Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia, Volume: 35, Issue: 9, Published: 2013
  • Rastreamento do câncer de mama no Brasil: ainda há tempo para refletirmos Editorial

    Tiezzi, Daniel Guimarães
  • Mortalidade materna em um centro de referência do Sudeste Brasileiro Artigos Originais

    Troncon, Júlia Kefalás; Quadros Netto, Dácio Leonel de; Rehder, Patrícia Moretti; Cecatti, José Guilherme; Surita, Fernanda Garanhani

    Abstract in Portuguese:

    OBJETIVO: Descrever a frequência da mortalidade materna em um hospital de atendimento terciário e avaliar a sua evitabilidade. MÉTODOS: O presente estudo, mediante a análise das mortes maternas ocorridas no período de 1999 a 2010 em uma maternidade de referência de Campinas - Brasil, aborda alguns dos fatores associados, as principais causas de óbito e alguns problemas de estrutura dos serviços de saúde. É um estudo descritivo retrospectivo com avaliação de variáveis sociodemográficas, história clínica e obstétrica das mulheres, além das causas do óbito. RESULTADOS: A maioria dos óbitos maternos ocorreu por causas obstétricas diretas (45%) e evitáveis (36%), em mulheres com gestação pré-termo que tiveram o parto por cesárea (56%) e vários procedimentos de manejo, incluindo transfusão sanguínea, admissão em UTI e necessidade de laparotomia e/ou histerectomia. A transferência de outro hospital esteve associada ao predomínio de causas obstétricas diretas (19 versus 6, p=0,02) e evitáveis (22 versus 9, p=0,01). CONCLUSÃO: A mortalidade materna por causas infecciosas e hipertensivas ainda predomina. Observamos o aumento de causas clínico-cirúrgicas e neoplásicas como causa do óbito em mulheres durante o ciclo grávido puerperal.

    Abstract in English:

    PURPOSE: To describe the prevalence of maternal mortality at a tertiary care hospital and to assessits preventability. METHODS: This study, through the analysis of maternal deaths that occurred during the period from 1999 to 2010 at a reference in Campinas - Brazil, CAISM/ UNICAMP, discusses some of the factors associated with the main causes of death and some structural problems of structure of the health services. It is a retrospective descriptive study with evaluation of sociodemographic variables and the medical and obstetric history of women, and the causes of death. RESULTS: The majority of maternal deaths occurred due to direct obstetric (45%) and avoidable (36%) causes, in women with preterm gestation, who delivered by cesarean section (56%) and received various management procedures, including blood transfusion, ICU admission and need for laparotomy and/or hysterectomy. The hospital transfer was associated with the predominance of direct obstetric (19 versus 6, p=0.02) and avoidable causes (22 versus 9, p=0.01). CONCLUSIONS: We conclude that, despite current advances in Obstetrics, infections and hypertensive disorders are still the predominant causes of maternal mortality. We observed an increase of clinical-surgical conditions and neoplasms as causes of death among women during pregnancy.
  • Predição do parto prematuro: avaliação sequencial do colo uterino e do teste para proteína-1 fosforilada ligada ao fator de crescimento insulina-símile Artigos Originais

    Rolnik, Daniel Lorber; Bittar, Roberto Eduardo; Carvalho, Mário Henrique Burlacchini de; Zugaib, Marcelo; Francisco, Rossana Pulcineli Vieira

    Abstract in Portuguese:

    OBJETIVOS: Averiguar a utilidade da medida do comprimento do colo uterino e do teste para proteína-1 fosforilada ligada ao fator de crescimento insulina-símile (phIGFBP-1), realizados de maneira sequencial, na predição do parto prematuro e a existência de correlação entre os testes. MÉTODOS: Foram submetidos a análise secundária os dados de 101 gestantes assintomáticas com antecedente de prematuridade. A medida ultrassonográfica do comprimento do colo e o teste para phIGFBP-1 foram realizados em paralelo a cada três semanas, entre a 24ª e a 34ª semana. O melhor valor de corte do colo uterino para cada avaliação foi estabelecido por meio de curva ROC, e ambos os testes foram comparados entre si por meio de testes não paramétricos. Foram obtidas a sensibilidade, a especificidade e os valores preditivos de cada teste e da associação dos exames para a ocorrência de parto antes de 37 semanas. RESULTADOS: Houve 25 partos prematuros (24,8%). O comprimento do colo apresentou maior sensibilidade e foi capaz de predizer o parto prematuro em todas as avaliações, com acurácia semelhante em diferentes idades gestacionais. O teste para phIGFBP-1 não foi útil na 24ª semana, porém foi capaz de predizer independentemente a prematuridade na 27ª à 30ª e 33ª semana. A associação dos exames elevou a sensibilidade (81,8%) e o valor preditivo negativo (93,7%) quando comparada à utilização isolada dos testes. O comprimento cervical médio foi menor em gestantes com teste positivo. CONCLUSÕES: Tanto o comprimento cervical quanto o teste para phIGFBP-1 foram capazes de predizer independentemente o parto prematuro, e a associação sequencial de ambos os exames apresentou elevada sensibilidade e alto valor preditivo negativo.

