Expressão do Antígeno Nuclear de Proliferação Celular no Lóbulo Mamário sob Tratamento com Anticoncepcional Oral

Resumo de Tese

Expressão do Antígeno Nuclear de Proliferação Celular no Lóbulo Mamário sob Tratamento com Anticoncepcional Oral

Autor: Thiers Deda Gonçalves

Orientador: Prof. Dr. Afonso Celso Pinto Nazário

Tese apresentada à Universidade Federal de São Paulo - Escola Paulista de Medicina para obtenção do Título de Doutor em Ginecologia em 14 de dezembro de 2000.

O estudo sobre os efeitos dos anticoncepcionais combinados hormonais orais (ACHO) na mama normal ainda são controversos. Existem poucos trabalhos referentes a este respeito, sobretudo no que se refere à avaliação do estroma intralobular, que é metabolicamente ativo e mantém interdependência com o epitélio lobular. Além disto, são conflitantes e foram realizados sem a padronização do tipo de anticoncepcional. Por isso propusemo-nos estudar a atividade proliferativa do lóbulo mamário em usuárias de ACHO contendo 150 mg de levonorgestrel e 30 mg de etinilestradiol, durante quatro ciclos, com intervalos de sete dias entre os ciclos. Foram selecionadas 36 pacientes, divididas em dois grupos: grupo A (estudo), constituído por 15 mulheres, às quais foi administrado ACHO e grupo B (controle), constituído de 21 mulheres, que não usaram a medicação e que se encontravam na fase lútea do ciclo menstrual. Foram obtidas amostras de tecido mamário normal adjacente a nódulos benignos, no momento da cirurgia, que ocorreu, no grupo estudo, entre 24o e 26o dia do quarto ciclo e, no grupo controle, entre os 23o e 26o dia do ciclo menstrual. O material foi fixado em formol a 10%, posteriormente emblocado em parafina e cortado para colaração com hematoxilina e eosina, para os diagnósticos histológicos do nódulo e do tecido adjacente. Das 36 pacientes, 16 foram excluídas do protocolo, sendo cinco do grupo e 11 do controle, em virtude do material ser inadequado ou insuficiente, restante então 20 aptas ao estudo, 10 em cada grupo. Posteriormente, realizou-se a reação imuno-histoquímica com anticorpo anti-PCNA do tipo PC 10. Obteve-se expressão de 16,8% a 19,2% de células coradas nos epitélios dos grupos estudos e controle, respectivamente. Com relação ao estroma intralobular, obteve-se imunoexpressão de 9,9%, no grupo estudo, e de 9,9% no grupo controle. O presente estudo demonstrou não haver diferença estatisticamente significativa na atividade proliferativa do lóbulo mamário entre as mulheres que tomaram pílulas por quatro ciclos e aquelas na segunda metade do ciclo menstrual.

Palavras-chave: Mama normal. Contracepção hormonal. Proliferação celular.

Datas de Publicação

  • Publicação nesta coleção
    24 Jun 2003
  • Data do Fascículo
    Ago 2001
Federação Brasileira das Sociedades de Ginecologia e Obstetrícia Av. Brigadeiro Luís Antônio, 3421, sala 903 - Jardim Paulista, 01401-001 São Paulo SP - Brasil, Tel. (55 11) 5573-4919 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: editorial.office@febrasgo.org.br