Trabalhos científicos em TMO: Apresentações Orais

Scientific works in BMT: Oral presentations

Trabalhos científicos em TMO – Apresentações Orais

Scientific works in BMT – Oral presentations

TO-01

FOTOFÉRESE EXTRACORPÓREA COM UVADEXâ NO TRATAMENTO DA DECH CRÔNICA. IMPLANTAÇÃO DO MÉTODO NO BRASIL E ANÁLISE PRELIMINAR

Bouzas. LF., Motta, I.J.F., Blito, S.M., Silva, M.M., Filgueira, A.L, Diamond, H.R., Vasconcelos, Z., Guadagnino, M.C.M., Tabak, D.G. CEMO - INCA; Setor de Fotodermatologia - Curso de Pós-Graduação em Dermatologia - HUCFF/UFRJ, Rio de Janeiro – RJ

O objetivo principal deste estudo é demonstrar a segurança e eficácia clínica do tratamento com fotoférese extracorpórea (FE) com UVADEX (8-metoxipsoraleno, 8-MOP) em pacientes com DECH-cr resistente à terapia convencional com ciclosporina e Prednisona. Apresentamos os resultados preliminares de 3 pacientes que foram incluídos neste estudo no período de nov/00 a mai/01. Dois pacientes com leucemia mielóide crônica e um com mieloma múltiplo apresentaram DECH-cr mucocutânea progressiva com alterações esclerodermóides e liquenóides resistentes a pelo menos três imunossupressores. Foi utilizado o sistema Therakos de fotoférese com administração de 8-MOP na bolsa do concentrado de leucócitos. O acesso venoso foi periférico em todos os pacientes. O tratamento inclui sessões de fotoférese de 2 dias consecutivos, semanalmente nas primeiras 5 semanas, e 2 dias consecutivos bi-semanalmente num total de 16 semanas. Foram realizados exames clínico - laboratoriais na inclusão do estudo, com 12 sessões realizadas, e ao final do tratamento, bem como fotografias e histopatologia de pele. A imunossupressão foi mantida durante as primeiras semanas e então iniciada a redução. Dos 3 pacientes submetidos à FE, 1 foi excluído do estudo após 12 sessões de tratamento devido ao surgimento de segunda neoplasia, porém já demonstrando melhora clínica cutânea. Um paciente se encontra em remissão clínica parcial, com melhora do turgor da pele após 12 sessões, e o outro encerrou o protocolo, tendo completado 26 sessões de tratamento com melhora importante do quadro de esclerose cutânea. Não foram observados efeitos adversos agudos ao tratamento. Trata-se de um método promissor no controle da DECH-cr e com aplicações em outras condições clínicas que se relacionem a atuação do linfócito T como a DECH aguda e o linfoma de células T cutâneo. Há necessidade de treinamento e conhecimento apurado do equipamento e das indicações para inclusão no protocolo. O método é seguro, sem efeitos colaterais significativos, porém a seleção de pacientes deve levar em consideração a tolerância à aférese e o acesso venoso

TO-02

EFEITO BENÉFICO DA XILOCAÍNA ENDOVENOSA NA GVHDc CUTÂNEA PÓS-INFUSÃO DE LINFÓCITOS ALOGÊNICOS (DLI)

Voltarelli JC, Ahmed H, Paton EJA, Stracieri ABPL, Holman P, BasheyA, Coutinho M, Simões BP, Ball ED, Carrier E.

Unidades de TMO do HC-Ribeirão Preto-USP e da UC-San Diego, La Jolla, EUA.