    Abstract in English:

    PURPOSE: To investigate the usefulness of the measurement of cervical length and of the test for phosphorylated insulin-like growth factor binding protein-1 (phIGFBP-1) performed sequentially in the prediction of preterm birth and the correlation between tests. METHODS: We analyzed data from 101 asymptomatic pregnant women with a history of premature delivery. The ultrasound measurement of cervical length and phIGFBP-1 test were performed in parallel every three weeks, between 24 and 34 week. The best cutoff value for each cervical evaluation was established by the ROC curve, and the two tests were compared using nonparametric tests. We determined the sensitivity, specificity and predictive values of each test and of the association of the exams for the occurrence of delivery before the 37th weeks. RESULTS: There were 25 preterm births (24.8%). The cervix length showed the highest sensitivity and was able to predict preterm birth in all evaluations, with similar accuracy at different gestational ages. The test for phIGFBP-1 was not helpful at 24 weeks, but was able to predict prematurity when performed at 27, 30 and 33 weeks. The combination of tests increased the sensitivity (81.8%) and negative predictive value (93.7%) when compared to the separate use of each test. The mean cervical length was lower in women with a positive test. CONCLUSIONS: Both cervical length and the test for phIGFBP-1 were able to predict premature delivery, and sequential combination of both tests showed a high sensitivity and high negative predictive value.
  • Hábitos e costumes de mulheres universitárias quanto ao uso de roupas íntimas, adornos genitais, depilação e práticas sexuais Artigos Originais

    Giraldo, Paulo César; Polo, Renata Colbachini; Amaral, Rose Luce Gomes do; Reis, Virgínia Vieitez; Beghini, Joziani; Bardin, Marcela Grigol

    Abstract in Portuguese:

    OBJETIVO: Descrever as práticas e cuidados com a área genital de mulheres universitárias. MÉTODOS: Estudo analítico descritivo, que analisou os hábitos e costumes de 364 estudantes de uma universidade pública do Estado de São Paulo quanto ao uso de roupas íntimas, piercings corporais, tatuagens, depilação e práticas sexuais. Um questionário com 42 perguntas avaliou as práticas habituais mais comuns das universitárias. Todas as perguntas foram autorrespondidas e os questionários, sem qualquer identificação, foram colocados em urnas lacradas para garantir o sigilo das informações. As respostas foram tabuladas em planilha Microsoft® Excel 2007 para obtenção de análise univariável. RESULTADOS: A média de idade das universitárias estudadas foi de 21 anos (DP±2,7), sendo 84% brancas. Participaram do estudo voluntárias das áreas de biológicas (50%), exatas (29%) e humanas (21%). Observou-se que 61,8% das entrevistadas usam calcinhas de algodão, porém, ao mesmo tempo, 75,4% usam calças jeans apertadas, e que somente 18,4% deixam de usar calcinha para dormir. Apenas uma participante relatou ter piercing genital e nenhuma tinha tatuagem. A maioria das universitárias faz depilação genital, sendo que aproximadamente um terço delas o faz de forma completa. Após depilar, dois terços usam produtos como anti-inflamatórios e/ou hidratantes na região. Apenas 62% usam camisinha masculina e 17,6% lubrificante na relação sexual. Metade pratica sexo oral receptor; 17,9% sexo anal e 26,6% delas relatam ter dor no ato sexual. Corrimento vaginal foi relatado após a relação sexual em 25,6% dos casos. CONCLUSÃO:Mulheres jovens de universidade pública brasileira têm muitos hábitos inadequados de cuidados relacionados à sua área genital. Não costumam usar piercings ou tatuagens genitais, mas relatam ter dor no ato sexual e corrimento vaginal após o sexo em um grande número de casos.

