Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia, Volume: 22, Issue: 9, Published: 2000
  • Recadastramento de Sócios Editorial

  • Tratamento da Eclâmpsia: Estudo Comparativo entre o Sulfato de Magnésio e a Fenitoína Trabalhos Originais

    Valadares Neto, João de Deus; Bertini, Anna Maria; Taborda, Wladimir Corrêa; Parente, Joaquim Vaz

    Abstract in Portuguese:

    Objetivos: comparar a eficácia do sulfato de magnésio e da fenitoína no controle das convulsões em pacientes com eclâmpsia e avaliar os efeitos de sulfato de magnésio e da fenitoína sobre o prognóstico materno e perinatal em pacientes com eclâmpsia. Métodos: estudo prospectivo, randômico e controlado no qual foram analisados, de forma comparativa, os resultados obtidos no tratamento anticonvulsivante da eclâmpsia em 77 mulheres tratadas com sulfato de magnésio ou fenitoína. As drogas que constituíram os dois esquemas terapêuticos foram distribuídas, na proporção de um para um, em caixas numeradas aleatoriamente que apresentavam características semelhantes. À medida que cada paciente era admitida, uma caixa era aberta e o esquema nela contido administrado à paciente. Resultados: observou-se que, no grupo tratado com sulfato de magnésio, 19,5% das pacientes apresentaram recidiva de convulsões, ao passo que no grupo que usou fenitoína, 36,1% manifestaram novas crises (p<0,05). As pacientes que foram tratadas com sulfato de magnésio apresentaram uma maior prevalência de hemorragia pós-parto (14,7%) que as que utilizaram fenitoína (2,7%) (p<0,05). Em relação aos recém-nascidos, 17,0% do grupo de mães tratadas com sulfato de magnésio apresentaram desconforto respiratório, contra 11,8% no grupo que foi tratado com fenitoína (p>0,05). Conclusões: o sulfato de magnésio mostrou-se mais eficaz que a fenitoína no controle e prevenção da recidiva de convulsões em pacientes com eclâmpsia, embora sua utilização esteja associada a maior prevalência materna de hemorragia pós-parto e desconforto respiratório neonatal. A fenitoína apresenta-se como droga alternativa para o tratamento de eclâmpsia nos casos em que houver contra-indicação ao uso do sulfato de magnésio.

    Abstract in English:

    Purpose: to compare the efficiency between magnesium sulfate and phenytoin in the control of convulsions in patients with eclampsia and to evaluate the effects of magnesium sulfate and phenytoin on the maternal and perinatal prognosis in patients with eclampsia. Methods: this is a prospective, randomized and controlled study in which the results obtained with the use of anticonvulsive treatment in 77 women with eclampsia, treated with either magnesium sulfate or phenytoin, were analyzed comparatively. The drugs which were used in both therapeutic schemes were distributed in a one to one ratio, in randomly numbered boxes which presented similar characteristics. When a patient was admitted, a box was opened and its contents were given to the patient. Results: in the group whose patients were treated with magnesium sulfate, 19.5% had recurrent convulsions while in the group whose patients used phenytoin, 36.1% had new crises (p<0,05). The patients who were treated with magnesium sulfate showed a greater prevalence of postpartum hemorrhage (14,7%) than those to whom phenytoin was administered (2.7%) (p<0.05). In relation to the newborns, 17.0% of the group from mothers treated with magnesium sulfate presented respiratory distress as opposed to the group of newborns from mothers treated with phenytoin (11.8%), (p> 0,05). Conclusion: magnesium sulfate is shown to be more efficient than phenytoin in the control and the prevention of convulsions in patients with eclampsia. However, its utilization showed a higher prevalence of postpartum hemorrhage and respiratory distress. Phenytoin should be used in cases where the use of magnesium sulfate is contraindicated.
  • Avaliação da Freqüência Cardíaca Embriofetal no Primeiro Trimestre da Gestação por meio da Ultra-sonografia Transvaginal com Doppler Colorido e Pulsátil Trabalhos Originais

    Silva, Cláudia Lemos da; Bailão, Luiz Antônio

    Abstract in Portuguese:

    Objetivos: avaliar a evolução da freqüência cardíaca embrio-fetal no primeiro trimestre da gestação e determinar sua curva de normalidade. Pacientes e Métodos: em estudo prospectivo foram avaliadas 206 pacientes com diagnóstico clínico e/ou ultra-sonográfico de gestação no primeiro trimestre, por meio de exame ultra-sonográfico transvaginal com Doppler colorido, utilizando-se equipamento da marca Aloka, modelo SSD-2000, com sonda transvaginal convexa na freqüência de 5,0 MHz, todos realizados por um mesmo examinador. Foi determinada a freqüência cardíaca embriofetal. As pacientes foram divididas em grupos de acordo com a idade gestacional, em intervalos de 0,5 semana a partir da 6ª semana de gestação. Foi avaliada a evolução da gestação mediante realização de exame ultra-sonográfico de rotina no final do 2º e 3º trimestre. Foram calculados as médias e desvios-padrão para cada idade gestacional avaliada. Resultados: foi possível determinar a curva de normalidade para a freqüência cardíaca embriofetal. A média da freqüência cardíaca embriofetal apresentou modificações com a evolução da idade gestacional, variando de 110 ± 14 bpm com 6,0 semanas a 150 ± 12 bpm com 14,0 semanas, compatíveis com as fases do desenvolvimento e maturação funcional cardíaca. Conclusões: a ultra-sonografia transvaginal com Doppler colorido tornou possível a avaliação cardiovascular da gestação inicial, sendo um método não-invasivo e inócuo para o embrião. Os valores determinados poderão ser utilizados em estudos futuros neste período gestacional.

    Abstract in English:

    Purpose: to evaluate the evolution in the embryo heart rate in the first trimester of pregnancy. Patients and Methods: in a prospective study 206 pregnant women were evaluated in the first trimester of pregnancy, by transvaginal color Doppler sonography, using Aloka, SSD-2000 apparatus, with a 5-MHz transvaginal transducer. All examinations were performed by the same examiner, with the determination of embryo heart rate. The patients were classified into groups according to the gestational age, in half-week intervals from the 5th week of pregnancy on. Pregnancy outcome was evaluated by ultrasonography at the end of second and third trimesters. Mean and standard deviation were determined for each evaluated gestational age. Results: it was possible to determine normal values for embryo heart rate. Mean embryo heart rate showed changes with gestational age, ranging from 110 ± 14 bpm at the 6.0th week to 150 ± 12 bpm at the 14.0th week. Conclusions: transvaginal pulsed color Doppler equipment enabled cardiovascular evaluation in early pregnancy, being a noninvasive method and innocuous to the embryo. These values would be useful in new studies on dopplervelocimetry in this period of pregnancy.
  • Avaliação da Vitalidade Fetal em Gestantes Diabéticas: Análise dos Resultados Neonatais Trabalhos Originais

    Yamamoto, Roseli Mieko; Francisco, Rossana Pulcineli Vieira; Miyadahira, Seizo; Banduki Neto, Jorge D.; Zugaib, Marcelo

    Abstract in Portuguese:

    Objetivos: estudar os testes de avaliação da vitalidade fetal em gestantes diabéticas e relacionar com os resultados neonatais. Métodos: estudamos 387 gestantes diabéticas atendidas no Setor de Vitalidade Fetal. O último exame (cardiotocografia, perfil biofísico fetal, índice de líquido amniótico e dopplervelocimetria) foi relacionado com os resultados neonatais. Resultados: a população foi de 46 gestantes diabéticas tipo I (12%), 45 tipo II (12%) e 296 gestacionais (76%). Entre as do tipo I, a cardiotocografia suspeita ou alterada correlacionou-se com Apgar de 1º minuto alterado (50 e 75%; p<0,05) e com a necessidade de UTI neonatal (50 e 75%; p<0,05). Nos casos do tipo II, a necessidade de UTI neonatal foi significativamente maior (p<0,05) entre aqueles com perfil biofísico fetal alterado (67%); a dopplervelocimetria da artéria umbilical anormal correlacionou-se com Apgar de 1º minuto alterado (67%; p<0,05). As diabéticas gestacionais com a cardiotocografia alterada apresentaram Apgar de 1º minuto anormal em 36% (p<0,05), Apgar de 5º minuto anormal em 18% (p<0,01) e óbito neonatal em 18% (p<0,01). As com índice de líquido amniótico alterado correlacionaram-se com Apgar de 5º minuto anormal (p<0,05) e necessidade de UTI neonatal (p<0,05) e as com dopplervelocimetria da artéria umbilical alterada correlacionaram-se (p<0,05) com Apgar de 1º e 5º minuto alterado (respectivamente 25 e 8%), necessidade de UTI neonatal (17%) e óbito neonatal (8%). Conclusões: os resultados anormais nos testes de avaliação da vitalidade fetal correlacionaram-se com os resultados neonatais adversos.