Relatamos abaixo dois casos de GVHD crônica pós-TMO HLA-idêntico e DLI, em que a infusão EV de xilocaína (pulsos mensais de 400 mg/d x5) produziu acentuada regressão das lesões cutâneas. Esta terapia tem sido usada com sucesso na esclerodermia. 0 1o caso, de um paciente masc/11a, transplantado no HCRP em Set/95 por leucemia bifenotípica, com recaída hematológica no D+530, apresentou GVHDc de pele, fígado e pulmões após 2 ciclos de DLI mais IFN/IL-2. As lesões cutâneas melhoraram nitidamente após o 1o pulso de xilocaí-na e as contraturas articulares regrediram nos cotovelos (33%), punhos (44%) e joelhos (21%) após 4 pulsos, mas o paciente foi a óbito no D+1473 por nova recaída e GVHD pulmonar. O 2o paciente, fem/20a, transplantado em Mar/93 na UCSD por LMC-FC, teve recaída hematológica no D+1350, recebeu um ciclo de DLI + IFN e surgiu GVHDc de fígado e de pele, extensa e refratária a imunossupressão e PUVA. Recebeu 26 pulsos de xilo-caína a partir do D+1920, reduzindo dramaticamente dores abdominal e de MMII e clareando lesões esclerodérmicas da face (100%), pescoço (80%), mãos (100%), braços (40%), pernas (60%) e abdômen (20%). Continua recebendo 400 mg de xilocaína 2x/ mês. Esta forma de terapia, praticamente isenta de efeitos colaterais, parece ter efeitos vasodilatadores e anti-inflamatórios. Pela ação demonstrada nestes dois casos e em centenas de pacientes com esclerodermia auto-imune, merece um ensaio clínico em GVHDc cutâneo pós-TMO ou DLI.

TO-03

O USO DE BASILIXIMAB - UM ANTAGONISTA DO RECEPTOR DE INTERLEUCINA-2 (IL2) , COMO TRATAMENTO PARA DOENÇA DO ENXERTO CONTRA HOSPEDEIRO AGUDA REFRATÁRIA .

Moreira,V.A.; Medeiros, C.R.; Pasquini,R.;Bonfim, C.; Curitiba-PR

Introdução: O Basiliximab (Bmab) é um anticorpo(ac) monoclonal que se liga com alta afinidade e especificidade à cadeia alfa do receptor de IL2 em linfócitos T ativados. O bloqueio deste receptor impede a ativação da proliferação e diferenciação linfocitária que resulta em DECH. Relatamos o uso deste ac no tto de DECH aguda (DECH-a) refratária.Pacientes e Métodos: Dezoito pacientes (ptes) com DECH-a grau III / IV, refratária a ctc (2-5mg/kg/d) e csa por 7-70 d (mediana 17d), receberam Bmab entre Dez/98 e Jun/01. Doze ptes foram estudados retrospectivamente e usaram 20 mg de Bmab 12/12 horas 1 x sem / 2 sem. Crianças usaram metade desta dose. Seis ptes pertenciam a um estudo prospectivo não ramdomizado e usaram a mesma dose por 3 sem, após 7 d de uso de ctc s/ resposta. ldade:2-38 a (mediana 17a); M:F = 9:9; transplantes não consanguíneos: 12; transplantes consanguíneos: 6. Diagnósticos: LMA(3 ptes), LLA (3 ptes ), SMD (2 ptes), LMC (6 ptes), outros (4 ptes). Órgãos alvo: pele + intestino (9 ptes), pele + intestino + fígado (6 ptes), pele + fígado (2 ptes), apenas pele (1 pte). Primeira administração do ac : 19-256 d após TMO (mediana 49 d). Resultados: Taxa global de resposta (RG) : 61 % (7 ptes com RC e 4 ptes com RP); 5 ptes (27%) sem resposta(SR) ; 2 ptes (11%) não avaliados por óbito precoce. Órgão alvo: PELE:17/18 ptes RC (94%); INTESTINO: 6 RC(40%) e 4 RP(26%); FÍGADO: 1 RC (12%); 3 RP (38%). Tempo para resposta : 24-264 h; duração da resposta : 3 -28 sem (mediana 5). Não houve eventos adversos durante a infusão do ac. Oito ptes (44%) estão vivos, 6 deles sem DECH. Quatro ptes recaíram e foram resgatados com outros ttos (ctc, azatioprina, MMF+ctc + PUVA, Bmab). Causas de morte: Infecção por CMV (3 ptes), infecção fúngica (3 ptes) e sepse (5 ptes). Entre os 6 últimos ptes, houve 4 RC (pele+intestino) 1 RP (pele + fígado) e 1 SR (apenas pele), com uma taxa de RG de 83% e RC de 66%.Conclusão: Bmab é uma medicação segura, e pode ser usada no tratamento de DECH aguda refratária. Sua utilização precoce parece favorecer a resposta clínica, sendo no entanto necessários maior número de ptes e tempo de observação.

