Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia, Volume: 21, Issue: 5, Published: 1999
  • A FEBRASGO abraçando o Brasil... Editorial

  • Ampicillin prophylaxis in premature rupture of membranes: randomized and double-blind study Trabalhos Originais

    Rocha, José Elias Soares da; Duarte, Geraldo; Nogueira, Sérgio Pereira da Cunha Antonio Alberto; Mauad Filho, Franciso

    Abstract in Portuguese:

    Objetivos: avaliar se o uso profilático da ampicilina pode evitar ou reduzir a morbidade infecciosa materna e perinatal decorrente da ruptura prematura das membranas (RPM) e prolongar a gestação em pacientes portadoras dessa complicação. Métodos: estudo prospectivo, randomizado e duplo-cego, avaliando 121 gestantes portadoras de RPM, divididas em dois grupos. O grupo tratado (61 gestantes) recebeu ampicilina e o grupo controle (60 gestantes) recebeu placebo, nas mesmas condições de horário, tempo de uso, embalagem e cor das cápsulas. Como parâmetros de infecção materna considerou-se a morbidade febril materna (índice térmico), presença de corioamnionite e/ou endometrite. Os parâmetros neonatais avaliados foram o índice de Apgar (1° e 5° minutos), colonização bacteriana do conduto auditivo e hemocultura. Para a análise estatística foram utilizados os testes: exato de Fisher, Wilcoxon e o chi². Resultados: o uso da ampicilina não prolongou a gestação, não reduziu a morbidade febril puerperal e nem as taxas de corioamnionite e/ou endometrite. Quanto à morbidade infecciosa perinatal também não foi possível demonstrar nenhuma redução decorrente do uso da ampicilina nem influência sobre as condições de nascimento. Estes dados foram consistentes em casos de RPM com até 72 horas de evolução, pois o limitado número de casos com tempo maior de evolução não permitiu uma análise estatística isenta de erro tipo II. Conclusões: com base nos resultados desse trabalho foi possível concluir que o uso profilático de ampicilina em gestantes com RPM com até 72 horas de evolução não reduz a morbidade infecciosa materna nem perinatal. No entanto, a presença de Streptococcus agalactiae do grupo B em hemocultura de recém-nascido do grupo controle indicou a necessidade imperiosa de antibioticoterapia para as gestantes colonizadas por esse microrganismo.

    Abstract in English:

    Purpose: to evaluate whether prophylactic use of ampicillin could avoid or reduce maternal and perinatal infectious morbidity caused by premature rupture of membranes (PROM), and to extend the gestation period in those women. Methods: this was a prospective, randomized and double-blind study, carried out evaluating 121 pregnant women with PROM, randomized into two study groups. The treatment group (61 patients) received ampicillin and the control group (60 patients) received placebo. The placebo had the same characteristics as ampicillin (kind of packaging and color of the capsules) and was used in the same time regimen. The considered parameters for maternal infection were febrile morbidity (fever index), and the presence of chorioamnionitis and/or endometritis. The studied neonatal parameters were Apgar score (1st and 5th minutes), bacterial colonization of auditory canal, and blood culture. The statistical tests performed were Fisher's exact test, Wilcoxon, and chi². Results: it was observed that ampicillin did not prolong the gestation, nor did it reduce the postpartum febrile morbidity or the rates of chorioamnionitis and/or endometritis. Ampicillin did not reduce the perinatal infectious morbidity nor improve the birth outcomes. All these results were consistent in cases of less than 72 h PROM. The limited number of cases with time of PROM greater than 72 h did not permit statistical analysis free of type II error. Conclusions: based on these results it was possible to conclude that the prophylactic use of ampicillin by pregnant women with less than 72 h PROM did not reduce either infectious maternal or perinatal morbidity. However, the presence of group B Streptococcus agalactiae in the blood culture from a neonate in the control group showed the necessity to start antibiotic treatment of pregnant women colonized by this microorganism.
  • Evaluation of the immune status of women in reproductive age regarding rubella virus Trabalhos Originais

    Fonseca, Sylvia Maria Dantas; Dantas, Valéria Cristina Ribeiro; Dantas, Marianna Toscano; Fernandes, José Veríssimo