    Abstract in English:

    Purpose: to study the fetal well-being assessment in pregnancies complicated by diabetes, and to analyze the neonatal results. Methods: we studied 387 pregnant women with diabetes at the Fetal Surveillance Unit. The last examination (cardiotocography, fetal biophysical profile, amniotic fluid index and dopplervelocimetry) was correlated with the neonatal outcome. Results: the studied population included 46 (12%) type I diabetes, 45 (12%) type II and 296 (76%) gestational diabetes. Type I diabetes with abnormal or suspected cardiotocography was related to abnormal 1st minute Apgar (50 and 75%, p<0.05) and to the need for neonatal intensive care unit (50 and 75%, p<0.05). The abnormal biophysical profile in type II diabetic pregnancy was related to the need for neonatal intensive care (67%, p<0.05), and abnormal umbilical artery Doppler study was related to abnormal 1st minute Apgar (67%, p<0.05). Gestational diabetes with abnormal cardiotocography presented 36% abnormal 1st minute Apgar (p<0.05), 18% abnormal 5th minute Apgar (p<0.01) and 18% neonatal death (p<0.01). Abnormal amniotic fluid index was related to abnormal 5th minute Apgar (p<0.05) and need for neonatal intensive care unit (p<0.05). Gestational diabetes with abnormal umbilical artery Doppler was related (p<0.05) to: abnormal 1st and 5th minute Apgar, respectively, 25 and 8%, Need for neonatal intensive care in 17% and neonatal death in 8%. Conclusions: the fetal well-being examinations correlated with adverse perinatal outcome, showing the need for fetal surveillance in diabetic pregnant women.
  • Hipertensão Arterial Experimental e Prenhez em Ratas: Repercussões sobre o Peso, Comprimento e Órgãos dos Recém-nascidos Trabalhos Originais

    Dias, Rogério; Trindade, José Carlos Souza; Rudge, Marilza Vieira Cunha

    Abstract in Portuguese:

    Objetivo: estudar as repercussões da hipertensão arterial sobre o peso e comprimento corpóreo e sobre o peso do fígado e do cérebro de recém-nascidos (RN). Métodos: foram utilizadas 82 ratas virgens da raça Wistar em idade de reprodução. Após a indução da hipertensão arterial experimental (modelo Goldblatt I: 1 rim - 1 clipe) as ratas foram sorteadas para compor os quatro grandes grupos experimentais (controle (C), manipulação (M), nefrectomia (N) e hipertensão (H). A seguir, as ratas foram distribuídas por sorteio em 8 subgrupos, sendo quatro grupos prenhes e quatro grupos não-prenhes. Após acasalamento dos quatro grupos prenhes, obtivemos com o nascimento dos recém-nascidos os seguintes grupos: RN-C, RN-M, RN-N e RN-H, respectivamente controle, manipulação, nefrectomia e hipertensão. Resultados: quanto ao peso e comprimento corpóreo dos recém-nascidos observamos que os grupos RN-N e RN-H apresentaram os menores pesos (<IMG SRC="http:/img/fbpe/rbgo/v22n9/12054s1.gif"> = 3,64 ± 0,50 e <IMG SRC="http:/img/fbpe/rbgo/v22n9/12054s1.gif" > ou = 3,37 ± 0,44, respectivamente) e comprimentos (<IMG SRC="http:/img/fbpe/rbgo/v22n9/12054s1.gif"> = 3,89 ± 0,36 e <IMG SRC="http:/img/fbpe/rbgo/v22n9/12054s1.gif" > ou = 3,68 ± 0,32, respectivamente) em relação ao seus controles (<IMG SRC="http:/img/fbpe/rbgo/v22n9/12054s1.gif"> = 5,40 ± 0,51 e <IMG SRC="http:/img/fbpe/rbgo/v22n9/12054s1.gif" > ou = 4,95 ± 0,23, respectivamente). Quanto ao peso do fígado os RN-H apresentaram os menores pesos (<IMG SRC="http:/img/fbpe/rbgo/v22n9/12054s1.gif"> = 0,22 ± 0,03) em relação a todos os demais grupos em estudo, e quanto ao peso do encéfalo os RN-N e RN-H apresentaram os menores pesos (<IMG SRC="http:/img/fbpe/rbgo/v22n9/12054s1.gif"> = 0,16 ± 0,01 e <IMG SRC="http:/img/fbpe/rbgo/v22n9/12054s1.gif" > ou = 0,16 ± 0,05, respectivamente) em relação aos seus controles (<IMG SRC="http:/img/fbpe/rbgo/v22n9/12054s1.gif"> = 0,22 ± 0,04). Conclusão: a hipertensão arterial determinou redução no peso corpóreo, no comprimento, no peso do fígado e no peso do encéfalo dos recém-nascidos.

    Abstract in English:

    Purpose: to study the repercussion of arterial hypertension regarding body weight gain and body length, as well as liver and brain weight of offspring. Methods: a total of 82 animals in reproductive age were used. They were randomly assigned to 4 different groups (control, handled, nephrectomized and hypertensive). Renal hypertension was produced by a controlled constriction of the main left renal artery and contralateral nephrectomy, according to the technique described by Goldblatt (Goldblatt I: one kidney - one clip hypertension). Afterwards, they were distributed among nonpregnant and pregnant groups. The following newborn groups resulted from the pregnant groups: RN-C (control-newborn group of pregnant rats without surgical treatment), RN-M (manipulation-newborn group of the pregnant rats with surgical manipulation), RN-N (nephrectomized-newborn group of pregnant rats with nephrectomy) and Rn-H (hypertensive-newborn group of pregnant rats with hypertension). Results: the RN-N and RN-H groups showed body weight gain (<IMG SRC="http:/img/fbpe/rbgo/v22n9/12054s1.gif"> = 3,64 ± 0,50; <IMG SRC="http:/img/fbpe/rbgo/v22n9/12054s1.gif" > or = 3,37 ± 0,44), body length (<IMG SRC="http:/img/fbpe/rbgo/v22n9/12054s1.gif"> = 3,89 ± 0,36; <IMG SRC="http:/img/fbpe/rbgo/v22n9/12054s1.gif" > or = 3,68 ± 0,32) and brain weight (<IMG SRC="http:/img/fbpe/rbgo/v22n9/12054s1.gif"> = 0,16 ± 0,01; <IMG SRC="http:/img/fbpe/rbgo/v22n9/12054s1.gif" > or = 0,16 ± 0,05), respectively, smaller than the control group (<IMG SRC="http:/img/fbpe/rbgo/v22n9/12054s1.gif"> = 5,40 ± 0,51; <IMG SRC="http:/img/fbpe/rbgo/v22n9/12054s1.gif" > or = 4,95 ± 0,23 and <IMG SRC="http:/img/fbpe/rbgo/v22n9/12054s1.gif" > or = 0,22 ± 0,04, respectively). In addition, the RN-H group showed the lowest liver weight (<IMG SRC="http:/img/fbpe/rbgo/v22n9/12054s1.gif"> = 0,22 ± 0,03) compared with the other three groups. Conclusion: after statistical analysis, the results obtained showed that the arterial hypertension determined a reduction in body weight, body length, and liver and brain weight of the offspring.
  • Freqüência de Neoplasia Intra-epitelial Cervical em Portadoras do Vírus da Imunodeficiência Humana Trabalhos Originais