TO-04

RESULTADOS DAS COLETAS DE CÉLULAS TRONCO HEMATOPOIETICAS PERIFÉRICAS (CTHP), BASEADO NA DOSAGEM DE CD34+ NO SANGUE PERIFÉRICO .

Araújo A ., Tagliari C., Almeida P., Wendel R., Queiroz S.,Cavalcanti P., Simões R., Souto Maior P., Florêncio R., Dias E., Lins M., Matias K., Ostronoff M, IHENE-INSTITUTO DE HEMATOLOGIA DO NORDESTE- REAL TMO - Serviço de Hematologia e TMO - Real Hospital Português - Recife-PE.

A dosagem de CD34+ periférico tem permitido definir o momento ideal para a coleta de CTHP otimizando o rendimento da citaferese como demonstrado pela equipe do Hospital Sírio Libanês-SP (journal of Hematotherapy Vol.08, Nº03, Págs.255à262,jun/1999). Em 38 procedimentos realizados em 15 pcts no período de maio/2000 a abril/2001 iniciamos a coleta de CTHP quando o valor mínimo de CD34+ no sangue periférico era 10 cél/ml. A contagem de CD34+ no sangue periférico e na coleta foi realizada por citometria de fluxo. As coletas foram realizadas para TMO autólogo. Dos 15 pcts, 07 fem e 08 masc, com idade média de 50(20-70) anos. Com o diagnóstico de Mieloma Múltiplos 06; Leucemia Mielóide Crônica = 03 ; Leucemia Mieloide Aguda= 02; Síndrome de Richter= 01; Linfoma = 01 ; Dç.Hodking=01; CA de mama=01. Foi administrado tratamento alquilante prévio em 5 pcts com Mieloma Múltiplo, e os demais pcts estavam em situação de resgate terapêutico, exceto LMC e CA de mama. Todas as coletas foram realizadas com estimulação tipo Qt+GCSF. O cateter utilizado foi do tipo Hickman aférese. O objetivo da aférese era atingir 5.0x106CD34+ no produto. Os equipamentos utilizados foram COBE Spectraâ e CS3000 BAXTERâ. O tempo médio das coletas foi 3:30hs e o fluxo variou de 40-60 ml/min para processar 3,5 volemias. O anticoagulante utilizado foi ACD na proporção de 1:10 a 1:14. Os pcts tinham avaliação clínica, hematológica e bioquímica antes de cada aférese: se Hb<10g/dl ou Plaquetas<50.000/mm3 eram realizadas transfusões irradiadas e filtradas. A tolerância dos pcts a coleta foi em geral excelente. Observamos em 10% dos casos formigamento perioral e parestesias. O acesso venoso foi adequado, porém em 02 pcts tivemos que associar punção venosa periférica para atingir o fluxo desejado. A dosagem de CD34+ no sangue periférico antes da coleta mostrou =33 (10-366)cél/ml. Por coleta obtivemos = 2.37x106 0.34- 51.14x106) CD34+. Foi coletado por pct =2.75x106( 0.4-22.0x106)CD34+. Em todos os pcts foi possível obter na 2ª coleta consecutiva valores superiores a 5.0X106 CD34+ e 5.0x108 Células Mononucleares. A dosagem de CD34+ no sangue periférico > 10 cél/ml foi um bom guia para iniciar CTHP.

