Língua(gem) e identidade: a estranha-familiar língua da escola

Language and Identity: the uncanny language at school

Resumos

Neste estudo, analisamos narrativas de professores de língua portuguesa (LP) que não possuem exclusivamente essa língua em sua inscrição no campo da linguagem para, com isso, pensar sua relação com a(s) língua(s) da/na escola. Para a constituição de nosso corpus, entrevistamos catorze professores da educação básica da rede pública na região de Concórdia, SC, cuja história sociocultural é marcada pela imigração européia. Nas análises, observamos que a escola assume uma prática de silenciar uma história marcadamente plural, sem torná-la dizível, deixando assim de trabalhar a relação com a alteridade linguística e com as memórias outras que constituem os sujeitos de nossa pesquisa. Essa questão abrange aspectos não só de ordem educacional mas também histórica, social, política e, consequentemente, identitária.

identidade; formação de professores; pluralidade linguística; differance


This study analyzes narratives produced by teachers of Portuguese who do not have only this language in their langagière inscription, with the purpose of reflecting on their relationship with the language(s) at school. Our corpus is composed by 14 interviews with public basic school teachers in the region of Concórdia (Santa Catarina state, Southern Brazil) whose socio-cultural history is featured by European immigration. Our analyses have shown that school practice keeps in silence a history that is remarkably plural, without allowing it becomes utterable and failing to work out its relationship with the linguistic otherness and with the memories which constitute the subjects of our research. This complex issue involves aspects whose nature is not only educational, but also historic, social, and, consequently, identitarian.

identity; Teachers' training / education; linguistic plurality; differance


ARTIGOS

Língua(gem) e identidade: a estranha-familiar língua da escola1 1 Este texto é fruto de minha tese de doutoramento, defendida em julho de 2008, no Instituto de Estudos da Linguagem, da UNICAMP, sob orientação da profa. Dra. Maria José Rodrigues Faria Coracini, e contou com o apoio financeiro da FAPESP. Também foi apresentado no II Congresso Latino-Americano sobre Formação de Professores de Línguas, no Rio de Janeiro, em 2008, e uma versão alterada consta dos Anais deste.

Language and Identity: the uncanny language at school

Angela Derlise Stübe Netto

Universidade do Contestado - UNC - Concórdia - SC, E-mail: adsnetto@hotmail.com, angelanetto@uncnet.br

RESUMO

Neste estudo, analisamos narrativas de professores de língua portuguesa (LP) que não possuem exclusivamente essa língua em sua inscrição no campo da linguagem para, com isso, pensar sua relação com a(s) língua(s) da/na escola. Para a constituição de nosso corpus, entrevistamos catorze professores da educação básica da rede pública na região de Concórdia, SC, cuja história sociocultural é marcada pela imigração européia. Nas análises, observamos que a escola assume uma prática de silenciar uma história marcadamente plural, sem torná-la dizível, deixando assim de trabalhar a relação com a alteridade linguística e com as memórias outras que constituem os sujeitos de nossa pesquisa. Essa questão abrange aspectos não só de ordem educacional mas também histórica, social, política e, consequentemente, identitária.

Palavras-chave: identidade, formação de professores, pluralidade linguística, differance.

ABSTRACT

This study analyzes narratives produced by teachers of Portuguese who do not have only this language in their langagière inscription, with the purpose of reflecting on their relationship with the language(s) at school. Our corpus is composed by 14 interviews with public basic school teachers in the region of Concórdia (Santa Catarina state, Southern Brazil) whose socio-cultural history is featured by European immigration. Our analyses have shown that school practice keeps in silence a history that is remarkably plural, without allowing it becomes utterable and failing to work out its relationship with the linguistic otherness and with the memories which constitute the subjects of our research. This complex issue involves aspects whose nature is not only educational, but also historic, social, and, consequently, identitarian.

Keywords: identity, Teachers' training / education, linguistic plurality, differance.

Texto completo do artigo disponível apenas em PDF.

Article full text available only in PDF format.

Recebido em março de 2009.

Aprovado em maio de 2009.