    Auge, Antonio Pedro Flores; Piato, Sebastião; Frade, Armando Brites; Paes, Roberto Pinto; Moura, Cleide Maria Calmon de; Santos, Alba Lúcia Dias dos; Vaz, Altamir

    Abstract in Portuguese:

    Objetivo: verificar a freqüência de neoplasia intra-epitelial cervical (NIC) em mulheres infectadas pelo vírus da imunodeficiência humana (HIV). Métodos: foram estudadas 99 mulheres HIV-soropositivas; o diagnóstico da infeccão pelo HIV foi realizado por meio de dois testes ELISA, complementados por teste Western blot ou de imunofluorescência indireta. Como grupo controle foram analisadas 104 mulheres que não apresentavam positividade no teste ELISA. Em ambos os grupos o rastreamento de NIC foi realizado por meio da associação de colpocitologia oncológica e colposcopia. Nos casos em que a colposcopia revelou existência de zonas de transformação anormal, o diagnóstico de NIC foi realizado mediante biopsia dirigida, complementada ou não por conização. Resultados: em 15 das 99 pacientes do grupo de estudo (15,2%) foi encontrada neoplasia intra-epitelial cervical, sendo dez casos de NIC I, um de NIC II e quatro de NIC III. Entre as 104 mulheres do grupo controle, quatro (3,8%) eram portadoras de neoplasia intra-epitelial cervical, encontrando-se um caso de NIC I e três de NIC III. Conclusão: a análise comparativa dos resultados evidenciou que a freqüência de neoplasia intra-epitelial cervical foi significantemente mais elevada entre as pacientes infectadas pelo HIV.

    Abstract in English:

    Purpose: to verify the frequency of cervical intraepithelial neoplasia in human immunodeficiency virus (HIV) ¾ infected women. Methods: ninety-nine HIV-seropositive women were studied. The diagnosis of the HIV infection was established through two ELISA tests complemented by Western blot test or indirect immunofluorescence test. As control group, 104 women whose ELISA test was not positive were analyzed. The investigation of cervical intraepithelial neoplasia was achieved by association of Pap smear and colposcopy in both groups. In the cases where colposcopy revealed existence of abnormal transformation zones, NIC diagnosis was obtained through colposcopy-guided biopsy complemented or not by conization. Results: cervical intraepithelial neoplasia was found in 15 of the 99 patients (15.2%), and among them there were ten NIC I, one NIC II and four NIC III. Among the 104 women of the control group, four presented cervical intraepithelial neoplasia (3.8%), one being NIC I and three NIC III. Conclusion: the comparative analysis of the results showed that the frequency of cervical intraepithelial neoplasia was significantly higher among those patients infected with HIV.
  • Análise da Mortalidade Evitável de Mulheres em Idade Reprodutiva Trabalhos Originais

    Parpinelli, Mary Angela; Faúndes, Aníbal; Cecatti, José Guilherme; Pereira, Belmiro Gonçalves; Passini Júnior, Renato; Amaral, Eliana

    Abstract in Portuguese:

    Objetivos: avaliar a mortalidade evitável de mulheres em idade reprodutiva, residentes em Campinas, SP, comparando os qüinqüênios de 1985-89 com 1990-94. Métodos: foram estudadas 3.086 declarações de óbito de mulheres de 10 a 49 anos, que foi o número total de mortes no período de janeiro de 1985 a dezembro de 1994. Foram aplicados os critérios de evitabilidade, segundo medidas preventivas, medidas de diagnóstico e tratamento precoces, medidas de saneamento e medidas mistas. Foram ainda classificadas de causa dificilmente evitável, as mal definidas e as por outras causas. Procedeu-se ao cálculo dos coeficientes de mortalidade específicos para cada período de cinco anos e da razão entre estes coeficientes. Resultados: houve aumento na taxa de mortalidade evitável em 20% na comparação entre os dois períodos. As maiores falhas ocorreram no grupo de causas evitáveis por medidas preventivas e de saneamento. O maior aumento em causa de morte por medidas preventivas foi resultado da AIDS. Dentre as mortes evitáveis por medidas mistas, deve-se ressaltar o aumento de 50% tanto para mortalidade materna por aborto, quanto nas mortes violentas, principalmente homicídios. Conclusões: houve aumento na proporção de mortes por causas evitáveis. Medidas para prevenção da AIDS, do aborto provocado e para redução das mortes violentas, principalmente homicídios, deveriam ser prioridades político-sociais no país.

