Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia, Volume: 32, Issue: 4, Published: 2010
  • A interface do Direito com a Medicina Editorial

    Nomura, Roseli Mieko Yamamoto; Miyadahira, Seizo; Zugaib, Marcelo
  • Rabdomiomas cardíacos fetais: análise de cinco casos Artigos Originais

    Carvalho, Sandra Regina Marques; Marcolin, Alessandra Cristina; Cavalli, Ricardo Carvalho; Crott, Gerson Cláudio; Mendes, Maria Célia; Duarte, Geraldo; Berezowski, Aderson Tadeu

    Abstract in Portuguese:

    OBJETIVO: analisar o diagnóstico, evolução e conduta terapêutica em cinco casos de tumores cardíacos primários diagnosticados no período pré-natal. MÉTODOS: no período de Janeiro 1997 a Dezembro 2008, 7.989 gestantes foram submetidas à avaliação ultrassonográfica morfológica fetal devido à presença de fatores de risco para malformações fetais. Foram selecionados os casos com massas hipercogênicas intracardíaca maiores que 1 mm diagnosticados na avaliação ultrassonográfica do coração fetal. O diagnóstico diferencial dos tumores foi realizado segundo as características ultrassonográficas das massas. RESULTADOS: em cinco fetos foram diagnosticadas massas hiperecogênicas intracardíaca correspondendo a uma taxa de prevalência de 0,06%. A idade gestacional variou entre a 28ª e a 36ª semanas (média=31) e a idade materna variou de 23 a 45 anos (média=34,2). A localização mais frequente das massas foi o ventrículo esquerdo (100%). Ecograficamente, todas as massas eram hipercogênicas, homogêneas, únicas ou múltiplas e bem delimitadas, compatíveis com diagnóstico de um rabdomioma. Nos casos em que os diâmetros das massas foram menores que 20 mm, a conduta foi expectante e não houve complicações no período pré-natal. Um caso com tumor de grande volume apresentou arritmia e insuficiência cardíaca na 35ª semana de gestação, sendo indicada a interrupção da gestação. Em 80% dos casos foi observada associação com esclerose tuberosa no seguimento pós-natal. A regressão dos tumores cardíacos ocorreu em três casos (60%) durante um seguimento médio de três anos. Todos os recém-nascidos eram do sexo masculino e sem antecedentes familiares de esclerose tuberosa. CONCLUSÕES: a avaliação ultrassonográfica morfológica fetal é a principal forma de detecção precoce dos tumores cardíacos primários. A avaliação cardíaca fetal é fundamental para a caracterização morfológica diferencial das massas cardíacas e para avaliação funcional cardíaca. Os rabdomiomas são o tipo mais comum de tumor no feto. A conduta pré e pós-natal são expectantes, com baixo risco de complicações, havendo possibilidade de regressão espontânea na maioria dos casos. O seguimento clínico pós-natal é obrigatório devido à frequente associação à esclerose tuberosa.

    Abstract in English:

    PURPOSE: to analyze the differential diagnosis, follow-up and therapeutic approach in five cases of primary cardiac tumors diagnosed during the prenatal period. METHODS: during the period from January 1997 to December 2008, 7989 pregnant women were submitted to morphological ultrasound due to the presence of risk factors for fetal malformations. Fetuses with hyperechogenic intracardiac masses larger than 1 mm diagnosed by ultrasound evaluation of the fetal heart, were selected for study. The differential diagnosis between the different tumor types was made on the basis of the ultrasound characteristics of the masses. RESULTS: five fetuses with hiperechogenic intracardiac masses were diagnosed, corresponding to a 0.06% prevalence rate. Gestational age ranged from 28 to 36 weeks (mean: 31), and maternal age ranged from 23 to 45 years (mean: 34,2). The most frequent location of the masses was the left ventricle (100%). Echographically, all masses were single or multiple, hyperechogenic, homogeneous and well delimited, compatible with a diagnosis of rhabomyoma. In cases in which the diameters of the masses were less than 20 mm, an expectant conduct was followed and no complications occurred during the prenatal period. One case with a huge tumor presented arrhythmia and cardiac insufficiency during the 35 gestational weeks, and the interruption of pregnancy was indicated. Tuberous sclerosis was associated in four cases (80%) and the diagnosis was confirmed during the postnatal follow-up. CONCLUSIONS: fetal morphological ultrasonography is the main form of early detection of primary cardiac tumors. The fetal cardiac evaluation is of fundamental importance for the differential morphological characterization of cardiac masses and for the evaluation of cardiac function. Rhabdomyomas are the most common type of fetal tumor. An expectant pre and postnatal conduct is followed, with a low risk of complications and with the possibility of spontaneous regression in most cases. Postnatal clinical follow-up is mandatory due to the high frequency of associated tuberous sclerosis.
  • Modelo experimental para restrição do crescimento fetal em ratos: efeito sobre o glicogênio hepático e morfometria intestinal e renal Artigos Originais