    Abstract in Portuguese:

    Objetivo: avaliar o estado imune de mulheres em idade reprodutiva, em relação ao vírus da rubéola. Métodos: foram analisadas alíquotas de soros de 2.243 mulheres na faixa etária dos 15 aos 45 anos (média de 26 anos), residentes na área urbana de Natal, RN, para avaliação do estado imune em relação ao vírus da rubéola. Do total das mulheres examinadas, 1.170 (52,1%) eram gestantes e 1.073 (47,9%) não-gestantes. Foi pesquisada a presença de anticorpos das classes IgM e IgG no soro de todas as pacientes, empregando-se a técnica de ELISA em fase sólida, revelada mediante fluorescência (ELFA). Resultados: do total das pacientes analisadas, 1.632 se apresentaram imunes e 611 se mostraram suscetíveis ao vírus da rubéola. Os índices médios de imunidade e de suscetibilidade observados nos 4 anos estudados foram 73,0 e 27,0% respectivamente. No grupo das mulheres consideradas suscetíveis, 14,5% não apresentaram qualquer sinal da presença de anticorpos contra o vírus da rubéola, 7,7% apresentaram anticorpos da classe IgM isoladamente e em 4,8% delas foi detectada a presença simultânea de anticorpos IgM e IgG. Conclusão: os achados revelaram que uma parcela significativa da população feminina de Natal, em idade reprodutiva, ainda se encontra suscetível ao vírus da rubéola, revelando a existência real de risco de infecção congênita por esse patógeno. Recomenda-se a vacinação seletiva dessas mulheres contra a rubéola, como forma segura de prevenir as manifestações relacionadas à síndrome de rubéola congênita.

    Abstract in English:

    Purpose: to evaluate the immune status of women in reproductive age regarding the rubella virus. Methods: 2,243 samples of serum from women in the age range of 15 to 45 years, with an average of 26 years, living in the urban area of Natal, RN were analyzed, to evaluate the immune status in regard to rubella virus. Of these women, 1,170 (52.1%) were pregnant and 1,073 (47.9%) were not. IgM and IgG antibodies were determined, using solid phase ELISA and fluorescence (ELFA) techniques. Results: of the 2,243 women, 1,632 showed immunity to rubella virus and 611 did not, therefore being susceptible to this virus. The rates of immunity and susceptibility in this study were 73.0% and 27.0%, respectively. In 611 susceptible woman, 14.5% did not present antibodies against rubella virus, 7.7% had only IgM antibody and 4.8% had IgG and IgM antibodies. Conclusions: our findings show that a significant group of women from Natal, in reproductive age, is still susceptible to rubella virus, indicating the risk of congenital infection by this pathogen. We advise the selective vaccination of those women against rubella to prevent clinical manifestations related to the congenital form of the disease.
  • Physiotherapy for reduction of diastasis of the recti abdominis muscles in the postpartum period Trabalhos Originais

    Mesquita, Luciana Aparecida; Machado, Antônio Vieira; Andrade, Angela Viegas

    Abstract in Portuguese:

    Objetivos: constatar se a intervenção fisioterápica no puerpério imediato é capaz de contribuir para a redução da diástase mais precocemente. Métodos: foi realizado um estudo longitudinal e aleatório, com 50 puérperas recrutadas na Maternidade-Escola Hilda Brandão da Santa Casa de Belo Horizonte (MEHB-SCBH), no período de abril a setembro de 1998. O grupo controle (N = 25) foi submetido à avaliação e mensuração da diástase (6 horas e 18 horas após o parto) e no grupo de tratamento (N = 25) foi realizada a mesma avaliação e mensuração acima, assim como um protocolo de atendimento fisioterápico, 6 e 18 horas após o parto. Utilizou-se um paquímetro, instrumento de medida de precisão, na mensuração da diástase nas avaliações. Resultados: no período de 18 horas pós-parto, o grupo controle apresentou uma redução da diástase de 5,4% e o grupo de tratamento de 12,5%, em relação à primeira medida (6 horas após o parto), (p<0,001, com intervalo de confiança de 99%). Conclusões: estes resultados demonstram que o atendimento fisioterápico no puerpério imediato determina redução significativa na diástase dos músculos retos abdominais (DMRA) após cada atendimento, bem como redução relevante quando comparada com o grupo controle, contribuindo positivamente para a recuperação dos músculos retos abdominais mais precocemente.

