Morfologia social e contextualização topográfica: a micro-história de Edoardo Grendi

Social Morphology and Topographical Contextualization: the Microhistory of Edoardo Grendi

Matteo Giuli Sobre o autor

RESUMO

A micro-história italiana é geralmente conhecida como o produto dos ensinamentos de Giovanni Levi e Carlo Ginzburg, considerados seus pais fundadores. A figura de Edoardo Grendi é menos conhecida, sobretudo fora da Europa, e seu papel na formulação da proposta micro-histórica é até subestimado, apesar de ele ter sido, talvez, seu mais precoce teorizador. Graças à sua atenção aos problemas historiográficos internacionais e ao seu interesse pelas ciências sociais, Grendi se destacou como uma figura não convencional no contexto acadêmico do seu tempo, provocando um debate fecundo e também polêmico. É possível colocar sua lição, portanto, no mesmo plano das de Levi e Ginzburg, independentemente da separação entre micro-história social e cultural, no âmbito da qual elas foram inseridas. Esses três historiadores, de fato, protagonizaram a mesma batalha, que visava esclarecer as possibilidades e os limites do conhecimento do passado.

Palavras-chave:
morfologia; contextualização; micro-história

Associação Nacional de História - ANPUH Av. Professor Lineu Prestes, 338, Cidade Universitária, Caixa Postal 8105, 05508-900 São Paulo SP Brazil, Tel. / Fax: +55 11 3091-3047 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: rbh@anpuh.org