    Bueno, Márcia Pereira; Barini, Ricardo; Gonçalves, Frances Lilian Lanhellas; Veríssimo, Rilde Plutarco; Sbragia, Lourenço

    Abstract in Portuguese:

    OBJETIVO: avaliar a eficácia do modelo de RCIU por ligadura da artéria uterina simulando insuficiência placentária em ratos. MÉTODOS: fetos de ratas prenhes Sprague-Dawley foram divididos em três grupos: RCIU (restrição de crescimento intrauterino), com fetos submetidos à ligadura da artéria uterina com 18,5 dias de gestação (termo = 22 dias), C-RCIU (controle da restrição), com fetos do corno contralateral à ligadura, CE (Controle Externo), com fetos de ratas sem manipulação. Com 21,5 dias de gestação, foi realizada cesárea, os fetos foram pesados e dissecados para análise morfométrica e histológica do fígado, intestino e rins. RESULTADOS: os dados morfométricos avaliados mostraram o peso corpóreo (PC), hepático (PH) e intestinal (PI) dos fetos com RCIU menor que C-RCIU e CE (p<0,001). O peso placentário (PP), renal (PR) e as relações PH/PC, PI/PC e PR/PC não se alteraram. A espessura renal foi menor nos fetos com RCIU (p<0,001) e houve diminuição da camada mucosa e submucosa intestinal (p<0,05). A avaliação histológica mostrou diminuição do glicogênio hepático nos fetos com RCIU em relação aos grupos C-RCIU e CE. CONCLUSÕES: o modelo descrito foi eficiente e causou RCIU fetal simétrica com diminuição da maioria dos órgãos, especialmente do peso hepático, e alteração nos depósitos de glicogênio.

    Abstract in English:

    PURPOSE: to evaluate the effectiveness of the IUGR model by uterine artery ligation mimicking placental insufficiency in rats. METHODS: sprague-Dawley rat fetuses were divided into three groups: IUGR (intrauterine growth restriction), with fetuses in the right horn of pregnant rats subjected to right uterine artery ligation at 18.5 days of gestation (term = 22 days); C-IUGR (control of restriction), with control fetuses in the left horn, and EC (external control), with fetuses of intact rats. Animals were harvested by cesarean section at day 21.5 days of gestation. Fetuses were weighed and then sacrificed. The intestine, liver, kidney and placenta were weighed and dissected for morphometric and histological analysis. RESULTS: the morphometric data showed decreased body weight (BW), liver weight (LW) and intestinal weight (IW) of fetuses with IUGR compared to C-IUGR and EC (p<0.001). The placental weight (PW), renal weight (RW) and LW/BW, IW/BW, and RW/BW ratios did not change. IUGR fetuses had decreased kidney thickness (p<0.001) and decreased thickness of the intestinal mucosa and submucosa (p<0.05). Histological evaluation showed reduction of liver glycogen storage in fetuses with IUGR compared to C-IUGR and CE. CONCLUSIONS: the model described was efficient and caused symmetric fetal IUGR with decreased size of most organs, especially the liver, and changes in glycogen stores.
  • Indicação de cesarianas em óbito fetal Artigos Originais

    Sampaio, Ânderson Gonçalves; Souza, Alex Sandro Rolland

    Abstract in Portuguese:

    OBJETIVO: determinar os fatores associados à cesariana em gestantes com óbito fetal em uma maternidade-escola de Recife, Pernambuco, Brasil. MÉTODOS: realizou-se um estudo transversal, no qual se analisaram dados do sistema de informação sobre mortalidade e prontuários médicos, de Janeiro de 2005 a Dezembro de 2008, do Hospital Barão de Lucena (HBL). Foram incluídas gestantes com diagnóstico de óbito fetal, apresentando idade gestacional a partir da 20ª semana. As características sociodemográficas, causas e tipos de óbito fetal, antecedentes obstétricos e as características do parto foram as variáveis avaliadas. Na avaliação da associação entre as variáveis, empregaram-se os testes χ2 de associação e exato de Fisher, a um nível de significância de 5%. Calculou-se a razão de prevalência como medida de risco e seu intervalo de confiança (IC) a 95%. Realizou-se, ainda, análise de regressão logística, calculando-se o Odds Ratio (OR). RESULTADOS: das 258 gestantes incluídas com óbito fetal, 27,5% (n=71) submeteram-se a cesariana. Após análise multivariada, os fatores que permaneceram significativamente associados à cesariana foram idade materna abaixo de 20 anos (OR=0,23; IC95%=0,06-0,85), antecedentes de uma ou mais cesarianas (OR=7,02; IC95%=2,29-21,55), gestação múltipla (OR=9,06; IC95%=2,01-40,71), uso de misoprostol para indução do parto (OR=0,07; IC95%=0,01-0,32), óbito fetal ocorrido durante o trabalho de parto (OR=4,01; IC95%=1,13-14,24), baixo peso do feto ao nascer (OR=0,33; IC95%=0,11-0,94), presença de síndromes hipertensivas (OR=3,7; IC95%=1,46-9,39) e descolamento prematuro de placenta (OR=13,9; IC95%=4,67-41,69). CONCLUSÃO: os fatores de risco à cesariana em gestantes com óbito fetal no HBL foram cesariana anterior, gestação múltipla, óbito intraparto, síndromes hipertensivas e DPP, enquanto os fatores protetores foram adolescentes, misoprostol e baixo peso do feto ao nascer.

    Abstract in English:

    PURPOSE: to determine the factors associated with cesarean section in pregnancies with fetal death at a maternity hospital in Recife, Pernambuco, Brazil. METHODS: a cross-sectional study was performed, which analyzed data from the information system about mortality and medical records, from January 2005 to December 2008, of Hospital Barão de Lucena (HBL). We analyzed women with fetal death diagnosis, with gestational age of 20 weeks or more, in terms of sociodemographic characteristics, causes and types of fetal death, obstetrical precedents and birth characteristics. The associations between the variables were analyzed by the χ2 test of association and Fisher exact test, with the level of significance set at 5%. We calculated the prevalence ratio as the measure of risk and the confidence interval (CI) at 95%. Logistic regression analysis was also performed and the Odds Ratio (OR) was calculated. RESULTS: among the 258 pregnant women with fetal death, 27.5% (n=71) underwent cesarean section. After multivariate analysis, the factors that remained significantly associated with cesarean section were maternal age below 20 years (OR=0.23; 95%CI=0.06-0.85), history of one or more cesarean sections (OR=7.02; 95%CI=2.29-21.55), multiple gestation (OR=9.06; 95%CI=2.01-40.71), use of misoprostol for birth induction (OR=0.07; 95%CI=0.01-0.32), fetal death occurring during birth (OR=4.01; 95%CI=1.13-14.24), low birth weight (OR=0.33; 95%CI=0.11-0.94), presence of hypertensive disorders (OR=3.7; 95%CI=1.46-9.39) and abruptio placentae (OR=13.9; 95%CI=4.67-41.69). CONCLUSION: in HBL, the risk factors for cesarean section in pregnancies with fetal death were previous cesarean section, multiple gestation, intrapartum deaths, hypertensive disorders and abruptio placentae. The protective factors were teenage pregnancy, use of misoprostol and low birth weight.
  • Prevalência de infecção por HIV, HTLV, VHB e de sífilis e clamídia em gestantes numa unidade de saúde terciária na Amazônia ocidental brasileira Artigos Originais

    Machado Filho, Amantino Camilo; Sardinha, José Felipe Jardim; Ponte, Rossicléia Lins; Costa, Elenice Pontes da; da Silva, Sabrina Silva; Martinez-Espinosa, Flor Ernestina

    Abstract in Portuguese:

    OBJETIVO: estimar a prevalência de infecção por vírus da imunodeficiência humana (HIV), vírus linfotrópicos de células T humanas (HTLV), vírus da hepatite B (VHB), Chlamydia trachomatis (C. trachomatis) e de sífilis em gestantes, bem como fatores de risco associados a essas infecções, na Fundação de Medicina Tropical do Amazonas (FMTAM). MÉTODOS: foi realizado um estudo transversal incluindo 674 gestantes atendidas consecutivamente da demanda espontânea da FMTAM no período de Março a Setembro de 2008. As informações demográficas, epidemiológicas, socioeconômicas, clínicas e obstétricas foram coletadas em um questionário específico. As pacientes tiveram uma amostra de sangue coletada de veia periférica para a realização de sorologias de HIV, HTLV, hepatite B e sífilis. Foi coletada uma amostra de secreção endocervical para a realização de teste de detecção de antígenos da C. trachomatis. A Odds Ratio foi utilizada para estimar a força de associação entre possíveis fatores de risco e infecção. A análise estatística foi feita com a utilização do teste t de Student, o teste do χ2 e o exato de Fischer. RESULTADOS: a média de idade foi de 23,9 anos (DP 6,3). As prevalências observadas foram de 0,6% para infecção por HIV; 0,7% para o HBsAg; 1% de sífilis e 2,7% para C. trachomati s. Todas as amostras foram negativas para HTLV. Não se evidenciaram variáveis associadas à infecção por HIV, VHB e sífilis. Observou-se associação estatisticamente significativa entre gestantes com idade inferior a 20 anos e de primigestas com infecção por C. trachomatis. CONCLUSÕES: o estudo evidenciou que a prevalência de infecção por HIV nas gestantes atendidas na FMTAM é semelhante aos valores descritos na literatura brasileira, enquanto que as prevalências de HTLV, VHB, sífilis e C. trachomatis na população estudada encontram-se abaixo das encontradas por outros autores. O principal fator de risco para a infecção por C. trachomatis foi ter menos de 20 anos de idade.

    Abstract in English:

    PURPOSE: to estimate the prevalence infection of human immunodeficiency virus (HIV), human T-cell lymphotropic vírus (HTLV), hepatitis B virus (HBV), Chlamydia trachomatis (C. trachomatis) and syphilis in pregnant women, as well as risk factors associated with these infections, in Fundação de Medicina Tropical do Amazonas (FMTAM). METHODS: a cross-sectional study was carried including 674 pregnant women consecutively attended of the spontaneous demand of FMTAM between March and September 2008. Demographic, epidemiologic, socioeconomic, clinical and obstetric information have been collected through specific questionnaires. Patients had blood sample collected by peripheral venous for accomplishment of serological tests of HIV, HTLV, HBV and syphilis. Cervical secretion sample has been collected for C. trachomatis antigens detection test. The Odds Ratio has been used to evaluate risk factors associated to infections. Statistical analysis has been done with the t-Student, χ2 and Fisher's exact tests. RESULTS: the average age was 23.9 years old (SD 6.3). The observed prevalence was 0.6% to infection by HIV; 0.7% by HBsAg; 1.0% of syphilis and 2.7% by C. trachomatis. All the samples went negatives to HTLV. There were no variables associated with infection by HIV, HBV and syphilis. Significative statistically association was observed between pregnant woman with age under 20 years and of first pregnancy with C. trachomatis infection. CONCLUSIONS: the study evidenced that the prevalence infection by HIV in pregnant women assisted in FMTAM is similar to the values described in the Brazilian literature, while the prevalence by HTLV, HBV, syphilis and C. trachomatis in the studied population are below found by other authors. The main risk factor for the infection by C. trachomatis was being under 20 years old.
  • Perfil clínico e epidemiológico de gestantes infectadas pelo HIV em um serviço do sul do Brasil Artigos Originais

    Konopka, Cristine Kolling; Beck, Sandra Trevisan; Wiggers, Denise; Silva, Alexandre Kieslich da; Diehl, Felipe Polgati; Santos, Fernanda Gabriel

    Abstract in Portuguese:

    OBJETIVO: analisar o perfil clínico e epidemiológico, o desfecho da gestação e a transmissão vertical de gestantes infectadas pelo vírus da imunodeficiência humana (HIV) atendidas no pré-natal do Hospital Universitário de Santa Maria (HUSM). MÉTODOS: foi realizado um estudo prospectivo na população de 139 gestantes portadoras do vírus HIV que foram atendidas no Ambulatório de Pré-natal de Alto Risco do HUSM durante o período de agosto de 2002 a agosto de 2007, e que tiveram pelo menos duas consultas de pré-natal neste serviço. A coleta de dados foi efetuada por meio de entrevista e preenchimento do protocolo de pesquisa durante a consulta de pré-natal. O protocolo era mantido anexado ao prontuário da paciente e mantido até o desfecho da gestação. Realizou-se análise descritiva das variáveis quantitativas utilizando-se o programa SPSS versão 15.0. RESULTADOS: dentre as 139 gestantes, a média de idade foi de 25,6 anos (±5,8), 79 (56,8%) eram brancas, 81 (58,5%) eram casadas ou viviam em união estável e 90 (65,0%) tinham menos de oito anos de escolaridade. Cinquenta e um por cento das gestantes já tinham dois ou mais filhos, apresentando número de filhos superior à média estadual. O diagnóstico da infecção foi realizado em gestação atual ou anterior em mais de 70,0% das vezes. Houve exposição sexual em 97,7% e, destas, o parceiro era sabidamente infectado em 59,6%. No período, dos casos adequadamente acompanhados, apenas um recém-nascido (0,7%) contraiu a infecção pelo HIV. CONCLUSÕES: mulheres jovens em situação socioeconômica de vulnerabilidade, com baixa escolaridade e multíparas constituem a maioria da população de gestantes HIV-positivo atendidas no serviço. Avaliações realizadas durante o pré-natal foram relevantes para o diagnóstico da infecção na maioria dos casos. O diagnóstico precoce, associado ao adequado acompanhamento clínico, obstétrico, psicológico e cuidados de enfermagem, são importantes para prover a apropriada adesão ao tratamento e a redução das taxas de transmissão vertical.

    Abstract in English:

    PURPOSE: to analyze the clinical and epidemiological profile, the outcome of pregnancy and the vertical transmission of human immunodeficiency virus (HIV)-infected pregnant women receiving prenatal care at the University Hospital of Santa Maria (HUSM). METHODS: A prospective study was conducted on 139 HIV-infected pregnant women attended at the High-Risk Prenatal Care Outpatient Clinic of HUSM, during the period from August 2002 to August 2007, with at least two prenatal visits in this service. Data were collected by an interview and by filling out a research protocol during a prenatal visit. The protocol was attached to the medical records of the patient and kept until the outcome of gestation. Descriptive analysis of quantitative variables was performed using the SPSS software, version 15.0. RESULTS: The mean age of the 139 pregnant women studied was 25.6 years (±5.8), 79 (56.8%) were white, 81 (58.5%) were married or lived in a stable union, and 90 (65.0%) had less than eight years of schooling. Fifty-one percent of the pregnant women already had two or more children, with a number of children higher than the mean for the state. The infection was diagnosed during the present or a previous pregnancy in more than 70.0% cases. Sexual exposure occurred in 97.0%, and in 59.6% of cases the partner was known to be infected. During the study period, among the cases properly monitored, only one newborn (0.7%) was infected with HIV. CONCLUSIONS: Young women in a socioeconomic situation of vulnerability, with low schooling and multiparous represent the majority of HIV-positive pregnant women attended at the service. Evaluations performed during the prenatal period were relevant for the diagnosis of infection in most cases. An early diagnosis associated with proper clinical, obstetrical and psychological monitoring and with nursing care is important to provide appropriate treatment compliance and a reduction of the rates of vertical transmission.
  • Adesão ao rastreamento mamográfico oportunístico em serviços de saúde públicos e privados Artigos Originais

    Marchi, Ailton Augustinho; Gurgel, Maria Salete Costa

    Abstract in Portuguese:

    OBJETIVO: avaliar a adesão às recomendações para o rastreamento mamográfico oportunístico do câncer de mama. MÉTODOS: estudo prospectivo que acompanhou 460 mulheres na cidade de Taubaté, São Paulo, Brasil, das quais 327 foram atendidas em serviços de saúde públicos e 133 em Serviços privados, durante período de cinco anos após a realização de mamografia índice. Analisamos a prevalência de repetição da mamografia, as taxas de adesão e os fatores preditivos associados ao rastreamento mamográfico vigente. As associações dos desfechos com as variáveis independentes foram estudadas pela obtenção dos riscos relativos (RR) e respectivos intervalos de confiança de 95% (IC95%). O cálculo das razões de prevalência ajustadas foi realizado pela técnica de regressão de COX. RESULTADOS: apesar de mais de 90% das entrevistadas terem repetido pelo menos uma vez o exame de mamografia, a adesão correta às recomendações do rastreamento mamográfico, com a repetição do procedimento a cada 24 meses, revelou taxas muito baixas (ao redor de 30%) na amostra estudada. Os fatores preditivos associados à adesão ao rastreamento mamográfico relacionaram-se com o acesso diferenciado aos serviços de saúde, públicos ou privados (RR=1,77; IC95%=1,26-2,48) e com a presença de rastreio prévio (RR=3,07; IC95%=1,86-5,08). CONCLUSÕES: ocorreu baixa adesão às recomendações do rastreamento mamográfico oportunístico do câncer de mama em ambos os segmentos populacionais estudados.

