Educ. Welf. USA, 1974.
    • Dl ROSA, M. Biological properties of carrageenan. J. Pharm. Pharmacol, 24: 89-102, 1972.
    • GALLO, F.R.; SAVI, G. Propoli: usi e tecniche di relevazione. Boll. Chim. Farmaceutico, 134: 483-491, 1995.
    • PUTKAMMER, E. Própolis: como produzir, coletar e armazenar. Apicultura no Brasil, jan.-fev.: 24-27, 1987.
    • RAINSFORD, K.D. The biochemical pathology of aspirin-induced gastric damage. Agent Actions, 5: 326-344, 1975.
    • RAINSFORD, K.D.; WHITWHOUSE, M.W. Non-steroid antiinflammatory drugs: Combined assay for anti-edemic potency and gastric ulcerogenesis in the same animal. Life Sci, 21: 371-378, 1977.
    • ROWLEY, D.A.; BENDITT, E.P. 5-hydroxytryptamine and histamine as mediators of the impury produced by agents which damage mast cells in rats. J. Exper. Med, 103: 399-415, 1956.
    • SOUZA, G.H.B.; ZAINAGHI, I.A.; CARVALHO, J.C.T.; SALVADOR, S.; BASTOS, J.K. Desenvolvimento de metodologia analítica em cromatografia em camada delgada e isolamento de marcadores químicos para controle de qualidade da própolis. Revista da Uníversidade de Franca, 7: 36, 1999.

    * Autor para correspondência: Prof. Dr. José Carlos Tavares Carvalho Laboratório de Fitofármacos Instituto de Farmácia e Nutrição Universidade de Alfenas - Rodovia MG 179 - km 0 Caixa Postal 23 – 37130-000 - Alfenas - MG E-mail: jctc@artefinal.com.br

    Datas de Publicação

    • Publicação nesta coleção
      08 Dez 2009
    • Data do Fascículo
      2000
    Sociedade Brasileira de Farmacognosia Universidade Federal do Paraná, Laboratório de Farmacognosia, Rua Pref. Lothario Meissner, 632 - Jd. Botânico, 80210-170, Curitiba, PR, Brasil, Tel/FAX (41) 3360-4062 - Curitiba - PR - Brazil
    E-mail: revista@sbfgnosia.org.br