  • CORACINI, M. J. A escamoteação da heterogeneidade nos discursos da linguística aplicada e da sala de aula. Letras Alteridade e heterogeneidade, n. 14, p. 39-63, jan.-jun. 1997.
  • CORACINI, M. J. A celebração do outro: arquivo, memória e identidade: línguas (materna e estrangeira), plurilinguismo e tradução. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2007.
  • DERRIDA, J. O monoliguismo do outro Ou a prótese de origem. Porto, Portugal: Campo das Letras, 2001.
  • FOUCAULT, M. História da sexualidade I: a vontade de saber. Rio de Janeiro: Graal, 1988.
  • FOUCAULT, M. Microfísica do poder Rio de Janeiro: Graal, 1995.
  • FOUCAULT, M. A ordem do discurso São Paulo: Edições Loyola, 1996.
  • FREUD, S. Lembranças encobridoras. In: Edição eletrônica brasileira das obras psicológicas de Sigmund Freud. Rio de Janeiro: Imago, 1899.
  • HACKING, I. (2002). Façonner les gens Disponível em: <www.college-de-france.fr/media/phi_his/ups1957_hackingrol02>. Acesso em: 07/09/2005.
  • IMPRESSÃO. In: HOUAISS, A.; VILLAR, M.S. Dicionário Houaiss da língua portuguesa Rio de Janeiro: Objetiva, 2007. p. 1585.
  • NETTO, A. D. S. Tramas da subjetividade no espaço entre-línguas: narrativas de professores de língua portuguesa em contexto de imigração. 2008. 243 f. Tese (Doutorado em Linguística Aplicada) - Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, Campinas/SP., 2008.
  • NETTO, A. D. S. Sujeito e linguagem: (des)construindo identidade. Revista da Abralin, v. 6, n. 1, p. 129-146, 2007.
  • NETTO, A. D. S. "Estilhaços": a construção da subjetividade. Revista Contrapontos UNIVALE - Universidade do Vale do Itajaí, SC, set.-dez. 2006.
  • OLIVEIRA, G. M. Línguas como patrimônio imaterial 2005. Disponível em: <http://www.ipol.org.br>. Acesso em: 7 fev. 2007.
  • PAYER, M. O. Memória da língua Imigração e nacionalidade. 1999. 173 f. Tese (Doutorado em Linguística) - Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, Campinas/SP., 1999.
  • PAULILLO, R. A enunciação vacilante: formas do heterogêneo no discurso do si. 2004. 273 f. Tese (Doutorado em Linguística) - Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, Campinas / SP., 2004
  • REVUZ, C. A língua estrangeira entre o desejo de um outro lugar e o risco do exílio. In: SIGNORINI, I. Língua(gem) e identidade Campinas: Mercado de Letras. São Paulo: Fapesp, 1998. p. 213-232.
  • RIOLFI, C. O discurso que sustenta a prática pedagógica 1999. 360 f. Tese (Doutorado em Linguística) - Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, Campinas / SP., 1999.

  • 1
    Este texto é fruto de minha tese de doutoramento, defendida em julho de 2008, no Instituto de Estudos da Linguagem, da UNICAMP, sob orientação da profa. Dra. Maria José Rodrigues Faria Coracini, e contou com o apoio financeiro da FAPESP. Também foi apresentado no II Congresso Latino-Americano sobre Formação de Professores de Línguas, no Rio de Janeiro, em 2008, e uma versão alterada consta dos Anais deste.

Datas de Publicação

  • Publicação nesta coleção
    08 Mar 2013
  • Data do Fascículo
    2009

Histórico

  • Aceito
    Maio 2009
  • Recebido
    Mar 2009
Faculdade de Letras - Universidade Federal de Minas Gerais Universidade Federal de Minas Gerais - Faculdade de Letras, Av. Antônio Carlos, 6627 4º. Andar/4036, 31270-901 Belo Horizonte/ MG/ Brasil, Tel.: (55 31) 3409-6044, Fax: (55 31) 3409-5120 - Belo Horizonte - MG - Brazil
E-mail: rblasecretaria@gmail.com