Efeitos de um programa de estimulação cognitiva multidisciplinar intergeracional

Gislaine Gil Alexandre Leopold Busse Fabiana Tintori Shoji Patrícia Dancieri Martinelli Elisabeth Frohlich Mercadante Sobre os autores

Objetivos:

Verificar e comparar o desempenho de adultos e idosos em testes de atenção, memória, humor e metamemória, antes e após programa de estimulação cognitiva multidisciplinar intergeracional.

Método:

Foram selecionados 79 dos prontuários médicos do período de 2008 a 2012, de pessoas acima de 40 anos de idade, ambos os sexos, onze anos ou mais de escolaridade, com queixas subjetivas de memória, sem demência pelos critérios do Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais - DSM-IV-TR. Foram coletadas as avaliações de testes cognitivos, escalas de humor e questionário de queixa de memória subjetiva, antes e após o programa de estimulação de 20 sessões de 100 minutos, num hospital de grande porte na cidade de São Paulo.

Resultados:

Houve melhora do desempenho tanto dos testes de atenção quanto de memória (p<0,001), mas sem mudança na metamemória. Houve redução de sintomas depressivos (p=0,014) e ansiosos (p<0,001). A aprendizagem associativa imediata teve melhora evidente entre os idosos (p=0,022), enquanto que a redução dos sintomas ansiosos (p=0,019) e depressivos foi maior entre os adultos (p=0,022).

Conclusão:

A Estimulação Cognitiva Multidisciplinar Intergeracional foi eficaz na melhora do desempenho cognitivo e do humor nos idosos e adultos com queixas subjetivas de memória.

Estimulação cognitiva; Multidisciplinar; Intergeracional; Memória; Cognição


Universidade do Estado do Rio Janeiro Rua São Francisco Xavier, 524 - Bloco F, 20559-900 Rio de Janeiro - RJ Brasil, Tel.: (55 21) 2334-0168 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: revistabgg@gmail.com