TO-05

Transplante de células de cordão umbilical congeladas e preservadas com HES, DMSO e albumina em congelador mecânico a - 80ºC.

Nelson Hamerschiak, Andreza Feitosa Ribeiro, Eurípides Ferreira, Nydia Bacal, Luciana Marti.Orlando Costa Ferreira, Jacyr Pasternak.

Hospital Israelita Albert Einstein

A maioria das técnicas descritas para criopreservação de sangue de cordão umbilical inclue o uso de congeladores programados e DMSO na concentração de 10%; Estudamos a criopreservação de células de cordão umbilical utilizando DMSO a 5%, HES 6% e albumina com congelamento simples em freezer mecânico a - 80ºC. Foram coletadas e congeladas 20 unidades de cordão com um volume médio de 83 ml (50-150), 11,4x10E8 células totais com 5,3x 10E6(5-26) células CD34(2,0-22,6). A viabilidade foi testada pelo azul de Trypan, em média 99%(75-100%). As células foram descongeladas com tempos variáveis de 2 a 29 meses. Amostras para quantificação de CD34, testes de viabilidade, CFU-GM e BFU-GM foram coletadas após descongelamento e lavagem das células. A viabilidade foi de 97% (75-100%), a contagem de células totais 2,3x10E8 com 72% de células CD34 por amostra. Os resultados do CFU-GM e BFU-GM realizados em 16 das 20 células foram respectivamente 24,6x10E5 e 19,2x10E5 por bolsa. Duas das unidades foram transplantadas em uma criança com neuroblastoma e outra com LLA. Houve "pega" em ambos os transplantes e a sobrevida destas pacientes é de 3 e 5,2 anos respectivamente. Nossa conclusão é que a preservação com DMSO 5%, HES 6% e albumina em congelador mecânico permite a conservação adequada de células de cordão umbilical.

TO-06

FATORES PREDITIVOS PARA A MOBILIZAÇÃO E COLETA DE CÉLULAS PROGENITORAS PERIFÉRICAS HEMOPOIÉTICAS (CPP) EM MALIGNIDADES HEMATOLÓGICAS

Marques Jr, JFC: Vigorito, AC; Aranha FJP; Oliveira, GB; Miranda, ECM; Lorand-Metze, l; Roveri EG; De Souza, CA.: Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP - São Paulo, Brasil.

Objetivo: Identificar fatores preditivos relacionados à mobilização e coleta de CPP, em pac c/ malignidades hematológicas. Pacientes e Métodos: De 01/98 a 08/1999, 41 pac (26M/15F), m = 35 anos (12 - 59), foram submetidos à mobilização e coleta de CPP, c/ total de 115 aféreses. Os diagnósticos foram: LNH: 21(51,2%); DH: 15(36,6%); LMC: 2(4,9%); e MM: 3(7,3%). Foram mobilizados c/ Ciclofosfamida (CY) 4 ou 7g/m2, VP-16 2g/m2, "DHAP" ou "Mini-lce"), mais G ou GM-CSF, e as aféreses iniciaram qdo os leucócitos emergiram para 1,0x109/L, para coletar o mínimo de 5x106 CD34+/Kg. Foram analisadas as variáveis: idade, diagnóstico, QT de mobilização, fator de crescimento, QT e RT prévia, recup leucocitária após QT de mobilização e Nº de aféreses necessárias. A análise estatística utilizou métodos descritivos, ajuste pela Gaussiana (tipo "goodness of fit"), análise univariada e multivariada (ANOVA), correlação de Pearson e análise de regressão com curva Gaussiana bivariada. Resultados: A mediana de aféreses/pac foi 3 (1-6), a de dias para leucócitos emergirem para 1,0x109/L foi 12 (7-19), e a de céls CD34+ coletadas foi 6,19x106 (0,22-33,78), A mediana da eficiência de coleta das céls CD34+ foi 60,1% (2,40-326,79). Em 11 pac (26,8%), não foi coletado o desejado de céls CD34+. Os pac mobilizados c/ CY 4g/m2, apresentaram recup leucocitária mais rápida (p=0,03) e menor Nº de aféreses, coletou mais céls CD34+ (p=0,04). Na análise multivariada (ANOVA), quando testamos a variável "dias de recup leucocitária", obtivemos correlação linear dos preditores "Nº de aféreses" e "tipo de QT de mobilização" (coef 0,86 e 0,95, respectivamente). Para a variável "Nº de aféreses" e "dias de recup leucocitária", obtivemos coef de correlação de 0,36 (p=0,02). Conclusão: Este estudo mostra a viabilidade p/ mobilizar e coletar CPP, em pacientes onco-hematológicas, previamente tratados c/ QT e/ou RT, com alta eficiência de coleta e baixa morbidade. Há correlação linear entre os dias p/ recup leucocitária e o Nº de aféreses, p/ a coleta desejada de céls CD34+. O estudo sugere que a rápida recup leucocitária, principalmente c/ CY 4 g/m2 , é um importante preditor para poucas aféreses, para se obter boa coleta de céls CD34+.