    Abstract in English:

    PURPOSE: To describe the practices and care with the genital area of female college students. METHODS: A descriptive analytical study evaluated the habits and traditions of 364 students from the University of Campinas (Unicamp) regarding the use of underwear, body piercings, tattoos, hair removal and sexual practices. A questionnaire with 42 questions assessed the most current practices among female college students. All questions were self answered and the questionnaires, without any identification, were placed in sealed ballot boxes to ensure the confidentiality of information. The responses were tabulated in Microsoft® Excel 2007 to obtain univariate analysis. RESULTS:The mean age of the college students in the study was 21 years (SD±2.7), and 84% were white. The volunteers who participated in this study were from the biological science area (50%), the exact science area (29%) or the humanity area (21%). It was observed that 61.8% of the respondents wear cotton panties, but at the same time 75.4% wear tight jeans, and only 18.4% wore no panties when sleeping. Only one participant reported having had genital piercing and none of them reported tattooing. Most female college students do genital waxing, and approximately 1/3 of them do so completely. After hair removal, 2/3 apply an anti-inflammatory and/or moisturizer to the region. Only 62% use condoms and 17.6% use a lubricant during intercourse. Half of them receive oral sex, 17.9% practice anal sex and 26.6% of them report feeling pain during sexual intercourse. Vaginal discharge after intercourse was reported in 25.6% of the cases. CONCLUSION:Young female college students from Brazilian public universities have many inadequate care habits related to their genital area. They do not use genital piercing and tattoos, but report having pain during sexual intercourse and vaginal discharge after sex in a large number of cases.
  • Hofbauer cells morphology and density in placentas from normal and pathological gestations Original Articles

    Grigoriadis, Charalampos; Tympa, Aliki; Creatsa, Maria; Bakas, Panagiotis; Liapis, Angelos; Kondi-Pafiti, Agathi; Creatsas, Georgios

    Abstract in Portuguese:

    OBJETIVO: Em placentas de gestações sem complicações, as células de Hofbauer desaparecem ou se tornam raras após o quarto ou quinto mês de gestação. Entretanto, a imunohistoquímica revela que uma alta porcentagem de células estromais pertencem às células de Hofbauer. O objetivo do presente estudo foi investigar as alterações da morfologia e densidade das células de Hofbauer em placentas de gestações normais e patológicas. MÉTODOS: Foram examinadas 70 placentas: 16 provenientes de gestações normais a termo, 10 de abortos espontâneos no primeiro trimestre, 26 de casos diagnosticados como anormalidade cromossômica do feto, e amostras de tecido placentário com complicações causadas pela restrição de crescimento intrauterino (8) ou pelo diabetes mellitus gestacional (10). Cortes corados com hematoxilina-eosina (HE) foram submetidos a estudo histológico e imunohistoquímico utilizando-se os seguintes marcadores: CD 68, lisozima, antiquimotripsina A1, CK-7, vimentina, e Ki-67. RESULTADOS: Em gestações normais a termo, o estudo HE revelou células de Hofbauer em 37,5% dos casos, enquanto a imunohistoquímica as revelou em 87,5% dos casos. Em abortos do primeiro trimestre e em casos de diagnóstico prenatal de anormalidades cromossômicas fetais, tanto o estudo básico como o estudo imunohistoquímico foram positivos para células de Hofbauer. Em gestações complicadas pela restrição de crescimento intrauterino ou pelo diabetes mellitus gestacional, imunoreação positiva foi observada respectivamente em 100 e 70% dos casos. CONCLUSÕES: As células de Hofbauer estão presentes nos vilos placentários durante a gestação, embora com densidade progressivamente reduzida. O marcador mais específico para sua detecção parece ser a antiquimotripsina A1. Vale salientar que atividade mitótica de células de Hofbauer não foi detectada em nosso estudo, uma vez que o marcador de multiplicação celular Ki-67 foi negativo em todas as amostras examinadas.