    Abstract in English:

    Purpose: to check if physiotherapy immediately after childbirth may contribute to early diastasis reduction. Methods: longitudinal and randomized study with 50 parturient women recruited in the Maternidade-Escola Hilda Brandão of the Santa Casa of Belo Horizonte, from April to September 1998. The control group (N = 25) was submitted to evaluation and measurement (6 h and 18 h after labor), and the treatment group (N = 25) was submitted to the same evaluation and measurement as above, as well as to a protocol for physiotherapeutic assistance, 6 and 18 h after labor. For the evaluations, a pachymeter, a precision instrument, was used to measure diastasis. Results: at 18 h after parturition, the control group presented a diastasis reduction of 5.4%, and the treatment group of 12.5%, as related to the first measure (6 h after delivery) (p<0.001, with a confidence interval of 99%). Conclusions: these results show that the physiotherapeutic assistance immediately after childbirth determines a significant reduction in the diastasis of the recti abdominis muscles (DRAM) after every treatment session, as well as a relevant reduction when compared to the control group, positively contributing to the earlier recovery of the recti abdominis muscles.
  • The relationship between borderline and invasive epithelial ovarian tumors: epidemiology, histology and prognosis Trabalhos Originais

    Derchain, Sophie F. Mauricette; Torres, José Carlos Campos; Teixeira, Luiz Carlos; Andrade, Liliana A. Lucci de Angelo; Masuko, Frederico Ken Miyahara; Santos, Marcos Antônio

    Abstract in Portuguese:

    Objetivo: avaliar alguns aspectos epidemiológicos, do diagnóstico e do prognóstico em mulheres com tumores epiteliais ovarianos borderline e francamente invasores. Métodos: foram revisados os prontuários de 198 pacientes tratadas no CAISM/UNICAMP de 1986 a 1996. Para análise estatística foram utilizados os testes chi², exato de Fisher, t de Student e curvas de sobrevida pelo método de Kaplan-Meyer comparadas pelo teste log-rank. O seguimento médio das pacientes foi de 50 meses (de 11 a 168). Dos 198 casos, 24 eram tumores borderline (12%) e 174 (88%) carcinomas francamente invasores. Resultados: a média de idade das pacientes com tumores borderline foi significativamente menor que a das mulheres com carcinoma francamente invasor: 43 ± 14,8 anos vs 52 ± 12,6 anos (p<0,002). Os tipos histológicos mais freqüentes foram serosos (81 casos - 41%) e mucinosos (46 casos - 23%). As mulheres com tumores borderline tiveram sua doença diagnosticada em estádios mais precoces (p<0,0001). A biópsia de congelação, realizada em 77 pacientes, mostrou uma boa concordância com a biópsia de parafina nos casos de carcinoma francamente invasor. Entretanto, nos tumores borderline a taxa de erro foi alta (13%), sendo que a maioria das falhas diagnósticas da congelação ocorreu entre os tumores mucosos. Em relação ao prognóstico, a taxa de sobrevida foi significativamente maior nas pacientes com tumores borderline (p<0,001). Conclusões: as pacientes com tumores epiteliais ovarianos borderline foram mais jovens que aquelas com tumores francamente invasores, apresentaram a doença em estádios iniciais e tiveram melhor prognóstico quando comparadas àquelas com carcinoma francamente invasor.