    Abstract in English:

    Purpose: to evaluate the avoidable mortality among women in reproductive age, living in Campinas, SP, comparing two five-year periods: 1985-89 and 1990-94. Methods: death certificates of 3.086 women aged 10 to 49 years were studied, representing the total number of deaths during the period from January 1985 through December 1994. The criteria for avoidance were applied to these deaths using preventive, sanitary, early diagnosis and treatment, and mixed measures. The deaths were also classified as: with hardly avoidable causes, not well-defined causes and other causes. The specific mortality coefficient for each period of five years and the ratio between these coefficients were calculated. Results: there was a 20% increase in the avoidable mortality rate from the first to the second period. The main failure was observed among the group of avoidable causes by preventive and sanitary measures. The main increase in death causes by preventive measures resulted from AIDS. Among the causes of death avoidable by mixed measures, the increase of 50% in maternal mortality caused by abortion, as well as causes due to violence specially homicides, are emphasized. Conclusion: there was an increase in the proportion of avoidable death causes. Measures to prevent AIDS, abortion and to reduce violent deaths, specially homicides, should be political and social priorities in our Country.
  • Atividade Enzimática da 21-Hidroxilase e da 3beta-Hidroxiesteróide Desidrogenase em Mulheres Hirsutas com e sem Anovulação Crônica Trabalhos Originais

    Lima, Marco Fábio Prata; Baracat, Edmund Chada; Lima, Geraldo Rodrigues de; Pardini, Dolores Perovano; Silva, Cléber Sérgio da; Caetano, Marcos Roberto

    Abstract in Portuguese:

    Objetivos: testar a atividade supra-renal por meio de um estímulo potente sobre sua camada reticular com o intuito de aferir a atividade da 3b-hidroxiesteróide desidrogenase (3beta-HSD) e da 21-hidroxilase (21OH). Métodos: concentrações plasmáticas de 17alfaOH-pregnenolona, 17alfaOH-progesterona, cortisol, progesterona, androstenediona, deidroepiandrosterona (DHEA), sulfato de deidroepiandrosterona (SDHEA) e testosterona livre foram determinadas em 39 mulheres, sendo 13 normais (2 utilizadas como piloto) e 26 com hirsutismo idiopático nos tempos 0, 12 e 24 horas após injeção de ACTH-depot. Resultados: entre as mulheres hirsutas, identificamos respostas que permitem indicar qualquer bloqueio nas diversas etapas da esteroidogênese, conduzindo ao diagnóstico de função supra-renal diminuída em graus leve/moderado. As concentrações de 17aOH-pregnenolona partiram de 2,0 para 24,6 ng/ml, as de cortisol aumentaram de 2,1 para 45,3 e 38,4mig/dL, as de 17alfaOH-progesterona sofreram incremento de 50,7 para 346 e 218 ng/dL e os níveis de progesterona se elevaram de 0,3 para 4,4 e 2,2 ng/ml. Entre os hormônios da camada reticular verificamos aumento do SDHEA de 274,7 para 495,5 e 505,8 ng/dL, os de androstenediona de 1,1 para 4,0 e 4,5 ng/mL, os de testosterona livre de 1,3 para 1,8 e 2,7 pg/mL e os de DHEA de 2,4 para 4,7 e 8,5 ng/mL. Na avaliação individualizada uma paciente revelou defeito de 3beta-HSD e duas outras, provável defeito de 21OH. Conclusões: estes achados sugerem que o teste com ACTH-depot pode ser utilizado para excluir a supra-renal como possível fonte hiperandrogênica em mulheres com hirsutismo, com ou sem anovulação crônica.

