Comparação entre a Glicemia de Jejum Associada aos Fatores de Risco e o Teste Oral de Tolerância à Glicose Simplificado no Rastreamento do Diabete Gestacional

Resumo de Tese

Comparação entre a Glicemia de Jejum Associada aos Fatores de Risco e o Teste Oral de Tolerância à Glicose Simplificado no Rastreamento do Diabete Gestacional

Autor: Wilson Ayach

Orientadora: Profa. Dra. Iracema de Mattos Paranhos Calderon

Dissertação de Mestrado; Curso de Pós-graduação em Ginecologia e Obstetrícia ¾ Faculdade de Medicina de Botucatu/UNESP em 12 de novembro de 1999.

Justificativa: Não há consenso sobre métodos de rastreamento do diabete gestacional. É recomendado como padrão o teste oral de tolerância à glicose simplificado (TTG50g). A acurácia da glicemia de jejum associada aos fatores de risco, rastreamento simples e prático, precisa ser avaliada em relação ao teste de rastreamento padrão.

Objetivo: Determinar a acurácia da glicemia de jejum associada aos fatores de risco em relação ao TTG50g no rastreamento do diabete gestacional.

Sujeitos e Métodos: Em estudo retrospectivo, 356 gestantes foram submetidas aos dois testes de rastreamento do diabete gestacional: glicemia de jejum associada aos fatores de risco, na primeira metade da gestação, e TTG50g, entre a 24ª e a 28ª semanas de gestação.

Resultados e Conclusões:

• A associação da glicemia de jejum e fatores de risco foi positiva em 187 gestantes.

• O TTG50g foi positivo em 49 gestantes.

• A associação dos fatores de risco ao TTG50g, resultou na equivalência estatística entre os dois testes de rastreamento avaliados.

• A glicemia de jejum associada aos fatores de risco foi diferente do TTG50g na freqüência de resultados encontrados, e determinou a confirmação diagnóstica em maior número de gestantes.

• A comparação entre os dois testes de rastreamento evidenciou sensibilidade de 83,7% e valor preditivo negativo de 95,3% para a associação glicemia de jejum e fatores de risco em relação ao TTG50g.

A elevada sensiblilidade do rastreamento pela glicemia de jejum associada aos fatores de risco, em relação ao teste padrão-ouro (TTG50g), aliada a sua simplicidade, praticabilidade e baixo custo, permitem empregá-lo no rastreamento do diabete gestacional.

Palavras-chave: Diabete melito. Teste de tolerância a glicose.

Datas de Publicação

  • Publicação nesta coleção
    04 Jan 2005
  • Data do Fascículo
    Jun 2000
Federação Brasileira das Sociedades de Ginecologia e Obstetrícia Av. Brigadeiro Luís Antônio, 3421, sala 903 - Jardim Paulista, 01401-001 São Paulo SP - Brasil, Tel. (55 11) 5573-4919 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: editorial.office@febrasgo.org.br