Aspectos imunológicos do transplante de medula óssea não relacionado: aloreatividae e imunoreconstituição

Neste relato são discutidos aspectos que interferem nos resultados dos transplantes de medula óssea não relacionados. As principais complicações devem-se à Doença Enxerto contra o Hospedeiro e infeções virais pós-transplante. A seleção de doadores, baseada na compatibilidade entre as moléculas HLA-A,B e DR por métodos sorológicos tem se mostrado insuficiente para evitar o estabelecimento da Doença Enxerto contra o Hospedeiro, indicando que doadores aparentemente compatíveis, quando aplicadas técnicas mais refinadas, na realidade não o são. Outro aspecto refere-se à sobrevida global em que transplantes compatíveis ou com pequenas diferenças nos resultados não diferem significativamente, indicando a existência de outros fatores importantes nos transplantes de medula óssea não relacionados. Dentre os fatores devem ser incluídos os lócus HLA- C, DQ, DP, antígenos menores de histocompatibilidade ale da aloreatividade das células e peculiaridades observadas na imunoreconstituição após o TMO.

Transplantes de medula óssea; compatibilidade de HLA; aloreatividade; imunoreconstituição


Associação Brasileira de Hematologia e Hemoterapia e Terapia Celular R. Dr. Diogo de Faria, 775 cj 114, 04037-002 São Paulo/SP/Brasil, Tel. (55 11) 2369-7767/2338-6764 - São Paulo - SP - Brazil
E-mail: secretaria@rbhh.org