Prevalência e fatores associados à inatividade física em idosos: um estudo de base populacional

Andréia Queiroz Ribeiro Sara Maria Lopes Salgado Ivani Soleira Gomes Aline Siqueira Fogal Karina Oliveira Martinho Luciene Fátima Fernandes Almeida Wederson Cândido de Oliveira Sobre os autores

Resumo

Objetivos:

Determinar a prevalência de inatividade física entre idosos do município de Viçosa-MG e identificar seus fatores associados.

Método:

Estudo transversal de base populacional conduzido no município de Viçosa-MG com 621 idosos. Considerou-se como variável dependente a inatividade física, definida pela questão: "O(a) senhor(a) pratica alguma atividade física?" A prática de atividade física considerada restringiu-se àquela realizada regularmente, por pelo menos 20 minutos, três vezes por semana, desconsiderando-se as atividades domésticas, laborais e no deslocamento. As variáveis independentes foram: idade; sexo; escolaridade; autopercepção da saúde; capacidade funcional; história de diabetes, hipertensão, dislipidemias e osteoporose; excesso de peso; risco de alteração metabólica; tabagismo; número de consultas; história de internação hospitalar no último ano e possuir plano privado de saúde. Realizou-se análise descritiva e análise de regressão de Poisson múltipla.

Resultados:

A prevalência de inatividade física foi de 70,1% (IC 95%: 66,0%-74,0%). Os fatores associados foram sexo masculino, ter idade acima de 80 anos, menor escolaridade, capacidade funcional inadequada, fumar e não possuir plano de saúde privado.

Conclusão:

A alta prevalência de inatividade física e seus fatores associados indicam a necessidade de desenvolvimento de estratégias sistemáticas para aprimorar as políticas públicas direcionadas para esse grupo etário.

Palavras-chave:
Inatividade Física; Fatores Associados; Idoso

Universidade do Estado do Rio Janeiro Rua São Francisco Xavier, 524 - Bloco F, 20559-900 Rio de Janeiro - RJ Brasil, Tel.: (55 21) 2334-0168 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: revistabgg@gmail.com