    Abstract in English:

    Purpose: to determine some epidemiological, diagnostic and prognostic aspects in women with borderline and invasive epithelial ovarian tumors. Methods: the charts of 198 women treated at CAISM/UNICAMP from 1986 to 1996 were revised. For statistical assessment, chi², Fisher's exact and t Student's tests were used when appropriate, followed by survival curves by the Kaplan-Meyer method, compared by the log-rank test. The mean follow-up was 50 months (11 to 168). Results: the overall rate of borderline tumors was 12% (24 cases), and for invasive carcinoma, 88% (174 cases). The mean age of the patients with borderline tumors was significantly lower than that of those with invasive carcinoma (43 ± 14.8 years vs. 52 ± 12.6 years, p<0.002). The most frequent histologic types were the serous (81 cases: 41%) and the mucinous (46 cases: 23%) tumor. The women with borderline tumors had their diseases diagnosed in earlier stages when compared with the invasive carcinoma patients (p<0.0001). The frozen biopsy, performed on 77 patients, showed a high agreement with the paraffin fixed tissue in the invasive carcinoma cases. However, in borderline tumors, the rate of failure was higher (13%) and the major rate of failure was in mucinous tumors. Regarding prognosis, the survival rate was significantly higher in borderline tumors (p<0.001). Conclusions: women with epithelial ovarian tumors were younger, presented the disease at earlier stages, and had a better prognosis when compared with those with invasive carcinoma.
  • Endometriosis: experimental model in rats Trabalhos Originais

    Schor, Eduardo; Freitas, Vilmon de; Simões, José Maria Soares Júnior Manuel de Jesus; Baracat, Edmund Chada

    Abstract in Portuguese:

    Objetivo: divulgar a metodologia da indução de endometriose experimental em animais de laboratório. Método: utilizamos ratas albinas, virgens, adultas de aproximadamente três meses de idade, que foram inicialmente anestesiadas pelo éter etílico. Aberta a cavidade abdominal, identificamos os cornos uterinos e retiramos um fragmento de aproximadamente 4 cm do corno uterino direito. Esse fragmento foi mergulhado em solução fisiológica e sob lupa estereoscópica foi separado o endométrio do miométrio e feitos retângulos de aproximadamente 4 por 5 mm. Esses foram fixados por meio de fio de sutura, sobre vasos sangüíneos visíveis a olho nu, na parede lateral do abdômen, tomando-se sempre o cuidado de manter a porção do endométrio livre voltada para a luz da cavidade abdominal. Após 21 dias os animais foram novamente operados para verificarmos o tamanho dos implantes e para retirada do endométrio ectópico para análise histológica. Resultados: macroscopicamente observamos crescimento significativo dos implantes endometriais. Ao exame microscópico pudemos observar a presença de epitélio glandular e estroma semelhantes ao do endométrio tópico. Conclusões: o modelo utilizado reproduz a doença, em ratas, sendo método auxiliar de valia para estudar esta afecção, principalmente a ação de medicamentos sobre esses implantes.

    Abstract in English:

    Purpose: to demonstrate the experimental endometriosis induction in animals. Method: we used adult female Wistar rats weighing 200 - 250 g anesthetized with ethyl ether to open the abdominal cavity. After identifying the uterine horns, we removed an approximately 4 cm fragment from the right uterine horn. This fragment was placed in physiological saline and, with the aid of a stereoscopic magnifying glass, the endometrium was separated from the myometrium and cut into rectangles of approximately 4 x 5 mm. These rectangles were fastened to the lateral abdominal wall near great blood vessels, taking care that the free portion of the endometrium was directed towards the lumen of the abdominal cavity. After 21 days the animals were again operated to observe the size of the implants and to remove the ectopic endometrium for microscopic analysis. Results: we macroscopically observed a significant growth of the endometrial implants. Microscopic examination showed presence of glandular epithelium and stroma similar to topic epithelium. Conclusion: this model reproduces endometriosis in the female rat allowing a better study of this pathology, mainly the action of drugs on these implants.
  • Breast self-examination among medical students Trabalhos Originais

    Freitas Júnior, Ruffo de; Aires, Lilian Freire Baêta Nilceana Maya; Finotti, Régis Resende Paulinelli Marta Curado Franco; Silveira, Mariluza Terra

    Abstract in Portuguese:

    Objetivo: avaliar o nível de conhecimento e prática do auto-exame da mama entre os estudantes do curso médico e determinar possíveis fatores associados a esta prática. Métodos: foi utilizado um questionário que continha informações sobre os alunos e o seu conhecimento a respeito do auto-exame, permitindo ainda, verificar entre as alunas a prática do mesmo. Utilizaram-se os testes do qui quadrado e "t" de Student, quando aplicáveis, para verificar a associação de alguns fatores com o auto-exame. Resultados: dos 348 questionários respondidos, 55 (16%) pertenciam aos alunos do 5º ano (estudantes que haviam cursado a Disciplina de Ginecologia da Universidade Federal de Goiás), 43% eram mulheres, 62% tinham familiares médicos e 17% apresentavam história familiar de câncer de mama. Em relação ao conhecimento do auto-exame, 95% conheciam o método. Das 149 estudantes, apenas 64% o praticavam. Os motivos para não fazê-lo eram: por ser muito jovem (24%), por não acreditar que pudesse acontecer com ela (4%), por medo (9%) e por preguiça (19%), sendo que 44% das alunas não souberam explicar o motivo. Tanto o conhecimento quanto a prática do auto-exame não estiveram associados ao ano do curso médico, história familiar de câncer de mama ou à presença de familiar médico. Conclusão: o auto-exame é conhecido por praticamente todos os estudantes de medicina mesmo assim, um terço das estudantes não o praticam. Com isso ressalta-se a importância do auto-exame no curso médico, a fim de que os alunos possam levar mais informações à população, não limitando esta tarefa aos meios de comunicação.

    Abstract in English:

    Purpose: to evaluate the knowledge and practice of breast self-examination among medical students and to determine possible factors associated with this practice. Method: the authors used a questionnaire to gather information about the students and their knowledge of this self-examination. This questionnaire also allowed the authors to verify the frequency with which the female students performed breast self-examination. The chi² test and Student's "t" test were used, when applicable, to check the association of certain factors. Results: of the 348 questionnaires which were answered, 16% (55) were submitted by 5th year medical students, who had already attended the Gynecology course; 43% were answered by females, 62% of the students had medical doctors among their relatives, and 17% had a family history of breast cancer. In terms of breast self-examination, 95% knew about the method. Of the 149 females who answered the questionnaire, only 64% checked their breasts regularly. The reasons given for not performing self-examination varied: 24% considered themselves to be too young, 4% thought they would not have cancer, 9% listed fear as the reason, 19% reported they were too lazy, and 44% of the female students had no clear reason for not performing breast self-examination. Neither the knowledge nor the practice of the breast self-examination were associated with the subjects the students had or had not yet taken in medical school, with a family history of breast cancer or with the fact that one or more relatives were medical doctors. Conclusion: breast self-examination is known by practically all the medical students; nevertheless, only one third of the female students performed it regularly. This fact highlights the importance of emphasizing breast self-examination among medical students, so that they can help to disseminate this practice among the general population, rather than delegating this responsibility to the midia.
  • Electron microscope study of the epithelium of neovagina constructed with amniotic membrane: estrogen receptor evaluation Trabalhos Originais

    Piazza, Mauri José

    Abstract in Portuguese:

    Objetivo: verificar pela microscopia eletrônica as alterações ocorridas no âmnio empregado para a construção de neovaginas e a presença de receptores para estrogênio (REc) nesse epitélio. Métodos: um grupo de 33 pacientes jovens portadoras de agenesia vaginal, em sua maioria amenorréicas, com dificuldade ou impossibilidade de manter atividade sexual, submeteu-se à correção cirúrgica da anomalia pela técnica de McIndoeBanister. Em cada uma das mulheres, a vaginoplastia criou uma cavidade ampla pela dissecção romba do espaço vésicoretal. Um molde de esponja sintética revestido pelo condom e pela membrana amniótica era introduzido e fixado na cavidade criada. No 8º dia do pós-operatório, o molde era retirado, permanecendo um neoepitélio em formação, oriundo da metaplasia da membrana amniótica. Resultados: a microscopia eletrônica de transmissão (MET) realizada em tecidos obtidos de biópsias das neovaginas mostrou características semelhantes nas três camadas destes epitélios, quer no citoplasma, quer nas organelas celulares em comparação com mulheres normais. Comparou-se a intensidade de coloração dos REc em cortes histológicos do neoepitélio vaginal do grupo de mulheres submetidas à neovaginoplastia pela técnica de McIndoe modificada com mulheres normais no menacme. Os REc apresentaram intensidade distinta nas três camadas da mucosa no grupo de mulheres em que foi elaborada a neovagina com revestimento de membrana amniótica. A análise do neoepitélio vaginal obtido com enxerto de membrana amniótica para correção cirúrgica de agenesia vaginal evidenciou pela MET características de um epitélio vaginal trófico. Conclusões: o tecido amniótico enxertado sofre um processo de transformação completa e esta mudança foi evidenciada à MET; os graus de intensidade dos REc das diferentes camadas do epitélio vaginal estudado, em cortes histológicos oriundos de mulheres no menacme, são semelhantes aos cortes histológicos obtidos em biópsias de neovaginas revestidas com membrana amniótica.