TO-07

EXPERIÊNCIA COM TRANSPLANTE DE MEDULA ÓSSEA EM PEDIATRIA

Seber A.. Luppi L.A.G.S., Morais M.F,C,.Oliveira O.M.W, Ginani V.C, Petrilli A.S. Instituto de Oncologia Pediátrica - GRAACC - UNIFESP. São Paulo, Brazil.

O transplante de medula óssea (TMO) é empregado como alternativa terapêutica para pacientes pediátricos portadores de malignidades hematológicas e tumores sólidos. No TMO a administração de altas doses de quimioterapia é seguida da infusão de células progenitoras hematopoéticas (CPH) que irão promover a reconstituição da medula óssea. O objetivo deste trabalho é demonstrar os resultados obtidos no Instituto de Oncologia Pediátrica/GRAACC/UNIFESP no período de Maio de 1999 a Junho de 2001. 29 pacientes foram submetidos a TMO (17 do sexo masculino). O diagnóstico dos pacientes foi leucemia mielóide aguda (7), leucemia Iinfóide aguda (4), leucemia mielóide crónica (2), neuroblastoma 4 (9), doença de Hodgkin (2), aplasia de medula óssea (2), sarcoma alveolar (1),síndrome mielodisplásica(l) e tumor desmoplásico(l). Os pacientes submetidos a TMO alogênico (13) e autólogo (16) apresentaram mediana de idade de 11 (5-19) e 6 (1-21) anos, respectivamente. O regime de condicionamento administrado foi ciclofosfamida e irradiação corporal total ou ciclofosfamida e bussulfano para o transplante alogênico e carboplatina, VP-16 e melfalano ou bussulfano e melfalano para o transplante autólogo. Entre os 29 pacientes submetidos ao TMO, 19 estão vivos, sendo que 16 estão em remissão completa, cinco apresentaram recidiva da doença e foram tratados com infusão de leucócitos do doador, três apresentaram recidiva da doença e encontram-se em tratamento. Além dos pacientes submetidos ao TMO, sete pacientes tiveram as CPH coletadas da medula óssea ou sangue periférico e criopreservadas para futura utilização. Foi realizada a coleta de sangue de cordão umbilical de dois potenciais doadores para pacientes portadores de leucemia. Concluímos que o TMO pode ser utilizado com bons resultados em pacientes pediátricos.

TO-08

TRASPLANTE DE MEDULA OSEA EN PEDIATRIA: EXPERIÊNCIA PINDA HOSPITAL LUÍS CALVO MACKENNA.

Palma,J.2 Mosso.C.2 Campbell.M.3 Salgado,C.1 Vargas,L.4 Becker.A.6 Advis.P.5 Quintana,J.2 Beresi.V.2 Hospital Exequiel González Cortés1, Hospital luís Calvo Mackenna2, Hospital Roberto del Rio3, Hospital San Juan de Dios", Hospital San Borja Arriarán5, Hospital Sótero del Rio6, Santiago Chile.