    Abstract in English:

    Purpose: to test the adrenal function by a potent stimulus to its reticular layer verifying 3beta-hydroxysteroid dehy-drogenase (3beta-HSD) and 21-hydroxylase (21OH) enzymatic activities. Methods: plasma concentrations of 17alphaOH-pregneno-lone, 17alphaOH-progesterone, cortisol, progesterone, androstenedione, dehydroepiandrosterone (DHEA), dehydroepiandrosterone sulfate (SDHEA) and free testosterone were determined in 39 women, 13 of whom were normal (2 of them used in a pilot study) and 26 had idiopathic hirsutism, 0, 12 and 24 h after injection of ACTH-depot. Results: among hirsute women, we identified different responses that could diagnose any blockage in the steroid pathways leading to the diagnosis of a mild/moderate decreased adrenal function. The 17alphaOH-pregnenolone concentrations varied from 2.0 to 24.6 ng/mL, cortisol values increased from 2.1 to 45.3 and 38.4 mug/dL, 17alphaOH-progesterone levels varied from 50.7 to 346 and 218 ng/mL and progesterone increased from 0.3 to 4.4 and 2.2 ng/mL. Among the reticular layer hormones a rise of SDHEA from 274.7 to 495.5 and 505.8 mg/dL, and of androsterone from 1.1 to 4.0 and 4.5 ng/mL was observed, the levels of free testosterone increased from 1.3 to 1.8 and 2.7 pg/mL and the DHEA levels from 2.4 to 4.7 and 8.5 ng/mL. One patient showed 3beta-HSD deficiency and two others a possible 21OH deficiency. Conclusions: these findings suggest that the ACTH-depot test could be used to exclude the adrenal gland as the possible source of hyperandrogenism in women with idiopathic hirsutism.
  • Mastite por Paracoccidioidomicose: Relato de Caso Relato de Caso

    Chambô Filho, Antônio; Borges, Fabio Leal Laignier; Cintra, Luiz Cálice; Martins, Rubia Mara

    Abstract in Portuguese:

    A paracoccidioidomicose é uma importante micose sistêmica, endêmica na América Latina. A infecção é usualmente adquirida por inalação das partículas do micélio. Na sua maioria são infecções assintomáticas e estão associadas a vários fatores do hospedeiro, como sexo, idade, fatores genéticos, bem como às características do agente infeccioso e sua virulência. Apresentamos um caso de mastite por paracoccidioidomicose, com o objetivo de demonstrar que pacientes idosas e com abcessos na mama devem ser submetidas à biópsia.

    Abstract in English:

    Paracoccidioidomycosis is an important systemic endemic mycosis in Latin America. This infection is usually acquired via inhalation of mycelial particles. Most infected subjects develop an asymptomatic infection, which is associated with various host-related factors such as sex, age, genetic, as well as characteristics of the infecting agent, mainly its virulence. It is a systemic pathology. A case of mastitis due to paracoccidioidomycosis is presented with the objective to demonstrate that elderly patients with a breast abscess should be submitted to biopsy.
  • Valor da Avaliação Propedêutica Objetiva e Subjetiva no Diagnóstico da Incontinência Urinária Feminina: Correlação com a Força Muscular do Assoalho Pélvico Resumos de Teses

    Moreira, Eliane Cristina Hilberath
  • Estudo Comparativo entre a Histopatologia e a Reação em Cadeia da Polimerase para o Diagnóstico do Papiloma Vírus Humano em Lesões do Colo Uterino de Mulheres Infectadas pelo Vírus da Imunodeficiência Humana Resumos de Teses

    Souza, Néli Sueli Teixeira de
Federação Brasileira das Sociedades de Ginecologia e Obstetrícia Av. Brigadeiro Luís Antônio, 3421, sala 903 - Jardim Paulista, 01401-001 São Paulo SP - Brasil, Tel. (55 11) 5573-4919 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: editorial.office@febrasgo.org.br