Efeito relaxante do extrato aquoso das folhas de Erythrina vellutina em ducto deferente de rato

Márcio R. V. Santos Péricles B. Alves Angelo R. Antoniolli Murilo Marchioro Sobre os autores

O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito do extrato aquoso das folhas de Erythrina vellutina (AE) sobre ducto deferente de rato. Nesta preparação, o AE inibiu as contrações induzidas por estímulo elétrico de campo de maneira dependente da concentração. Esta inibição não foi afetada após atropina (10-5M), propanolol (10-5M), prazosin (10-5M) ou yohimbina (10-5M), sugerindo uma ação indireta do AE sobre receptores colinérgicos ou adrenérgicos. A incubação da preparação com os antagonistas de canais de K+, tetraetilâmonio (10-6M) ou 4-aminopiridina (10-6M) não alterou o efeito inibitório induzido pelo AE. Entretanto, a glibenclamida (10-6M) atenuou significantemente este efeito, sugerindo um possível envolvimento de canais de K+ dependentes de ATP. Além disso, o AE (0.15 mg/mL) não alterou as contrações induzidas por noradrenalina (10-5M), ATP (10-4M) ou KCl (80 mM), descartando uma interação do AE com um sítio pós-sináptico. Em conclusão, estes resultados demonstram que o efeito inibitório do AE pode ser devido a uma interação pré-sináptica com canais de K+ dependentes de ATP em neurônios simpáticos de ducto deferente de rato.

Erythrina vellutina; ducto deferente de rato; canal de K+ dependente de ATP


Sociedade Brasileira de Farmacognosia Universidade Federal do Paraná, Laboratório de Farmacognosia, Rua Pref. Lothario Meissner, 632 - Jd. Botânico, 80210-170, Curitiba, PR, Brasil, Tel/FAX (41) 3360-4062 - Curitiba - PR - Brazil
E-mail: revista@sbfgnosia.org.br