Arranjos domiciliares, condições de saúde física e psicológica dos idosos e sua satisfação com as relações familiares

Dóris Firmino Rabelo Anita Liberalesso Neri Sobre os autores

Objetivo

Investigar as relações entre a configuração familiar, as condições de saúde física e psicológica dos idosos e sua satisfação com os relacionamentos familiares.

Método

A amostra, composta por 134 idosos sem déficit cognitivo sugestivo de demência, foi representativa dos cadastrados em uma Unidade Básica de Saúde do município de Santo Antônio de Jesus-BA. Foram feitas análises de conglomerados mediante o método da partição, considerando a formação de três agrupamentos.

Resultados:

A maioria era de idosos chefes de família (72,4%); que contribuíam total (49,2%) ou parcialmente (44%) para o sustento da família; viviam em arranjos multigeracionais (64,9%); tinham boa funcionalidade física; não tinham depressão (82,9%) nem ansiedade (76,9%) e julgavam boa a funcionalidade familiar (85,8%). As variáveis que mais contribuíram para a formação dos conglomerados foram atividades básicas de vida diária (R2=0,725) e funcionalidade familiar (R2=0,757). Os conglomerados foram: 1) Idosos com necessidade de ajuda instrumental para o desempenho de atividades de vida diária, com ansiedade e insatisfeitos com os relacionamentos familiares; 2) Idosos dependentes para o desempenho de atividades de vida diária, com ansiedade e satisfeitos com os relacionamentos familiares; 3) Idosos independentes nas atividades básicas e instrumentais e satisfeitos com os relacionamentos familiares.

Conclusões

Há relações recíprocas entre a satisfação dos idosos sobre a própria família e o nível de independência e saúde mental apresentado por eles.

Saúde do Idoso; Características da Família; Saúde da Família


Universidade do Estado do Rio Janeiro Rua São Francisco Xavier, 524 - Bloco F, 20559-900 Rio de Janeiro - RJ Brasil, Tel.: (55 21) 2334-0168 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: revistabgg@gmail.com