Mobilização neural e alongamento estático em um modelo experimental de ciatalgia: estudo experimental

OBJETIVO: Verificar a eficácia da mobilização neural e do alongamento estático na redução da dor em ratos submetidos à ciática experimental. MÉTODOS: Os ratos (n=23) foram divididos em três grupos: simulacro (GS/n=8), sem intervenção; alongamento (GAL/n=8), tratados com alongamento estático; e mobilização neural (GMN/n=7), tratados com mobilização neural. Submeteram-se os animais a um modelo experimental de ciática, comprimindo o nervo isquiático direito com fio de catgut. Realizaram-se cinco sessões consecutivas de tratamento que se iniciaram no terceiro dia pós-lesão. Avaliou-se a dor, provocada pela ciática, pelo teste de incapacidade funcional que mensurava o tempo de elevação da pata (TEP) do animal, e valores maiores que 10 segundos eram indicativos de dor. O TEP foi mensurado nos momentos: antes da lesão (M1), imediatamente antes (M2), após a 1ª sessão (M3), imediatamente após a última sessão (M4) e 24 horas após a última sessão (M5). Aplicou-se ANOVA com medidas repetidas e não repetidas para análise intra e intergrupos, respectivamente. RESULTADOS: No GS, os TEPs no pós-lesão foram maiores que M1(p<0,001), sugerindo persistência da dor. No GAL, os TEPs foram maiores no pós-lesão em relação a M1 (p<0,001), mas diminuiu nas comparações M3xM4 (p<0,05) e M3xM5 (p<0,01) sugerindo a eficácia do tratamento. No GMN, M2, M3 (p<0,001) e M4 (p<0,05) foram maiores em relação a M1, mas M5 não, mostrando que este tratamento restabeleceu os valores normais de TEP. CONCLUSÃO: As duas formas de terapia foram eficazes na redução da dor, sendo a mobilização neural mais efetiva.

ciática; modalidades de fisioterapia; neuralgia


Associação Brasileira de Pesquisa e Pós-Graduação em Fisioterapia Rod. Washington Luís, Km 235, Caixa Postal 676, CEP 13565-905 - São Carlos, SP - Brasil, Tel./Fax: 55 16 3351 8755 - São Carlos - SP - Brazil
E-mail: contato@rbf-bjpt.org.br