Avaliação do polimorfismo do gene da catecol-orto-metiltransferase (COMT) como fator relacionado ao desenvolvimento do leiomioma do útero

The catechol-o-methyltransferase (COMT) gene polymorphism and prevalence of uterine fibroids

RESUMO DE TESE

Avaliação do polimorfismo do gene da catecol-orto-metiltransferase (COMT) como fator relacionado ao desenvolvimento do leiomioma do útero

The catechol-o-methyltransferase (COMT) gene polymorphism and prevalence of uterine fibroids

Autor: Emerson de Oliveira

Orientador: Prof. Dr. Manoel João Batista Castello Girão

Tese apresentada à Universidade Federal de São Paulo - Escola Paulista de Medicina, para a obtenção do título de Doutor em Ciências, em 18 de julho de 2008

OBJETIVO: avaliar o polimorfismo da catecol-orto-metiltransferase como possível fator relacionado ao desenvolvimento de leiomioma do útero.

MÉTODOS: foram comparadas, em estudo caso-controle, 124 mulheres com leiomioma uterino sintomático, que se submeteram a tratamento cirúrgico (casos) e 193 mulheres na pós-menopausa sem diagnóstico prévio ou atual dessa afecção (controles). Os grupos foram analisados quanto à presença do polimorfismo do gene da COMT. A genotipagem foi realizada por meio de reação em cadeia da polimerase (PCR), com DNA proveniente de punção venosa periférica no Grupo Controle, ou de fragmento de leiomioma retirado durante a histerectomia no Grupo Caso. Os grupos foram estratificados por raça e, a seguir, para cálculo da razão de chances, ou odds ratio (OR), para a ocorrência da doença, aplicou-se o modelo de regressão logística. O nível de significância adotado foi de 5% (p<0,05) e o intervalo de confiança foi de 95% (IC 95%).

RESULTADOS: o polimorfismo da COMT foi mais prevalente nas mulheres da raça branca (p=0,013). Após a estratificação pelo volume uterino, o modelo de regressão logística demonstrou que o polimorfismo da COMT, nas pacientes com leiomioma do útero, correlacionou-se com tumores maiores (OR=4,35; IC 95%=1,58-12; p=0,004).

CONCLUSÕES: a presença do polimorfismo do gene da COMT correlacionou-se com tumores maiores nas mulheres com leiomioma do útero.

Palavras-chave: Fibroma uterino; Leiomioma uterino; Fatores de risco; Catecol-orto-metiltransferase; Polimorfismo

Key words: Uterine fibroid; Uterine leiomyoma; Risk factors; Catechol-o-methyltransferase; Polymorphism

Datas de Publicação

  • Publicação nesta coleção
    29 Jun 2009
  • Data do Fascículo
    Abr 2009
Federação Brasileira das Sociedades de Ginecologia e Obstetrícia Av. Brigadeiro Luís Antônio, 3421, sala 903 - Jardim Paulista, 01401-001 São Paulo SP - Brasil, Tel. (55 11) 5573-4919 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: editorial.office@febrasgo.org.br
Accessibility / Report Error