El trasplante de precursores hematopoyéticos (TPH), es un procedimiento validado para el tratamiento definitivo de una serie de patologias malignas y no malignas. Desde Octubre de 1999 que se encuentra en funciones Ia primera unidad pediátrica de TPH en un hospital del sistema público de salud chileno. El objetivo de esta comunicación es describir la experiência de los primeros 20 procedimientos realizados en esta unidad. Se han realizado 17 trasplantes de medula alogénicos familiares, 1 de ellos haploidéntico con depleción de linfocitos T, 16 de hermano histocompatible y los demás autólogos. La edad media de los pacientes fue de 6,05 años al momento del procedimiento (0,5 a 17 años), 10/20 hombres. Las patologias en las que se indicó el trasplante fue maligna en 11/20 pacientes: 1 LMC en FC, 3 LMA en RC1,1 LMA en RC2, 1 LLA RC1, 2 LLA en RC2,1 LLA en RC3, 1 LH y 1 neuroblastoma IV. Las indicaciones en patologia no maligna fueron 1 pcte con S.Kostman, 6 pctes con aplasia medular severa adquirida y 1 pcte SCID variante S. Omenn. El acondicionamiento se realizo con quimioterapia (QT) solamente en 8/17 alogénicos y en 2/3 autólogos, en los restantes se utilizo en 5/10 ICT y en 5/10 INT asociado a la QT. La celularidad infundida fue en los TPH medulares de 82.64 CD34+/kg (rango 1,31 a 7.2x106/Kg), y en los sangre periférica fue de 5.68x106. CD 34+/kg (rango 3,26 a 9.09x106/kg). En los TPH alogênico se uso ciclosporina A como profilaxis de enfermedad injerto contra huésped EICH en todos ellos desde el dia 2 y MTX pauta corta en 5/17. Todos los pacientes recibieron profilaxis de enfermedad venooclusiva (EVO) con heparina desde el dia 7 ai +21. Resultados: El tiempo médio de recuperación de neutrófilos fue de 19,3 dias (rango 9 a 34 dias), reticulocitos >a 1% se alcanzaron a los 17.4 días (rango 11 a 34 dias) y de plaquetas 19 dias (rango 12 a 42 dias). La incidencia de EICH agudo fue de 10/17, siendo de grado l - II en 7/10 y III a IV en 3/10 pctes, recibiendo tratamiento de primera línea todos ellos y de segunda línea (ATG) en un caso, con buena respuesta en todos. No se presentaron casos de EVO. 14/20 pctes recibieron tratamiento antibiótico de amplio espectro por presentar fiebre y neutropenia, 4/14 con hemocultivos positivos. En un caso el cuadro fue severo con inestabilidad hemodinámica sin requerir traslado a UTI. Un pcte se trasladó a UTI por presentar infección asociada a catéter central luego del alta, pêro ninguno requirió ventilación mecánica. Un pcte necesitó tratamiento con ganciclovir por infección por CMV, presentando depresión medular secundaria. La mortalidad relacionada al TPH fue de 0/20. El estudio de quimerismo se ha realizado en 15 TPH alogénicos, mostrando implante de progenitores del donante en todos ellos. Los pctes trasplantados por cuadros no neoplásicos han evolucionado con desaparición de cuadro clínico que motivó el procedimiento, en el grupo oncológico es necesario un seguimiento mayor para mostrar resultados más definitivos. Conclusiones: el trasplante de precursores hematopoyéticos es una herramienta de alta complejidad y costo, pero que en nuestra experiencia, ha demostrado tener una baja morbimortalidad aguda y crónica en esta serie permitiendo rescatar pctes oncológicos de alto riesgo, como también pctes con enfermedades no neoplásicas que no tendrian otra posibilidad de curación con tratamientos habituales. Sin duda que ha sido un esfuerzo de muchos implementar este programa demostrando que es posible realizar un programa de trasplante TPH pediátrico en el sistema público de salud en Chile con resultados comparables a los internacionales.