    Abstract in English:

    PURPOSE: In placentas from uncomplicated pregnancies, Hofbauer cells either disappear or become scanty after the fourth to fifth month of gestation. Immunohistochemistry though, reveals that a high percentage of stromal cells belong to Hofbauer cells. The aim of this study was to investigate the changes in morphology and density of Hofbauer cells in placentas from normal and pathological pregnancies. METHODS: Seventy placentas were examined: 16 specimens from normal term pregnancies, 10 from first trimester's miscarriages, 26 from cases diagnosed with chromosomal abnormality of the fetus, and placental tissue specimens complicated with intrauterine growth restriction (eight) or gestational diabetes mellitus (10). A histological study of hematoxylin-eosin (HE) sections was performed and immunohistochemical study was performed using the markers: CD 68, Lysozyme, A1 Antichymotrypsine, CK-7, vimentin, and Ki-67. RESULTS: In normal term pregnancies, HE study revealed Hofbauer cells in 37.5% of cases while immunohistochemistry revealed in 87.5% of cases. In first trimester's miscarriages and in cases with prenatal diagnosis of fetal chromosomal abnormalities, both basic and immunohistochemical study were positive for Hofbauer cells. In pregnancies complicated with intrauterine growth restriction or gestational diabetes mellitus, a positive immunoreaction was observed in 100 and 70% of cases, respectively. CONCLUSIONS: Hofbauer cells are present in placental villi during pregnancy, but with progressively reducing density. The most specific marker for their detection seems to be A1 Antichymotrypsine. It is remarkable that no mitotic activity of Hofbauer cells was noticed in our study, as the marker of cellular multiplication Ki-67 was negative in all examined specimens.
  • Perfil metabólico em mulheres de diferentes índices de massa corporal com síndrome dos ovários policísticos Artigos Originais

    Sousa, Rosângela Maria Lopes de; Chein, Maria Bethânia da Costa; Silva, Diego Salvador Muniz da; Dutra, Maysa Baldez; Navarro, Paula Andrea de Albuquerque Salles; Figueiredo Neto, José Albuquerque de; Brito, Luciane Maria Oliveira

    Abstract in Portuguese:

    OBJETIVO: Caracterizar e comparar variáveis clínicas, antropométricas e bioquímico-metabólicas de pacientes com síndrome dos ovários policísticos (SOP), estratificadas segundo o índice de massa corpórea (IMC). MÉTODOS: Estudo transversal com 78 mulheres entre 18 e 45 anos com diagnóstico de SOP, pelos Critérios de Rotterdam. As pacientes foram estratificadas segundo o IMC. As variáveis analisadas foram: idade, estado civil, sedentarismo, irregularidade menstrual, pressão arterial (PA), medidas antropométricas, perfil lipídico, glicemia em jejum e dosagens hormonais. Para comparar as variáveis analisadas entre os diferentes IMC, usou-se a Análise de Variância e o Teste de Kruskal-Wallis. O nível de significância para todos os testes foi de 5%. RESULTADOS: As pacientes apresentaram média de idade de 26,3 anos, sendo 79,5% classificadas como sedentárias e 68% com hiperandrogenismo. A circunferência da cintura, a Razão cintura/quadril, a Razão cintura/estatura e a porcentagem de gordura corporal foram maiores no grupo de obesas. A presença de marcadores de risco cardiovascular (RCV - glicemia de jejum, PA sistólica e diastólica e LDL-colesterol) foi diretamente proporcional ao IMC, enquanto que os níveis de HDL-colesterol e SHBG foram inversamente proporcionais ao IMC. CONCLUSÃO: A presença de marcadores de RCV aumentou proporcionalmente ao IMC, evidenciando que o perfil metabólico das mulheres obesas com SOP é mais desfavorável do que n não obesas.

    Abstract in English:

    PURPOSE: To characterize and compare clinical, anthropometric and biochemical-metabolic variables in patients with polycystic ovary syndrome (PCOS), stratified according to body mass index (BMI). METHODS: A cross-sectional study conducted on 78 women aged 18 to 45 years with a clinical diagnosis of PCOS by the Rotterdam criteria. Patients were stratified according to BMI. The variables analyzed were: age, marital status, physical inactivity, menstrual irregularity, blood pressure (BP), anthropometric measurements, lipid profile, fasting glucose, and hormone measurements. To compare the variables between the different BMI values we used analysis of variance and the Kruskal-Wallis test. The level of significance was set at 5% for all tests. RESULTS: The patients had a mean age of 26.3 years, 79.5% of them were sedentary and 68% had hyperandrogenism. Waist circumference, waist/hip ratio, waist/height ratio and percentage of body fat were higher in the obese group. The markers of cardiovascular risk (CVR - fasting glucose, systolic and diastolic BP and LDL-cholesterol) were directly proportional to BMI, whereas HDL-cholesterol and SHBG were inversely related to BMI. CONCLUSION: The presence of markers of CVR factors increased proportionally to BMI, indicating that the metabolic profile of obese women with PCOS is more unfavorable than that of non-obese patients.
  • Variabilidade da frequência cardíaca como método de avaliação do sistema nervoso autônomo na síndrome dos ovários policísticos Artigo de Revisão

    Sá, Joceline Cássia Ferezini de; Costa, Eduardo Caldas; Silva, Ester da; Azevedo, George Dantas

    Abstract in Portuguese:

    A síndrome dos ovários policísticos (SOP) é uma condição endócrina que está associada a diversos fatores de risco cardiometabólico, tais como obesidade central, resistência à insulina, diabetes tipo 2, síndrome metabólica e hipertensão arterial. Esses fatores estão associados à hiperatividade adrenérgica, que é um importante fator prognóstico para o desenvolvimento de distúrbios cardiovasculares. Nos últimos anos, diante das alterações cardiometabólicas comuns na SOP, estudos têm investigado o controle autonômico cardíaco dessas pacientes, principalmente empregando-se a variabilidade da frequência cardíaca (VFC). Nesse sentido, nesta revisão, discorreremos sobre os achados recentes dos estudos que buscaram investigar a VFC em mulheres com SOP, assim como os métodos não invasivos de análise do controle autonômico a partir de índices básicos relacionados a essa metodologia de investigação.

    Abstract in English:

    Polycystic ovary syndrome (PCOS) is an endocrine disorder associated with several cardiometabolic risk factors, such as central obesity, insulin resistance, type 2 diabetes, metabolic syndrome, and hypertension. These factors are associated with adrenergic overactivity, which is an important prognostic factor for the development of cardiovascular disorders. Given the common cardiometabolic disturbances occurring in PCOS women, over the last years studies have investigated the cardiac autonomic control of these patients, mainly based on heart rate variability (HRV). Thus, in this review, we will discuss the recent findings of the studies that investigated the HRV of women with PCOS, as well as noninvasive methods of analysis of autonomic control starting from basic indexes related to this methodology.
  • Gunshot wound to the pregnant uterus: case report Case Report

    Osnaya-Moreno, Humberto; Zaragoza Salas, Tahitiana Abelina; Escoto Gomez, Jorge Armando; Mondragon Chimal, Marco Antonio; Torres Castaneda, Maria De Lourdes; Jimenez Flores, Mauro

    Abstract in Portuguese:

    Crime e violência tornaram-se um problema de Saúde Pública. As mulheres grávidas não constituem exceção e ferimentos por arma de fogo ocupam um lugar importante como causa de trauma. Um fato importante é que as mulheres grávidas que sofrem um trauma são pacientes especiais, porque a gravidez provoca modificações fisiológicas e anatômicas importantes. O manejo dessas pacientes deve ser multidisciplinar, realizado pelo cirurgião geral, pelo obstetra e pelo neonatologista. No entanto, até mesmo centros de referência de trauma poderiam nem ter o pessoal nem a formação ideal para esses casos específicos. Neste contexto, apresentamos o seguinte caso.

    Abstract in English:

    Crime and violence have become a public health problem. Pregnant women have not been the exception and gunshot injuries occupy an important place as a cause of trauma. An important fact is that pregnant women, who suffer trauma, are special patients because pregnancy causes physiological and anatomical changes. Management of these patients should be multidisciplinary, by the general surgeon, the obstetrician and the neonatologist. However, even trauma referral centers could neither have the staff nor the ideal training for these specific cases. In this context we present the following case.
Federação Brasileira das Sociedades de Ginecologia e Obstetrícia Av. Brigadeiro Luís Antônio, 3421, sala 903 - Jardim Paulista, 01401-001 São Paulo SP - Brasil, Tel. (55 11) 5573-4919 - Rio de Janeiro - RJ - Brazil
E-mail: editorial.office@febrasgo.org.br