    Abstract in English:

    Purpose: to verify changes in amnion epithelia after neovaginoplasty and the presence of estrogen receptor in this tissue using electron microscopy (TEM). Methods: a group consisting of 33 young patients with vaginal agenesy, most of them amenorreic, either incapable or having difficulty to adequately perform sexual activity, underwent surgical correction of the anomaly by the McIndoe-Banister technique. In each woman, a cavity was created through an opening of the vesicorectal space. A mold made of artificial sponge with a condom recovered by amniotic membrane was introduced into the cavity. After eight days, the mold was removed, leaving a developing neoepithelium from the amniotic membrane. Results: The TEM conducted in samples of tissue obtained from neovaginas showed similar results in all three layers of these epithelia, either in the cytoplasm or the cellular microstructures in comparison with normal women. The intensity of staining of the estrogen receptors on the vaginal neoepithelium of the group of women who underwent the surgical procedure was similar to that of normal women. The estrogen receptors were heterogeneously distributed in the three layers of the tissue in all women. The analysis of the vaginal neoepithelium obtained from amniotic membrane revealed, through the TEM, all the characteristics of a regular vaginal epithelium.
  • Full-term pregnancy after endometrial ablation Relato De Caso

    Damião, Rievane S.; Rodrigues, Frederico F.; Ramos, Salete Yatabe José Francisco D.; Lopes, Reginaldo G. C.; Lippi, Umberto G

    Abstract in Portuguese:

    A ablação endometrial por via histeroscópica é uma técnica utilizada em casos de sangramento uterino anormal com resposta desfavorável ao tratamento clínico. Mesmo com destruição ou ressecção das camadas funcional e basal do endométrio é possível ocorrer uma gravidez posterior à intervenção. No entanto essas gestações freqüentemente terminam em abortamento ou se apresentam com complicações. Relata-se o caso de uma paciente que desenvolveu gravidez a termo sem intercorrências após ter realizado ablação endometrial por sangramento uterino anormal resistente ao tratamento clínico.

    Abstract in English:

    Endometrial ablation is a useful technique in patientes with abnormal uterine bleeding without response to clinical measures. Pregnancy is possible even after the destruction or resection of the endometrium. The case reported is a normal term pregnancy after endometrial ablation because ot menorrhagia without successful prior clinical treatment.
  • Estudo anatomoclínico do carcinoma ductal invasivo da mama em pacientes axila-negativas associado à identificação dos receptores de estrogênio Resumos De Teses

    Uemura, Gilberto
  • Sangramento uterino anormal na adolescência Resumos De Teses

    Cabral, Zuleide Aparecida Félix
  • Avaliação dos padrões vasculares uterino e placentário no primeiro trimestre das gestações normal e patológica Resumos De Teses

    Giacobbe, Marcelo
  • Dopplervelocimetria das artérias uterinas, arqueadas e espiraladas no prognóstico de receptividade endometrail de mulheres em ciclos estimulados para fertilização in vitro Resumos De Teses

    Castellotti, Daniella Spilborghs
Federação Brasileira das Sociedades de Ginecologia e Obstetrícia Av. Brigadeiro Luís Antônio, 3421, sala 903 - Jardim Paulista, 01401-001 São Paulo SP - Brasil, Tel. (55 11) 5573-4919 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: editorial.office@febrasgo.org.br