TO-09

RESULTADOS DO TRATAMENTO DE 54 PACIENTES COM MIELOMA MÚLTIPLO (MM) UTILIZANDO QUIMIOTERAPIA EM ALTAS DOSES SEGUIDO DE TRANSPLANTE AUTÓLOGO COM CÉLULAS TRONCO HEMATOPOIÉTICAS (TAMO)

Maiolino A, Nucci M, Schaffel R, Nucci F, Lima MC, Portugal R, Morgado M, Taveira DM, Portugal AC, Linhares AP, Urago KP, Atta EH, Musacchio JG, Coutinho LV, Pulcheri W HUCFF - Universidade Federal do Rio de Janeiro

A fim de avaliar a toxicidade e a taxa de resposta do melfalan 200 mg/m2, seguido de resgate utilizando células tronco hematopoéticas, foram analisados 51 pacientes com MM, 2 com leucemia de células plasmáticas e 1 com amiloidose, tratados entre fev/1997 e jun/2001. Para a mobilização das células tronco foi utilizada a ciclofosfamida (1,5 g/m2) e G-CSF (10 g/kg/dia até o ultimo dia de aférese). A idade mediana foi de 52 anos (29 a 66 anos), O período entre o diagnóstico e o TAMO foi menor que 18 meses em 28 pacientes. No momento do TAMO, 30 pacientes se encontravam em remissão completa (RC), 23 em remissão parcial (RP), e 1 paciente com doença progressiva. Dois pacientes se encontravam em hemodiálise. As toxicidades mais comuns foram neutropenia febril e mucosite (100%). Após um tempo mediano de acompanhamento de 363 dias (12 a 1010), 25 pacientes se encontram em RC, 16 em RP e 7 apresentam doença progressiva. Houve 2 óbitos no período imediato pós-TAMO (3,7%). Além disso, outros 6 pacientes morreram devido a progressão da doença. O TAMO para o tratamento do MM é um procedimento seguro no nosso meio, incluindo pacientes em idade avançada e em hemodiálise. A maioria dos pacientes obtém RC ou RP após o procedimento. Um período maior de observação será necessário para avaliar o impacto na sobrevida global desses pacientes.

TO-10

A Randomised, prospective comparison of allogeneic bone marrow and peripheral blood progenitor cell transplantation in the treatment of haematological malignancies.

Vigorito AC. Aranha FJP, Eid KAB, Oliveira GB, Marques JFC, Correa MEP, Reis ARC, Miranda ECM, de Souza CA Bone Marrow Transplantation Unit, State University of Campinas, SP/Brazil.

We present the results of a prospective, randomised study comparing PBPC and BM focusing on engraftment, acute and chronic GVHD and survival. Sixty patients with haematological malignancies received HLA-identical sibling BM (group A) or PBPC (group B). Evaluable patients were 29 (A) and 27 (B). Median age was 36 (17-59) in A and 29.9 (7-51.5) in B. Conditioning regimen was mainly Bu-Cy2; GVHD prophylaxis was CSA-MTX. PBPC were harvested after 5 days of G-CSF 10mg/Kg/d. Median of infused CD34+ cells were 3.96x106/kg (1,19-17.55) and 5.12 x106/kg (1.25-71.61) for groups A and B, respectively (P=0.32). Median of days for an ANC >0.5 xl09/l was 19 (12-30) in A and 15 (11-25) in B (P=0.008) and the median for ANC >1x109/! was 23 (14-47) in A and 18 (11-34) in B (P=0.008). Platelets >20 x109/l occurred at +20 (13-40) in A and +12 (9-36) in B (P<0.0001) and platelets > 50 x109/l at +27 (15-580) in A and +15 (11-124) in B (P<0.0001). Median days for discharge were 27 (18-69) and 21 (16-42) for groups A and B, respectively (P=0.01). The probability of ³2 grade a-GVHD was 23% (A) and 26% (B) (P=0.53). The probability of extensive c-GVHD was 48% and 78% in A and B, respectively (P= 0.04), furthermore, all patients in the PBPC group developed extensive disease, while 6/12 (50%) in the BM group (P= 0.004). The estimates of overall survival for A and B at 2180 days are 48% and 55% respectively (P=0.62); DFS at 2180 days are 32% and 65% respectively (P=0.23). The relapse probabilities for A and B are 52% and 15% (P= 0.31). In multivariate analysis, the ANC and platelets engraftment was affected by PB graft. Moreover, only the PB graft influenced the c-GVHD. Regarding OS, early disease showed best outcomes and transplant related mortality was influenced only by patients' age. PBPC resulted in faster neutrophils, platelets engraftment, and earlier discharge. The acute GVHD was similar in both groups, but the severity of c-GVHD was higher with PBPC. No differences in survival, and DFS, have been observed so far, but best outcome for early disease. Furthermore, although not significant, relapse in the group B was lower.