    Abstract in English:

    PURPOSE: to assess compliance with the recommendations for opportunistic breast cancer screening by mammography. METHODS: 460 women from the town of Taubaté, São Paulo, Brazil, were followed-up prospectively after the index mammography, 327 of them attended by the public health system and 133 by the private system. We evaluated the prevalence of mammography repetition, the adherence rates and predictive factors associated with the current recommendations of mammographic screening. The association of the outcomes with the independent variables was studied by obtaining the risk rates (RR) and the respective 95% confidence intervals (95%CI). The adjusted prevalence rates were calculated by the COX regression model. RESULTS: although more than 90% of the studied women repeated the mammography at least once, the rate of correct compliance with the recommendations of mammographic screening, with repetition of the procedure every 24 months, was low (about 30% of the study sample). The preditive factors associated with compliance with mammographic screening were related to the unequal access to public or private healthcare services (RR=1.77; 95%CI=1.26-2.48) and to previous screening (RR=3.07; 95%CI=1.86-5.08). CONCLUSION: we concluded that compliance with the recommendations of opportunistic mammographic screening for breast cancer was low in both studied population segments.
  • Miomectomia em gestação de segundo trimestre: relato de caso Artigos Originais

    Leite, Guilherme Karam Corrêa; Korkes, Henri Augusto; Viana, Arildo de Toledo; Pitorri, Alexandre; Kenj, Grecy; Sass, Nelson

    Abstract in Portuguese:

    Os leiomiomas uterinos caracterizam-se por doença benigna e são evidenciados em 2 a 3% de todas as gestações normais. Destes, cerca de 10% podem apresentar complicações durante a gravidez. Apresentamos um caso de paciente gestante que procurou o pronto-socorro obstétrico na 17ª semana, queixando-se de fortes dores, apresentava palpação abdominal dolorosa e descompressão brusca positiva. À ultrassonografia, apresentava nódulo de mioma medindo 9,1 x 7,7 cm, foi internada, medicada e devido à piora do quadro, submetida a laparotomia exploradora e miomectomia. O seguimento pré-natal se deu sem mais anormalidades, com resolução da gestação na 39ª semana. O recém-nascido pesou 3.315 g com Apgar 9 e 10. Deve-se sempre tentar o tratamento clínico nesses casos, e intervenções cirúrgicas devem ser consideradas para casos selecionados, principalmente na impossibilidade de tratamentos conservadores ou quando o quadro clínico da paciente exige intervenção imediata. Neste caso, a miomectomia mostrou-se eficaz para complicações obstétricas materno-fetais.

    Abstract in English:

    Uterine leiomyomas are characterized as a benign disease and are observed in 2 to 3% of all normal pregnancies. Out of these, about 10% may present complications during pregnancy. We present a case of a pregnant patient sought emergency obstetric care at the 17th week, complaining of severe pain, presenting with painful abdominal palpation and sudden positive decompression. Ultrasonography revealed a myoma nodule measuring 9.1 x 7.7 cm; the patient was hospitalized and medicated, being also submitted to laparotomy and myomectomy due to worsening of her condition. Prenatal care revealed no further abnormalities, with resolution of gestation at 39 weeks. The newborn weighed 3,315 g, with Apgar scores of 9 and 10. In such cases, clinical treatment should always be attempted and surgery should be considered only in selected cases, mainly in the impossibility of conservative treatment or when the patient's clinical features require immediate intervention. In this case, myomectomy was effective against maternal-fetal obstetric complications.
Federação Brasileira das Sociedades de Ginecologia e Obstetrícia Av. Brigadeiro Luís Antônio, 3421, sala 903 - Jardim Paulista, 01401-001 São Paulo SP - Brasil, Tel. (55 11) 5573-4919 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: editorial.office@febrasgo.org.br