TO-11

QUANTIFICAÇÃO DO ESTADO DE QUIMERISMO ATRAVÉS DA AMPLIFICAÇÃO DE MICROSSATÉLITES (STR) UTILIZANDO PRIMERS FLUORESCENTES

Bonamino MH1,2; Hassan R1,2; Rumjanek F2; Seuanez H1,2, Tabak DG1; Zalcberg IR1. 1CEMO, INCa. 2UFRJ. Rio de Janeiro.

A determinação dos níveis e dinâmica do quimerismo tem sido largamente aceita no acompanhamento de paciente após o TMO alogênico. A rápida e precisa quantificação, bem como a evolução do padrão de quimerismo são importantes ferramentas para a tomada de decisões terapêuticas. Diferentes metodologias tem sido utilizadas, como citogenética, FISH e PCR para amplificação de regiões repetitivas de DNA (VNTRs ou STRs). Neste trabalho apresentamos um método quantitativo baseado na amplificação de regiões STR utilizando primers fluorescentes. A metodologia consistiu em PCRs para os loci de repetição dinucleotídeo (2n) D9S162, D9S171, D9S156, DXS1068 e para os tetranucleotideos (4n) D10S520 e D17S691 seguido de detecção no seqüenciador ABIPrism 377 e análise com software GeneScan 2.1. Utilizaram-se 3 curvas padrão com diluições seriadas de células de dois doadores não relacionados. Cada ponto da curva foi analisado em 4 repetições independentes. Os resultados obtidos foram reproduzíveis, fornecendo uma satisfatória correlação com a curva padrão. Populações minoritárias de 5% foram invariavelmente detectadas, indicando um limiar de detecção entre 1 e 4%, variando com a configuração de alelos estudados. A informatividade média para os loci de repetições 2n e 4n foram 36% (n=40) e 54% (n=28) respectivamente. Quinze amostras independentes avaliadas por citogenética e PCR tiveram os resultados comparados, demonstrando boa correlação entre as duas técnicas. Foram também analisadas a pega e consolidação do enxerto em amostras de frações mononucleares e de granulócitos em 3 pacientes (AAS, LMC, LLA) apresentando resultados consistentes com os dados clínicos e hematológicos. O metodo padronizado mostrou ser rápido, sensível e confiável, representado uma boa alternativa aos kits comerciais de alto custo para a amplificação de STR fluorescente. Esta técnica, associada a separação de diferentes populações hematopoéticas é uma estratégia laboratorial importante para a caracterização da evolução do paciente após o alo-TMO.

Datas de Publicação

  • Publicação nesta coleção
    12 Ago 2002
  • Data do Fascículo
    Set 2001
Associação Brasileira de Hematologia e Hemoterapia e Terapia Celular R. Dr. Diogo de Faria, 775 cj 114, 04037-002 São Paulo/SP/Brasil, Tel. (55 11) 2369-7767/2338-6764 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: secretaria@rbhh.org